Borges: uma vida, por Edwin Williamson | Digestivo Cultural

busca | avançada
27870 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Nova saga de fantasia urbana usa plataforma de financiamento coletivo
>>> O cantor Raphael Ota lança o álbum 'Paralelo' nas plataformas digitais
>>> Obra traz mais de 150 receitas veganas práticas e rápidas de preparar
>>> 'Entardecer na Casa do Sol' encerra 2ª edição do AntroHH
>>> Urban Arts sedia exposição fotográfica gratuita
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Notas confessionais de um angustiado (VI)
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 2. O Catolotolo
>>> A pós-modernidade de Michel Maffesoli
>>> Um parque de diversões na cabeça
>>> O que te move?
>>> O dia que nada prometia
>>> Super-heróis ou vilões?
>>> Seis meses em 1945
>>> Senhor Amadeu
>>> Correio
Colunistas
Últimos Posts
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
Últimos Posts
>>> Feitio
>>> O cenário político é a nossa vergonha
>>> A matemática da corrida
>>> Dança dos imãs ou a metafísica do gesto
>>> Um trago com os amigos
>>> Caderneta
>>> Alfarrábios
>>> A mulher de Lot
>>> Sem palavras
>>> Objetos de desejo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Correio
>>> Arte é entropia
>>> Caderno de caligrafia
>>> Entrevista com Ryoki Inoue
>>> Helena Seger
>>> O Oeste Selvagem
>>> Viver para contar - parte 1
>>> Parangolé: anti-obra de Hélio Oiticica
>>> Os melhores do cinema brasileiro em 2003
>>> A Garota do Livro: uma resenha
Mais Recentes
>>> Como Dsenvolver a Memória
>>> O Tartufo ou o Impostor
>>> O Jesus Muçulmano - Provérbios e Histórias da Literatura Islâmica
>>> Eles não usam black-tie (novo)
>>> Neruda para Jovens - Antologia poética (novo)
>>> Sou Down e sou Feliz
>>> Judaísmo: Vusão do Universo
>>> Cantos D'alma - poemas
>>> A Senhorita Simpson
>>> O Pagador de Promessas
>>> Ésquilo Eurípedes - Prometeu / Alceste Vol.2
>>> De Verdade
>>> História e Prática do Habeas Corpus Vol. 1 e 2
>>> Bioenergética- Liberar Energia Vital
>>> Comentários ao Código de Processo Civil - Vol.V
>>> Universos Abstratos em Possível Expansão Ilimitável
>>> Ego e Arquétipo
>>> Leituras Obrigatórias UFRGS 2017
>>> Vasos de Glória- Romanos
>>> Um Chapéu para Viagem
>>> Terapia Comunitária passo a passo
>>> Romanos 6-11
>>> Guerra e Paz
>>> Cinquenta Anos Depois
>>> PS Beijei
>>> David Copperfield vol. 2 - colégio Objetivo
>>> Histórias de Amor adolescente - Pintando uma Saudade
>>> Fundamentos teóric0os e metodológicos da educação
>>> Croma - Caminho da vida
>>> The Making of the Nation (em inglês)
>>> O Bóia Fria: Acumulação e Miséria - Maria Conceição D`incao e Mello (História/Geopolítica/Economia)
>>> A Nova MUlher e a Moral Sexual - Alexandra Kollontai (Feminismo/História)
>>> A Formação das Nações Latino-Americanas - Maria Ligia Prado (História/Geopolítica/América Latina)
>>> A Mulher na História do Brasil - Mary del Priore (História/Feminismo)
>>> Evolução das Espécies: O pensamento científico, religioso e filosófico - Samuel Murgel Branco (História/Religião/Filosofia
>>> Uruguai: Um campo de Concentração? - A. Veiga Filho (História/Geopolítica/América Latina)
>>> Alemão urgente para Brasileiros
>>> Abbé Pierre
>>> Oseias- Profetas Menores Volume 1
>>> As Caras e as Máscaras - Eduardo Galeano (História da América Latina)
>>> Os seis signos da luz: a rebelião das trevas
>>> Feminismos, identidades, comparativismos: vertentes nas literaturas de língua inglesa Vol. VIII
>>> Feminismos, identidades, comparativismos - vertentes nas literaturas de língua inglesa Vol.VI-
>>> Feminismos, identidades, comparativismos: vertentes nas literaturas de língua inglesa Vol.VII
>>> Vida Pregressa
>>> Dia a Dia com a Família Freud - Depoimentos da Governanta Paula Fichtl
>>> A Eliminação do Tempo Psicológico
>>> A Guerra da Lagosta
>>> Restart - Coração na mão
>>> Isto é Gestalt
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Literatura

Quarta-feira, 28/12/2011
Borges: uma vida, por Edwin Williamson
Julio Daio Borges

+ de 6800 Acessos




Digestivo nº 484 >>> No embalo do relançamento das obras completas de Jorge Luis Borges, a Companhia das Letras traduziu Borges: a life (2004), de Edwin Williamson, professor de literatura espanhola em Oxford. Aparentemente, a vida de Borges, que se dedicou à literatura, não soa tão interessante. Mas um elogio de Harold Bloom, o maior crítico literário vivo, a essa obra sobre a vida do "mestre argentino", talvez nos faça mudar de opinião. Embora tenha reconhecido a genialidade de Machado de Assis, Bloom recusou-se a ler Guimarães Rosa, pois disse que "não tinha mais tempo". O "mestre argentino" ganhou, com Machado, um dos capítulos de Gênio (2003). E é impossível não aproximar o maior crítico contemporâneo do, possivelmente, maior leitor do século XX. E se Bloom "perdeu tempo" com a biografia de Borges, mantendo Guimarães Rosa na espera, é que ela merece ser lida. De fato, se a vida de Borges foi dedicada à literatura, o que lemos, no livro de Williamson, não é uma biografia tradicional, afinal ele busca "correspondências entre o texto literário e o contexto pessoal". Borges: uma vida surpreende, em primeiro lugar, pelas mulheres que habitaram a vida, ou o pensamento, de Borges. Para surpresa geral, declara o próprio: "Como passei a vida pensando em mulheres, ao escrever tratei de pensar em outra coisa". A uma mulher, por exemplo, ele dedicou "O Aleph" (1949). Em "A morte a bússola", um conto de Ficções (1944), Borges conclui que "o intelecto sozinho leva à morte", enquanto "o amor se constitui na bússola que nos levará à salvação". Passou quase a vida inteira lamentando "ter repetidamente sacrificado sua chance de felicidade com uma mulher". E, quando morreu sua mãe, escreveu, num poema: "Eu cometi o pior dos pecados possíveis a um homem. Não ter sido feliz". Leonor Acevedo, aliás, quase centenária, seria outro dos centros de gravidade na vida de Borges. Declararia ela a Bioy Casares (historicamente, o maior amigo de Jorge Luis): "Passei a vida entre dois loucos e às vezes me pergunto se esses dois loucos não tiveram razão". O "segundo louco" era o Doutor Borges, pai de Jorge Luis (na intimidade, Georgie). Tendo fracassado na literatura, e tendo sido acometido pela cegueira mais cedo que o filho, Doutor Borges transmitiu a Jorge Luis a missão de ser realizar como escritor. E "Georgie", além da salvação pelo amor, acreditava, obviamente, na salvação pela literatura. Acreditava, como diz Williamson, que "uma obra-prima autêntica seria suficiente para justificar a vida de um escritor". Nesse sentido, a Divina Comédia forneceu a chave que faltava para conferir sentido à existência de Jorge Luis: se encontrasse sua Beatriz, como Dante encontrou, Borges poderia ser feliz, e realizar-se como homem, e como escritor. Ainda que boa parte do mundo não concordasse, acreditou ter encontrado sua "Beatriz" no fim da vida: era María Kodama, que faria Luisa Valenzuela, uma romancista argentina, definir assim o casal: "O venerável velho e a mulher que tirou o venerável velho de seu encapsulamento e o pôs em contato com a vida". Casaram-se praticamente no leito de morte de Borges. Se o amor quase não chegou a tempo, a consagração também atrasou. E uma das fases mais célebres de Borges, como "mestre oral", teve início quando ele se aproximava do seu cinquentenário: "Assim, aos 47 anos, descobri que se abria diante de mim uma vida nova e emocionante". Conquistou o mundo, nas palavras do escritor norte-americano Richard Burgin: "Quando deu sua última palestra em Harvard, Borges já era o herói literário de Cambridge". Em 1983, recebeu a Legião de Honra do presidente François Mitterand. E só não ganhou o Nobel, pois defendeu as ditaduras, na América Latina, contra populistas como Perón. Williamson conta que, na Itália, Borges passou a definir o que era "o gosto literário" e, mesmo, "a própria ideia de literatura". A verdade é que continua definindo, e não so dentro da Itália, mas fora dela também. Modesto, Borges concluiria, numa entrevista, não ter sido "um pensador": "nunca havia chegado a nada"; era, no máximo, "um homem de letras"... "um tecelão de sonhos". E ainda que se considerasse, como poeta, um "grandiloquente de terceira categoria", criaria, na definição de Bioy Casares, "um novo gênero literário", "entre o ensaio e a ficção", inaugurando "as possibilidades literárias da metafísica". Se a "vida" desse homem não pode ser emocionante, o que pode ser, então? Borges, de Williamson, não só traz de volta a noção perdida de literatura, mas também a noção perdida de uma vida dedicada à literatura.
>>> Borges: uma vida
 
Julio Daio Borges
Editor

Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O DOSSIE ODESSA
FREDERICK FORSYTH
ABRIL
(1982)
R$ 6,50



REVISTA REPERTÓRIO (TEATRO & DANÇA) Nº 1
ARMINDO BIÃO (ED.)
UFBA
(1998)
R$ 45,00



MUERTE ENTRE MUÑECOS NIVEL INTERMEDIO 1
JULIO RUIZ MELERO
EDINUMEN
(2002)
R$ 20,00



NATIONAL GEOGRAPHIC BRASIL Nº 34
VÁRIOS
ABRIL
(2003)
R$ 8,00



OS HOMENS QUE NÃO AMAVAM AS MULHERES
STIEG LARSSON
COMPANHIA DAS LETRAS
(2008)
R$ 15,00



FOLIAS DO NORTE DO PARANÁ (INCLUI DVD)
LIA MARCHI
OLARIA
(2012)
R$ 23,90



SERVIDÃO HUMANA
W. SOMERSET MAUGHAM
ABRIL
(1971)
R$ 5,00



SOBREVIVENTE DO TITANIC 
VIOLET JESSOP
BRASIL TROPICAL
(1998)
R$ 17,00



A POESIA DOS BICHOS
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE / MANOEL DE BARROS
BERTRAND BRASIL
(2002)
R$ 3,00



QUANDO A VIDA ESCOLHE
ZÍBIA GASPARETTO
EVD
R$ 9,00





busca | avançada
27870 visitas/dia
1,1 milhão/mês