Maria Antonieta, a última rainha da França | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
33471 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Esquina: Conversas sobre o Centro
>>> Leilão de arte pelo contragolpe acontece amanhã na Funarte SP
>>> Caminhos da Reportagem discute o empreendedorismo em tempos de crise
>>> Leda Nagle entrevista Ney Latorraca e Ignácio de Loyola Brandão no Sem Censura
>>> Santa Cruz Shopping promove Campanha de Adoção de Cães e Gatos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Notas confessionais de um angustiado (IV)
>>> A Imagem do Som
>>> A noite do meu bem, de Ruy Castro
>>> Quando (não) li Ana Cristina César
>>> Elon Musk
>>> Tempos de Olivia, romance de Patricia Maês
>>> Eu blogo, tu blogas?
>>> A melhor Flip
>>> Brasil em Cannes
>>> Radiohead e sua piscina em forma de lua
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lançamento e workshop em BH
>>> Reid Hoffman por Tim Ferriss
>>> Software Programs the World
>>> Daphne Koller do Coursera
>>> The Sharing Economy
>>> Kevin Kelly por Tim Ferriss
>>> Deepak Chopra Speaker Series
>>> Nick Denton sobre Peter Thiel
>>> Bill & Melinda Gates #Code2016
>>> Elon Musk Code Conference 2016
Últimos Posts
>>> *Black flag*, etapas da criação em GIF
>>> Amor de A, a Z - Poema
>>> Filme: Um dia Perfeito - Fernando Léon Aranoa
>>> Escrever sobre o quê?
>>> O quadro
>>> Meta linguagem nisso
>>> Muralha de 8 bits, pintura digital
>>> Individualismo do bem
>>> Como comprar o seu político no varejo
>>> Et in Arcadia ego: sátiros e ninfas, livro de arte
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Valsa para Bruno Stein
>>> Curriculum vitae
>>> Um estranho incidente literário
>>> Cheio de dedos
>>> 5ª MUMIA em BH
>>> O feitiço das letras
>>> Glenn Gould: caso de amor com o microfone
>>> Homenagem à Coelhinha Ruiva
>>> O sublime ridículo
>>> O Quarto do Filho é emocionante
Mais Recentes
>>> Reflexos Condicionados, Inibição e Outros Textos
>>> Minhas memórias de Lobato (Literatura Infanto-Juvenil)
>>> Los tres mosqueteros (Literatura Infanto-Juvenil)
>>> A vida acidentada de um Vampirinho (Literatura Infanto-Juvenil)
>>> O fantástico mistério de Feiurinha (Literatura Infanto-Juvenil)
>>> Teatro e Política: Arena, Oficina e Opinião - Uma interpretação da cultura de esquerda
>>> Minervino Francisco Silva (Literatura de Cordel)
>>> Se correr o bicho pega, Se ficar o bicho come (Obra teatral)
>>> Reich 1980 - José Angelo Gaiarsa
>>> A terra dos meninos pelados - Graciliano Ramos (Literatura Infanto-Juvenil)
>>> O menino do dedo verde (Literatura Infanto-Juvenil)
>>> Rick e a Girafa - Carlos Drummond de Andrade (Literatura Infanto-Juvenil)
>>> Darcy Ribeiro (Coleção: Pensamento Americano)
>>> José Martí (Coleção: Pensamento Americano)
>>> Cem Poemas Chineses
>>> Viejas Historias contadas hace poco tiempo (Foclore Colombiano)
>>> Genocídio Americano: A guerra do Paraguai
>>> Arte Retórica e Arte Poética - Aristóteles
>>> Correspondência de Abelardo e Heloísa
>>> Calafrios
>>> Face a Face - Ingmar Bergman
>>> Sonata de Outono - Ingmar Bergman
>>> AMACORD - Federico Fellini
>>> Alegorias do subdesenvolvimento (Cinema Novo, Tropicalismo, Cinema Marginal)
>>> Deuses, Túmulos e Sábios (O romance da arqueologia)
>>> O Supermacho - Alfred Jarry
>>> O canto do Pajé - Villa-Lobos e a música popular brasileira
>>> O diário de ZLATA - A vida de uma menina na guerra
>>> BÁBI IAR - Documentário sobre os horrores do Nazismo
>>> GRETA GARBO - Su historia
>>> Poesia Completa de JOSÉ MARTÍ (Edición Crítica) - 2 volumes
>>> Os milionários
>>> O jogo
>>> Teatro Popular y Cambio Social en America Latina
>>> Revista Civilização Brasileira - Caderno Especial 2 - Teatro e Realidade Brasileira
>>> Tonico & Tinoco - Da beira da tuia ao Teatro Municipal
>>> Luiz Gonzaga
>>> Luiz Gonzaga - A música como expressão do Nordeste
>>> Teatro (Evolução histórica)
>>> Curso de Esteticista - Volume 2
>>> Creadores del Teatro Moderno
>>> Shiatsu e Alongamento
>>> Alongue-se
>>> Cuidados e técnicas do corpo na China, no Japão e na Índia
>>> Imagens do Teatro Paulista
>>> Desvendando a Arte dos feitiços
>>> Wicca-reencarnação
>>> Magia Cigana para o amor
>>> Como descobrir e cuidar dos Ciganos de seus caminhos
>>> Bruxaria Cigana
COLUNAS

Quinta-feira, 16/9/2004
Maria Antonieta, a última rainha da França
Adriana Baggio

+ de 70400 Acessos
+ 1 Comentário(s)

A lembrança mais forte acerca de Maria Antonieta, rainha da França, é que teria sugerido ao povo faminto que comesse brioches, já que não havia pão. E que por conta de desatinos como esse, teve a cabeça decepada pela guilhotina da Revolução Francesa.

Para quem se interessar em conhecer mais a fundo a história da esposa de Luís XVI, vale a pena conferir Maria Antonieta: a última rainha da França. O livro, lançado este ano pela Editora Objetiva, é fruto de uma exaustiva pesquisa feita pela historiadora Evelyne Lever. Para compor um retrato não apenas da rainha, mas também das questões políticas da Europa no século XVIII, a autora baseou-se em documentos oficiais e cartas de pessoas que compartilharam da intimidade de Maria Antonieta e de sua família, tanto na corte de Viena, onde ela nasceu, quanto na corte francesa.

De tão detalhado, o relato chega a ser um pouco cansativo. O livro conta a história da rainha desde o seu nascimento até a morte. Primeiro, os dias felizes em Viena, com a família, em um estilo de vida muito mais simples do que as inumeráveis exigências de protocolo e etiqueta que precisaria seguir na França. A autora deteve-se em detalhes como as roupas usadas por Maria Antonieta, os pratos que compunham suas refeições e até os diálogos entabulados com as pessoas que lhe eram próximas. Alguns desses detalhes poderiam ter sido suprimidos, bem como uma certa forma de narrativa muito descritiva. Percebe-se, é claro, uma intenção em comprovar os fatos relatados, o que diferencia essa biografia de outras obras mais fantasiosas.

Apesar de não focar exatamente nos aspectos políticos da França e da Europa do século XVIII, é impossível falar de Maria Antonieta sem contextualizar a época em que viveu. A abordagem política fica mais presente quando as atitudes da rainha começam a servir de motivo para as revoltas populares que há muito já se previam. A mistura de egoísmo, arrogância, ingenuidade e futilidade ajudaram a formar uma imagem dela para o povo e seus desafetos que refletia o comportamento da nobreza francesa em geral. Privilégios às pessoas de seu interesse, preocupações com as intrigas da corte, um modo de vida luxuoso e dispendioso e uma completa alienação dos problemas do povo e também das implicações políticas de seus atos, contribuiram para levar a rainha à guilhotina.

Mas o livro não se atém apenas aos defeitos: mostra uma mulher corajosa, de personalidade, prejudicada pela pressão e pela chantagem emocional exercida pela mãe, a rainha da Áustria, mesmo à distância. As atitudes tomadas por Maria Antonieta na corte muitas vezes foram vistas - e apresentadas - como traição. Por conta de sua alienação e do desejo de levar a vida da maneira que lhe interessava e agradava, a rainha não percebia as implicações negativas de seus atos junto ao Rei e aos ministros, quando tentava, em vão, obter posições privilegiadas para as intenções políticas do império austríaco.

Apesar da dificuldade inicial do casamento com Luís XVI, eles tornaram-se um casal unido, inclusive na alienação e na ingenuidade. Enquanto ela se preocupava com os divertimentos e com uma tentativa de viver uma outra vida através da encenação de peças teatrais, na qual era um dos personagens, o rei esquecia-se da vida e dos problemas do país nas caçadas e nas suas oficinas de trabalhos manuais com madeira e ferro. Nenhum dos dois quis ver o quer acontecia a sua volta.

Na verdade, eles não podem ser culpados. Reclusos na vida da corte, tanto Luís quanto Maria Antonieta não foram incentivados a conhecer mais sobre o que acontecia no mundo iluminista, sobre a realidade, sobre os problemas do país. Apesar do esclarecimento da época, a monarquia ainda era vista como algo divino, independente da vontade dos súditos. Por isso a recusa do rei, até o final, em aceitar uma constituição e uma posição menos poderosa nessa nova forma de governo. Por conta dessa teimosia, tanto ele quanto a rainha acabaram sendo acusados e executados como traidores da França.

A imagem de Maria Antonieta, denegrida durante a Revolução Francesa, foi reabilitada após sua morte. Em outro extremo, foi considerada a Rainha Mártir, por seu sofrimento na prisão e na execução. Atualmente, o que a autora de sua biografia propõe é que se veja a rainha nem como uma coisa, nem como outra. Apesar de fútil, egoísta e alienada, ela foi mais o bode expiatório de uma situação da qual apenas fazia parte, mas não poderia ser considerada responsável. Por outro lado, sua coragem e sua lealdade à família fazem dela uma personalidade a ser admirada.

De todas as "lendas" sobre Maria Antonieta, uma parece ser verdadeira: ela teria tido um relacionamento com um nobre sueco, devido à dificuldade em manter uma vida sexual e amorosa normal com o rei. Por outro lado, a história dos brioches não é verdadeira. Teria sido contada por Rousseau, mas referia-se a outra pessoa. Segundo o livro, por mais alienada que fosse, nem Maria Antonieta teria falado uma asneira tão grande.

Para ir além






Adriana Baggio
Curitiba, 16/9/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Novo Museu da Estação da Luz: uma Proposta de Heloisa Pait
02. O titânico Anselm Kiefer no Centre Pompidou de Jardel Dias Cavalcanti
03. Você sabe quem escreveu seu show preferido? de Fabio Gomes
04. Dos papéis, a dança de Elisa Andrade Buzzo
05. 'A Imaginação Liberal', de Lionel Trilling de Celso A. Uequed Pitol


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2004
01. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
02. Do que as mulheres não gostam - 14/10/2004
03. O pagode das cervejas - 18/3/2004
04. Publicidade gay: razão ou sensibilidade? - 19/8/2004
05. Mais viagens por Budapeste - 12/2/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/3/2008
12h59min
a autoria da frase "que comam brioches" pode ser encontrada na biografia sobre Maria Antonieta que foi citada. realmente, ela nunca disse tal.
[Leia outros Comentários de antonio carlos meira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS CÂNTICOS DOS DEGRAUS-ESTÁGIOS DO CRESCIMENTO ESPIRITUAL
STEPHEN KAUNG
TESOURO ABERTO
(2010)



APÓS O ANOITECER
HARUKI MURAKAMI
ALFAGUARA
(2009)



ECHO PARK
MICHAEL CONNELLY
SUMA DE LETRAS
(2007)



CUIDADOS E TÉCNICAS DO CORPO NA CHINA, NO JAPÃO E NA ÍNDIA
PIERRE HUARD E LING WONG
SUMMUS EDITORIAL
(1990)
+ frete grátis



CONCEITO DE CLASSES SOCIAIS
THEOTONIO DOS SANTOS
VOZES
(1991)
+ frete grátis



CATEGORIAS DEL MATERIALISMO DIALECTICO
M.M.ROSENTAL E G.M. STRAKS
GRIJALBO
(1954)
+ frete grátis



THE ROOTS OF COINCIDENCE- AN EXCURSION INTO PARAPSYCHOLOGY
ARTHUR KOESTLER
VINTAGE
(1972)
+ frete grátis



ISTAMBUL--MEMORIA E CIDADE.
ORHAN PAMUK
COMPANHIA DAS LETRAS
(2007)
+ frete grátis



O GRITO PRIMAL- TERAPIA PRIMAL- A CURA DAS NEUROSES
ARTHUR JANOV
ARTENOVA
(1970)
+ frete grátis



AS VINHAS DA IRA
JOHN STEINBECK
RECORD
(2001)
+ frete grátis





busca | avançada
33471 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Cannot connect to POP3 server