Maria Antonieta, a última rainha da França | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
49963 visitas/dia
1,5 milhão/mês
Mais Recentes
>>> TV Brasil transmite desfile do Grupo de Acesso de São Paulo
>>> Documentário "Trieletrizado" destaca a malha multicultural do carnaval de Salvador
>>> Fotógrafo celebra esporte e felicidade no samba
>>> TV Brasil apresenta atrações do Carnaval de Salvador nesta sexta (5)
>>> A AUTOESTIMA DO SEU FILHO,
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A proposta libertária
>>> O regresso, a última viagem de Rimbaud
>>> E Foram Felizes Para Sempre
>>> O Olhar das Bruxas: Quatro Versões de 'Macbeth'
>>> Lira da resistência ao futebol gourmet
>>> Com quantos eventos literários se faz uma canoa?
>>> Terna e assustadora realidade
>>> De louco todos temos um pouco
>>> A coerência de Mauricio Macri
>>> Em 2016, pare de dizer que você tem problemas
Colunistas
Últimos Posts
>>> Patuá em festa
>>> Literatura: direito humano
>>> Geraldo Rufino no #MitA
>>> Portal dos Livreiros: 6 meses!
>>> Ryley Walker
>>> Leia Mulheres - BH
>>> Adagio ma non troppo
>>> Psiu Poético 30 anos
>>> Uma cidade se inventa
>>> Vale a pena ver de novo
Últimos Posts
>>> Uber confusão
>>> Na solidão dos objetos (Objetos)
>>> AÇÃO DE GRAÇA
>>> Metáfora em cedro
>>> Quimeras
>>> Em busca de extrema unção
>>> Malabar
>>> O voo, o véu e a verdade
>>> Tipos inesquecíveis da política americana
>>> Sangue oxigenado
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um defeito de cor, um acerto de contas
>>> Entrevista de Emprego
>>> Entrevista de Aniversário
>>> Memórias de Lorenzo da Ponte
>>> Parangolé: anti-obra de Hélio Oiticica
>>> A múmia de seios intumescidos
>>> Conceitos musicais: blues, fusion, jazz, soul, R&B
>>> Outsider: quem não se enquadra
>>> História de uma gata
>>> NewsTrust
Mais Recentes
>>> Isto éS tu - redimensionando a metáfora religiosa
>>> Harmonia Psíquica- Técnicas práticas para utilizar os recursos de suas habilidades paranormais
>>> O MEU ANJO DANIEL- versão portuguesa da Fraternidade Missionária CristoJovem
>>> NA FORÇA DA IDADE 2 volumes
>>> PIERRE TEILHARD DE CHARDIN
>>> CORAÇÕES ARDENTES- Uma reflexão sobre a vida eucarística
>>> AINDA QUE TENHA MORRIDO, VIVERÀ-Ensaio sobre a ressurreição dos corpos
>>> OS DROGADOS NÃO SÃO FELIZES- Os caminhos de uma vocação.
>>> Estudo Vida- ATOS
>>> PRAGMÁTICA DA COMUNICAÇÃO HUMANA- Um estudo dos Padrões, Patologias e Paradoxos da Interação humana
>>> POR TRÁS DAS PALAVRAS
>>> Doze cestos cheios- volumes três e quatro
>>> Planeta Especial- KRISHNAMURTI
>>> LUCAS- Estudo Vida- Volumes 1 e 2
>>> os JOGOS da VIDA- Você está OK? ANÁLISE TRANSACIONAL
>>> SELETA EM PROSA E VERSO-organização, estudos e notas da professoraNelly Noves Coelho
>>> À IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS- Uma analogia entre o corpo humano e o Corpo de Cristo
>>> Saída pelo Triângulo - Col. a Descoberta da Matemática
>>> COORDENADOR/SUPERVISOR PEDAGÓGICO: Desafios, Reflexões e Perspectivas na Prática do Cotidiano
>>> DOENÇAS, CURA E SAÚDE à luz do espiritismo
>>> MENTE SEM LIMITES- como desenvolver a visão remota e aplicá-la na cura a distância e na transformação da consciência
>>> LÍNGUA E CONHECIMENTO LINGUÍSTICO- Para uma História das Ideias no Brasil
>>> As Crônicas de Nárnia
>>> Por Que os Homens Têm Medo de Compromisso?
>>> Fazendo Pose
>>> O PROFETA FERIDO-Um retrato de Henri J.M. Nouwen
>>> Lucíola
>>> Vinha das Ira, As
>>> O Alienista
>>> Bíblia King James
>>> Deus não se cansa de perdoar!- Mensagens de misericórdia
>>> Terapia não- convencional- As Técnicas Psiquiátricas de Milton H. Erickson
>>> deus não é Grande
>>> Coleção Teláris - Ciências 9° ano
>>> DESTINO DO TOXICÔMANO
>>> A vida espiritual segundo sao Tomás de Aquino na suma teológica
>>> Marley & Eu
>>> O estado
>>> Curando com Amor
>>> MITO E METAFÍSICA- Introdução à Filosofia
>>> 3096 dias
>>> PAZ INTERIOR
>>> Os Litigantes
>>> O TESTAMENTO DE SÃO JOÃO
>>> Indecisão
>>> AS TÁTICAS E O JOGO DE PODER DE JESUS CRISTO e outros ensaior
>>> O Sacerdócio Expiatório de Jesus Cristo
>>> Em busca do perispírito
>>> Apologia contra os livros de Rufino
>>> TAO TE KING-o livro que revela Deus
COLUNAS

Quinta-feira, 16/9/2004
Maria Antonieta, a última rainha da França
Adriana Baggio

+ de 69800 Acessos
+ 1 Comentário(s)

A lembrança mais forte acerca de Maria Antonieta, rainha da França, é que teria sugerido ao povo faminto que comesse brioches, já que não havia pão. E que por conta de desatinos como esse, teve a cabeça decepada pela guilhotina da Revolução Francesa.

Para quem se interessar em conhecer mais a fundo a história da esposa de Luís XVI, vale a pena conferir Maria Antonieta: a última rainha da França. O livro, lançado este ano pela Editora Objetiva, é fruto de uma exaustiva pesquisa feita pela historiadora Evelyne Lever. Para compor um retrato não apenas da rainha, mas também das questões políticas da Europa no século XVIII, a autora baseou-se em documentos oficiais e cartas de pessoas que compartilharam da intimidade de Maria Antonieta e de sua família, tanto na corte de Viena, onde ela nasceu, quanto na corte francesa.

De tão detalhado, o relato chega a ser um pouco cansativo. O livro conta a história da rainha desde o seu nascimento até a morte. Primeiro, os dias felizes em Viena, com a família, em um estilo de vida muito mais simples do que as inumeráveis exigências de protocolo e etiqueta que precisaria seguir na França. A autora deteve-se em detalhes como as roupas usadas por Maria Antonieta, os pratos que compunham suas refeições e até os diálogos entabulados com as pessoas que lhe eram próximas. Alguns desses detalhes poderiam ter sido suprimidos, bem como uma certa forma de narrativa muito descritiva. Percebe-se, é claro, uma intenção em comprovar os fatos relatados, o que diferencia essa biografia de outras obras mais fantasiosas.

Apesar de não focar exatamente nos aspectos políticos da França e da Europa do século XVIII, é impossível falar de Maria Antonieta sem contextualizar a época em que viveu. A abordagem política fica mais presente quando as atitudes da rainha começam a servir de motivo para as revoltas populares que há muito já se previam. A mistura de egoísmo, arrogância, ingenuidade e futilidade ajudaram a formar uma imagem dela para o povo e seus desafetos que refletia o comportamento da nobreza francesa em geral. Privilégios às pessoas de seu interesse, preocupações com as intrigas da corte, um modo de vida luxuoso e dispendioso e uma completa alienação dos problemas do povo e também das implicações políticas de seus atos, contribuiram para levar a rainha à guilhotina.

Mas o livro não se atém apenas aos defeitos: mostra uma mulher corajosa, de personalidade, prejudicada pela pressão e pela chantagem emocional exercida pela mãe, a rainha da Áustria, mesmo à distância. As atitudes tomadas por Maria Antonieta na corte muitas vezes foram vistas - e apresentadas - como traição. Por conta de sua alienação e do desejo de levar a vida da maneira que lhe interessava e agradava, a rainha não percebia as implicações negativas de seus atos junto ao Rei e aos ministros, quando tentava, em vão, obter posições privilegiadas para as intenções políticas do império austríaco.

Apesar da dificuldade inicial do casamento com Luís XVI, eles tornaram-se um casal unido, inclusive na alienação e na ingenuidade. Enquanto ela se preocupava com os divertimentos e com uma tentativa de viver uma outra vida através da encenação de peças teatrais, na qual era um dos personagens, o rei esquecia-se da vida e dos problemas do país nas caçadas e nas suas oficinas de trabalhos manuais com madeira e ferro. Nenhum dos dois quis ver o quer acontecia a sua volta.

Na verdade, eles não podem ser culpados. Reclusos na vida da corte, tanto Luís quanto Maria Antonieta não foram incentivados a conhecer mais sobre o que acontecia no mundo iluminista, sobre a realidade, sobre os problemas do país. Apesar do esclarecimento da época, a monarquia ainda era vista como algo divino, independente da vontade dos súditos. Por isso a recusa do rei, até o final, em aceitar uma constituição e uma posição menos poderosa nessa nova forma de governo. Por conta dessa teimosia, tanto ele quanto a rainha acabaram sendo acusados e executados como traidores da França.

A imagem de Maria Antonieta, denegrida durante a Revolução Francesa, foi reabilitada após sua morte. Em outro extremo, foi considerada a Rainha Mártir, por seu sofrimento na prisão e na execução. Atualmente, o que a autora de sua biografia propõe é que se veja a rainha nem como uma coisa, nem como outra. Apesar de fútil, egoísta e alienada, ela foi mais o bode expiatório de uma situação da qual apenas fazia parte, mas não poderia ser considerada responsável. Por outro lado, sua coragem e sua lealdade à família fazem dela uma personalidade a ser admirada.

De todas as "lendas" sobre Maria Antonieta, uma parece ser verdadeira: ela teria tido um relacionamento com um nobre sueco, devido à dificuldade em manter uma vida sexual e amorosa normal com o rei. Por outro lado, a história dos brioches não é verdadeira. Teria sido contada por Rousseau, mas referia-se a outra pessoa. Segundo o livro, por mais alienada que fosse, nem Maria Antonieta teria falado uma asneira tão grande.

Para ir além






Adriana Baggio
Curitiba, 16/9/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Notas confessionais de um angustiado (II) de Cassionei Niches Petry
02. No encalço do Natal de Elisa Andrade Buzzo
03. Man in the Arena 100 (e uma história do Gemp) de Julio Daio Borges
04. A escrita boxeur de Marcelo Mirisola de Jardel Dias Cavalcanti
05. Livro das Semelhanças, de Ana Martins Marques de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2004
01. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
02. Do que as mulheres não gostam - 14/10/2004
03. O pagode das cervejas - 18/3/2004
04. Publicidade gay: razão ou sensibilidade? - 19/8/2004
05. Mais viagens por Budapeste - 12/2/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/3/2008
12h59min
a autoria da frase "que comam brioches" pode ser encontrada na biografia sobre Maria Antonieta que foi citada. realmente, ela nunca disse tal.
[Leia outros Comentários de antonio carlos meira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DESTINO DO TOXICÔMANO
CLAUDE OLIEVENSTEIN
ALMED
(1985)



O PARADIGMA PERDIDO - A NATUREZA HUMANA
EDGAR MORIN
PUBLICAÇÕES EUROPA- AMÉRICA
(1988)



SAPATÓLATRAS ANÔNIMAS
BETH HARBISON
RECORD
(2008)



COMO FAZER MARKETING NA INTERNET
DANIEL S. JANAL
INFOBOOK
(1996)



STUPID WHITE MAN - UMA NAÇÃO DE IDIOTAS
MICHAEL MOORE
FRANCIS
(2003)



HOMOSSEXUALIDADE- PERSPECTIVAS CRISTÃS
VV WALTER WINK;; DON BROWNING;THEODORE JENNINGS, ROBERT NUGENT ENTRE OUTROS
FONTES
(2008)



O COMPLÔ
HEATHER GRAHAM
HARLEQUIN
(2006)



CONTAMINAÇÃO VIBRATÓRIA
ELIEZER C. MENDES
ARTE & CIÊNCIA
(1996)



FALSA IMPRESSÃO
JEFFREY ARCHER
BERTRAND BRASIL
(2007)



OPREAÇÃO CAVALO DE TRÓIA 4
J. J. BENÍTEZ
MERCURYO
(1994)





busca | avançada
49963 visitas/dia
1,5 milhão/mês