Borges: uma vida, por Edwin Williamson | Digestivo Cultural

busca | avançada
30430 visitas/dia
586 mil/mês
Mais Recentes
>>> Encontro de Improvisação Livre BRA - NOR _SESC POMPEIA
>>> Cia de Danças de Diadema apresenta-se na CAIXA Cultural Rio de Janeiro
>>> Confraria do Vinil chega ao Cachaça Social Club na Lapa
>>> Windsor Marapendi apresenta Companhia Estadual de Jazz
>>> CarnaRock KISS FOR KIDS
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Imprimam - e repensem - suas fotografias
>>> Um Cântico para Rimbaud, de Lúcia Bettencourt
>>> Longa vida à fotografia
>>> Oswald de Andrade e o
>>> Nuvem Negra*
>>> Em defesa da arte urbana nos muros
>>> Vocês, que não os verei mais
>>> Em nome dos filhos
>>> O Que Podemos Desejar; ou: 'Hope'
>>> Píramo e Tisbe
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
>>> Ebook gratuito
>>> Poesia para jovens
>>> Nirvana pra todos os gostos
>>> Diego Reeberg, do Catarse
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Lançamento e workshop em BH
Últimos Posts
>>> Humanidade, dúvidas constantes
>>> Sonho de carnaval
>>> Como nascer em vulcões inventados
>>> Fotógrafa da Amazônia é destaque na Europa
>>> Matiz carmim (série: Sonetos)
>>> Gente que corre
>>> Inventário de provas
>>> Escrever, escrever, escrever...
>>> Políticos e suas politicagens
>>> Marceneiro
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Melhores Podcasts
>>> Festa da Cerejeira
>>> Plantar bananeira, assoviar e chupar cana
>>> Star Wars
>>> Macworld San Francisco 2006
>>> Aula de Violão com Lenine
>>> Allegremente
>>> Reflexões a respeito de uma poça d´água
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Há vida inteligente fora da internet?
Mais Recentes
>>> Há Poder em Suas Palavras
>>> O Filho do Homem
>>> Homemade Gifts
>>> A Ciência Econômica e o Método Austríaco
>>> Lições do texto: leitura e redação
>>> Estudo-Vida Romanos 1
>>> Contos de arrepiar
>>> O caso do filho do encanador ´romance da vida de um romancista
>>> O universo do indistinto
>>> Machado de Assis desconhecido
>>> A Rússia dos Sovietes - Impasses de um projeto socialista
>>> Negócios e ócios - Histórias da imigração
>>> A Filosofia no Ensino Médio - limites, avanços e possibilidades
>>> As profecias de Tutankhamon
>>> O livro do amor- o legado de Maria Madalena
>>> A Biblioteca de Machado de Assis
>>> Bim-Bom- A contradição sem conflitos de João Gilberto
>>> Grafias que geram dúvidas
>>> Manual de Redação
>>> Técnicas de Redação
>>> Laboratório de Redação ( Manual do Professor para o)
>>> Anjos e Demônios
>>> 111 Poemas para crianças
>>> O Senhor dos Ladrões
>>> O menino narigudo
>>> Os miseráveis
>>> Otelo
>>> Inverno na Manhã
>>> A outra face - História de uma garota afegã
>>> A nuvem
>>> Buracos
>>> O fazedor de velhos
>>> Vida de droga
>>> O ingles sem auxílio do professor - vol.2
>>> Amazônia Reino da Fantasia
>>> É fácil matar
>>> Assassinato na casa do pastor - Miss Marple
>>> Por que não pediram a Evans?
>>> Ouse Dançar com Deus
>>> Exposição sintética da Filosofia Teosófica- a Sabedoria Antiga
>>> 20 Poemas de Amor e uma canção desesperada
>>> Cartas de Amor a LIlja Brik
>>> A droga da obediência
>>> A droga do amor
>>> Anjo da morte
>>> Anjo da morte
>>> Robin Hood
>>> A marca de uma lágrima
>>> Rick e a girafa
>>> Julinho, o sapo
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Literatura

Quarta-feira, 28/12/2011
Borges: uma vida, por Edwin Williamson
Julio Daio Borges

+ de 6700 Acessos




Digestivo nº 484 >>> No embalo do relançamento das obras completas de Jorge Luis Borges, a Companhia das Letras traduziu Borges: a life (2004), de Edwin Williamson, professor de literatura espanhola em Oxford. Aparentemente, a vida de Borges, que se dedicou à literatura, não soa tão interessante. Mas um elogio de Harold Bloom, o maior crítico literário vivo, a essa obra sobre a vida do "mestre argentino", talvez nos faça mudar de opinião. Embora tenha reconhecido a genialidade de Machado de Assis, Bloom recusou-se a ler Guimarães Rosa, pois disse que "não tinha mais tempo". O "mestre argentino" ganhou, com Machado, um dos capítulos de Gênio (2003). E é impossível não aproximar o maior crítico contemporâneo do, possivelmente, maior leitor do século XX. E se Bloom "perdeu tempo" com a biografia de Borges, mantendo Guimarães Rosa na espera, é que ela merece ser lida. De fato, se a vida de Borges foi dedicada à literatura, o que lemos, no livro de Williamson, não é uma biografia tradicional, afinal ele busca "correspondências entre o texto literário e o contexto pessoal". Borges: uma vida surpreende, em primeiro lugar, pelas mulheres que habitaram a vida, ou o pensamento, de Borges. Para surpresa geral, declara o próprio: "Como passei a vida pensando em mulheres, ao escrever tratei de pensar em outra coisa". A uma mulher, por exemplo, ele dedicou "O Aleph" (1949). Em "A morte a bússola", um conto de Ficções (1944), Borges conclui que "o intelecto sozinho leva à morte", enquanto "o amor se constitui na bússola que nos levará à salvação". Passou quase a vida inteira lamentando "ter repetidamente sacrificado sua chance de felicidade com uma mulher". E, quando morreu sua mãe, escreveu, num poema: "Eu cometi o pior dos pecados possíveis a um homem. Não ter sido feliz". Leonor Acevedo, aliás, quase centenária, seria outro dos centros de gravidade na vida de Borges. Declararia ela a Bioy Casares (historicamente, o maior amigo de Jorge Luis): "Passei a vida entre dois loucos e às vezes me pergunto se esses dois loucos não tiveram razão". O "segundo louco" era o Doutor Borges, pai de Jorge Luis (na intimidade, Georgie). Tendo fracassado na literatura, e tendo sido acometido pela cegueira mais cedo que o filho, Doutor Borges transmitiu a Jorge Luis a missão de ser realizar como escritor. E "Georgie", além da salvação pelo amor, acreditava, obviamente, na salvação pela literatura. Acreditava, como diz Williamson, que "uma obra-prima autêntica seria suficiente para justificar a vida de um escritor". Nesse sentido, a Divina Comédia forneceu a chave que faltava para conferir sentido à existência de Jorge Luis: se encontrasse sua Beatriz, como Dante encontrou, Borges poderia ser feliz, e realizar-se como homem, e como escritor. Ainda que boa parte do mundo não concordasse, acreditou ter encontrado sua "Beatriz" no fim da vida: era María Kodama, que faria Luisa Valenzuela, uma romancista argentina, definir assim o casal: "O venerável velho e a mulher que tirou o venerável velho de seu encapsulamento e o pôs em contato com a vida". Casaram-se praticamente no leito de morte de Borges. Se o amor quase não chegou a tempo, a consagração também atrasou. E uma das fases mais célebres de Borges, como "mestre oral", teve início quando ele se aproximava do seu cinquentenário: "Assim, aos 47 anos, descobri que se abria diante de mim uma vida nova e emocionante". Conquistou o mundo, nas palavras do escritor norte-americano Richard Burgin: "Quando deu sua última palestra em Harvard, Borges já era o herói literário de Cambridge". Em 1983, recebeu a Legião de Honra do presidente François Mitterand. E só não ganhou o Nobel, pois defendeu as ditaduras, na América Latina, contra populistas como Perón. Williamson conta que, na Itália, Borges passou a definir o que era "o gosto literário" e, mesmo, "a própria ideia de literatura". A verdade é que continua definindo, e não so dentro da Itália, mas fora dela também. Modesto, Borges concluiria, numa entrevista, não ter sido "um pensador": "nunca havia chegado a nada"; era, no máximo, "um homem de letras"... "um tecelão de sonhos". E ainda que se considerasse, como poeta, um "grandiloquente de terceira categoria", criaria, na definição de Bioy Casares, "um novo gênero literário", "entre o ensaio e a ficção", inaugurando "as possibilidades literárias da metafísica". Se a "vida" desse homem não pode ser emocionante, o que pode ser, então? Borges, de Williamson, não só traz de volta a noção perdida de literatura, mas também a noção perdida de uma vida dedicada à literatura.
>>> Borges: uma vida
 
Julio Daio Borges
Editor

Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VIDA ROUBADA
NERO BLANC
EDIOURO
(2004)
R$ 9,90



NA DOR E NA ALEGRIA
JIM E SALLY CONWAY
CULTURA CRISTÃ
(2003)
R$ 20,00



O LIVRO DE OURO DA MITOLOGIA
THOMAS BULFINCH
EDIOURO
(2011)
R$ 18,00



A ÚLTIMA ESPERANÇAA
FRANK G. SLAUGHTER
CIRCULO DO LIVRO
R$ 3,00



A EXPERIÊNCIA VIVA DO TEATRO (TEORIA DA DRAMATURGIA)
ERIC BENTLEY
ZAHAR
(1967)
R$ 48,00



CONFISSÕES
SANTO AGOSTINHO
APOSTOLADO DA IMPRENSA
(1958)
R$ 9,40



COMPROMISSOS ILUMINATIVOS
DIVALDO PEREIRA FRANCO
LEAL
(1998)
R$ 7,00



TURMINHA DA FÉ BIA E A MANSIDÃO
VÁRIOS AUTORES
VALE DAS LETRAS
R$ 5,00



O PROFETA
GIBRAN KHALIL GIBRAN
ACIGI
(1972)
R$ 9,90



MICROECONOMICS AN INTUITIVE APPROACH WITH CALCULUS
THOMAS J NECHYBA
SOUTH-WESTERN
(2011)
R$ 90,00
+ frete grátis





busca | avançada
30430 visitas/dia
586 mil/mês