Digestivo nº 461 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
82544 visitas/dia
757 mil/mês
Mais Recentes
>>> Piscina gigante de bolinhas e brincadeiras no Shopping Cidade São Paulo
>>> Cinecão- A Má educação:uma obra aberta
>>> Espetáculo musical cultura caipira para crianças na Fundação Ema Klabin
>>> De um Velho Amigo ao "Velho Amigo"
>>> Teatro do Incêndio realiza encontro com o Samba de Bumbo da Dona Maria Esther
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Revolusséries
>>> Mais espetáculo que arte
>>> Thoreau, Mariátegui e a experiência americana
>>> Meu querido aeroporto #sqn
>>> Essas moças de mil bocas
>>> Como uma Resenha de 'Como um Romance'
>>> Quem é mesmo massa de manobra?
>>> Imprimam - e repensem - suas fotografias
>>> Um Cântico para Rimbaud, de Lúcia Bettencourt
>>> Longa vida à fotografia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
>>> Ebook gratuito
>>> Poesia para jovens
>>> Nirvana pra todos os gostos
>>> Diego Reeberg, do Catarse
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Lançamento e workshop em BH
Últimos Posts
>>> Se correr o bicho pega. Se ficar o bicho come...
>>> Suores
>>> DOIS POEMETOS E UM SONETO INÉDITO
>>> O encontro improvavel
>>> Trêmulo
>>> Arabescos
>>> Chuck Berry
>>> Os clássicos
>>> Revisitação a Raimundo Correia (série: Sonetos)
>>> Políticos - Vilões do Mundo Real
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Livro pra quem precisa
>>> Dexter Versus House
>>> Cristal
>>> Micronarrativa e pornografia
>>> chatices e descobertas
>>> Fabio Gomes
>>> Entrevista com João Pereira Coutinho
>>> Lei de Imprensa, Diploma e Questões Afins
>>> Ensaio de interpretação do Orkut
>>> Philip Seymour Hoffman (1967-2014)
Mais Recentes
>>> Português sem Complicação - Concordância Aula Extra II
>>> O Mistério da Encarnação
>>> A Salvação entrou nesta Casa
>>> A Grande Promessa
>>> Comunicação & Marketing para Pequenos e Médios Negócios
>>> No Fio da Vida
>>> A Vida Oculta e Mística de Jesus-As Chaves secretas do Cristo
>>> A Empresa na Velocidade do Pensamento
>>> Vendas de Alto Impacto
>>> O Show Vai COmeçar
>>> Excelência Empresarial - Managing for Excellence
>>> Reengenharia Humana - Preparando o indivíduo para a mudança
>>> Marketing de Guerra 2
>>> O que NÃO se ensina em Harvard Business School
>>> Artilharia de Vendas
>>> A Sabedoria do Sutra de Lótus Volumes 1 e 2
>>> A Psicanálise Dos Contos De Fadas - Exemplar Novo
>>> Cultura Cabocla Ribeirinha
>>> Como Ter o Coração de Maria no Mundo de Marta
>>> O Mapa da Mina
>>> Como fazer Congressos e Eventos
>>> Métodos Criativos de Ensino
>>> Freud Básico: Pensamentos Psicanalíticos para o Século XXI
>>> O Primeiro Ano de Vida
>>> Ciência e Comportamento Humano
>>> Terapia Cognitivo-Comportamental na Prática
>>> O Caso Dos Exploradores De Cavernas
>>> Acorde, Mulher!
>>> Revista Pet World Nº 1
>>> Coleção Caras Zen - Terapias Do Movimento
>>> A Fonte não precisa perguntar pelo Caminho
>>> Nutrição de Ruminantes
>>> Nutrição de Monogástricos
>>> Cadeias Produtivas Estudos sobre competitividade e coordenação
>>> Apicultura Manejo e Produtos
>>> As intermitências da vida
>>> Paratii Entre Dois Polos
>>> Karluk A extraordinária expedição ao Ártico em 1913
>>> Casais Inteligentes Enriquecem Juntos
>>> Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século
>>> Linha-D'Água - Entre Estaleiros e Hones do Mar
>>> A Expedição KON-TIKi
>>> Treasure of light (em inglês)
>>> The Castle of Danger
>>> Gramática ilustrada
>>> Revista Saúde Responde Tudo Nº 1
>>> Gramática da Língua portuguesa
>>> Guia prático da Ortografia
>>> Memórias De Um Sargento De Milícias
>>> Go between (em inglês)
DIGESTIVOS

Quinta-feira, 29/4/2010
Digestivo nº 461
Julio Daio Borges

+ de 1800 Acessos




Imprensa >>> E o iPad não salvou os jornais e as revistas...
A Cult, antes a publicação onde os acadêmicos da USP divulgavam o resumo de suas teses, depois da aquisição pela Editora 17 (gestão Daysi Bregantini), vem conquistando seu lugar ao sol das bancas de revista. Manuel da Costa Pinto, o heróico fundador, permanece na direção do periódico, mas o agente catalisador dessa “renovação” tem sido, fica claro, Luís Antônio Giron, um dos pais do legendário Caderno Fim de Semana, da Gazeta Mercantil. Giron assina, neste mês de junho, a reportagem de capa (primeira na história da Cult): “Crepúsculo dos Gramáticos”. Nela, fomenta a discussão que está na iminência de acontecer (mas que todos os lados desejam evitar): por que, de repente, os guardiões da inculta e bela saíram de cena? e por que, também de repente, fomos invadidos pelos consultores, pelos apresentadores de tevê e pelos professores de cursinho? A contenda obviamente gira em torno de duas figuras-chave: Pasquale Cipro Neto (o eterno “darling” da mídia letrada, de quem Giron colheu depoimentos) e Evanildo Cavalcante Bechara (o último bastião do português castiço, de quem se tem uma entrevista). Para completar a paisagem, há ainda a injunção dos revisores e copidesques dos grandes jornais que, graças a seus manuais de redação (num País cujo ensino público e privado anda à beira da indigência), converteram-se nos derradeiros oráculos do que é “certo” e do que é “errado”. Como se não bastassem os galicismos (seculares), os anglicismos (turbinados pela era da informática), as aberrações (vide “gerundismo”) e as arbitrariedades (vide Folha de S. Paulo, que aboliu o uso do trema), o idioma luso-português viu-se retalhado em feudos, onde os senhores têm poder de vida e de morte sobre seus vassalos. Que a intelligentsia local silencie a esse respeito, não é fato que configure propriamente uma novidade. Que a Cult traga à baila esse assunto é sinal de que, apesar dos pesares, alguém ainda se importa. [1 Comentário(s)]
>>> Google's Chief Economist: The iPad Is Not Going To Save Newspapers
 



Literatura >>> Chá das Cinco com o Vampiro, de Miguel Sanches Neto
A Cult, antes a publicação onde os acadêmicos da USP divulgavam o resumo de suas teses, depois da aquisição pela Editora 17 (gestão Daysi Bregantini), vem conquistando seu lugar ao sol das bancas de revista. Manuel da Costa Pinto, o heróico fundador, permanece na direção do periódico, mas o agente catalisador dessa “renovação” tem sido, fica claro, Luís Antônio Giron, um dos pais do legendário Caderno Fim de Semana, da Gazeta Mercantil. Giron assina, neste mês de junho, a reportagem de capa (primeira na história da Cult): “Crepúsculo dos Gramáticos”. Nela, fomenta a discussão que está na iminência de acontecer (mas que todos os lados desejam evitar): por que, de repente, os guardiões da inculta e bela saíram de cena? e por que, também de repente, fomos invadidos pelos consultores, pelos apresentadores de tevê e pelos professores de cursinho? A contenda obviamente gira em torno de duas figuras-chave: Pasquale Cipro Neto (o eterno “darling” da mídia letrada, de quem Giron colheu depoimentos) e Evanildo Cavalcante Bechara (o último bastião do português castiço, de quem se tem uma entrevista). Para completar a paisagem, há ainda a injunção dos revisores e copidesques dos grandes jornais que, graças a seus manuais de redação (num País cujo ensino público e privado anda à beira da indigência), converteram-se nos derradeiros oráculos do que é “certo” e do que é “errado”. Como se não bastassem os galicismos (seculares), os anglicismos (turbinados pela era da informática), as aberrações (vide “gerundismo”) e as arbitrariedades (vide Folha de S. Paulo, que aboliu o uso do trema), o idioma luso-português viu-se retalhado em feudos, onde os senhores têm poder de vida e de morte sobre seus vassalos. Que a intelligentsia local silencie a esse respeito, não é fato que configure propriamente uma novidade. Que a Cult traga à baila esse assunto é sinal de que, apesar dos pesares, alguém ainda se importa. [Comente esta Nota]
>>> Chá das Cinco com o Vampiro | Blog do Livro
 



Cinema >>> Coco antes de Chanel, com Audrey Tautou
A Cult, antes a publicação onde os acadêmicos da USP divulgavam o resumo de suas teses, depois da aquisição pela Editora 17 (gestão Daysi Bregantini), vem conquistando seu lugar ao sol das bancas de revista. Manuel da Costa Pinto, o heróico fundador, permanece na direção do periódico, mas o agente catalisador dessa “renovação” tem sido, fica claro, Luís Antônio Giron, um dos pais do legendário Caderno Fim de Semana, da Gazeta Mercantil. Giron assina, neste mês de junho, a reportagem de capa (primeira na história da Cult): “Crepúsculo dos Gramáticos”. Nela, fomenta a discussão que está na iminência de acontecer (mas que todos os lados desejam evitar): por que, de repente, os guardiões da inculta e bela saíram de cena? e por que, também de repente, fomos invadidos pelos consultores, pelos apresentadores de tevê e pelos professores de cursinho? A contenda obviamente gira em torno de duas figuras-chave: Pasquale Cipro Neto (o eterno “darling” da mídia letrada, de quem Giron colheu depoimentos) e Evanildo Cavalcante Bechara (o último bastião do português castiço, de quem se tem uma entrevista). Para completar a paisagem, há ainda a injunção dos revisores e copidesques dos grandes jornais que, graças a seus manuais de redação (num País cujo ensino público e privado anda à beira da indigência), converteram-se nos derradeiros oráculos do que é “certo” e do que é “errado”. Como se não bastassem os galicismos (seculares), os anglicismos (turbinados pela era da informática), as aberrações (vide “gerundismo”) e as arbitrariedades (vide Folha de S. Paulo, que aboliu o uso do trema), o idioma luso-português viu-se retalhado em feudos, onde os senhores têm poder de vida e de morte sobre seus vassalos. Que a intelligentsia local silencie a esse respeito, não é fato que configure propriamente uma novidade. Que a Cult traga à baila esse assunto é sinal de que, apesar dos pesares, alguém ainda se importa. [Comente esta Nota]
>>> Coco antes de Chanel
 



Literatura >>> Franz Kafka, por Louis Begley
A Cult, antes a publicação onde os acadêmicos da USP divulgavam o resumo de suas teses, depois da aquisição pela Editora 17 (gestão Daysi Bregantini), vem conquistando seu lugar ao sol das bancas de revista. Manuel da Costa Pinto, o heróico fundador, permanece na direção do periódico, mas o agente catalisador dessa “renovação” tem sido, fica claro, Luís Antônio Giron, um dos pais do legendário Caderno Fim de Semana, da Gazeta Mercantil. Giron assina, neste mês de junho, a reportagem de capa (primeira na história da Cult): “Crepúsculo dos Gramáticos”. Nela, fomenta a discussão que está na iminência de acontecer (mas que todos os lados desejam evitar): por que, de repente, os guardiões da inculta e bela saíram de cena? e por que, também de repente, fomos invadidos pelos consultores, pelos apresentadores de tevê e pelos professores de cursinho? A contenda obviamente gira em torno de duas figuras-chave: Pasquale Cipro Neto (o eterno “darling” da mídia letrada, de quem Giron colheu depoimentos) e Evanildo Cavalcante Bechara (o último bastião do português castiço, de quem se tem uma entrevista). Para completar a paisagem, há ainda a injunção dos revisores e copidesques dos grandes jornais que, graças a seus manuais de redação (num País cujo ensino público e privado anda à beira da indigência), converteram-se nos derradeiros oráculos do que é “certo” e do que é “errado”. Como se não bastassem os galicismos (seculares), os anglicismos (turbinados pela era da informática), as aberrações (vide “gerundismo”) e as arbitrariedades (vide Folha de S. Paulo, que aboliu o uso do trema), o idioma luso-português viu-se retalhado em feudos, onde os senhores têm poder de vida e de morte sobre seus vassalos. Que a intelligentsia local silencie a esse respeito, não é fato que configure propriamente uma novidade. Que a Cult traga à baila esse assunto é sinal de que, apesar dos pesares, alguém ainda se importa. [Comente esta Nota]
>>> O mundo prodigioso que tenho na cabeça
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O BEIJO - DANIELLE STEEL (LITERATURA NORTE-AMERICANA)
DANIELLE STEEL
RECORD
(2004)
R$ 10,00



QUEM CONTA UM CONTO 2
GUILHERME CUNHA PINTO
ATUAL
(1989)
R$ 7,00



REVISTA CIÊNCIA E CULTURA VOLUME 27 - Nº 4
VÁRIOS
SBPC
(1975)
R$ 10,00



BIG BROTHER FISCAL NA ERA DO CONHECIMENTO
ROBERTO DIAS DUARTE
IDEAS@WORK
(2008)
R$ 9,90



GRANDES CLÁSSICOS DE TEX 9
SÉRGIO BONELLI
MYTHOS
(2007)
R$ 10,00



HISTÓRIA SOCIAL DA LITERATURA E DA ARTE TOMO 2
A. HAUSER
MESTRE JOU
(1972)
R$ 30,00



COLETANEA 1 A 6 DE O DIÁRIO DE UM BANANA
JEFF KINNE
V@R
(2016)
R$ 60,00



DRAGON HEART
ADRIANA GABRIEL
PENGUIN
(1999)
R$ 15,00



EU, CHISTIANE F, A VIDA APESAR DE TUDO
CHISTIANE V. FELSCHERNOW E SONJA VUKOVIC
BERTRAND BRASIL
(2014)
R$ 13,00



ÁGUA NA BOCA
ANDREA CAMILLERI
BERTRAND BRASIL
(2013)
R$ 13,90





busca | avançada
82544 visitas/dia
757 mil/mês