Maria Antonieta, a última rainha da França | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
29109 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Tradicional empório de São Paulo tem sua história contada em livro
>>> Banda Estralo agita férias de julho com shows em São Paulo
>>> Miami/ESPM faz bate-papo gratuito sobre portfólio
>>> Saber negro e plantas medicinais em debate no Jardim Botânico
>>> O Globo marca presença em mais uma edição da FLIP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A melhor Flip
>>> Brasil em Cannes
>>> Radiohead e sua piscina em forma de lua
>>> O bosque das almas infratoras
>>> Notas sobre a Escola de Dança de São Paulo - I
>>> A literatura de Marcelo Mirisola não tem cura
>>> A Garota do Livro: uma resenha
>>> Sarkozy e o privilégio de ser francês
>>> Noturno para os notívagos
>>> Wanda Louca Liberal
Colunistas
Últimos Posts
>>> Daphne Koller do Coursera
>>> The Sharing Economy
>>> Kevin Kelly por Tim Ferriss
>>> Deepak Chopra Speaker Series
>>> Nick Denton sobre Peter Thiel
>>> Bill & Melinda Gates #Code2016
>>> Elon Musk Code Conference 2016
>>> 75 anos de Charlie Watts
>>> Blockchain by William Mougayar
>>> Caravana em BH
Últimos Posts
>>> Opostos complementares: uma combinação excelente
>>> A corrida por trás da corrida
>>> Acordes de amor
>>> Uma gafieira, pintura digital
>>> Onde a onça bebe água
>>> Sonhos olímpicos nos Lençóis Maranhenses
>>> Viva o Brasil
>>> A vida passa
>>> É normal casar duas vezes com o mesmo homem?
>>> Mesa de bar, livro de arte
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> Voz de um passado presente
>>> Verdadeiros infiltrados: em defesa de Miami Vice
>>> Dia do Livro!
>>> Cabeça de papel
>>> Uma Srta. e um Blog
>>> Steve Jobs 1983
>>> Um estranho incidente literário
>>> As duas divas da moderna literatura romântica
>>> O Mito da Eleição
Mais Recentes
>>> INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS- Construindo Competências e Habilidades Em Leitura
>>> Amoroso: cartas de paixão e morte
>>> Movimentos sociais, políticas sociais e questão social: elementos para uma análise da realidade no Brasil e América Latina
>>> Geografia do Estado do Rio de Janeiro: da compreensão do passado aos desafios do presente
>>> Cultura Política, Questão Social e Ditadura Militar no Brasil
>>> Amoroso: cartas de paixão e morte
>>> A era do radioteatro: O registro da história de um gênero que emocionou o Brasil
>>> Território, sexo e prazer: olhares sobre o fenômeno da prostiuição na geografia brasileira
>>> Pacto com o Tempo
>>> Movimentos sociais, políticas sociais e questão social: elementos para uma análise da realidade no Brasil e América Latina
>>> Geografia do Estado do Rio de Janeiro: da compreensão do passado aos desafios do presente
>>> Cultura Política, Questão Social e Ditadura Militar no Brasil
>>> Trotsky e a Europa Ocidental do Entre Guerras: marxismo revolucionário, democracia burguesa e luta pela hegemonia
>>> Rio de Janeiro: Um território em mutação
>>> Revisitando o território fluminense IV
>>> Relações Internacionais - Evolução e Teorias da Ciência do Mundo
>>> Império sobre os trilhos II
>>> Império sobre os trilhos I
>>> Sociedade em Perspectiva: cultura, conflito e identidade
>>> O mundo que em mim habita
>>> Homem Peixe
>>> Direitos Humanos e Sistema de Justiça: Uma pesquisa empírica com defensores públicos e promotores de justiça no Rio de Janeiro
>>> A ESPERANÇA EM GABRIEL MARCEL-a fundamentação metafísica da esperança
>>> DE MÁQUINAS Y SERES VIVOS- Autopoiesis- La organizacion de lo vivo
>>> ESDRAS E NEEMIAS- introdução e comentário
>>> CASA DE PEDRA- POEMAS ESCOLHIDOS
>>> O MEIO DIVINO- ensaio de vida interior
>>> QUEM É JESUS?
>>> A Sociedade Aberta e Seus Inimigos Volume 1
>>> Ascensão e Queda das Grandes Potências
>>> A MANEIRA DE CUMPRIR A VISÃO- volume 3
>>> O LADO INTERNO DO CULTO NA IGREJA
>>> AS MENINAS
>>> A História Militar do Brasil
>>> CRISTO, AQUELE QUE CURA
>>> A VOLTA DO FILHO PRÓDIGO- A história de um retorno para casa
>>> Totalitarismo, o paroxismo do poder
>>> 42 SONETOS ( edição bilíngue- inglês-português)
>>> Ensaios em ANTROPOLOGIA DO PODER
>>> 1984
>>> ENTRE QUATRO PAREDES
>>> A Índia Secreta
>>> O Egito Secreto
>>> Conversaciones con Lukács
>>> Fundamentos de la sociologia del arte
>>> Sociologia del arte
>>> Noites do sertão
>>> O ANDARILHO
>>> EM CAMINHO PARA DEUS- Meditando com Marthe Robin
>>> A FILOSOFIA NA IDADE TRÁGICA DOS GREGOS
COLUNAS

Quinta-feira, 16/9/2004
Maria Antonieta, a última rainha da França
Adriana Baggio

+ de 70300 Acessos
+ 1 Comentário(s)

A lembrança mais forte acerca de Maria Antonieta, rainha da França, é que teria sugerido ao povo faminto que comesse brioches, já que não havia pão. E que por conta de desatinos como esse, teve a cabeça decepada pela guilhotina da Revolução Francesa.

Para quem se interessar em conhecer mais a fundo a história da esposa de Luís XVI, vale a pena conferir Maria Antonieta: a última rainha da França. O livro, lançado este ano pela Editora Objetiva, é fruto de uma exaustiva pesquisa feita pela historiadora Evelyne Lever. Para compor um retrato não apenas da rainha, mas também das questões políticas da Europa no século XVIII, a autora baseou-se em documentos oficiais e cartas de pessoas que compartilharam da intimidade de Maria Antonieta e de sua família, tanto na corte de Viena, onde ela nasceu, quanto na corte francesa.

De tão detalhado, o relato chega a ser um pouco cansativo. O livro conta a história da rainha desde o seu nascimento até a morte. Primeiro, os dias felizes em Viena, com a família, em um estilo de vida muito mais simples do que as inumeráveis exigências de protocolo e etiqueta que precisaria seguir na França. A autora deteve-se em detalhes como as roupas usadas por Maria Antonieta, os pratos que compunham suas refeições e até os diálogos entabulados com as pessoas que lhe eram próximas. Alguns desses detalhes poderiam ter sido suprimidos, bem como uma certa forma de narrativa muito descritiva. Percebe-se, é claro, uma intenção em comprovar os fatos relatados, o que diferencia essa biografia de outras obras mais fantasiosas.

Apesar de não focar exatamente nos aspectos políticos da França e da Europa do século XVIII, é impossível falar de Maria Antonieta sem contextualizar a época em que viveu. A abordagem política fica mais presente quando as atitudes da rainha começam a servir de motivo para as revoltas populares que há muito já se previam. A mistura de egoísmo, arrogância, ingenuidade e futilidade ajudaram a formar uma imagem dela para o povo e seus desafetos que refletia o comportamento da nobreza francesa em geral. Privilégios às pessoas de seu interesse, preocupações com as intrigas da corte, um modo de vida luxuoso e dispendioso e uma completa alienação dos problemas do povo e também das implicações políticas de seus atos, contribuiram para levar a rainha à guilhotina.

Mas o livro não se atém apenas aos defeitos: mostra uma mulher corajosa, de personalidade, prejudicada pela pressão e pela chantagem emocional exercida pela mãe, a rainha da Áustria, mesmo à distância. As atitudes tomadas por Maria Antonieta na corte muitas vezes foram vistas - e apresentadas - como traição. Por conta de sua alienação e do desejo de levar a vida da maneira que lhe interessava e agradava, a rainha não percebia as implicações negativas de seus atos junto ao Rei e aos ministros, quando tentava, em vão, obter posições privilegiadas para as intenções políticas do império austríaco.

Apesar da dificuldade inicial do casamento com Luís XVI, eles tornaram-se um casal unido, inclusive na alienação e na ingenuidade. Enquanto ela se preocupava com os divertimentos e com uma tentativa de viver uma outra vida através da encenação de peças teatrais, na qual era um dos personagens, o rei esquecia-se da vida e dos problemas do país nas caçadas e nas suas oficinas de trabalhos manuais com madeira e ferro. Nenhum dos dois quis ver o quer acontecia a sua volta.

Na verdade, eles não podem ser culpados. Reclusos na vida da corte, tanto Luís quanto Maria Antonieta não foram incentivados a conhecer mais sobre o que acontecia no mundo iluminista, sobre a realidade, sobre os problemas do país. Apesar do esclarecimento da época, a monarquia ainda era vista como algo divino, independente da vontade dos súditos. Por isso a recusa do rei, até o final, em aceitar uma constituição e uma posição menos poderosa nessa nova forma de governo. Por conta dessa teimosia, tanto ele quanto a rainha acabaram sendo acusados e executados como traidores da França.

A imagem de Maria Antonieta, denegrida durante a Revolução Francesa, foi reabilitada após sua morte. Em outro extremo, foi considerada a Rainha Mártir, por seu sofrimento na prisão e na execução. Atualmente, o que a autora de sua biografia propõe é que se veja a rainha nem como uma coisa, nem como outra. Apesar de fútil, egoísta e alienada, ela foi mais o bode expiatório de uma situação da qual apenas fazia parte, mas não poderia ser considerada responsável. Por outro lado, sua coragem e sua lealdade à família fazem dela uma personalidade a ser admirada.

De todas as "lendas" sobre Maria Antonieta, uma parece ser verdadeira: ela teria tido um relacionamento com um nobre sueco, devido à dificuldade em manter uma vida sexual e amorosa normal com o rei. Por outro lado, a história dos brioches não é verdadeira. Teria sido contada por Rousseau, mas referia-se a outra pessoa. Segundo o livro, por mais alienada que fosse, nem Maria Antonieta teria falado uma asneira tão grande.

Para ir além






Adriana Baggio
Curitiba, 16/9/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Livrarias de Ricardo de Mattos
02. O suicídio na literatura de Cassionei Niches Petry
03. Memorial de Berlim de Marilia Mota Silva
04. A escrita boxeur de Marcelo Mirisola de Jardel Dias Cavalcanti
05. Livro das Semelhanças, de Ana Martins Marques de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2004
01. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
02. Do que as mulheres não gostam - 14/10/2004
03. O pagode das cervejas - 18/3/2004
04. Publicidade gay: razão ou sensibilidade? - 19/8/2004
05. Mais viagens por Budapeste - 12/2/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/3/2008
12h59min
a autoria da frase "que comam brioches" pode ser encontrada na biografia sobre Maria Antonieta que foi citada. realmente, ela nunca disse tal.
[Leia outros Comentários de antonio carlos meira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ASTRONOMIA: UMA VISÃO GERAL DO UNIVERSO
ORG. AMÂNCIO C. S. FRIAÇA; PINO,ELISABETE DAL; VERA JATENCO S. PEREIRA; SODRÉ JR,LAERTE
EDUSP
(2015)
+ frete grátis



THE WAY OF SIMPLICITY-THE CISTERCIAN TRADITION
ESTHER DE WAAL
ORBIS
(1998)
+ frete grátis



A VOZ DO MORTO
REX STOUT
COMPANHIA DAS LETRAS
(2007)
+ frete grátis



A REVOLUÇÃO DE DEUS
BENTO XVI
PAULINAS
(2005)
+ frete grátis



O PACIENTE E O ANALISTA - FUNDAMENTOS DO PROCESSO PSICANALÍTICO
JOSEPH SANDLER, CHRISTOPHER DARE, ALEX HOLDER
IMAGO
(1986)
+ frete grátis



AS TÁTICAS E O JOGO DE PODER DE JESUS CRISTO E OUTROS ENSAIOS
JAY HALEY
NORDICA
(1993)
+ frete grátis



GUIA VALOR ECONÔMICO DE ARBITRAGEM
MAÍRA MAGRO E ZÍNIA BAETA
GLOBO
(2004)
+ frete grátis



O BARROCO NO BRASIL
EDUARDO ETZEL
MELHORAMENTOS
(1974)
+ frete grátis



CAIM E ABEL
JEFFREY ARCHER
DIFEL
(1983)
+ frete grátis



FRONTEIRAS DA LITERATURA- DISCURSOS TRANSCULTURAIS VOLUME 2
LUIZA LOBO ( ORG.)
RELUME DURAMÁ
(1999)
+ frete grátis





busca | avançada
29109 visitas/dia
1,0 milhão/mês