Uma visão de mestre do cinema | Marcela Tullii | Digestivo Cultural

busca | avançada
22994 visitas/dia
708 mil/mês
Mais Recentes
>>> "A PALAVRA FORA DO LUGAR: ESCRITORES REFUGIADOS E EM RISCO no CCBB RJ
>>> Escritora Regina Zappa fala sobre maio de 1968 no Sem Censura
>>> Roberta Sá e Gilberto Gil lançam single
>>> Renova Centro promove evento de entrega do Prêmio Dom Quixote a quem faz a diferença no Cen
>>> Exposição gratuita retrata cultura underground de São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
>>> A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel
>>> Primavera para iniciantes
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> De Middangeard à Terra Média
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
>>> Joan Brossa, inéditos em tradução
>>> Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
>>> Psiu Poético em BH esta semana
>>> Existem vários modos de vencer
Últimos Posts
>>> Entre a esperança e a fé
>>> Tom Wolfe
>>> Terra e sonhos
>>> Que comece o espetáculo!
>>> A alforja de minha mãe
>>> Filosofia no colégio
>>> ZERO ABSOLUTO
>>> Go é um jogo mais simples do que imaginávamos
>>> Wild Wild Country
>>> Um velho adolescente
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O lilás da avenida sou eu
>>> O Anvil e o amor à música
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Physica Curiosa: a feiura dos pés
>>> Olga e a história que não deve ser esquecida
>>> Ficção Brasileira Contemporânea, por Karl Erik Schøllhammer
>>> Mário Botas ou o Regresso de Narciso
>>> Ficar ou não ficar?
>>> Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia
>>> Acordo Internetês Ortográfico
Mais Recentes
>>> Iemanjá/Ogum - Volume 1
>>> Corações de Pedra
>>> A Escolha de Sofia
>>> Pedagogia Do Amor
>>> Veja - A História é Amarela
>>> Os Segredos que não contei para as Donas de Casa
>>> Deficiência e Trabalho
>>> A Alegoria da Caverna
>>> O Duque e Eu - Os Bridgertons - 1
>>> Até que a Vida os Separe
>>> Nos Subterrâneos da Mente - Psiquiatria na Vida Diária
>>> Desenvolvimento da Linguagem Oral e Escrita em Criancas de 0 A 5 Anos
>>> Os Sentidos da Paixão
>>> As Marcas Diabólicas
>>> Entenda e Ponha em Prática as Ideias de Stephen Covey
>>> O Fardo da Nobreza
>>> Entenda e Ponha em Prática as Ideias de Andrew Grove
>>> A Dieta do Rabino ( A cabala da Comida)
>>> A guerra suja
>>> A Cabala do Dinheiro
>>> Secretário intimo preboste e juiz ou intendente dos edifícios ou mestre em Israel
>>> La Fête au Bouc
>>> O Retrato 2 Tomo
>>> O Continente- Tomo 2
>>> Esaú e Jacó
>>> Dom Casmurro
>>> Memorial de Aires
>>> A mão e a luva
>>> Obra Poética
>>> Obra completa - 02 vols.
>>> Os Sertões - 03 vols.
>>> O homem
>>> O mulato
>>> Casa de Pensão
>>> Livro de uma sogra
>>> Fantoches e Outros contos
>>> Noite e O prisioneiro
>>> Saga
>>> O resto é silêncio
>>> Caminhos Cruzados
>>> Israel em abril.
>>> A volta do gato preto
>>> Um lugar ao sol
>>> O Senhor Embaixador
>>> Gato preto em campo de neve
>>> Solo de clarineta - 02 vols.
>>> Clarissa
>>> Música ao longe
>>> Um certo Henrique Bertaso e Artigos diversos
>>> México
COLUNAS

Segunda-feira, 24/11/2008
Uma visão de mestre do cinema
Marcela Tullii

+ de 2000 Acessos

A Escola de Comunicações e Artes da USP promoveu a IX Semana do Audiovisual, que teve início no dia 6 de outubro e terminou no dia 10 do mesmo mês. Na programação, debates sobre o audiovisual no Brasil, exibições de projeções universitárias e bate-papos com diretores consagrados, dentre eles Fernando Meirelles.

Meirelles é conhecido pela direção de filmes como Cidade de Deus, O jardineiro fiel e, mais recentemente, Ensaio sobre a cegueira, além de ser um dos cineastas brasileiros com maior projeção internacional.

O bate-papo durou pouco mais de duas horas. O diretor chegou pontualmente ao auditório, onde se amontoavam mais de 200 estudantes, sentados no chão, nas janelas e até pendurados no teto. Respondeu a todas as perguntas sem pressa e com ótimas e divertidas tiradas. Falou-se sobre o cinema no Brasil, a produção de filmes, o papel do cinema na sociedade e sobre os trabalhos do diretor.

A maior parte do público era da área de audiovisual, mas alguns "penetras", como eu, se faziam presentes. Leiga que sou, fiquei surpresa com algumas práticas que são de praxe no fazer de um filme.

Surpreendeu-me, por exemplo, como o resultado final de um projeto, ao contrário do que se pensa, é muito diferente da visão inicial do diretor. Um dos motivos para isso diz respeito à praticidade. O filme Ensaio sobre a cegueira, que foi co-produzido pela produtora de Meirelles, a O2, foi filmado em São Paulo, pois, sendo a produtora daqui, a possibilidade de fechar locações compatíveis com o roteiro era maior. O diretor mostrou certo descontentamento com o fato de muitos cenários serem reconhecíveis, como o centro da cidade e a nova ponte na avenida Roberto Marinho, praticamente cartões-postais de São Paulo, o que desviou um pouco o propósito de retratar nas filmagens uma cidade genérica e não-reconhecível. Mas, nesse caso, os procedimentos burocráticos falaram mais alto. Outro motivo é a necessidade de fazer um filme ser mais comerciável. Muito embora os filmes de Meirelles sejam classificados como smart art, a pressão por um bom desempenho nas bilheterias é grande. Para isso, o filme passa por diversas modificações na edição original. A primeira edição é passada para um público teste em uma sala, e as emoções e reações do público são acompanhadas e analisadas; a partir disso, modificações no filme são feitas para torná-lo mais compatível ao gosto do público. Tudo isso com certo critério, é claro. Só para ilustrar, a versão original de Ensaio sobre a cegueira continha duas cenas de estupro. Durante a sessão-teste, algumas poucas pessoas saíram da sala na primeira cena, o que já era previsto. Durante a segunda cena, muitas pessoas levantaram e se retiraram da sessão, algo que se mostrou inesperado pela equipe do filme. Na versão que foi aos cinemas, a segunda cena é bem editada, quase só insinuada.

Outra coisa explicada pelo diretor e desconhecida do grande público é como se dá início a um filme. Muitos roteiristas mandam suas propostas de roteiros para produtoras, que, ao lerem um interessante, dão prosseguimento ao projeto, enviando o texto a potenciais diretores, até que algum aceite e comece a montar sua equipe. O que mais me chamou a atenção nesse processo é que a maioria dos roteiros que chegam a produtoras e são levados adiante são, na verdade, reescritos por roteiristas "profissionais" contratados pelas produtoras, que adaptam a boa história da proposta inicial para um roteiro filmável.

Esse ponto, aliás, vai ao encontro do pensamento de Meirelles acerca das inovações para o cinema contemporâneo. De acordo com o diretor, não há nada de realmente novo a ser feito. A novidade reside na descoberta de novas maneiras de se fazer o que um dia já foi feito e fazer isso bem.

Para isso, o Brasil precisa consertar uma grande lacuna que ainda existe: a falta de roteiristas realmente bons e profissionalizados, para sanar o problema de muitos filmes nacionais, que possuem roteiros razoáveis, mas mal escritos, acarretando em filmes ruins. O próprio Meirelles, acreditando nessa idéia, abrirá em sua produtora um curso para roteiristas, que funcionará em forma de workshops. Os convidados a participar da primeira temporada foram selecionados através de roteiros enviados para a O2, que escolheu aqueles com maior potencial.

O cineasta acredita que o Brasil está começando a mostrar seu potencial, fazendo filmes de qualidade e compromisso. A facilidade com que os filmes brasileiros estão indo para o exterior e sendo reconhecidos pelos grandes festivais internacionais comprova que o futuro é promissor. Mas, para que o cinema nacional consiga ter maior êxito aqui no país, apontou que ainda é preciso a implementação de políticas que viabilizem novas produções, facilitem a exibição e divulgação dos filmes nacionais, pois grande parte entra em cartaz sem divulgação por falta de patrocinadores de peso e em circuitos alternativos que não são de conhecimento do grande público, o que dificulta o acesso. A luta não está em conquistar o reconhecimento lá fora, mas em tornar o filme nacional uma opção viável e interessante para o público brasileiro.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pela autora. Originalmente publicado na Gazeta Vargas nº 77.


Marcela Tullii
São Paulo, 24/11/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia de Renato Alessandro dos Santos
02. Os Doze Trabalhos de Mónika. Epílogo. Ambaíba de Heloisa Pait
03. A selfie e a obsolescência do humano de Marta Barcellos
04. A Mão Invisível de Marilia Mota Silva
05. O Velho e Bom Complexo de Inferioridade de Marilia Mota Silva


Mais Marcela Tullii
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ÉDIPO EM COLONO DE SÓFOCLES
TRAJANO VIEIRA
PERSPECTIVA
(2012)
R$ 25,90



O CAMINHO DA CURA: DESPERTANDO A SABEDORIA ANTERIOR
DEEPAK CHOPRA, M.D.
ROCCO
(1999)
R$ 15,00



VIDA Y CONTEMPLACIÓN
MANUEL J. FERNÁNDEZ MÁRQUEZ
SAN PABLO
(1998)
R$ 48,00



ORDENS DO AMOR UM GUIA PARA O TRABALHO COM CONSTELAÇÕES FAMILIARES
BERT HELLINGER
CULTRIX
(2007)
R$ 39,90



EDUCAÇÃO PERMANENTE E CAPITALISMO TARDIO
VANILDA PAIVA / HENRIQUE RATTNER
CORTEZ
(1985)
R$ 8,00



O POVO
JULES MICHELET
MARTINS FONTES
(1988)
R$ 65,00



DO ESPÍRITO DAS LEIS
MONTESQUIEU
MARTIN CLARET
(2006)
R$ 10,00



RECEITAS MILAGROSAS DE MÉDICOS E MÍSTICOS
KURT ALLGEIER
EDIOURO
(1984)
R$ 18,00



CLIQUE & DESCOMPLIQUE WINDOWS & SEUS SEGREDOS
VÁRIOS AUTORES
GOLD
(2008)
R$ 3,00



O PLANO PERFEITO
SIDNEY SHELDON
RECORD
(1997)
R$ 4,00





busca | avançada
22994 visitas/dia
708 mil/mês