Trilogia Evil Dead | Nemo Nox | Digestivo Cultural

busca | avançada
29464 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Pixel Show promove gratuitamente exibição do documentário "The Happy Film"
>>> Inédito no Brasil, espetáculo canadense SIRI estreia em novembro no Oi Futuro
>>> Antonio Nóbrega apresenta show comemorativo pela passagem dos 25 anos do Instituto Brincante
>>> Visita Temática : Os Múltiplos Tempos da Coleção de Ema Klabin
>>> Chagall é tema de palestra na Casa Museu Ema Klabin
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
>>> Manchester à beira-mar, um filme para se guardar
>>> Noel Rosa
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Olho d'água
>>> A música da corrida
>>> Retalhos da vida
>>> Limbo
>>> Transmutações invisíveis
>>> Quem te leu, quem te lê
>>> Bom dia e paz
>>> O que sei do tempo II
>>> Quem é quem?
>>> Academia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um monstro que ri
>>> Lições literárias
>>> Fahrenheit 451, Oralidade e Memória
>>> História dos Estados Unidos
>>> Apresentação
>>> Modernismo e Modernidade
>>> Deus ex machina
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> Homenagem a Orestes Barbosa
>>> O lado A e o lado B de Durval Discos
Mais Recentes
>>> O príncipe e o mendigo
>>> Dicionário de Ciências Ocultas 1 e 2
>>> Jonas
>>> O desafio historiográfico
>>> Decifrando o Genoma
>>> O Baudolino
>>> O Império do Sol
>>> Encanto Mortal
>>> A Ilha do Dia Anterior
>>> Ciência Política
>>> O Trabalho Infantil na Cidade de São Paulo
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Encantando Totalmente o Cliente
>>> As Vinhas da Ira _ Volume II
>>> Ser Mãe
>>> Sonetos Escolhidos
>>> Sonetos Escolhidos
>>> Nada Dura Para Sempre
>>> Dioniso & Cia. na moqueca do dendê: desejo, revolução e prazer na obra de Jorge Amado
>>> Ciência & Realidade 6ª série
>>> Redação Curso Básico Vol 1
>>> Redação Curso Básico Vol 2
>>> A Conquista da Matemática 7ª Série
>>> Redação Curso Básico Vol 3
>>> Português Através de Textos 5
>>> Português Através de Textos 7
>>> Ciência & Realidade 7ª série
>>> Ciência & Realidade 5ª série
>>> A Conquista da Matemática 6ª Série
>>> Caderno de Português Fundamental 5ª série
>>> Bom Tempo Estudos Sociais Ciências 4
>>> Língua Portuguêsa Vol 4
>>> Descobrindo a Gramática
>>> Português Através de Textos 6
>>> Verdades Fundamentais da Parábola do Rico e de Lázaro
>>> Dificuldades Bíblicas e Outros Estudos Vol. 1 (2ª ed.)
>>> Um rabino conversa com Jesus- um diálogo entre milênios e confissões
>>> Conceitos de crítica
>>> Conceitos fundamentais da poética- (2ª ed.)
>>> Marketing Digital Novas tecnologias & Novos Modelos de Negócio
>>> Excel 2007
>>> Project para Profissionais
>>> O crime do padre Amaro (15ª ed.)
>>> A câmara clara - nota sobre a fotografia (2ª ed.)
COLUNAS

Terça-feira, 13/5/2003
Trilogia Evil Dead
Nemo Nox

+ de 6200 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Sam Raimi é hoje cineasta celebrado, com sucessos de crítica como A Simple Plan (Um Plano Simples) e sucessos de público como Spider-Man. Mas sua carreira começou com filmes modestíssimos, que se tornaram cultuados e superestimados. É a trilogia Evil Dead, citada muitas vezes mas raramente avaliada criticamente.

O primeiro filme da série, The Evil Dead (EUA, 1981), conta a história de cinco amigos (dois rapazes e três garotas) que vão passar o fim-de-semana numa cabana na floresta. Lá encontram um livro antigo e uma gravação com a tradução de inscrições aparentemente indecifráveis. Inadvertidamente, eles ouvem a fita e despertam demônios que vão se apossando dos seus corpos, um a um.

Mas, apesar do tema, não se trata de um filme de horror. Pelo contrário, a violência exagerada lembra os desenhos animados de Tex Avery e a encenação infantilizada sofre forte influência de The Three Stooges (Os Três Patetas).

Pouca coisa acontece além de uma longa seqüência de pessoas sendo possuídas por demônios, transformando-se em criaturas nojentas e em seguida sendo mutiladas e desmembradas pelo herói Ashley, interpretado de forma extremamente caricata por Bruce Campbell, amigo de infância de Sam Raimi. No final, ele é o único sobrevivente, mas como convém ao gênero, há uma última cena que deixa em aberto seu destino: teria sido também vítima dos demônios ou foi somente um movimento de câmara mais ousado para terminar o filme com algum impacto visual?

Evil Dead II: Dead by Dawn (EUA, 1987) é uma das continuações mais estranhas da história do cinema, por dois motivos. Primeiro, em vez de dar continuidade à história, simplesmente o filme reconta a mesma trama com variações mínimas. Segundo, desmente basicamente tudo o que foi contado no episódio anterior.

Numa rápida introdução, ficamos sabendo como Ashley, novamente interpretado por Bruce Campbell, foi parar naquela cabana. Mas agora em vez dos cinco amigos temos somente um casal, e vários detalhes importantes são revisados, como a forma que o livro dos mortos é encontrado e os demônios invocados, ou o momento em que descobrimos que a ponte foi destruída e os personagens estão isolados na cabana maldita.

Sozinho por alguns momentos, Ashley protagoniza várias cenas que poderiam ter saído diretamente de desenhos animados, especialmente quando sua mão é possuída por um demônio (e posteriormente amputada pelo próprio Ash).

Como o roteiro pouco mais é que uma sucessão de vítimas para serem esquaterjadas, logo temos a visita de mais quatro personagens (a filha do dono da cabana, seu noivo, um guia e sua namorada) e a descoberta de um quinto (a mãe enterrada no porão, que ressurge ao ser também possuída pelas criaturas do além).

Segue-se muito sangue, muita gosma, e muita violência cartunesca, com destaque para o olho demoníaco que sai voando de uma cabeça possuída para entrar diretamente na boca da mocinha que grita. Assim como no episódio anterior, este também termina com a história em aberto, com Ashley sendo transportado através de um túnel mágico até a Idade Média, onde tem que combater demônios novamente.

Quando Sam Raimi parecia finalmente ter deixado para trás os tempos de Evil Dead (que não deveria render mais que um curta-metragem mas que ele transformou em dois longas), e apesar de já contar com um filme interessante no currículo, Darkman, ele voltou à série com Army of Darkness: Evil Dead 3 (EUA, 1993).

Mais uma vez reconta o que aconteceu nos filmes anteriores, e mais uma vez a história é desmentida e modificada sem pudores, desde de detalhes sem importância (como a namorada de Ash, interpretada por Betsy Baker no primeiro filme, por Denise Bixler no segundo e por Bridget Fonda no terceiro) a acontecimentos fundamentais (em Dead by Dawn, Ash chega na Idade Média matando demônios e é logo celebrado como salvador, em Army of Darkness ele não encontra demônio algum e é capturado como inimigo).

Desta vez, a ação não se passa na cabana da floresta, mas em castelos e florestas do passado, onde Ashley vai combater os mesmos demônios invocados pelo mesmo livro mágico. O tom de comédia também é o mesmo, agora com mais citações a outros filmes. Temos a frase de The Day the Earth Stood Still (Klaatu barada nikto), o moinho e o monstro reconstruído de Frankenstein, os liliputianos de Gulliver's Travels, a criatura de duas cabeças de The Thing with Two Heads, os esqueletos animados de The 7th Voyage of Sinbad, e mais uma vez as palhaçadas de The Three Stooges.

Esse terceiro episódio ao menos oferece uma história que vai além da matança em série numa cabana isolada. O roteiro, porém, é ainda primário, e todo o interesse se centra novamente nos efeitos especiais, que, apesar de melhorarem a cada filme e serem muitas vezes engenhosos, freqüentemente revelam a falta de recursos mostrando os fios que movem os objetos e outras imperfeições.

Vista em conjunto, a trilogia Evil Dead é uma obra formalmente claudicante e narrativamente rarefeita. Pode servir como exemplo de filmes onde os realizadores se divertem mais na produção que os espectadores na exibição, mas não como modelo a ser seguido por quem quer contar uma boa história nas telas.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Nemo Nox é editor do blog Por um Punhado de Pixels e do site Burburinho, onde este texto foi originalmente publicado.


Nemo Nox
Washington, 13/5/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Noel Rosa de Fabio Gomes
02. Manchester à beira-mar, um filme para se guardar de Renato Alessandro dos Santos
03. Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo de Jardel Dias Cavalcanti
04. Nós que aqui estamos pela ópera esperamos de Renato Alessandro dos Santos
05. O dia que nada prometia de Luís Fernando Amâncio


Mais Nemo Nox
Mais Acessadas de Nemo Nox em 2003
01. The Matrix Reloaded - 20/5/2003
02. René Magritte - 7/5/2003
03. Jonny Quest - 15/1/2003
04. Trilogia Evil Dead - 13/5/2003
05. Jogos de escritores - 3/3/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
13/12/2003
21h13min
Desde que o vi o 1° Evil Dead, me encantei, não pelos efeitos, mas pela história e pelas idéias do autor, o 1° e o 2° são realmente clássicos do Terror. Neles, há o que realmente se quer em um filme de terror, há sangue, mortes, cenas de angústia e medo. Realmente nota 10!!!
[Leia outros Comentários de Márcio Marchesini]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




HQ CEBOLINHA 7 + OS NAMORADOS
MAURÍCIO DE SOUZA
GLOBO
(1994)
R$ 7,00



INTRODUÇÃO AO DIREITO DAS AGÊNCIAS REGULADORAS
SÉRGIO GUERRA
FREITAS BASTOS
(2004)
R$ 28,00



COMO DSENVOLVER A MEMÓRIA
JOYCE D.BROTHERS E EDWARD P. EAGAN
RECORD
R$ 11,10



QUEM CONTA UM CONTO 5 (CONTOS) - LITERATURA BRASILEIRA
SAMIR MESERANI (COORD.)
ATUAL
(1990)
R$ 5,00



A SENDA DO HOMEM CELESTE - NARRADO POR UM VERDADEIRO COMBATENTE QUE A PERCORREU
J. G. GICHTEL
POLAR
(2001)
R$ 27,99



ONTEM AO LUAR - VIDA ROMÂNTICA DO POETA DO POVO CATULLO DA PAIXÃO CEARENSE
MURILLO ARAUJO
A NOITE
(1951)
R$ 20,00



HISTÓRIA DA LITERATURA CRISTÃ ANTIGA GREGA E LATINA - VOL. I: DE PAULO À ERA CONSTANTINIANA
CLAUDIO MORESCHINI | ENRICO NORELLI
LOYOLA
(1996)
R$ 52,00



CAVALOS E OBELISCOS
MOACYR SCLIAR
ÁTICA
(2001)
R$ 10,00



OS LUSÍADAS
LUÍS DE CAMÕES
KLICK
R$ 15,00



FILHOS DAS TREVAS
MORRIS WEST
CÍRCULO DO LIVRO
(1957)
R$ 8,70





busca | avançada
29464 visitas/dia
1,1 milhão/mês