Digestivo nº 478 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
38263 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> LANÇAMENTO DO BLOG DO JUSTINO
>>> Curso de História da Arte Latino Americana na FAAP
>>> Sérgio Mamberti será homenageado nesta segunda (21) na Alesp
>>> PIONEIRA NO ENSINO DAS ARTES, FAAP OFERECE NOVA PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS E PRÁTICAS CURATORIAIS
>>> Oxigênio Hardcore Fest 2017
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da varanda, este mundo
>>> Estevão Azevedo e os homens em seus limites
>>> Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá?
>>> A fotografia é um produto ou um serviço?
>>> A noite iluminada da literatura de Pedro Maciel
>>> Apontamentos de inverno
>>> Literatura, quatro de julho e pertencimento
>>> O Abismo e a Riqueza da Coadjuvância
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 4. Museu Paleológico
>>> Um caso de manipulação
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Simbiose
>>> Grafologia
>>> Premiadas
>>> Plagas e pragas
>>> Elas por elas
>>> Ritmo binário
>>> A imagem de Haroldo Maranhão
>>> Rimas geométricas
>>> Por um cisco
>>> Em relação a ti
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O desafio de formar leitores
>>> Lugar Nenhum
>>> Lugar Nenhum
>>> Baudelaire, um pária genial (parte II)
>>> Autobiografia musical
>>> 50 anos de poesia concreta
>>> Pimenta in Conserva
>>> Paulo de Tarso Lima #EuMaior
>>> De Tambaú ao Rio Sanhauá*
>>> O risco de se tornar um sem-noção
Mais Recentes
>>> Transcendência e Mundo na Virada do Século
>>> História na Igreja em Santa Catarina
>>> Manual para Elaboração de Monografias e Dissertações - Gilberto de Andrade Martins
>>> Pesquisa de Marketing 2 (Metodologia, Planejamento, Execução, Análise) - Fauze Najib Mattar
>>> Probabilidade - Resumo da teoria, 500 problemas resolvidos - Coleção Schaum
>>> Marcos Cobra - Marketing básico (Uma perspectiva brasileira)
>>> Pesquisa de Marketing 1 (Metodologia, Planejamento) - Fauze Najib Mattar
>>> Psicologia Aplicada à educação intelectual - Louis Legrand
>>> Introdução ao projeto de pesquisa científica - Franz Victor Rudio
>>> Princípios de Linguística Geral - Joaquim Mattoso Camara Jr - Biblioteca Brasileira de Filologia
>>> Processo Civil (com CD-ROM) - Atualizado até 31/12/2004
>>> Ensaios 55 - Protestantismo e Repressão
>>> Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira - Sistemas, Organização & Métodos - Uma abordagem gerencial
>>> Washington de Barros Monteiro - Direito de Família - Curso de Direito Civil
>>> Orlando Gomes - Direito de família - 10º edição
>>> Curso de Direito Processual Civil - Humberto Theodoro Júnior - Teoria Geral do Direito Processual Civil e Processo de Conhecimento - Volume 1 - 48º edição
>>> Anhanguera - Saúde Pública - PLT 246
>>> Anhanguera - Programa de nivelamento - PLT 213
>>> Anhanguera - Bioquímica - PLT 159
>>> Gramática Histórica - Ismael de Lima Coutinho
>>> Curso de Linguística Geral
>>> Do latim do português - Edwin B. Williams
>>> Cálculo 2 - Luiz Mauro Rocha
>>> Psicanálise dos contos de fadas - Bruno Bettelheim
>>> Análise Estruturada de Sistemas - Chris Gane e Trish Sarson
>>> PERL 5 - Guia de referência rápida
>>> Uma introdução programada ao PERT - Federal Eletric Corp (Administração)
>>> Mahan - Química - Um curso universitário
>>> História da Criança no Brasil
>>> Os Homens e a Herança no Mediterrâneo
>>> História em Revista
>>> O que é Religião
>>> Santos e Heróis do Povo
>>> História, Práticas Culturais e Identidade: abordagens e perspectivas teórico-metodológicas
>>> Missa Tridentina: Explicações das Orações e das Cerimônias da Santa Missa
>>> Dicionário de Psicologia - Henri Piéron
>>> Calculo 1 - Luiz Mauro Rocha
>>> Cartas entre Freud e Pfister - Um diálogo entre a psicanálise e a fé cristã
>>> Erhart: Elementos da anatomia humana - Li-sei Watanabe
>>> Esboços Bíblicos- De Gênesis a Apocalipse Volume 2
>>> Anhanguera - Sociologia Geral - PLT 254
>>> Anhanguera - Sociologia Geral - PLT 254
>>> Anhanguera - Psicologia - PLT 207
>>> Anhanguera - Psicologia - PLT 207
>>> Anhanguera - Desenvolvimento Pessoal e profissional - PLT 188
>>> Estudos sobre a Palavra de Deus
>>> Anhanguera - Introdução à fisioterapia 181 - PLT
>>> Anhanguera - Noções essenciais de Direito 337 - PLT
>>> Anhanguera - Responsabilidade Social e meio ambiente 112 - PLT
>>> Direito Humanos 122 - Anhanguera - PLT
DIGESTIVOS

Quarta-feira, 27/4/2011
Digestivo nº 478
Julio Daio Borges

+ de 3000 Acessos




Internet >>> O escandaloso blog de poesia de Maria Bethânia
Sinistro. É o clima que permeia o antigo prédio do Dops (Departamento de Ordem Política e Social), originalmente projetado por Ramos de Azevedo (parte da São Paulo Railway e da Estrada de Ferro Sorocabana), que hoje, restaurado e reformado (por R$ 12 milhões, sob a condução do arquiteto Haron Cohen), vai abrigar museus, memoriais, exposições e mostras. É nítido o esforço feito para tentar reabilitar a construção. Apesar de seus 50 anos de Dops, a repressão nunca foi sua única e exclusiva vocação. É, por exemplo, um marco em termos de estrutura metálica na cidade, embora pouquíssimo estudado. Claro que as vítimas de ditaduras e governos militares, que por lá passaram, fora o pessoal dos Direitos Humanos, não quer que seja removida a nódoa. Durante a abertura para visitação, inclusive, algumas vezes aflorava a disputa entre o arquiteto responsável e o casal de ex-presos políticos (lá presentes). Há também um certo sadismo em, por exemplo, manter as celas da época dos regimes de exceção, com as portas e janelas intactas. É patente a sensação de desconforto dos visitantes, ainda que as paredes tenham sido pintadas de cinza grafite, o piso tenha sido trocado e o teto tenha ganhado holofotes. Como se não bastasse, houve quem se insurgisse contra a “descaracterização”. À parte a discussão ideológica, a iniciativa se inclui no programa de revitalização do centro, que já passou pela Sala São Paulo (logo ao lado), pelo Centro de Estudos Musicais Tom Jobim (logo à frente), pelo Teatro São Pedro e pela Pinacoteca do Estado. Siron Franco é o primeiro artista convidado para preencher o novo espaço, com sua sugestiva mostra “Intolerância”. Também estão previstos trabalhos de Paulo Caruso, Maria Bonomi, Cláudio Tozzi e Mário Gruber. Que o novo centro cultural aproveite bem esse renascimento, e que a militância de esquerda lhe conceda uma chance de renovar-se. [7 Comentário(s)]
>>> Blog da Bethânia, o projeto
 



Imprensa >>> As Entrevistas da Paris Review, pela Companhia das Letras
Sinistro. É o clima que permeia o antigo prédio do Dops (Departamento de Ordem Política e Social), originalmente projetado por Ramos de Azevedo (parte da São Paulo Railway e da Estrada de Ferro Sorocabana), que hoje, restaurado e reformado (por R$ 12 milhões, sob a condução do arquiteto Haron Cohen), vai abrigar museus, memoriais, exposições e mostras. É nítido o esforço feito para tentar reabilitar a construção. Apesar de seus 50 anos de Dops, a repressão nunca foi sua única e exclusiva vocação. É, por exemplo, um marco em termos de estrutura metálica na cidade, embora pouquíssimo estudado. Claro que as vítimas de ditaduras e governos militares, que por lá passaram, fora o pessoal dos Direitos Humanos, não quer que seja removida a nódoa. Durante a abertura para visitação, inclusive, algumas vezes aflorava a disputa entre o arquiteto responsável e o casal de ex-presos políticos (lá presentes). Há também um certo sadismo em, por exemplo, manter as celas da época dos regimes de exceção, com as portas e janelas intactas. É patente a sensação de desconforto dos visitantes, ainda que as paredes tenham sido pintadas de cinza grafite, o piso tenha sido trocado e o teto tenha ganhado holofotes. Como se não bastasse, houve quem se insurgisse contra a “descaracterização”. À parte a discussão ideológica, a iniciativa se inclui no programa de revitalização do centro, que já passou pela Sala São Paulo (logo ao lado), pelo Centro de Estudos Musicais Tom Jobim (logo à frente), pelo Teatro São Pedro e pela Pinacoteca do Estado. Siron Franco é o primeiro artista convidado para preencher o novo espaço, com sua sugestiva mostra “Intolerância”. Também estão previstos trabalhos de Paulo Caruso, Maria Bonomi, Cláudio Tozzi e Mário Gruber. Que o novo centro cultural aproveite bem esse renascimento, e que a militância de esquerda lhe conceda uma chance de renovar-se. [Comente esta Nota]
>>> As Entrevistas da Paris Review | Leia um trecho em pdf
 



Cinema >>> Julie (Powell) & Julia (Child), com Meryl Streep
Sinistro. É o clima que permeia o antigo prédio do Dops (Departamento de Ordem Política e Social), originalmente projetado por Ramos de Azevedo (parte da São Paulo Railway e da Estrada de Ferro Sorocabana), que hoje, restaurado e reformado (por R$ 12 milhões, sob a condução do arquiteto Haron Cohen), vai abrigar museus, memoriais, exposições e mostras. É nítido o esforço feito para tentar reabilitar a construção. Apesar de seus 50 anos de Dops, a repressão nunca foi sua única e exclusiva vocação. É, por exemplo, um marco em termos de estrutura metálica na cidade, embora pouquíssimo estudado. Claro que as vítimas de ditaduras e governos militares, que por lá passaram, fora o pessoal dos Direitos Humanos, não quer que seja removida a nódoa. Durante a abertura para visitação, inclusive, algumas vezes aflorava a disputa entre o arquiteto responsável e o casal de ex-presos políticos (lá presentes). Há também um certo sadismo em, por exemplo, manter as celas da época dos regimes de exceção, com as portas e janelas intactas. É patente a sensação de desconforto dos visitantes, ainda que as paredes tenham sido pintadas de cinza grafite, o piso tenha sido trocado e o teto tenha ganhado holofotes. Como se não bastasse, houve quem se insurgisse contra a “descaracterização”. À parte a discussão ideológica, a iniciativa se inclui no programa de revitalização do centro, que já passou pela Sala São Paulo (logo ao lado), pelo Centro de Estudos Musicais Tom Jobim (logo à frente), pelo Teatro São Pedro e pela Pinacoteca do Estado. Siron Franco é o primeiro artista convidado para preencher o novo espaço, com sua sugestiva mostra “Intolerância”. Também estão previstos trabalhos de Paulo Caruso, Maria Bonomi, Cláudio Tozzi e Mário Gruber. Que o novo centro cultural aproveite bem esse renascimento, e que a militância de esquerda lhe conceda uma chance de renovar-se. [Comente esta Nota]
>>> Julie & Julia
 



Literatura >>> Mecanismos Internos: Ensaios sobre Literatura, de J.M. Coetzee
Sinistro. É o clima que permeia o antigo prédio do Dops (Departamento de Ordem Política e Social), originalmente projetado por Ramos de Azevedo (parte da São Paulo Railway e da Estrada de Ferro Sorocabana), que hoje, restaurado e reformado (por R$ 12 milhões, sob a condução do arquiteto Haron Cohen), vai abrigar museus, memoriais, exposições e mostras. É nítido o esforço feito para tentar reabilitar a construção. Apesar de seus 50 anos de Dops, a repressão nunca foi sua única e exclusiva vocação. É, por exemplo, um marco em termos de estrutura metálica na cidade, embora pouquíssimo estudado. Claro que as vítimas de ditaduras e governos militares, que por lá passaram, fora o pessoal dos Direitos Humanos, não quer que seja removida a nódoa. Durante a abertura para visitação, inclusive, algumas vezes aflorava a disputa entre o arquiteto responsável e o casal de ex-presos políticos (lá presentes). Há também um certo sadismo em, por exemplo, manter as celas da época dos regimes de exceção, com as portas e janelas intactas. É patente a sensação de desconforto dos visitantes, ainda que as paredes tenham sido pintadas de cinza grafite, o piso tenha sido trocado e o teto tenha ganhado holofotes. Como se não bastasse, houve quem se insurgisse contra a “descaracterização”. À parte a discussão ideológica, a iniciativa se inclui no programa de revitalização do centro, que já passou pela Sala São Paulo (logo ao lado), pelo Centro de Estudos Musicais Tom Jobim (logo à frente), pelo Teatro São Pedro e pela Pinacoteca do Estado. Siron Franco é o primeiro artista convidado para preencher o novo espaço, com sua sugestiva mostra “Intolerância”. Também estão previstos trabalhos de Paulo Caruso, Maria Bonomi, Cláudio Tozzi e Mário Gruber. Que o novo centro cultural aproveite bem esse renascimento, e que a militância de esquerda lhe conceda uma chance de renovar-se. [Comente esta Nota]
>>> Mecanismos Internos
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UMA IGREJA COMO A SUA - UM ESTUDO PANORÂMICO DE I CORINTIOS - NASCE UMA IGREJA
ED RENÉ KIVITZ
SEPAL
(1998)
R$ 39,99
+ frete grátis



PRODUÇÃO E UTILIZAÇÃO DE FORRAGENS CONSERVADAS
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ
EDUEM
(2008)
R$ 20,00



THE BULLY
PAUL LANGAN
TOWNSEND PRESS
(2002)
R$ 14,00



TRIBUTO A LADY GAGA - ELAINE FREITAS (BIOGRAFIA/MÚSICA)
ELAINE FREITAS
UNIVERSO DOS LIVROS
(2012)
R$ 10,00



EVOLUÇÃO E TEMPORALIDADE EM TEILHARD, VOCABULÁRIO TEILHARD ( 2 VOLUMES)
MONIQUE PÉRIGORD E HUBERT GUYPERS
VOZES
(1968)
R$ 8,90



CARTAS DE ASCENSO FERREIRA A VERÍSSIMO DE MELO
ASCENSO FERREIRA
ACADEMIA NORTE-RIOGRANDENSE DE LETRAS
(1989)
R$ 40,00



ESPAÇO E PODER - OS TRÊS CENTRO DO RIO DE JANEIRO
RACHEL SISSON
ARCO
(2008)
R$ 75,00



JOGOS PARA TREINAR O CÉREBRO
JORGE BATLLORI
MADRAS
(2009)
R$ 16,00



ENCONTRO COM TEILHARD DE CHARDIN E A EVOLUÇÃO DAS RELIGIÕES
PIETRO UBALDI
MONISMO
(1965)
R$ 21,00



O GUARANI
JOSÉ DE ALENCAR
CEDIC
(2010)
R$ 6,00





busca | avançada
38263 visitas/dia
1,1 milhão/mês