No chão em que você pisa com seu salto agulha | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
29275 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Pixel Show promove gratuitamente exibição do documentário "The Happy Film"
>>> Inédito no Brasil, espetáculo canadense SIRI estreia em novembro no Oi Futuro
>>> Antonio Nóbrega apresenta show comemorativo pela passagem dos 25 anos do Instituto Brincante
>>> Visita Temática : Os Múltiplos Tempos da Coleção de Ema Klabin
>>> Chagall é tema de palestra na Casa Museu Ema Klabin
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
>>> Manchester à beira-mar, um filme para se guardar
>>> Noel Rosa
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Olho d'água
>>> A música da corrida
>>> Retalhos da vida
>>> Limbo
>>> Transmutações invisíveis
>>> Quem te leu, quem te lê
>>> Bom dia e paz
>>> O que sei do tempo II
>>> Quem é quem?
>>> Academia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sinfonia nº 6, Beethoven
>>> Fotógrafa da Amazônia é destaque na Europa
>>> Além do Mais
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
>>> Ah, essa falsa cultura...
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Quanto custa rechear seu Currículo Lattes
>>> Santiago, de João Moreira Salles
>>> Juventude
>>> Repensar cursos de comunicação
Mais Recentes
>>> The American Folk Scenee
>>> Born to Win
>>> Novíssima Gramática Ilustrada
>>> Marketing Management, Millenium Edition
>>> Dicionário Básico de Filosofia
>>> Dicionario Técnico Industrial, Alemão Portugues
>>> Fundamentos dePsicologia Educacional
>>> As pedagogias do conhecimento
>>> The Extended Phenotype
>>> Parques de Diversões no Brasil
>>> Tabela de Composição Quimica dos Alimentos
>>> Estatistica Fácil
>>> Brazil's Second Chance
>>> Matemática Paiva Vol 2 Manual do Professor
>>> Matemática Paiva Vol 3 Manual do Professor
>>> Conexões com a Matemática Vol 2
>>> Conexões com a Matemática Vol 3
>>> Conexões com a Matemática Vol 1
>>> Matemática Paiva Vol 1 Manual do Professor
>>> Vade Mecum Jurídico + CD
>>> O Mistério do Lago
>>> Uma Vida de Milagres
>>> O Rei Irmandade da Adaga Negra
>>> Submundo
>>> Um Solto no Outro poesia
>>> O Menino Grapiúna
>>> Dicionário grego-português e português-grego
>>> Dicionário de latim-português
>>> Passo a Passo Microsoft Office Project 2007
>>> A Cultura do Dinheiro
>>> A Magia do Números
>>> Os Mortos nos falam
>>> Manon Lescaut
>>> O modernismo brasileiro e a língua portuguesa - 1ª ed.
>>> Os crimes de olho de boi - 2ª ed.
>>> Inconfidência no Império - Goa de 1787 e Rio de Janeiro de 1794
>>> O mistério do leão rampante
>>> Bibliografia sobre a juventude -1ª ed.
>>> Filosofia: Iniciação à Investigação Filosófica - 1992
>>> Mariguella - O Guerrilheiro que Incendiou o Mundo
>>> Luís Carlos Prestes - Um Revolucionário Entre Dois Mundos
>>> Os Irmãos Karamabloch - Ascensão e Queda ...
>>> Josefa e sua Gente - Capa Dura e Sobre Capa Colorida
>>> Tostão: Lembranças, Opiniões, Reflexões sobre Futebol - 1ª Edição
>>> Estrela Solitária - Um Brasileiro Chamado Garrincha - 1ª Edição
>>> Vida e Arte - Memórias de Lélia Abramo - 1ª Edição
>>> A Regra do Jogo - O Jornalismo e a Ética do Marceneiro
>>> A Ortodoxia Judaica e Seus Descontentes - 1ª Edição
>>> Teria Deus morrido?
>>> A Barca do amantes
COLUNAS

Quinta-feira, 28/2/2008
No chão em que você pisa com seu salto agulha
Elisa Andrade Buzzo

+ de 4100 Acessos
+ 2 Comentário(s)


foto: Sissy Eiko

Nem Saint-Jacques, nem Saint-Sernin. A peregrinação em voga passa por centros comerciais e caminhos a céu aberto. É de um glorioso tilintar a revoada às compras no primeiro dia de soldes em Bordeaux.

Pois quando ouro banha as fachadas da cidade, você deve estar preparado para chorar em ver aquela peça ser levada por outras mãos, a angústia do botão único da calça querida não fechar, o vestido tubinho não passar nem pelo peito, nem pelo quadril; e rir, rir muito da patética aventura pelas araras de desconto enquanto mendigos reais ou falsos estendem suas latinhas, ou se ajoelham no mesmo chão em que você pisa com seu salto agulha.

No entanto, é com serenidade que os franceses se esbaldam nestas liquidações dignas de nome. Nada de 20% ou 30%. Fala-se em 50%, 70%. Só não espere que a Hermès ou a Sonia Rykiel entrem na onda da baciada...

Nesta cidade prepotente, preparado à base de vinho, casacos de pele e misto quente, você se reúne com suas amigas para as compras. Mal estala dois beijinhos. Touca de lã sintética na H&M, luvas de couro de porco na Camaie. O inverno já está terminando, mas melhor se prevenir e estocar, estocar, estocar.

Bonjour mesdames, c'est le premier jour des soldes, n'hesitez pas, mesdames, profitez...

Foi um 13 de janeiro que começou quente com a primeira remarcação de etiquetas. Lojas lotadas, guerra de cabides. Você repara que a estratégia adotada é comprar nos primeiros dias de soldes as melhores peças, embora mais caras, e deixar para depois a raspa do tacho... sabor beterraba.

Aliás, nada de shoppings. No máximo um centre commercial, St. Cristoly, Mériadeck... arremedos de shooping center sem praça de alimentação, mas voilà, très sympa.

Faites-vous plaisir, mesdames!

Nesta cidade nesga de sol, encimesmada em escadas labirínticas e romances presidenciais, você foge da mendicância como quem se arrepende da riqueza. Não tem certeza do que talvez seja apenas uma modalidade de vagabundagem francesa. A liquidação segue durante pouco mais de um mês, e a rue Saint-Catherine se esvazia na expectativa da terceira remarcação de etiquetas.

Lá, Nico, o gato, estende sua latinha enquanto o dono com pinta de holandês roda a manivela da caixa de música. Vez ou outra, o gato dorme entufado num cobertor azul bebê, ou mastiga uma comida desenlatada. Você aprende rapidamente a lógica das coisas e lhe dá umas moedas, enquanto acaria sua cabecinha peluda. E também reconhece que ele não é uma mercadoria, ainda que continue visitando as lojas de enlatados. Todos também à altura de suas mãos.

Se até o gato Nico, de raça pura e raríssima, se inquieta e, não fosse sua boa educação, sua patada acabaria num arranhão. Ele se esforça a mostrar simpatia, e você se pergunta que outra modalidade é essa em que se usa um gato quase amestrado para ganhar uns trocados.

Au bord de l'eau

Em dia translúcido, Bordeaux, que se envolta por vidro fosse aquática, Nico daria patadas homéricas nos humanos-peixes... os heurtoirs sairiam nadando, jóias saltariam dos cofres e virariam tesouros submarinos. Os inúmeros desenhos forjados em metal das sacadas derreteriam em linhas de algas rugosas.

Nada disso. A realidade aparente mostra que Nico e você vêem Bordeaux de baixo e só podem comprar em liquidações. A "nova coleção", soberana, empurra as míseras araras de desconto. Leves, sobretudos beges, saias floridas ou cáquis. Tendências ainda enrijecidas pelo frio.

Os dias continuam mais curtos e as noites mais longas, ainda que o sol reflita nas pedras claras, criando uma ilusão dourada. Sensação irreal, espetáculo diminuto e perecível.

As soldes acabam numa derradeira braderie. Um final de semana com direito aos descontos finais e muitos camelôs... chuva colorida de roupas, música envolvente escorrendo dos alto-falantes. Bordeaux, cidade de pedra e sem peito, de repente fica popular e brilhante. Vendedores de lojas metidas a besta expõem artigos em banquinhas. Outros usam até microfone para explicar as maravilhas de um cortador de batata, cenoura, tudo. Uma multidão à la Ladeira Porto Geral se aglomera verde e amarela. Uma outra esperança desponta. Você se sente em casa, mas certa aversão a tudo aquilo faz você entrar em ruas paralelas e se dispersar...

Agora, veja as ruas num domingo de manhã: elas cheiram a urina e cerveja vazia. Na segunda-feira, as árvores de Quinconces irão espetar os sonolentos ao trabalho. O rio brilhará num espreguiço de correntes gigantes.


Elisa Andrade Buzzo
Bordeaux, 28/2/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Era uma vez um inverno de Elisa Andrade Buzzo
02. O que não fazer em época de crise de Fabio Gomes
03. Retrato do Leitor enquanto Anotação de Duanne Ribeiro
04. Guerras sujas: a democracia nos EUA e o terrorismo de Humberto Pereira da Silva
05. Só uma descrição de Eugenia Zerbini


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2008
01. Como era gostoso assistir à Sex and the City - 26/6/2008
02. Oiti - 20/11/2008
03. Chicas de Bolsillo e o fetiche editorial - 13/3/2008
04. Da indústria do sabor e do desgosto - 2/10/2008
05. Olimpíadas sentimentais - 28/8/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
29/2/2008
13h35min
Senti nesse texto uma outra França, tão verdadeira quanto poética, como deveria ser; a cidade francesa que a gente imagina timidamente, mas que raros estrangeiros têm a capacidade de ver, entender e narrar. Os sutis toques de humor, uma ironia muito fina e madura. Tudo o que faltou em Henry Miller, nas suas andanças em Paris mas, ao mesmo tempo, compactuando com a visão dele, no sentido de que é também uma visão em profundidade, que faz com que o cenário se mova e o narrador permaneça junto com o leitor, ensinando a forma ideal de se observar uma cidade, estrangeira, mas que se torna, pelo poder dessa mesma narrativa, algo familiar. O título é também um achado e, Elisa, que belíssima crônica.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
2/3/2008
20h20min
A descrição da crônica me pareceu expor sentimentos ambíguos em relação à França, mas foi apurada e bela.
[Leia outros Comentários de Luiza Amorim]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SERVIÇOS DE MARKETING UM DIFERENCIAL COMPETITIVO
JULIO CESAR TAVARES MOREIRA
SARAIVA
(2008)
R$ 22,00



RISOTTO
JUDITH BARRETT, NORMA WASSERMAN
COLLIER BOOKS
(1989)
R$ 60,00



QUE É CRER?
EUGÈNE JOLY
FLAMBOYANT
(1958)
R$ 6,30



VASARI - LE VITE DEI PIÙ ECCELLENTI PITTORI, SCULTORI E ARCHITETTI
GIORGIO VASARI
NEWTON
(1991)
R$ 290,00



A DROGA DO AMOR
PEDRO BANDEIRA
MODERNA
(2002)
R$ 5,00



A ILHA DO DIA ANTERIOR
UMBERTO ECO
RECORD
(1995)
R$ 17,64



O CÓDIGO DA VINCI
DAN BROWN
SEXTANTE
(2004)
R$ 15,00



O CONTRATO SOCIAL ONTEM E HOJE
PAULO J KRISCHKE
CORTEZ
(1993)
R$ 7,00



SARÇA ARDENTE
ROSALEE APPLEBY
ENÉAS TOGNINI
(1966)
R$ 87,00



GRANDE ENCICLOPÉDIA LAROUSSE CULTURAL VOL. 1
VÁRIOS AUTORES
NOVA CULTURAL
(1999)
R$ 2,70





busca | avançada
29275 visitas/dia
1,1 milhão/mês