Maria Antonieta, a última rainha da França | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
27870 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Nova saga de fantasia urbana usa plataforma de financiamento coletivo
>>> O cantor Raphael Ota lança o álbum 'Paralelo' nas plataformas digitais
>>> Obra traz mais de 150 receitas veganas práticas e rápidas de preparar
>>> 'Entardecer na Casa do Sol' encerra 2ª edição do AntroHH
>>> Urban Arts sedia exposição fotográfica gratuita
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Notas confessionais de um angustiado (VI)
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 2. O Catolotolo
>>> A pós-modernidade de Michel Maffesoli
>>> Um parque de diversões na cabeça
>>> O que te move?
>>> O dia que nada prometia
>>> Super-heróis ou vilões?
>>> Seis meses em 1945
>>> Senhor Amadeu
>>> Correio
Colunistas
Últimos Posts
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
Últimos Posts
>>> O esguicho
>>> Feitio
>>> O cenário político é a nossa vergonha
>>> A matemática da corrida
>>> Dança dos imãs ou a metafísica do gesto
>>> Um trago com os amigos
>>> Caderneta
>>> Alfarrábios
>>> A mulher de Lot
>>> Sem palavras
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Prazeres escondidos
>>> Correio
>>> Arte é entropia
>>> Caderno de caligrafia
>>> Entrevista com Ryoki Inoue
>>> Helena Seger
>>> O Oeste Selvagem
>>> Viver para contar - parte 1
>>> Parangolé: anti-obra de Hélio Oiticica
>>> Os melhores do cinema brasileiro em 2003
Mais Recentes
>>> Mestre Gil de Ham
>>> Cavalo de Troia 9´: Caná
>>> Como Dsenvolver a Memória
>>> O Tartufo ou o Impostor
>>> O Jesus Muçulmano - Provérbios e Histórias da Literatura Islâmica
>>> Eles não usam black-tie (novo)
>>> Neruda para Jovens - Antologia poética (novo)
>>> Sou Down e sou Feliz
>>> Judaísmo: Vusão do Universo
>>> Cantos D'alma - poemas
>>> A Senhorita Simpson
>>> O Pagador de Promessas
>>> Ésquilo Eurípedes - Prometeu / Alceste Vol.2
>>> De Verdade
>>> História e Prática do Habeas Corpus Vol. 1 e 2
>>> Bioenergética- Liberar Energia Vital
>>> Comentários ao Código de Processo Civil - Vol.V
>>> Universos Abstratos em Possível Expansão Ilimitável
>>> Ego e Arquétipo
>>> Leituras Obrigatórias UFRGS 2017
>>> Vasos de Glória- Romanos
>>> Um Chapéu para Viagem
>>> Terapia Comunitária passo a passo
>>> Romanos 6-11
>>> Guerra e Paz
>>> Cinquenta Anos Depois
>>> PS Beijei
>>> David Copperfield vol. 2 - colégio Objetivo
>>> Histórias de Amor adolescente - Pintando uma Saudade
>>> Fundamentos teóric0os e metodológicos da educação
>>> Croma - Caminho da vida
>>> The Making of the Nation (em inglês)
>>> O Bóia Fria: Acumulação e Miséria - Maria Conceição D`incao e Mello (História/Geopolítica/Economia)
>>> A Nova MUlher e a Moral Sexual - Alexandra Kollontai (Feminismo/História)
>>> A Formação das Nações Latino-Americanas - Maria Ligia Prado (História/Geopolítica/América Latina)
>>> A Mulher na História do Brasil - Mary del Priore (História/Feminismo)
>>> Evolução das Espécies: O pensamento científico, religioso e filosófico - Samuel Murgel Branco (História/Religião/Filosofia
>>> Uruguai: Um campo de Concentração? - A. Veiga Filho (História/Geopolítica/América Latina)
>>> Alemão urgente para Brasileiros
>>> Abbé Pierre
>>> Oseias- Profetas Menores Volume 1
>>> As Caras e as Máscaras - Eduardo Galeano (História da América Latina)
>>> Os seis signos da luz: a rebelião das trevas
>>> Feminismos, identidades, comparativismos: vertentes nas literaturas de língua inglesa Vol. VIII
>>> Feminismos, identidades, comparativismos - vertentes nas literaturas de língua inglesa Vol.VI-
>>> Feminismos, identidades, comparativismos: vertentes nas literaturas de língua inglesa Vol.VII
>>> Vida Pregressa
>>> Dia a Dia com a Família Freud - Depoimentos da Governanta Paula Fichtl
>>> A Eliminação do Tempo Psicológico
>>> A Guerra da Lagosta
COLUNAS

Quinta-feira, 16/9/2004
Maria Antonieta, a última rainha da França
Adriana Baggio

+ de 71400 Acessos
+ 1 Comentário(s)

A lembrança mais forte acerca de Maria Antonieta, rainha da França, é que teria sugerido ao povo faminto que comesse brioches, já que não havia pão. E que por conta de desatinos como esse, teve a cabeça decepada pela guilhotina da Revolução Francesa.

Para quem se interessar em conhecer mais a fundo a história da esposa de Luís XVI, vale a pena conferir Maria Antonieta: a última rainha da França. O livro, lançado este ano pela Editora Objetiva, é fruto de uma exaustiva pesquisa feita pela historiadora Evelyne Lever. Para compor um retrato não apenas da rainha, mas também das questões políticas da Europa no século XVIII, a autora baseou-se em documentos oficiais e cartas de pessoas que compartilharam da intimidade de Maria Antonieta e de sua família, tanto na corte de Viena, onde ela nasceu, quanto na corte francesa.

De tão detalhado, o relato chega a ser um pouco cansativo. O livro conta a história da rainha desde o seu nascimento até a morte. Primeiro, os dias felizes em Viena, com a família, em um estilo de vida muito mais simples do que as inumeráveis exigências de protocolo e etiqueta que precisaria seguir na França. A autora deteve-se em detalhes como as roupas usadas por Maria Antonieta, os pratos que compunham suas refeições e até os diálogos entabulados com as pessoas que lhe eram próximas. Alguns desses detalhes poderiam ter sido suprimidos, bem como uma certa forma de narrativa muito descritiva. Percebe-se, é claro, uma intenção em comprovar os fatos relatados, o que diferencia essa biografia de outras obras mais fantasiosas.

Apesar de não focar exatamente nos aspectos políticos da França e da Europa do século XVIII, é impossível falar de Maria Antonieta sem contextualizar a época em que viveu. A abordagem política fica mais presente quando as atitudes da rainha começam a servir de motivo para as revoltas populares que há muito já se previam. A mistura de egoísmo, arrogância, ingenuidade e futilidade ajudaram a formar uma imagem dela para o povo e seus desafetos que refletia o comportamento da nobreza francesa em geral. Privilégios às pessoas de seu interesse, preocupações com as intrigas da corte, um modo de vida luxuoso e dispendioso e uma completa alienação dos problemas do povo e também das implicações políticas de seus atos, contribuiram para levar a rainha à guilhotina.

Mas o livro não se atém apenas aos defeitos: mostra uma mulher corajosa, de personalidade, prejudicada pela pressão e pela chantagem emocional exercida pela mãe, a rainha da Áustria, mesmo à distância. As atitudes tomadas por Maria Antonieta na corte muitas vezes foram vistas - e apresentadas - como traição. Por conta de sua alienação e do desejo de levar a vida da maneira que lhe interessava e agradava, a rainha não percebia as implicações negativas de seus atos junto ao Rei e aos ministros, quando tentava, em vão, obter posições privilegiadas para as intenções políticas do império austríaco.

Apesar da dificuldade inicial do casamento com Luís XVI, eles tornaram-se um casal unido, inclusive na alienação e na ingenuidade. Enquanto ela se preocupava com os divertimentos e com uma tentativa de viver uma outra vida através da encenação de peças teatrais, na qual era um dos personagens, o rei esquecia-se da vida e dos problemas do país nas caçadas e nas suas oficinas de trabalhos manuais com madeira e ferro. Nenhum dos dois quis ver o quer acontecia a sua volta.

Na verdade, eles não podem ser culpados. Reclusos na vida da corte, tanto Luís quanto Maria Antonieta não foram incentivados a conhecer mais sobre o que acontecia no mundo iluminista, sobre a realidade, sobre os problemas do país. Apesar do esclarecimento da época, a monarquia ainda era vista como algo divino, independente da vontade dos súditos. Por isso a recusa do rei, até o final, em aceitar uma constituição e uma posição menos poderosa nessa nova forma de governo. Por conta dessa teimosia, tanto ele quanto a rainha acabaram sendo acusados e executados como traidores da França.

A imagem de Maria Antonieta, denegrida durante a Revolução Francesa, foi reabilitada após sua morte. Em outro extremo, foi considerada a Rainha Mártir, por seu sofrimento na prisão e na execução. Atualmente, o que a autora de sua biografia propõe é que se veja a rainha nem como uma coisa, nem como outra. Apesar de fútil, egoísta e alienada, ela foi mais o bode expiatório de uma situação da qual apenas fazia parte, mas não poderia ser considerada responsável. Por outro lado, sua coragem e sua lealdade à família fazem dela uma personalidade a ser admirada.

De todas as "lendas" sobre Maria Antonieta, uma parece ser verdadeira: ela teria tido um relacionamento com um nobre sueco, devido à dificuldade em manter uma vida sexual e amorosa normal com o rei. Por outro lado, a história dos brioches não é verdadeira. Teria sido contada por Rousseau, mas referia-se a outra pessoa. Segundo o livro, por mais alienada que fosse, nem Maria Antonieta teria falado uma asneira tão grande.

Para ir além






Adriana Baggio
Curitiba, 16/9/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Mais espetáculo que arte de Guilherme Carvalhal
02. Malcolm, jornalismo em quadrinhos de Luís Fernando Amâncio
03. Fazendo a coisa certa de Fabio Gomes
04. Super Campeões, trocas culturais de Brasil e Japão de Luís Fernando Amâncio
05. Caiu na rede, virou social de Fabio Gomes


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2004
01. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
02. Do que as mulheres não gostam - 14/10/2004
03. O pagode das cervejas - 18/3/2004
04. Publicidade gay: razão ou sensibilidade? - 19/8/2004
05. ¡Qué mala es la gente! - 27/5/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/3/2008
12h59min
a autoria da frase "que comam brioches" pode ser encontrada na biografia sobre Maria Antonieta que foi citada. realmente, ela nunca disse tal.
[Leia outros Comentários de antonio carlos meira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O JORNALISTA E O ASSASSINO (LACRADO)
JANET MALCOLM
COMPANHIA DE BOLSO
(2016)
R$ 17,00



A CORAGEM DA INOCÊNCIA
FREI MANOEL BORGES DA SILVEIRA
ABAP
(2014)
R$ 15,00



OS NEGÓCIOS DO SENHOR JÚLIO CÉSAR - BERTOLT BRECHT
BERTOLT BRECHT
HEMUS
(1970)
R$ 20,00



SALVE-SE QUEM PUDER: D.T. REGENTE CONTRA O CRIME
MARK FOWLER
SCIPIONE
(1998)
R$ 4,00



PERSPECTIVAS DO MODERNO TEATRO ALEMÃO
HENRY THORAU
BRASILIENSE
(1984)
R$ 20,00



SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO - OBJETIVO
WILLIAM SHAKESPEARE - ADP ISABEL DE LORENZO
OBJETIVO
R$ 10,00



FLORADAS NA SERRA - DINAH SILVEIRA DE QUEIROZ
DINAH SILVEIRA DE QUEIROZ
JOSÉ OLYMPIO
(1981)
R$ 10,00



A FOTO
ALBERTO RENAULT
OBJETIVA
(2003)
R$ 6,00



ECLIPSE
STEPHENIE MEYER
INTRÍNSECA
(2009)
R$ 5,00



A SENSITIVA
HANNAH HOWELL
LUA DE PAPEL
(2012)
R$ 8,00





busca | avançada
27870 visitas/dia
1,1 milhão/mês