Teoria da Conspiração | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
29464 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Pixel Show promove gratuitamente exibição do documentário "The Happy Film"
>>> Inédito no Brasil, espetáculo canadense SIRI estreia em novembro no Oi Futuro
>>> Antonio Nóbrega apresenta show comemorativo pela passagem dos 25 anos do Instituto Brincante
>>> Visita Temática : Os Múltiplos Tempos da Coleção de Ema Klabin
>>> Chagall é tema de palestra na Casa Museu Ema Klabin
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
>>> Manchester à beira-mar, um filme para se guardar
>>> Noel Rosa
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Olho d'água
>>> A música da corrida
>>> Retalhos da vida
>>> Limbo
>>> Transmutações invisíveis
>>> Quem te leu, quem te lê
>>> Bom dia e paz
>>> O que sei do tempo II
>>> Quem é quem?
>>> Academia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um monstro que ri
>>> Lições literárias
>>> Fahrenheit 451, Oralidade e Memória
>>> História dos Estados Unidos
>>> Apresentação
>>> Modernismo e Modernidade
>>> Deus ex machina
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> Homenagem a Orestes Barbosa
>>> O lado A e o lado B de Durval Discos
Mais Recentes
>>> O príncipe e o mendigo
>>> Dicionário de Ciências Ocultas 1 e 2
>>> Jonas
>>> O desafio historiográfico
>>> Decifrando o Genoma
>>> O Baudolino
>>> O Império do Sol
>>> Encanto Mortal
>>> A Ilha do Dia Anterior
>>> Ciência Política
>>> O Trabalho Infantil na Cidade de São Paulo
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Controlando a Osteoporose
>>> Encantando Totalmente o Cliente
>>> As Vinhas da Ira _ Volume II
>>> Ser Mãe
>>> Sonetos Escolhidos
>>> Sonetos Escolhidos
>>> Nada Dura Para Sempre
>>> Dioniso & Cia. na moqueca do dendê: desejo, revolução e prazer na obra de Jorge Amado
>>> Ciência & Realidade 6ª série
>>> Redação Curso Básico Vol 1
>>> Redação Curso Básico Vol 2
>>> A Conquista da Matemática 7ª Série
>>> Redação Curso Básico Vol 3
>>> Português Através de Textos 5
>>> Português Através de Textos 7
>>> Ciência & Realidade 7ª série
>>> Ciência & Realidade 5ª série
>>> A Conquista da Matemática 6ª Série
>>> Caderno de Português Fundamental 5ª série
>>> Bom Tempo Estudos Sociais Ciências 4
>>> Língua Portuguêsa Vol 4
>>> Descobrindo a Gramática
>>> Português Através de Textos 6
>>> Verdades Fundamentais da Parábola do Rico e de Lázaro
>>> Dificuldades Bíblicas e Outros Estudos Vol. 1 (2ª ed.)
>>> Um rabino conversa com Jesus- um diálogo entre milênios e confissões
>>> Conceitos de crítica
>>> Conceitos fundamentais da poética- (2ª ed.)
>>> Marketing Digital Novas tecnologias & Novos Modelos de Negócio
>>> Excel 2007
>>> Project para Profissionais
>>> O crime do padre Amaro (15ª ed.)
>>> A câmara clara - nota sobre a fotografia (2ª ed.)
COLUNAS

Terça-feira, 10/2/2004
Teoria da Conspiração
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 9500 Acessos

Há cerca de dois anos, o jornalista norte-americano Daniel Pearl foi assassinado por radicais islâmicos em Karachi, no Paquistão. Sua morte gerou comoção em toda opinião pública mundial, tanto pela forma como foi morto (Pearl foi decapitado), como pelo aparente motivo de sua morte: ele era americano e judeu, razão "justa" numa jihad (que significa guerra santa; designa o dever mulçumano de defender o islã de inimigos e infiéis). No entanto, há controvérsias. É o que tenta provar o novo livro do filósofo francês Bernard-Henri Levy (mais conhecido como BHL na França), notório por ser franco-atirador e polemista nato. Em Quem Matou Daniel Pearl? (Ed. A Girafa, 468 págs), o filósofo ensaia uma reportagem romanceada sobre o assassinato e também acerca do cenário sombrio que, em tese, encobriu as verdadeiras razões da morte do jornalista norte-americano.

Deste modo, vale a pena ressaltar o interesse e a obstinação de BHL para contar a história. São expressas no prefácio, aliás, verdadeiras declarações de comprometimento com a reportagem em questão. Conforme diz o próprio autor: "Este livro começa em 31 de janeiro de 2002, dia da morte de Daniel Pearl, jornalista norte-americano seqüestrado e decapitado em Karachi... Contarei como e por que decidi naquele dia dedicar o tempo que fosse necessário [...] para elucidar o mistério de sua morte. É o relato dessa investigação, dessa busca da verdade, que constitui o tema deste livro."

Com efeito, para realizar essa reportagem, BHL foi ao Paquistão, aos Estados Unidos, a Sarajevo, a Kandahar e a Londres. O estilo adotado pelo autor para descrever os cenários e narrar os fatos remete ao "jornalismo literário", cujas técnicas lembram um romance de ficção, com diálogos e a participação do narrador em primeira pessoa. É o estilo predileto de alguns dos grandes nomes do jornalismo mundial, como os norte-americanos Gay Talese e Norman Mailer. Ocorre que, antes de utilizar tais ferramentas para descrição de personagens e cenários, esses autores se destacam pelo apuro e precisão na checagem das informações. Ou seja, são livros tão bem escritos quanto precisos. No caso do livro de BHL, há uma preocupação excessiva em descrever os fatos de maneira impressionista e um certo descuido para com o aspecto factual. Dessa maneira, em alguns momentos tem-se a impressão que são os fatos que tiveram que se ajustar à narrativa de BHL.

Não fosse assim, não haveria trechos em que o autor assevera sua displicência: "Será que ele realmente disse aquilo? Será que ele realmente disse que ele disse? Ou será que estou divagando? Ou entendi mal? Não sei." Com isso, o livro - ou melhor, a reportagem - ganha um tom assaz inflamado e desliza para o tom opinativo e de livre interpretação dos fatos. Assim, embora o filósofo aponte para algumas teorias interessantes, no geral, ele não consegue avançar, dando a entender que a cada início de capítulo sua investigação começou do zero e, então, o que foi lido até ali foi desperdício de tempo. É o que acontece no capítulo "Visita aos pais coragem". Em vários momentos, tem-se a sensação de que algum fato que não foi revelado virá à tona, pois os pais insistem em rememorar as imagens do assassinato que foram veiculadas na imprensa ou, ainda, em procurar fotos que continham indícios que levariam a outro rumo na investigação. Contudo, nada de novo aparece - a não ser o detalhamento (quase) sensacionalista das feições e das lágrimas dos pais do jornalista a toda hora que se recordam do filho.

Mas é a partir da segunda parte do livro, quando o perfil de Omar Sheikh é traçado, que a tese principal da reportagem passa a ser construída: para o autor, Daniel Pearl foi assassinado porque investigava possíveis ligações entre o serviço secreto do Paquistão, cientistas nucleares paquistaneses e a rede Al-Qaeda. Assim, com base nas investigações romanceadas de BHL, a morte do jornalista teria sido um crime de Estado. No entanto, a reportagem não consegue se sustentar, pois justamente nos momentos em que as provas se fazem necessárias, o autor utiliza a imaginação para preencher o vazio de fatos. É aqui que o leitor tem a sensação de ler uma teoria da conspiração e não uma investigação jornalística, pois, apesar de bem elaboradas, as hipóteses do autor carecem de comprovação.

Além disso, é no mínimo curioso que BHL refute, ao longo do livro, a idéia do conflito de Civilizações, tal qual fora previsto por Samuel Huntington em seu livro O Choque de Civilizações. Isso porque, sempre que pode, Levy extravasa sua indignação contra o fanatismo religioso do Islã. Para quem não leu, Huntington prevê, em seu livro, justamente o embate entre o fanatismo islâmico e os ideais do Ocidente. Ainda que indiretamente, BHL corrobora a tese do acadêmico norte-americano, visto que se refere aos assassinos como sendo "Loucos de Deus", e não como sendo apenas um grupo terrorista. Ou seja, por uma via diferente, o autor acaba por apresentar uma explicação simplista para justificar sua indignação com o islamismo - novamente, apenas o estilo sustenta as opiniões.

Nota-se, então, que a investigação poderia ter alcançado um resultado bem mais interessante do que este romance-reportagem. Justamente porque o escritor francês foi aos lugares, fazendo pesquisa e entrevistas in loco - atitude cada vez mais rara no jornalismo burocrático que a maioria das redações de jornal propõe hoje em dia. Ainda assim, deixou de lado o compromisso com o fato e com a precisão das informações fornecidas no livro. São detalhes cruciais, desses que são capazes de transformar uma teoria da conspiração em hipótese provável; ou, ainda, um simples romance investigativo em grande trabalho de reportagem.

Para ir além






Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 10/2/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Da Tolerância Religiosa de Ricardo de Mattos
02. A arte de se vender de Daniela Sandler
03. Quando a cidade inteira é uma festa: Berlim! de Daniela Sandler
04. Dia D, lembrança e esquecimento de Daniela Sandler
05. Olá, Lênin! de Daniela Sandler


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2004
01. Desonra, por J.M. Coetzee - 21/12/2004
02. Teoria da Conspiração - 10/2/2004
03. Cem anos de música do cinema - 8/6/2004
04. Música instrumental brasileira - 12/10/2004
05. Eleições Americanas – fatos e versões - 9/11/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UM AMOR DIFERENTE - NOSSAS ESCOLHAS
JOÃO ALBERTO TEODORO - PELO ESPÍRITO AUGUSTO CÉSAR VANNUCCI
MUNDO MAIOR
(2012)
R$ 19,65



O PÃO NO DESERTO
THOMAS MERTON
VOZES
(2008)
R$ 42,00



O PÃO NOSSO PARA 365 DIAS
EDIR MACEDO
UNIPRO
(2014)
R$ 30,00



CATECISMO ANTI-SABÁTICO
REV. B HIRTH
BIBLOS
(1937)
R$ 68,00



A FLAUTA MÁGICA
DIONISIO JACOB
SM
(2007)
R$ 15,00



FALA SÉRIO, PAI!
THALITA REBOUÇAS
ROCOO
(2009)
R$ 20,00



O PRISIONEIRO - 1ª EDIÇÃO (3ª IMPRESSÃO)
ERICO VERISSIMO
GLOBO
(1968)
R$ 4,90



O TEATRO DE MOLIÈRÉ - PAULO RÓNAI (TEATRO FRANCÊS)
PAULO RÓNAI
UNB
(1981)
R$ 8,00



ARGENTINOS - MITOS, MANIAS E MILONGAS
MARCIA CARMO & MONICA YANAKIEW
PLANETA
(2005)
R$ 22,00



A MANEIRA DE CUMPRIR A VISÃO- VOLUME 3
WITNESS LEE
ÁRVORE DA VIDA
(2000)
R$ 24,90
+ frete grátis





busca | avançada
29464 visitas/dia
1,1 milhão/mês