Digestivo nº 400 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
34611 visitas/dia
1,5 milhão/mês
Digestivo Cultural
O que é?
Quem faz?

Audiência e Anúncios
Quem acessa?
Como anunciar?

Colaboração e Divulgação
Como publicar?
Como divulgar?

Newsletter | Disparo
* Histórico & Feeds
TT, FB e Instagram
Últimas Notas
>>> Daily Rituals - How Artists Work, by Mason Currey
>>> Fernando Pessoa, o Livro das Citações, por José Paulo Cavalcanti Filho
>>> A Loja de Tudo - Jeff Bezos e a Era da Amazon, de Brad Stone
>>> Reflexões ou Sentenças e Máximas Morais, de La Rochefoucauld
>>> O Capital no Século XXI, de Thomas Piketty, o livro do ano
>>> Trágico e Cômico, o livro, de Diogo Salles
>>> Blue Jasmine, de Woody Allen, com Cate Blanchett
>>> The Devil Put Dinosaurs Here, do Alice in Chains
Temas
Mais Recentes
>>> O cinema de Weerasethakul
>>> Para que serve a poesia?
>>> Sexo e luxúria na antiguidade
>>> Gerald Thomas: Cidadão do Mundo (parte III)
>>> Zizitinho Foi Para o Céu
>>> Um DJ no mundo comunista
>>> Gerald Thomas: cidadão do mundo (parte II)
>>> Contra a breguice no Facebook
>>> Um socialista na Casa Branca?
>>> Gerald Thomas: cidadão do mundo (parte I)
Colunistas
Mais Recentes
>>> Copa 2014
>>> Copa 2010
>>> Idade
>>> Origens
>>> Protestos
>>> Millôr Fernandes
Últimos Posts
>>> Podres de Mimados, por Pondé
>>> CaKo Machini
>>> O direito à literatura
>>> Renato Alessandro dos Santos
>>> Vininha F. Carvalho
>>> Mirian de Carvalho
>>> Hector Ângelo
>>> Anchieta Rocha
>>> Poesia em Xadrez, BH
>>> Festival literário em BH
Mais Recentes
>>> Lembranças de Ariano Suassuna
>>> Harold Ramis (1944-2014)
>>> Sergio Britto & eu
>>> Para o Daniel Piza. De uma leitora
>>> Joey e Johnny Ramone
>>> A Cultura do Consenso
>>> De Kooning em retrospectiva
>>> Delírios da baixa gastronomia
Mais Recentes
>>> Jaime Pinsky
>>> Luis Salvatore
>>> Catarse
>>> Chico Pinheiro
>>> Sheila Leirner
>>> Guilherme Fiuza
Mais Recentes
>>> O segundo e-book do Digestivo
>>> Momento cívico
>>> Digestivo Books
>>> Caixa Postal
>>> Nova Seção Livros
>>> Digestivo no Instagram
Mais Recentes
>>> Papo com Alessandro Martins
>>> A cultura carioca em festa
>>> Desonra, por J.M. Coetzee
>>> O roteirista profissional: televisão e cinema
>>> WikiReader: Wikipedia de bolso
>>> O melhor filme de 2011
>>> A canção, por Wisnik
>>> Daniel Piza Eterno
>>> Entretenimento dá dinheiro, sim!
>>> Entrevista com Cronópios
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 30/1/2009
Digestivo nº 400
Julio Daio Borges

+ de 1200 Acessos




Internet >>> Surf Hype, o maior blogueiro de São Paulo
No mesmo embalo da crítica aos "experts em social media", feita por Hugh MacLeod nos Estados Unidos, André Dahmer criou um novo personagem em suas tiras, "Surf Hype — o maior blogueiro de São Paulo". Dahmer é do Rio, óbvio, e, historicamente como vários intelectuais e artistas cariocas, assiste com olhos desconfiados à pujança de São Paulo, que a muitos corrompe, inclusive a detentores de blogs da moda... Não era novidade que iria acontecer um dia, mas Dahmer, por conhecer o movimento blogueiro "de dentro", forjou o mais bem-acabado personagem, inclusive com blog próprio. Nas tirinhas — Surf Hype, que fisicamente se inspira numa capa do DJ Fatboy Slim —, topa divulgar qualquer coisa, mesmo que seja uma empresa de amianto (longe, muito longe da sua temática), por... "cem maravilhosos reais". Eticamente, claro, a empresa não vale nada, e o publicitário, que intermedeia a negociação, vale menos ainda — mas Surf Hype vai lá, em seu blog, dizer que sente uma "vibe bonita, sincera e 'do bem'". Dahmer ainda tira sarro dos brindes inúteis que as agências distribuem, esperando comprar posts favoráveis em blogs, ou das festas, preferencialmente na Vila Madalena; também, dos espaços ("lounges") das ricas empresas de telefonia e das "listas VIP" para bloggers... Na sua última manifestação, Surf Hype anuncia seu livro (!), com "técnicas de monetização, redes sociais e publieditoriais" ("para leigos"). Trata-se da eterna guerra entre o "espaço editorial" e o "espaço publicitário", mas transmutada para o universo dos blogs. No auge do jornalismo chegou-se à sofisticada divisão entre "Igreja" e "Estado", mas e na blogosfera, quem será o Henry Luce? [2 Comentário(s)]
>>> Surf Hype, o maior blogueiro de São Paulo
 



Imprensa >>> A Democracia Traída, de Raymundo Faoro
Além da cinquentenária edição de Os Donos do Poder, a editora Globo acaba de soltar uma coletânea de entrevistas com Raymundo Faoro, que pode servir de iniciação ao pensador brasileiro falecido em 2003. Os Donos do Poder se tornou um clássico das idéias sobre o Brasil, a ponto de despertar a curiosidade pelo que Faoro, justamente, pensava sobre a política brasileira contemporânea. Assim, Mino Carta, desde 1979, entrevistou Faoro, praticamente ano a ano, e agora Mauricio Dias organizou tudo em livro, cujo título provocativo é A Democracia Traída. Partindo da desmontagem do regime militar, Faoro confirma sua designação de "profeta", acertando, frequentemente, sobre políticos que viemos a conhecer melhor depois. Afirma, por exemplo, que "Sarney vive de ibope", FHC tem "habilidade acima das convicções", e que Lula, "eleito", tem de obrigatoriamente "contemporizar". Afirma, também, que "direita e esquerda" são "criações", "raciocínios" — "fora do concreto". Prevê, igualmente, que o PMDB de "eterna oposição" passaria a "eterno governo"; que o PT ascenderia muito rapidamente; e que o PSDB ocuparia o "centro" (surgindo como tertius, numa disputa entre os dois anteriores). O livro ainda capta, fora as profecias, o espírito do tempo, partindo de uma crença na política, como força transformadora da sociedade (algo que não há mais), até desembarcar progressivamente no ceticismo, no desalento e na desilusão. De tão longas, e detalhadas (até demais), as entrevistas são inimagináveis hoje; temperadas com erudição de jornalistas que liam (antigamente) muito; e pensadas, talvez inconscientemente, para durar. Raymundo não acertou somente ao escrever sobre a passado, mas também ao falar do presente e ao prever, como ninguém, o futuro. [1 Comentário(s)]
>>> A Democracia Traída
 



Além do Mais >>> São Paulo, que dá nome à nossa cidade
Paulo, natural de Tarso, também Saulo (seu nome judaico), era originalmente adepto do "time" dos fariseus. Tinha facilidade para argumentar, grego era sua língua nativa, embora fosse capaz de improvisar num certo "dialeto hebreu", o aramaico. Epiléptico — supõe-se hoje —, não era, à primeira vista, uma personalidade impressionante. "Um homem fraco" — diziam seus críticos gregos —, chegou a admitir que não era bom orador. Perseguiu a igreja de seu mestre no início, como um fanático, mas, de repente em Damasco, passou milagrosamente de perseguidor a entusiasta. Não era bom parceiro, diziam, a menos que fosse chefe. E foi considerado um "estranho" entre seus iguais. Tiago — irmão de seu mestre — junto a seus entusiastas, num dado momento, classificariam-no como "arrivista autopromovido" (sounds familiar?). Ao contrário de seu mestre — e do que pregavam seus ensinamentos —, Paulo não era inclinado ao perdão. Admoestou, furiosamente, Pedro — um colega seu — por este ter bancado o covarde e ter mudado de lado numa dada ocasião, em Antioquia. Paulo era obstinado e, por isso mesmo, meteu-se em conflitos pelo resto da vida, no incansável esforço de levar a palavra do mestre adiante. Passou fome, sede e frio. Foi prisioneiro, sofreu açoitamento e foi apedrejado. Em mais de uma oportunidade, tiveram de resgatá-lo, afastando-o da cidade, antes que sua vida estivesse ameaçada — escapou, uma vez, numa embarcação, dentro de um cesto, encolhido. Ainda que tivesse condenado Pedro, em sua hesitação, Paulo, por escrito, confessou: "Tornei-me tudo para todos". Este homem apaixonado, aventureiro e eternizado por suas cartas dá nome à nossa cidade, que completa 455 anos. Quem conta é Geza Vermes, num livro, justamente, sobre o mestre de Paulo... [1 Comentário(s)]
>>> São Paulo, 455 anos
 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

>>> DUO LÉA FREIRE E AMILTON GODOY NO PROJETO #MÚSICAPRASERFELIZ
>>> CRISE HÍDRICA É TEMA DE PALESTRA E LIVRO
>>> Brasilianas.org apresenta entrevista exclusiva com Felipe González
>>> Natalia Lage recebe o diretor chileno Jorge Durán na TV Brasil
>>> Eduardo Sued celebra 90 anos com mostra na Mul.ti.plo
>>> Comédia indiana encerra o Ciclo de Cinema Asiático na TV Brasil nesta sexta (26)
* clique para encaminhar

Editora Record
Editora Perspectiva
Primavera Editorial
José Olympio
Bertrand Brasil
Cortez Editora
Civilização Brasileira
Best Seller
Nova Fronteira
Hedra
Companhia das Letras
Arquipélago Editorial
Globo Livros
Editora Conteúdo
Intrínseca
WMF Martins Fontes
LIVROS


UM PASSARINHO ME CONTOU
BIZ STONE

De R$ 30,00
Por R$ 15,00
50% off
+ frete grátis



REFERENCIAÇÃO - TEORIA E PRÁTICA
MAGALHÃES CAVALCANTE E CALIXTO DE LIMA

De R$ 46,00
Por R$ 23,00
50% off
+ frete grátis



PONTO FINAL
J. H. BRAGATTI

De R$ 29,90
Por R$ 14,95
50% off
+ frete grátis



COMO O GOOGLE FUNCIONA
ERIC SCHMIDT E JONATHAN ROSENBERG

De R$ 39,90
Por R$ 19,95
50% off
+ frete grátis



AUTO-DE-FE - PROSA DO MUNDO
CANETTI, ELIAS

De R$ 82,00
Por R$ 41,00
50% off
+ frete grátis



O VÉU
LUIS EDUARDO MATTA

De R$ 52,40
Por R$ 26,20
50% off
+ frete grátis



HISTÓRIAS PARA VIRAR GENTE GRANDE
SOPHIE CARQUAIN

De R$ 35,00
Por R$ 17,50
50% off
+ frete grátis



O MILAGRE DO AGORA
TONI PACKER

De R$ 22,00
Por R$ 11,00
50% off
+ frete grátis



SEX GAME BOOK
DENYSE BEAULIEU

De R$ 145,26
Por R$ 72,63
50% off
+ frete grátis



HÁ MUITO O QUE CONTAR... AQUI
A. L. KENNEDY

De R$ 49,90
Por R$ 24,95
50% off
+ frete grátis



busca | avançada
34611 visitas/dia
1,5 milhão/mês