Sobre o gênio que é Harold Pinter | Guilherme Conte | Digestivo Cultural

busca | avançada
43291 visitas/dia
947 mil/mês
Mais Recentes
>>> Alex Flemming inaugura intervenção "Anaconda" na Casa-Museu Ema Klabin
>>> Fundação Ema Klabin abre Festival Internacional de Música Judaica
>>> Projeto Jardim Imaginário inaugura a instalação "Penetra" de Marcius Galan
>>> Silibrina é uma das bandas brasileiras selecionadas para o SXSW
>>> Chapel Art Show comemora 50 anos e homenageia German Lorca
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
>>> Manchester à beira-mar, um filme para se guardar
>>> Noel Rosa
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Vegetativo
>>> Açaí com granola
>>> Em suspenso
>>> Nesse mundo de anjos e demônios
>>> A lâmpada
>>> Irredentismo
>>> Tabela periódica
>>> Insone
>>> Entre Súcubos e Íncubos
>>> Aonde eu quero chegar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Estrangeirismos, empréstimos ou neocolonialismo?
>>> Verão Poesia Internacional BH
>>> Felicidade: reflexões de Eduardo Giannetti
>>> O grande livro do jornalismo
>>> Olga e a história que não deve ser esquecida
>>> Tectônicas por Georgia Kyriakakis
>>> Crítica à arte contemporânea
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Bambodansarna
>>> Sobre Caramujos
Mais Recentes
>>> A arte da Guerra - Os treze capítulos - 2ª ed.
>>> Sua Eminência o Cardeal Dom Lucas Moreira Neves
>>> A Princesa Vermelha
>>> As Ilusões Armadas: A Ditadura Envergonhada - Vol. 01
>>> Estudos sobre os Lusíadas////Estudos da Língua Portuguesa
>>> As Ilusões Armadas: A Ditadura Escancarada - Vol. 02
>>> Hamlet
>>> Fedro
>>> Número Zero
>>> Roma Antiga - De Rômulo a Justiniano. Convencional
>>> Essencial Franz Kafka
>>> The Communist Manisfesto And Other Writings
>>> Harlequin (The Grail Quest) Vol. 01
>>> Nova Visão em Ortodontia-Ortopedia Facial
>>> Sociologia - Introdução à ciência da sociedade (4ª ed.)
>>> Diagnostico,Planejamento e Condutas Clinicas na Técnica Ortodôntica
>>> The Child With Traumatic Brain Injury Or Cerebral Palsy
>>> Teoria Geral do Estado
>>> Roteiro para Mídia Eletrônica - TV, rádio, animação e treinamento corporativo
>>> The Art of The Advocate
>>> O Problema da Obediência em Hobbes
>>> Mitos e Mitologias Políticas
>>> 1946 - Le Droit Mis en Scéne
>>> Enfermagem em Cardiologia
>>> Fundamentos de Dentistica Operatoria
>>> Saude EM Contingencia Com Prudutos Quimicos
>>> O medo de Montalbano
>>> Pátria de Histórias Bahia prosa e poesia
>>> Torrentes Espirituais
>>> Azincourt
>>> A Sarsa de Horeb ou o Mistério da Serpente
>>> Homem e Mulher A Integração como caminho de desenvolvimento
>>> Terra à vista. Histórias de náufragos da Era dos Descobrimentos
>>> A Voz íntima do Amor
>>> Desenho Arquitetônico 2ª ed.
>>> Morar Só - Uma opção de vida
>>> Homens Maus Fazem o que Homens Bons Sonhas
>>> Cidades Historias Mutações Desafios
>>> Sonetos escolhidos 1992-1996 Espelho Partido
>>> Pré-Suasão
>>> Como Identificar um Psicopata
>>> Manual de Persuasão do FBI
>>> A Grande Arte
>>> Jim George ( um jovem segundo o coração de Deus )
>>> Philip yancey ( oracao ela faz alguma diferença? )
>>> Deus, a Liberdade e o Mal
>>> Zeca e o pequeno dinossauro voador
>>> Francisco de Sales - Um Mestre de Espiritualidade
>>> Meninos sem Pátria - Série Vaga-lume
>>> Novíssimo Aulete Dicionário Contemporâneo da Língua Portuguesa
COLUNAS

Quarta-feira, 26/10/2005
Sobre o gênio que é Harold Pinter
Guilherme Conte

+ de 6900 Acessos

No último dia 13 de outubro o brilhante dramaturgo inglês Harold Pinter ganhou o Prêmio Nobel de Literatura. Poucas escolhas poderiam ser tão acertadas. Não só pelo merecidíssimo reconhecimento de seu trabalho, mas pelos efeitos que uma premiação dessa envergadura carregam.

Pinter, nascido em 1930, é o principal dramaturgo da segunda metade do século XX. Seu texto é cortante e toca fundo na alma. Sempre com golpes precisos, atinge em cheio nas dificuldades inerentes às relações humanas. Ele mostra que viver é uma arte difícil, que exige sensibilidade.

Sua obra é muito pouco conhecida por aqui. Só há uma peça traduzida e publicada: Volta ao Lar, assinada com a habitual competência por Millôr Fernandes, e já há muito esgotada - circulou nos anos 1970 na bela coleção Teatro Vivo, da Abril. É disputada a tapa por freqüentadores de sebos.

A nossa imprensa em geral, como de praxe, bobeou (com algumas exceções, a exemplo de Mario Sérgio Conti, na NoMínimo). A imensa maioria das matérias sobre o prêmio discutiu o "lado político" de Pinter, que esculhambou recentemente Tony Blair e George Bush e se posicionou contra a invasão do Iraque.

Ok, a Academia Sueca tem se mostrado propensa, sobretudo nos últimos anos, a premiar gente que se destacou também pela atuação política. Não só escritores, mas cientistas também. Mas no caso de Pinter isso é o de menos. Sua obra é genial, de um raro talento na escrita para teatro, e ponto final. É só dar uma olhada no parecer da Academia, justificando a escolha:

"(...)Pinter devolveu o teatro a seus elementos básicos: um espaço fechado e um diálogo imprevisível, onde as pessoas perdoam umas às outras e onde não há lugar para a ambição."

Tradicionalmente os dramaturgos (e os também romancistas, mas que primaram pelo trabalho nos palcos) são marginalizados pelo Nobel. Dá para contar nos dedos: Bernard Shaw, Pirandello, O'Neill, Beckett e, mais recentemente, Dario Fo. A escolha de Pinter vem também para dar fôlego àqueles que se embrenham nessa difícil seara que é o teatro. Um texto para ser lido, falado, encenado.

A ausência de Pinter, tanto em nossas livrarias quanto em nossos palcos, é um absurdo imperdoável. Daqueles casos inexplicáveis que o Brasil tem de monte. Seguimos quase que totalmente à margem de obras de uma importância inestimável, fundamentais para as artes e para o pensamento contemporâneo de um modo geral.

É por isso que devemos aplaudir iniciativas de gente como Alexandre Tenório e de Denise Weinberg, de quem tratei em texto anterior, ou Ítalo Rossi, que encaram os textos difíceis e herméticos de Pinter com uma obstinação admirável. Mesmo que, muitas vezes, para pequenas platéias. Por quê? Porque ele tem que ser montado!

Teatro é reflexão. Tem que incomodar, fazer pensar, estimular a discussão. Bom teatro não é aquele que te dá certezas, mas aquele que te enche de dúvidas. Sófocles, Shakespeare, Bernard Shaw, Strindberg - todos, de alguma forma, inquietaram seus espectadores e continuam incomodando até hoje. Harold Pinter não encontra, atualmente, paralelo à altura neste papel.

Ficam os votos de que nossas editoras comecem a dar a Pinter sua devida importância. E que nossos diretores, atores, encenadores e produtores resolvam cada vez mais encarar esta dura e magistral obra. É um tesouro praticamente intocado.

Para ir além
http://www.haroldpinter.org

Notas

* E já que o momento é de preencher lacunas históricas, a Cosac & Naify lança com toda a pompa Esperando Godot, de Samuel Beckett, uma das maiores peças de todos os tempos. A exemplo de Volta ao Lar, de Pinter, a única tradução que havia de Godot por estas bandas era do onipresente Millôr, na mesmíssima coleção Teatro Vivo. A célebre história dos dois vagabundos que passam o tempo a esperar Godot, que já foi classificada como "a certidão de óbito da esperança", ganha agora luxuosa edição. A tradução fica a cargo de Fábio de Souza Andrade, maior especialista em Beckett no Brasil atualmente. Ele já havia assinado a tradução de Fim de Partida, pela mesma editora, e escreveu um dos melhores estudos sobre a obra beckettiana: O Silêncio Possível, pela Ateliê Editorial. Esperando Godot é mais que necessária. É imprescindível.

* O Armazém Companhia de Teatro aportou em São Paulo com seu espetáculo A Caminho de Casa (SESC Belenzinho / R. Álvaro Ramos, 915 / (11) 6602-3700 / Sexta, 21h; sábado e domingo, 20h / R$ 15,00 / Até 13/11). São três histórias, ligadas por um atentado, que colocam a fé no centro de seus questionamentos. A primeira, de longe a melhor de todas, é um engarrafamento gigantesco (inspirada em A auto-estrada do sul, conto de Júlio Cortázar). A segunda conta a história de um menino judeu e um velho sufi. A terceira, fraca, é o diálogo entre a mãe de um homem-bomba e Deus. O texto, de Maurício Arruda Mendonça e Paulo de Moraes, também diretor da peça (e que dirige, também em SP, no SESC Consolação, O Pequeno Eyolf, de Henrik Ibsen), é bom e levanta questões interessantes. Visualmente muito bonito.

* Três mulheres, "amigas para sempre", em diferentes momentos de suas vidas, se cruzando em diversos chás: de panela, de despedida, de bebê etc. Suas relações, as indas e vindas, as dificuldades, as descobertas, os diversos homens que encontram. Vontades, desejos, frustrações. É nesse universo que se encontra Chá de Setembro, de Júlio Conte (não, não é meu parente). No elenco, Lara Córdula, Lulu Pavarin, Mara Faustino e Nelson Baskerville. A direção é de Marcos Cardelíquio (em cartaz no Auditório da Aliança Francesa / R. Gal. Jardim, 182 / (11) 3188-4141 / Sábado e domingo, 18h / R$ 30,00 / Até 18/12). Um texto sensível, bem humorado e com momentos de emoção. Bonito.


Guilherme Conte
São Paulo, 26/10/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Literatura, quatro de julho e pertencimento de Guilherme Carvalhal
02. Correio de Elisa Andrade Buzzo
03. On the Road, 60 anos de Luís Fernando Amâncio
04. A imaginação do escritor de Renato Alessandro dos Santos
05. Essas moças de mil bocas de Elisa Andrade Buzzo


Mais Guilherme Conte
Mais Acessadas de Guilherme Conte em 2005
01. Fantasmas do antigo Recife - 31/8/2005
02. Crônicas de solidão urbana - 30/6/2005
03. Um rio para lavar a dor - 12/10/2005
04. Sobre o gênio que é Harold Pinter - 26/10/2005
05. Rindo de nossa própria miséria - 21/9/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OPEN SOURVE LICENSING SOFTWARE FREEDOM AND INTELLECTUAL PROPERTY LAW
LAWRENCE ROSEN
PRENTICE HALL
(2005)
R$ 50,00



COACHING DE CARREIRA
JOSÉ ROBERTO MARQUES
SER MAIS
R$ 34,95
+ frete grátis



UMA CURA PARA MEU FILHO
RUPERT ISAACSON
FONTAMAR
R$ 35,00



COLEÇÃO OBJETIVO: FÍSICA 4 VOLUMES
EDUARDO FIGUEIREDO E RONALDO FOGO E CAIO SÉRGIO V. CALÇADA E RICARDO HELOU DOCA
CERED
R$ 40,00



PROGRAMANDO PARA PROCESSADORES PARALELOS
DAVID B. KIRK
CAMPUS
(2011)
R$ 12,50



NISE. ARQUEÓLOGA DOS MARES
BERNARDO CARNEIRO HORTA
AEROPLANO
(2009)
R$ 250,00



FEIRA DE VERSOS - PARA GOSTAR DE LER (VOL. 36)
JOÃO MELQUÍADES F. DA SILVA, LEANDRO GOMES DE BARROS E PATATIVA DO ASSARÉ
ÁTICA
(2011)
R$ 12,00



INTRODUÇÃO CRÍTICA AO CONHECIMENTO
FRANCISCO LUIZ GARCIA
PAPIRUS
(1988)
R$ 12,00



EL MÉTODO DE LAS ACCIONES FISICAS - CONSTANTIN STANISLAVSKI
CONSTANTIN STANISLAVSKI
EDITORIAL PUEBLO Y EDUCACIÓN - CUBA
(1983)
R$ 28,00



ULYSSES
JAMES JOYCE
PENGUIN COMPANHIA
(2012)
R$ 45,00





busca | avançada
43291 visitas/dia
947 mil/mês