Digestivo nº 478 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
28885 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Tradicional empório de São Paulo tem sua história contada em livro
>>> Banda Estralo agita férias de julho com shows em São Paulo
>>> Miami/ESPM faz bate-papo gratuito sobre portfólio
>>> Saber negro e plantas medicinais em debate no Jardim Botânico
>>> O Globo marca presença em mais uma edição da FLIP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A melhor Flip
>>> Brasil em Cannes
>>> Radiohead e sua piscina em forma de lua
>>> O bosque das almas infratoras
>>> Notas sobre a Escola de Dança de São Paulo - I
>>> A literatura de Marcelo Mirisola não tem cura
>>> A Garota do Livro: uma resenha
>>> Sarkozy e o privilégio de ser francês
>>> Noturno para os notívagos
>>> Wanda Louca Liberal
Colunistas
Últimos Posts
>>> Daphne Koller do Coursera
>>> The Sharing Economy
>>> Kevin Kelly por Tim Ferriss
>>> Deepak Chopra Speaker Series
>>> Nick Denton sobre Peter Thiel
>>> Bill & Melinda Gates #Code2016
>>> Elon Musk Code Conference 2016
>>> 75 anos de Charlie Watts
>>> Blockchain by William Mougayar
>>> Caravana em BH
Últimos Posts
>>> Escrever vem do fundo da alma
>>> Longe demais -
>>> Opostos complementares: uma combinação excelente
>>> A corrida por trás da corrida
>>> Acordes de amor
>>> Uma gafieira, pintura digital
>>> Onde a onça bebe água
>>> Sonhos olímpicos nos Lençóis Maranhenses
>>> Viva o Brasil
>>> A vida passa
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O ponto final da escrita cursiva
>>> Estive na Flip. Chovia
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> Voz de um passado presente
>>> Verdadeiros infiltrados: em defesa de Miami Vice
>>> Dia do Livro!
>>> Cabeça de papel
>>> Uma Srta. e um Blog
>>> Steve Jobs 1983
>>> Um estranho incidente literário
Mais Recentes
>>> Nova boblioteca integrada
>>> OS CÁTAROS E A REENCARNAÇÃO
>>> INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS- Construindo Competências e Habilidades Em Leitura
>>> Amoroso: cartas de paixão e morte
>>> A era do radioteatro: O registro da história de um gênero que emocionou o Brasil
>>> Território, sexo e prazer: olhares sobre o fenômeno da prostiuição na geografia brasileira
>>> Pacto com o Tempo
>>> Movimentos sociais, políticas sociais e questão social: elementos para uma análise da realidade no Brasil e América Latina
>>> Geografia do Estado do Rio de Janeiro: da compreensão do passado aos desafios do presente
>>> Cultura Política, Questão Social e Ditadura Militar no Brasil
>>> Trotsky e a Europa Ocidental do Entre Guerras: marxismo revolucionário, democracia burguesa e luta pela hegemonia
>>> Rio de Janeiro: Um território em mutação
>>> Revisitando o território fluminense IV
>>> Relações Internacionais - Evolução e Teorias da Ciência do Mundo
>>> Império sobre os trilhos II
>>> Império sobre os trilhos I
>>> Sociedade em Perspectiva: cultura, conflito e identidade
>>> O mundo que em mim habita
>>> Homem Peixe
>>> Direitos Humanos e Sistema de Justiça: Uma pesquisa empírica com defensores públicos e promotores de justiça no Rio de Janeiro
>>> A ESPERANÇA EM GABRIEL MARCEL-a fundamentação metafísica da esperança
>>> DE MÁQUINAS Y SERES VIVOS- Autopoiesis- La organizacion de lo vivo
>>> ESDRAS E NEEMIAS- introdução e comentário
>>> CASA DE PEDRA- POEMAS ESCOLHIDOS
>>> O MEIO DIVINO- ensaio de vida interior
>>> QUEM É JESUS?
>>> A Sociedade Aberta e Seus Inimigos Volume 1
>>> Ascensão e Queda das Grandes Potências
>>> A MANEIRA DE CUMPRIR A VISÃO- volume 3
>>> O LADO INTERNO DO CULTO NA IGREJA
>>> AS MENINAS
>>> A História Militar do Brasil
>>> CRISTO, AQUELE QUE CURA
>>> A VOLTA DO FILHO PRÓDIGO- A história de um retorno para casa
>>> Totalitarismo, o paroxismo do poder
>>> 42 SONETOS ( edição bilíngue- inglês-português)
>>> Ensaios em ANTROPOLOGIA DO PODER
>>> 1984
>>> ENTRE QUATRO PAREDES
>>> A Índia Secreta
>>> O Egito Secreto
>>> Conversaciones con Lukács
>>> Fundamentos de la sociologia del arte
>>> Sociologia del arte
>>> Noites do sertão
>>> O ANDARILHO
>>> EM CAMINHO PARA DEUS- Meditando com Marthe Robin
>>> A FILOSOFIA NA IDADE TRÁGICA DOS GREGOS
>>> REVISTA Placar Nº 1043 15/06/2016
>>> Cavaleiros Do Zodíaco - Nº 19 E 20
DIGESTIVOS

Quarta-feira, 27/4/2011
Digestivo nº 478
Julio Daio Borges

+ de 2800 Acessos




Internet >>> O escandaloso blog de poesia de Maria Bethânia
Sinistro. É o clima que permeia o antigo prédio do Dops (Departamento de Ordem Política e Social), originalmente projetado por Ramos de Azevedo (parte da São Paulo Railway e da Estrada de Ferro Sorocabana), que hoje, restaurado e reformado (por R$ 12 milhões, sob a condução do arquiteto Haron Cohen), vai abrigar museus, memoriais, exposições e mostras. É nítido o esforço feito para tentar reabilitar a construção. Apesar de seus 50 anos de Dops, a repressão nunca foi sua única e exclusiva vocação. É, por exemplo, um marco em termos de estrutura metálica na cidade, embora pouquíssimo estudado. Claro que as vítimas de ditaduras e governos militares, que por lá passaram, fora o pessoal dos Direitos Humanos, não quer que seja removida a nódoa. Durante a abertura para visitação, inclusive, algumas vezes aflorava a disputa entre o arquiteto responsável e o casal de ex-presos políticos (lá presentes). Há também um certo sadismo em, por exemplo, manter as celas da época dos regimes de exceção, com as portas e janelas intactas. É patente a sensação de desconforto dos visitantes, ainda que as paredes tenham sido pintadas de cinza grafite, o piso tenha sido trocado e o teto tenha ganhado holofotes. Como se não bastasse, houve quem se insurgisse contra a “descaracterização”. À parte a discussão ideológica, a iniciativa se inclui no programa de revitalização do centro, que já passou pela Sala São Paulo (logo ao lado), pelo Centro de Estudos Musicais Tom Jobim (logo à frente), pelo Teatro São Pedro e pela Pinacoteca do Estado. Siron Franco é o primeiro artista convidado para preencher o novo espaço, com sua sugestiva mostra “Intolerância”. Também estão previstos trabalhos de Paulo Caruso, Maria Bonomi, Cláudio Tozzi e Mário Gruber. Que o novo centro cultural aproveite bem esse renascimento, e que a militância de esquerda lhe conceda uma chance de renovar-se. [7 Comentário(s)]
>>> Blog da Bethânia, o projeto
 



Imprensa >>> As Entrevistas da Paris Review, pela Companhia das Letras
Sinistro. É o clima que permeia o antigo prédio do Dops (Departamento de Ordem Política e Social), originalmente projetado por Ramos de Azevedo (parte da São Paulo Railway e da Estrada de Ferro Sorocabana), que hoje, restaurado e reformado (por R$ 12 milhões, sob a condução do arquiteto Haron Cohen), vai abrigar museus, memoriais, exposições e mostras. É nítido o esforço feito para tentar reabilitar a construção. Apesar de seus 50 anos de Dops, a repressão nunca foi sua única e exclusiva vocação. É, por exemplo, um marco em termos de estrutura metálica na cidade, embora pouquíssimo estudado. Claro que as vítimas de ditaduras e governos militares, que por lá passaram, fora o pessoal dos Direitos Humanos, não quer que seja removida a nódoa. Durante a abertura para visitação, inclusive, algumas vezes aflorava a disputa entre o arquiteto responsável e o casal de ex-presos políticos (lá presentes). Há também um certo sadismo em, por exemplo, manter as celas da época dos regimes de exceção, com as portas e janelas intactas. É patente a sensação de desconforto dos visitantes, ainda que as paredes tenham sido pintadas de cinza grafite, o piso tenha sido trocado e o teto tenha ganhado holofotes. Como se não bastasse, houve quem se insurgisse contra a “descaracterização”. À parte a discussão ideológica, a iniciativa se inclui no programa de revitalização do centro, que já passou pela Sala São Paulo (logo ao lado), pelo Centro de Estudos Musicais Tom Jobim (logo à frente), pelo Teatro São Pedro e pela Pinacoteca do Estado. Siron Franco é o primeiro artista convidado para preencher o novo espaço, com sua sugestiva mostra “Intolerância”. Também estão previstos trabalhos de Paulo Caruso, Maria Bonomi, Cláudio Tozzi e Mário Gruber. Que o novo centro cultural aproveite bem esse renascimento, e que a militância de esquerda lhe conceda uma chance de renovar-se. [Comente esta Nota]
>>> As Entrevistas da Paris Review | Leia um trecho em pdf
 



Cinema >>> Julie (Powell) & Julia (Child), com Meryl Streep
Sinistro. É o clima que permeia o antigo prédio do Dops (Departamento de Ordem Política e Social), originalmente projetado por Ramos de Azevedo (parte da São Paulo Railway e da Estrada de Ferro Sorocabana), que hoje, restaurado e reformado (por R$ 12 milhões, sob a condução do arquiteto Haron Cohen), vai abrigar museus, memoriais, exposições e mostras. É nítido o esforço feito para tentar reabilitar a construção. Apesar de seus 50 anos de Dops, a repressão nunca foi sua única e exclusiva vocação. É, por exemplo, um marco em termos de estrutura metálica na cidade, embora pouquíssimo estudado. Claro que as vítimas de ditaduras e governos militares, que por lá passaram, fora o pessoal dos Direitos Humanos, não quer que seja removida a nódoa. Durante a abertura para visitação, inclusive, algumas vezes aflorava a disputa entre o arquiteto responsável e o casal de ex-presos políticos (lá presentes). Há também um certo sadismo em, por exemplo, manter as celas da época dos regimes de exceção, com as portas e janelas intactas. É patente a sensação de desconforto dos visitantes, ainda que as paredes tenham sido pintadas de cinza grafite, o piso tenha sido trocado e o teto tenha ganhado holofotes. Como se não bastasse, houve quem se insurgisse contra a “descaracterização”. À parte a discussão ideológica, a iniciativa se inclui no programa de revitalização do centro, que já passou pela Sala São Paulo (logo ao lado), pelo Centro de Estudos Musicais Tom Jobim (logo à frente), pelo Teatro São Pedro e pela Pinacoteca do Estado. Siron Franco é o primeiro artista convidado para preencher o novo espaço, com sua sugestiva mostra “Intolerância”. Também estão previstos trabalhos de Paulo Caruso, Maria Bonomi, Cláudio Tozzi e Mário Gruber. Que o novo centro cultural aproveite bem esse renascimento, e que a militância de esquerda lhe conceda uma chance de renovar-se. [Comente esta Nota]
>>> Julie & Julia
 



Literatura >>> Mecanismos Internos: Ensaios sobre Literatura, de J.M. Coetzee
Sinistro. É o clima que permeia o antigo prédio do Dops (Departamento de Ordem Política e Social), originalmente projetado por Ramos de Azevedo (parte da São Paulo Railway e da Estrada de Ferro Sorocabana), que hoje, restaurado e reformado (por R$ 12 milhões, sob a condução do arquiteto Haron Cohen), vai abrigar museus, memoriais, exposições e mostras. É nítido o esforço feito para tentar reabilitar a construção. Apesar de seus 50 anos de Dops, a repressão nunca foi sua única e exclusiva vocação. É, por exemplo, um marco em termos de estrutura metálica na cidade, embora pouquíssimo estudado. Claro que as vítimas de ditaduras e governos militares, que por lá passaram, fora o pessoal dos Direitos Humanos, não quer que seja removida a nódoa. Durante a abertura para visitação, inclusive, algumas vezes aflorava a disputa entre o arquiteto responsável e o casal de ex-presos políticos (lá presentes). Há também um certo sadismo em, por exemplo, manter as celas da época dos regimes de exceção, com as portas e janelas intactas. É patente a sensação de desconforto dos visitantes, ainda que as paredes tenham sido pintadas de cinza grafite, o piso tenha sido trocado e o teto tenha ganhado holofotes. Como se não bastasse, houve quem se insurgisse contra a “descaracterização”. À parte a discussão ideológica, a iniciativa se inclui no programa de revitalização do centro, que já passou pela Sala São Paulo (logo ao lado), pelo Centro de Estudos Musicais Tom Jobim (logo à frente), pelo Teatro São Pedro e pela Pinacoteca do Estado. Siron Franco é o primeiro artista convidado para preencher o novo espaço, com sua sugestiva mostra “Intolerância”. Também estão previstos trabalhos de Paulo Caruso, Maria Bonomi, Cláudio Tozzi e Mário Gruber. Que o novo centro cultural aproveite bem esse renascimento, e que a militância de esquerda lhe conceda uma chance de renovar-se. [Comente esta Nota]
>>> Mecanismos Internos
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




APÓS O ANOITECER
HARUKI MURAKAMI
ALFAGUARA
(2009)



PODER E INOCÊNCIA - UMA ANÁLISE DAS FONTES DA VIOLÊNCIA
ROLLO MAY
GUANABARA
(1986)



A CONSCIÊNCIA DE ZENO
ITALO SVEVO
NOVA FRONTEIRA
(2001)
+ frete grátis



O HOMEM DE SÃO PETERSBURGO
KEN FOLLETT
BESTBOLSO
(2009)
+ frete grátis



A CAVERNA DO MEDO - DELTORA QUEST 2 VOL. 1
EMILY RODDA
FUNDAMENTO
(2006)
+ frete grátis



EVANGELISMO PIONERO
THOMAS WADE AKINS
MISSÕES NACIONAIS
(1997)
+ frete grátis



HORIZONTES DA MENTE
JOÃO NUNES MAIA E MIRAMEZ *ESPÍRITO*
FONTE VIVA
(2002)
+ frete grátis



TEMPO DE RESTAURAÇÃO- AS 3 DIMENSÕES DE JEOVÁ- RAFAH
D.A.S. MATHEUS
VIDA ABUNDANTE
(2004)
+ frete grátis



O MONGE E O EXECUTIVO. UMA HISTÓRIA SOBRE A ESSÊNCIA DA LIDERANÇA
JAMES C. HUNTER
SEXTANTE
(2004)
+ frete grátis



REVISTA PÔSTER GIGANTE U2
VÁRIOS
DISCOVERY
(2006)
+ frete grátis





busca | avançada
28885 visitas/dia
1,0 milhão/mês