Corpos | Orlando Tosetto Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
28479 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Urban Arts sedia exposição fotográfica gratuita
>>> Programa musical Reverbera estreia na TV Brasil, Rádio MEC e web nesta sexta (23)
>>> Elian Woidello apresenta show Vinho barato e Cinema Noir no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC)
>>> Show de lançamento do Selo Blaxtream reúne grandes nomes do jazz e da música instrumental em SP
>>> Autobiografia de George Sand ganha edição brasileira em volume único
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 2. O Catolotolo
>>> A pós-modernidade de Michel Maffesoli
>>> Um parque de diversões na cabeça
>>> O que te move?
>>> O dia que nada prometia
>>> Super-heróis ou vilões?
>>> Seis meses em 1945
>>> Senhor Amadeu
>>> Correio
>>> A entranha aberta da literatura de Márcia Barbieri
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
>>> Ebook gratuito
>>> Poesia para jovens
Últimos Posts
>>> Objetos de desejo
>>> Matéria prima
>>> Espírito Santo
>>>
>>> Fuga em Si
>>> Frutos
>>> Traço
>>> Criaturas
>>> Homo ludens
>>> 9° Festival Internacional do Documentário Musical
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 10 maneiras de tentar abolir o debate
>>> O amor é importante, porra
>>> Satã, uma biografia
>>> Pólvora e Poesia
>>> O que faz de um livro um clássico
>>> O Salão e a Selva
>>> O dia que nada prometia
>>> Ebook gratuito
>>> Palmada dói
>>> Fórum de revisores de textos
Mais Recentes
>>> Drogas e a Família
>>> Drogas, O universo paralelo
>>> Sitiado Em Lagos
>>> O Equilíbrio do temperamento Através da Música
>>> Cultura no Mercosul: uma política do Discurso
>>> Cristo Cósmico
>>> Coleção Série Princípios
>>> Vidas descoloridas, como Paulo se perdeu para as drogas.
>>> O Livro das Virtudes Uma antologia
>>> A Espiã
>>> Quarta-feira de Cinzas
>>> Cruzando o Paraíso
>>> A poética migrante de Guimarães Rosa
>>> Obra Reunida
>>> Dicionário Latim-Português Português-Latim
>>> Contos Mineiros
>>> Box Coleção História da Vida Privada
>>> Coleção de livros
>>> A Crônica
>>> Zen Budismo e Psicanálise
>>> A Essência do Eneagrama - Manual de Autodescoberta e Teste Definitivo de Personalidade
>>> Guerra e Paz
>>> Depois da Morte
>>> Doze Reis e a Moça do Labirinto do Vento
>>> As Noites Difíceis
>>> Luxo
>>> Fome, Catástrofe Provocada pelo Homem? (Sociologia/Geografia Humana)
>>> Os Irmãos Karamázovi - Fiódor Dostoiévski (Literatura Russa)
>>> Ana Karênina - Leon Tolstói (Literatura Russa)
>>> Almas Mortas - Nicolai Gogol (Literatura Russa)
>>> Pais e Filhos - Ivan Turgueniev (Literatura Russa)
>>> Os Imortais da Literatura Universal (Biografias) Volume III
>>> Processamento de Dados
>>> Teilhard e a Vocação da Mulher
>>> Falsa Identidade- A Conspiração para Reinventar Jesus
>>> Olha para Mim
>>> The Nature of Technology: What it is and how it evolves
>>> Digital Futures for Cultural and Media Studies
>>> Creative industries
>>> Everything is workable: A zen approach to conflict resolution
>>> i of the vortex: From Neurons to self
>>> Arquivos do mal-estar e da resistência
>>> Linked: A nova ciência dos networks
>>> O segundo mundo: Impérios e influência na nova ordem global
>>> O médico quântico: Orientações de um físico para a saúde e a cura
>>> Viver de música: Diálogo com artistas brasileiros
>>> Reagregando o social: Uma introdução à teoria do Ator-Rede
>>> I Ching: Uma nova interpretação para os tempos modernos
>>> O século da canção
>>> Em busca de uma psicologia do despertar: Budismo, Psicoterapia e o Caminho da Transformação Espiritual Individual
COLUNAS

Sexta-feira, 28/9/2001
Corpos
Orlando Tosetto Junior

+ de 3100 Acessos

Não vou falar de cinema. É verdade que parecia; é verdade que lembrava. Mas tanto pareceu, e tantos se lembraram, que tudo bem. Não, nada de cinema.

Não vou falar de culpas. Todos as têm. É bom que a gente saiba que a inocência acaba no primeiro berro, e depois só faz é descascar ao longo da vida. Por detrás de cada par de olhos se esconde um tudo; e Hamlet dizia... não, Hamlet dizia coisas muito tristes. Todos têm culpa, fiquemos assim, que assim é que é.

Não vou falar de dor. Coisas acontecem que nos fazem pensar, ou lembrar, que a dor é mais ou menos constante; é pano de fundo. Coisas acontecem para mitigá-la, obliterá-la por instantes, fazer com que a esqueçamos. Mas ela está lá; vem junto com o primeiro pensamento. Não vou falar de dor porque estamos todos perdidos e confusos, e o número de nortes é infinito como o de narizes. Pobres narizes infelizes.

Não vou falar de horror. Outro que, pensando bem, deita na cama conosco. Outro que nasce com o entender. Outro que não tem explicação, ou tem todas; outro que pede todo o silêncio possível.

Não vou falar de choque. De épater a burguesia, que parecia, a esta altura, incapaz de se chocar. Não falo do infinito poder do choque. Do que é levar uma paulada na cabeça, do que é, de novo e de novo, o poder explosivo de compreender.

Não vou, portanto, falar da maldição do entendimento.

Vou falar de morte. De mortos. De cadáveres. De gente explodida, queimada, esmagada, com membros decepados. Falar de sangue espalhado, de tripas, de pedaços de carne grudados em pedrinhas, de vergalhões espetados no peito, de pulmões cheios de pó. De órbitas vazadas, de fezes, de urina tinta de vermelho, de bexigas ao vento. De seios estourados, mechas de cabelos balançando como anêmonas, de um sorriso grudado a uma laje. De fedor, de ossos, de um sapato solitário apoiado sobre um parapeito. Da fina gordura branca fazendo um traço na areia. De anéis amassados, esmalte ameixa sobre pedaços soltos de unhas, um colar desfeito. De perfume besuntando tijolos caídos. De gumex, henna, cílios postiços que flutuam como dentes de leão.

Falo de gente morta, da coisa horrível que é gente morta. Pessoas lado a lado como estátuas, etiquetas amarradas nos dedos que restaram, formol, clarinadas, bandeiras e serviço religioso. A coisa simples e auto-resolvível que é uma pessoa morta. Muitas, muitas, muitas pessoas mortas.

Não falo de piedade, de reconhecimento, de revolta, de indiferença. Falo só de mortos. Muitos e muitos mortos. Vamos esquecê-los depressa, trocá-los por outras coisas, eleger símbolos, guardar imagens: uma torre explodindo ou desabando, um avião desgovernado. Nem sempre nos lembraremos da morte física, dos corpos, dos cheiros. Não nos lembraremos do que não vimos.

Repentinamente descolados dos nossos umbigos, voltaremos. No dia-a-dia, nossos horrores são outros. E cada corpo, cada morto novo, em vez de ser uma lembrança, será sempre uma surpresa. Porque ninguém se lembra de cadáveres.

Para ir além

SpamZine


Orlando Tosetto Junior
São Paulo, 28/9/2001


Mais Orlando Tosetto Junior
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SÃO PEREGRINO LAZIOSI- PROTETOR CONTRA O MAL DO CÂNCER
FREI RINALDO,OSM
ORDEM DOS SERVOS DE MARIA PRODUÇÕES
(2006)
R$ 8,99



ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA
JOSÉ SARAMAGO
COMPANHIA DAS LETRAS
(1995)
R$ 28,00



INOVAÇÃO EM AMBIENTES ORGANIZACIONAIS
MARCOS MUELLER SCHLEMM ORG.
IBPEX
(2005)
R$ 8,00



ARISTOFANES (AS NUVENS) - TEATRO GREGO
ARISTOFANES
DIFEL
(1967)
R$ 12,00



PSICOFISIOLOGIA - AS BASES FISIOLÓGICAS DO COMPORTAMENTO
MARCUS L. BRANDÃO
ATHENEU
(2002)
R$ 49,90



O OBSERVADOR NO ESCRITÓRIO
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
CÍRCULO DO LIVRO
(1994)
R$ 25,00
+ frete grátis



OS SUPREMOS VOL. 3
MARVEL COMICS
PANINI
(2014)
R$ 25,00



DA DOR AO AMOR
PEDRO SANTIAGO - ESPÍRITO DIZZI AKIBAH
EME
(2015)
R$ 30,90



MEMÓRIAS PERDIDAS - LIVRO NOVO
CHET BAKER
JORGE ZAHAR
(2002)
R$ 65,00



TEX Nº 279 - A QUEDA DE UM TIRANO 
SERGIO BONELLI
GLOBO
(1993)
R$ 5,00





busca | avançada
28479 visitas/dia
1,1 milhão/mês