Novos autores na poesia brasileira | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
25643 visitas/dia
757 mil/mês
Mais Recentes
>>> Marmita saudável está na moda!
>>> Editora Alaúde publica versão atualizada da prestigiada obra Palavras de Poder - vol. 2
>>> Tragédia em Mariana inspira livro infanto-juvenil
>>> Teatro do Incêndio realiza encontro com Os Favoritos da Catira e Samba de Umbigada
>>> Cozinha prática: Miyoko Schinner lança guia para preparar e armazenar ingredientes básicos veganos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Amy Winehouse: uma pintura
>>> Casa Arrumada
>>> Revolusséries
>>> Mais espetáculo que arte
>>> Thoreau, Mariátegui e a experiência americana
>>> Meu querido aeroporto #sqn
>>> Essas moças de mil bocas
>>> Como uma Resenha de 'Como um Romance'
>>> Quem é mesmo massa de manobra?
>>> Imprimam - e repensem - suas fotografias
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
>>> Ebook gratuito
>>> Poesia para jovens
>>> Nirvana pra todos os gostos
>>> Diego Reeberg, do Catarse
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Lançamento e workshop em BH
Últimos Posts
>>> O vôo e a queda
>>> Anil
>>> Aquarela do desejo
>>> Trilha dos séculos (série: Sonetos)
>>> Convite para as coisas que não aconteceram
>>> Faca de estrelas
>>> Estalactites
>>> A economia que a politicagem comeu
>>> "Duas Ninfas", processo de criação da pintura
>>> Se correr o bicho pega. Se ficar o bicho come...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A Soma de Todos os Medos
>>> Paulo Francis e a Petrobras
>>> Em defesa da arte urbana nos muros
>>> A eternidade nos labirintos de Borges
>>> Na calada do texto, Bentinho amava Escobar
>>> A selfie e a obsolescência do humano
>>> Os novos filmes de Iñárritu
>>> Teatro anárquico-dionisíaco de Zé Celso M. Corrêa
>>> O Presidente Negro, de Monteiro Lobato
>>> Jornalismo literário: a arte do fato?
Mais Recentes
>>> O Ateneu
>>> Primeiro Anuário Brasileiro de Fórmula 1 1996-1997
>>> Vidas Paralelas. Cinco casamentos vitorianos
>>> Dorival Caymmi. O mar e o tempo
>>> Diálogos
>>> O Filósofo e a Teologia
>>> Alimento Diário- 1º Samuel - volumes 1,2 e 3
>>> Pântano De Sangue
>>> Psicologia Aplicada à Administração
>>> Nosso Lar
>>> Introdução à Teoria Geral da Administração
>>> A Revelação de Deus
>>> Guerra contra os Santos- Tomo 2- versão integral
>>> Evolução e Temporalidade em Teilhard, Vocabulário Teilhard ( 2 volumes)
>>> O Equilíbrio do Ser- Aristóteles
>>> Jogos Vorazes em Chamas
>>> Zona de Perigo
>>> Jogos Vorazes
>>> Davi, um Homem Segundo o Coração de Deus
>>> Moisés, um Homem Dedicado e Generoso
>>> José, Um Homem Íntegro e indulgente
>>> Espirito de Sabedoria e de Revelação-A Chave para conhecer as profundezas de Deus
>>> Teologia Sistemática- Três Volumes em UM
>>> Você na telinha - Como usar a mídia a seu favor
>>> Educação Financeira - Como educar seu filho
>>> O clube das segundas esposas
>>> O Amor do Espírito
>>> Pretinha, Eu?
>>> O Vale das Utopias
>>> História de Mulheres na Bíblia
>>> O Poder da Oração no Casamento
>>> Para entender a versificação espanhola e gostar dela
>>> Comédias Para se Ler na Escola
>>> Municipalização do ensino no Brasil (novo)
>>> A Chama Viva do Amor- A Festa do Espírito Santo
>>> Os princípios de liderança de Jack Welch
>>> O manual do novo gerente
>>> Bórgia: o poder e o incesto
>>> Bórgia: tudo é vaidade
>>> Bórgia: as chamas da fogueira
>>> Bórgia: sangue para o Papa
>>> The walking dead
>>> Como fazer amgos e influenciar pessoas na era digital
>>> Os milionários do Gênesis
>>> Brasil: 100 comentários
>>> Era uma vez uma empresa
>>> Como se tornar um lider servidor
>>> O homem mais rico da Babilônia
>>> A arte de ganhar dinheiro
>>> Um bom professor faz toda a diferença
COLUNAS >>> Especial Autores novos

Quinta-feira, 18/5/2006
Novos autores na poesia brasileira
Elisa Andrade Buzzo

+ de 10500 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Parece título de ficção científica. Geração 2000. Ela chegou? Aproxima-se, enfim, oferecendo algo inédito, tecnológica?

Quero pensar aqui na consistência dessa tal Geração 00 na poesia brasileira, se é que assim podemos chamá-la. Não digo poesia brasileira contemporânea, pois aí seria necessário abranger todos que estão vivos e inseridos numa produção poética, o que não é o caso desta conversa.

Mesmo que datas possam não ser os indicativos ideais para "classificar" um grupo de escritores, é quase irresistível falar numa Geração 00. Imagino os antecedentes dessa geração sendo de jovens que se iniciaram na poesia por volta da década de 1990, seja por meio de leituras e esboços, atingem certa maturidade e começam a encetar publicações e participar mais ativamente de projetos e rodas literárias nos primeiros anos do século XXI. Reducionismo? É uma maneira de estipular ordem na dispersão. Aqui falarei um pouco de minhas leituras mais apuradas, já que muitos outros autores certamente poderiam ser incorporados a este texto.

Os novos poetas podem ser jovens, daí chamá-los de "novos", como também podem não ser necessariamente "novos", mas que tenham começado a publicar neste atual século em livros, revistas, suplementos, sites, blogs pessoais ou coletivos. Também são aqueles que escrevem com qualidade, embora não publiquem; e ainda assim fazem parte da novíssima geração. Há quem faça alusões, citações mil, há quem rumine em silêncio, transformando capim em complexidade — o que está em jogo são variadas trajetórias e estilos (a poesia desta Geração 00 atende a vasto público, o que creio ser algo positivo).

Apostar no tenro mundo literário se assemelha às investigações preliminares de um pescador que laça objetos incertos do profundo escuro. À meia-luz, não consegue distinguir a dureza desses seres, sua vida útil ou capacidade criativa. Na volta paulatina da claridade, alguns podem se mostrar enganosos, pneu retrógrado, sapato decrépito. O arguto pescador também pode descamar um peixe indócil, e desse lustro saltar superfície fértil.

Quem queira embarcar na poesia dos novos autores deve, primeiramente, procurar as escondidas e minguadas prateleiras dedicadas ao gênero nas livrarias (porque raramente haverá espaço para estes livros nas mesas e gôndolas de lançamentos). Em seguida, com calma, mesmo sujeito a uma torção de corpo, deve abrir cada livro como quem abre uma concha. O leitor pode ser seduzido por uma capa mais vistosa ou um nome mais televisionado, mas que não se atenha ao desconhecido.

Coleções como a Guizos de Poesia da Editora 7Letras, e a Canto do Bem-te-Vi, da Editora Bem-te-Vi, ambas do Rio de Janeiro, têm publicado diversos livros de poesia nos últimos anos, em sua maioria de escritores estreantes. Surgem autores em livro como Annita Costa Malufe, Carlos Alexandre Artigas, Diego Vinhas, Rodrigo Magalhães, Virna Teixeira, entre outros — todos pela coleção Guizos, cujo lançamento data de 2004. Já pela Canto do Bem-te-Vi, lançada em 2005 com cinco livros, mantive contato com as belas edições de Mônica de Aquino (Sístole) e Marcos Vasques (Elegias Urbanas).

Além das coleções, ainda ressalto A casa azul ao meio-dia/The blue house around noon (Travessa dos Editores, 2005), onde Flávia Rocha mostra sua poesia em edição bilíngüe (português e inglês), Chantal Castelli com Memória Prévia (Com-Arte, 2000), Micheliny Verunschk, Geografia Íntima do Deserto (Landy, 2003) e ainda Ana Rüsche com Rasgada (Quinze & Trinta Edições, 2005).

Há ainda autores que não se encontram em blogs ou mesmo livros, água que se colhe e sorve com a mão em concha. Aí estão, por exemplo, os versos de Vinícius Guilherme Rodrigues Vieira. Depois dos malabarismos nas prateleiras, do contato íntimo com o livro, chegou a hora de espiar sites e blogs literários.

A internet através dos blogs, principalmente, funciona como um espaço de autopublicação e experimentação constante, papel em branco em que se rabisca e se escreve e se altera e se apaga. Impressionante a quantidade de blogs de literatura que brotaram nos últimos anos. Também entrei nessa euforia (ou será melhor dizer moda?). No fundo, parece sempre haver uma esperança juvenil de que essa produção seja "reconhecida" em livro, o que já aconteceu com alguns blogs de prosa. No entanto, creio que esse viés do blog, ainda que válido, seja apenas um resultado de sua importância. O blog possibilita que um texto entre em consonância (ou dissonância) com imagens, sons ou mesmo vídeos postados, sua reunião cria uma comunidade virtual ativa. Ainda há a interatividade, um canal de comunicação através dos comentários entre leitores-autores, autores-autores.

Blog pode ser sim literatura, mas antes de tudo é experimento, extensão do caderno de notas do escritor (pelo caráter da livre alteração das postagens), sujeito às ranhuras dos comentaristas. Depende das intenções do blogueiro em relação aquele espaço. Digo que blog pode ser literatura assim como um livro convencional também pode ser literatura.

Foi nessa dispersão virtual que tomei uma xícara de chá com Angélica Freitas no seu blog e mantive contato com Octávio Roggiero em suas delicadas Primícias poéticas.

No arquivo do blog de Reuben da Cunha, O trompetista gago ainda é possível conhecer jóias como "Madame Boudelaire", "Madame Lúcifer gosta de comer os meus olhos com mel" e outros poemas e pequenas prosas imantados de uma sofisticação coloquial como os de Angélica.

O recém-criado blog coletivo Algaravária une um belo visual com poesia inédita de onze jovens autores espalhados pelo Brasil. O que me parece ser uma tendência a ser explorada: reunião de um grupo de jovens poetas com estilos marcados de escrita, opção pela postagem semanal, tentativa de contemplar autores de diversos estados (o que demonstra uma preocupação em estimular parcerias entre outros eixos na roda literária), espaço para reflexão com a postagem de entrevistas.

É ainda tempo de formação e de se conhecer a Geração 00 na poesia. Por enquanto, ela se aquece com luz refratada. Sua apreciação, ainda à deriva, sua fruição, submarina.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 18/5/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O medo como tática em disputa eleitoral de Humberto Pereira da Silva
02. Tarantino, Quentin de Humberto Pereira da Silva
03. Desabafo de uma quase ex-professora de Loriza Kettle
04. Poesia sem ancoradouro: Ana Martins Marques de Jardel Dias Cavalcanti
05. Flores Azuis, de Carola Saavedra de Mariana Mendes


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2006
01. Novos autores na poesia brasileira - 18/5/2006
02. Mia Couto revisitado - 14/9/2006
03. FLAP! Uma bofetada na indiferença* - 10/8/2006
04. Qual é o seu departamento? - 26/10/2006
05. As crianças cheirando cola - 7/12/2006


Mais Especial Autores novos
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/5/2006
11h05min
Confesso que sou mais voltado para a prosa do que para a poesia. Mas a escrita em versos tem também seu espaço, embora seja ainda um espaço muito restrito. O que me alegra é saber que leitores de poesia existem, mas me parece que se escondem. Fui à Bienal em Salvador no fim do ano passado. Enquanto que no "Café literário" as pessoas comiam e conversavam - poucos prestavam atenção no que o autor da vez estava explanando - no "Porto da poesia" muita gente em silêncio se espremia para ver e aplaudia com entusiasmo os poetas que ali declamavam seus versos. O negócio é fazer as grandes editoras perceberem isso, e fazer uma maior divulgação de livros de poesias e tal. É utópico, talvez. Mas acredito ser possível. Só um adendo: o livro da Ana Rüsche é muito bom. Ela gentilmente me enviou e gostei por demais dele.
[Leia outros Comentários de Rafael Rodrigues]
18/5/2006
10h41min
é isso aí, elisa... e o legal no teu delicioso texto é q vc se lembrou de diversas poetas-mulheres, o q nem sempre todo mundo faz! elas (nós) estão (estamos) por aí não é? e vamos em frente! grande beijo da annita.
[Leia outros Comentários de annita costa malufe]
18/5/2006
18h09min
Eis o olhar clínico e as palavras autorizadas da entusiástica escritora e jornalista Elisa! Muito importante este artigo, pois além de dar as boas-novas poéticas que vem de "tudocuntécanto" deste Brasilzão e resgatar preciosidades dos desvãos do anonimato, também sinaliza a crescente utilização dos blogs, que desempenham - pode-se até arriscar dizer que lado a lado com os livros-convencionais - meio aparentemente eficaz para a propagação da arte poética. Admiração à Elisa, minha companheira onírica!
[Leia outros Comentários de Octávio Roggiero]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AVENTURAS NA HISTÓRIA - 31 - MAR/2006
VÁRIOS
ABRIL
(2006)
R$ 5,50



BANQUETE COM OS DEUSES - SEMINOVO-CORTE BRANCO
LUIS FERNANDO VERISSIMO
OBJETIVA
(2017)
R$ 10,00



OS PECADOS DOS PAIS
LAWRENCE BLOCK
COMPANHIA DAS LETRAS
(2002)
R$ 15,90



UMA PARÁBOLA REAL - 1ª EDIÇÃO
MARISA MELLO MARTINS
ABBA
(1996)
R$ 10,00



BORLAND DELPHI 6
MARCELO LEÃO
AXCEL
(2001)
R$ 53,90



O PODER INFINITO DA SUA MENTE
LAURO TREVISAN
DA MENTE
(1980)
R$ 15,00
+ frete grátis



O TEXTO , OU A VIDA - UMA TRAJETÓRIA LITERÁRIA
MOACYR SCLIAR
BERTRAND BRASIL
(2007)
R$ 27,10



SALA DE AULA - DISCIPLINA E GESTAO - UM GUIA PRATICO PARA PROFESSOR...
OLLIE E. GIBBS E JERRY L. HADDOCK
ACSI
(2002)
R$ 24,00



SÁBADOS AZUIS - 75 HISTÓRIAS DE UM BRASIL QUE DÁ CERTO
MÁRCIO MOREIRA ALVES
LÉO CHRISTIANO EDITORIAL LTDA
(1999)
R$ 14,30



EL TEATRO DE LOS NIÑOS - GIUSEPPE BATOLUCCI (TEATRO NA EDUCAÇÃO)
GIUSEPPE BATOLUCCI
EDITORIAL FONTANELLA
(1975)
R$ 18,00





busca | avançada
25643 visitas/dia
757 mil/mês