Maria Antonieta, a última rainha da França | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
72750 visitas/dia
1,7 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Doidas e Santas faz temporada no Teatro Grandes Atores, na Barra
>>> Observatório da Imprensa discute a descriminalização do porte de drogas
>>> Roberto Seresteiro lança CD no Sesc Belenzinho, 20/9, com participação de Roberto Luna
>>> Orquestra de Câmara da USP convida violinista Cármelo de Los Santos, Tomie Ohtake, 02/09, 21h
>>> Brasilianas.org recebe o Ministro da Educação Renato Janine Ribeiro
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Delicadeza dos Hipopótamos, de Daniel Lopes
>>> Pantanal
>>> Por que a discussão política tem de evoluir
>>> Não olhe para trás (ou melhor, olhe sim)
>>> Fake-Fuck-Fotos do Face
>>> Silêncio
>>> Dando conta de Minas
>>> Em noite de lua azul
>>> O poeta, a pedra e o caminho
>>> O testemunho de Bernanos
Colunistas
Últimos Posts
>>> 16 de Agosto
>>> Elvis 2015
>>> Eugênio Christi
>>> Nosso Primeiro Periscope
>>> Monica Cotrim
>>> Solange Rebuzzi
>>> Aden Leonardo Camargos
>>> Helena Seger
>>> Camila Oliveira Santos
>>> Cassionei Niches Petry
Últimos Posts
>>> 7 coisas que aprendi
>>> Macarrão de Santa Casa
>>> O que mais falta acontecer?
>>> DÍZIMA PERIÓDICA
>>> Um poeta e três esposas
>>> Continuísmo - A Praga Maior
>>> É para ter medo de Virginia Woolf
>>> Por que o Lula Inflado incomoda tanto
>>> Monumento a Noël Rosa
>>> SUPERLUA
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Blog precisa ser jornalismo?
>>> A morte de Sardanapalo de Delacroix
>>> Darwin, por Adrian Desmond e James Moore
>>> 9º Búzios Jazz & Blues - II
>>> Entrevista com Rogério Pereira
>>> O orgulho ferido
>>> Imprensa em 2005
>>> Blogs de jornalistas triloaded
>>> Apresentação
>>> Marcel Proust e o tempo reencontrado
Mais Recentes
>>> Xamã
>>> Missarum Sollemnia
>>> Como fazer marketing na internet
>>> Tudo Que Você Queria Saber Sobre Propaganda e Ninguém Teve Paciênci...
>>> O pensamento à sombra da ruptura política e filosofia em Hannah Arendt
>>> Análise Científica da Personalidade
>>> O Petróleo é nosso
>>> A Criança Divina e o herói
>>> Sócrates
>>> Veritas
>>> Helena/ O Alienista
>>> Indícios incriminadores
>>> A dama de ferro
>>> Viagem por um Mar Desconhecido
>>> Os casos mais difíceis de Lilyj White
>>> A marca da maldade
>>> ALÉM DAS FORÇAS - NOBEL DE LITERATURA DE 1903
>>> Contágio criminoso
>>> O SENHOR PRESIDENTE - NOBEL DE LITERATURA DE 1967
>>> HISTÓRIA DE ROMA - NOBEL DE LITERATURA DE 1902
>>> Lavoura de corpos
>>> FOME - NOBEL DE LITERATURA DE 1920
>>> Causa mortis
>>> O HEREGE DE SOANA e MICHAEL KRAMER - NOBEL DE LITERATURA DE 1912
>>> COLAS BREUGNON - NOBEL DE LITERATURA DE 1915
>>> POESIAS - NOBEL DE LITERATURA DE 1931
>>> POESIAS - NOBEL DE LITERATURA DE 1966
>>> POESIAS ESCOLHIDAS - NOBEL DE LITERATURA DE 1906
>>> O PÁSSARO AZUL - NOBEL DELITERATURA DE 1911
>>> O FAROLEIRO E OUTROS CONTOS - NOBEL DE LITERATURA DE 1905
>>> POEMAS - NOBEL DELITERATURA DE 1963
>>> POESIAS ESCOLHIDAS - NOBEL DE LITERATURA DE 1959
>>> DIÁRIO ÍNTIMO e PENSAMENTOS - NOBEL DE LITERATURA DE 1901
>>> INTERESSES CRIADOS e ROSAS DE OUTONO - NOBEL DE LITERATURA DE 1922
>>> MANCHA QUE LIMPA - NOBEL DE LIETARATURA DE 1904
>>> MIRÉIA
>>> HISTÓRIA MODERNA DOS ESTADOS UNIDOS - 3 VOLs.
>>> OS SERTÕES - 3 volS.
>>> Uma mesa no deserto
>>> O LIVRO DE ENOCH - O LIVRO DAS ORIGENS DA CABALA
>>> Realidad y Juego
>>> O Visconde Que Me Amava
>>> Os Evangelhos: Jesus Cristo
>>> MBA Curso Prático de Marketing
>>> Freakonomics o lado oculto e inesperado de tudo que nos afeta
>>> 1001 dicas e conselhos úteis para melhor usar seu computador: um guia práticopara aproveitar todas as possibilidades do seu PC e da internet
>>> Nadando para o século XXI
>>> O amor é mais um labirinto
>>> O Barroco no Brasil
>>> Evandro Carneiro Esculturas
COLUNAS

Quinta-feira, 16/9/2004
Maria Antonieta, a última rainha da França
Adriana Baggio

+ de 69200 Acessos
+ 1 Comentário(s)

A lembrança mais forte acerca de Maria Antonieta, rainha da França, é que teria sugerido ao povo faminto que comesse brioches, já que não havia pão. E que por conta de desatinos como esse, teve a cabeça decepada pela guilhotina da Revolução Francesa.

Para quem se interessar em conhecer mais a fundo a história da esposa de Luís XVI, vale a pena conferir Maria Antonieta: a última rainha da França. O livro, lançado este ano pela Editora Objetiva, é fruto de uma exaustiva pesquisa feita pela historiadora Evelyne Lever. Para compor um retrato não apenas da rainha, mas também das questões políticas da Europa no século XVIII, a autora baseou-se em documentos oficiais e cartas de pessoas que compartilharam da intimidade de Maria Antonieta e de sua família, tanto na corte de Viena, onde ela nasceu, quanto na corte francesa.

De tão detalhado, o relato chega a ser um pouco cansativo. O livro conta a história da rainha desde o seu nascimento até a morte. Primeiro, os dias felizes em Viena, com a família, em um estilo de vida muito mais simples do que as inumeráveis exigências de protocolo e etiqueta que precisaria seguir na França. A autora deteve-se em detalhes como as roupas usadas por Maria Antonieta, os pratos que compunham suas refeições e até os diálogos entabulados com as pessoas que lhe eram próximas. Alguns desses detalhes poderiam ter sido suprimidos, bem como uma certa forma de narrativa muito descritiva. Percebe-se, é claro, uma intenção em comprovar os fatos relatados, o que diferencia essa biografia de outras obras mais fantasiosas.

Apesar de não focar exatamente nos aspectos políticos da França e da Europa do século XVIII, é impossível falar de Maria Antonieta sem contextualizar a época em que viveu. A abordagem política fica mais presente quando as atitudes da rainha começam a servir de motivo para as revoltas populares que há muito já se previam. A mistura de egoísmo, arrogância, ingenuidade e futilidade ajudaram a formar uma imagem dela para o povo e seus desafetos que refletia o comportamento da nobreza francesa em geral. Privilégios às pessoas de seu interesse, preocupações com as intrigas da corte, um modo de vida luxuoso e dispendioso e uma completa alienação dos problemas do povo e também das implicações políticas de seus atos, contribuiram para levar a rainha à guilhotina.

Mas o livro não se atém apenas aos defeitos: mostra uma mulher corajosa, de personalidade, prejudicada pela pressão e pela chantagem emocional exercida pela mãe, a rainha da Áustria, mesmo à distância. As atitudes tomadas por Maria Antonieta na corte muitas vezes foram vistas – e apresentadas – como traição. Por conta de sua alienação e do desejo de levar a vida da maneira que lhe interessava e agradava, a rainha não percebia as implicações negativas de seus atos junto ao Rei e aos ministros, quando tentava, em vão, obter posições privilegiadas para as intenções políticas do império austríaco.

Apesar da dificuldade inicial do casamento com Luís XVI, eles tornaram-se um casal unido, inclusive na alienação e na ingenuidade. Enquanto ela se preocupava com os divertimentos e com uma tentativa de viver uma outra vida através da encenação de peças teatrais, na qual era um dos personagens, o rei esquecia-se da vida e dos problemas do país nas caçadas e nas suas oficinas de trabalhos manuais com madeira e ferro. Nenhum dos dois quis ver o quer acontecia a sua volta.

Na verdade, eles não podem ser culpados. Reclusos na vida da corte, tanto Luís quanto Maria Antonieta não foram incentivados a conhecer mais sobre o que acontecia no mundo iluminista, sobre a realidade, sobre os problemas do país. Apesar do esclarecimento da época, a monarquia ainda era vista como algo divino, independente da vontade dos súditos. Por isso a recusa do rei, até o final, em aceitar uma constituição e uma posição menos poderosa nessa nova forma de governo. Por conta dessa teimosia, tanto ele quanto a rainha acabaram sendo acusados e executados como traidores da França.

A imagem de Maria Antonieta, denegrida durante a Revolução Francesa, foi reabilitada após sua morte. Em outro extremo, foi considerada a Rainha Mártir, por seu sofrimento na prisão e na execução. Atualmente, o que a autora de sua biografia propõe é que se veja a rainha nem como uma coisa, nem como outra. Apesar de fútil, egoísta e alienada, ela foi mais o bode expiatório de uma situação da qual apenas fazia parte, mas não poderia ser considerada responsável. Por outro lado, sua coragem e sua lealdade à família fazem dela uma personalidade a ser admirada.

De todas as "lendas" sobre Maria Antonieta, uma parece ser verdadeira: ela teria tido um relacionamento com um nobre sueco, devido à dificuldade em manter uma vida sexual e amorosa normal com o rei. Por outro lado, a história dos brioches não é verdadeira. Teria sido contada por Rousseau, mas referia-se a outra pessoa. Segundo o livro, por mais alienada que fosse, nem Maria Antonieta teria falado uma asneira tão grande.

Para ir além






Adriana Baggio
Curitiba, 16/9/2004

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Esboços de uma biografia precoce não autorizada de Cassionei Niches Petry
02. Sexo e luxúria na antiguidade de Gian Danton
03. O gosto da cidade em minha boca de Elisa Andrade Buzzo
04. Intervenção militar constitucional de Gian Danton
05. O gueto dos ricos de Marta Barcellos


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2004
01. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
02. Do que as mulheres não gostam - 14/10/2004
03. O pagode das cervejas - 18/3/2004
04. Publicidade gay: razão ou sensibilidade? - 19/8/2004
05. Mais viagens por Budapeste - 12/2/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/3/2008
12h59min
a autoria da frase "que comam brioches" pode ser encontrada na biografia sobre Maria Antonieta que foi citada. realmente, ela nunca disse tal.
[Leia outros Comentários de antonio carlos meira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS


REGIMES MONETÁRIOS
ANDRÉ DE MELO MODENESI

De R$ 95,00
Por R$ 47,50
50% off
+ frete grátis



ALGUÉM COMO VOCÊ
CATHY KELLY

De R$ 75,00
Por R$ 37,50
50% off
+ frete grátis



CONFEITARIA DUKAN
PIERRE DUKAN

De R$ 42,00
Por R$ 21,00
50% off
+ frete grátis



ANUÁRIO DO COLÉGIO WILLIAM MCKINLEY
DEBRA MOSTOW ZAKARIN

De R$ 59,90
Por R$ 29,95
50% off
+ frete grátis



O CONCEITO DE DIREITO
H. L. A. HART

De R$ 87,40
Por R$ 43,70
50% off
+ frete grátis



501 LIVROS QUE MERECEM SER LIDOS
RAPHAEL HALLETT

De R$ 99,00
Por R$ 49,50
50% off
+ frete grátis



NOVOS MONSTROS
NEWTON CANNITO

De R$ 24,90
Por R$ 12,45
50% off
+ frete grátis



SERVIÇO SOCIAL, TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E TRABALHO
RENATO VELOSO

De R$ 36,00
Por R$ 18,00
50% off
+ frete grátis



DIAS DE SANGUE E ESTRELAS
LAINI TAYLOR

De R$ 39,90
Por R$ 19,95
50% off
+ frete grátis



DIREITOS HUMANOS, DEMOCRACIA E DESENVOLVIMENTO
BOAVENTURA DE SOUSA SANTOS E MARILENA CHAUÍ

De R$ 33,00
Por R$ 16,50
50% off
+ frete grátis



busca | avançada
72750 visitas/dia
1,7 milhão/mês