Por que comemorar o dia das mães? | Débora Carvalho | Digestivo Cultural

busca | avançada
29956 visitas/dia
846 mil/mês
Mais Recentes
>>> Lançamento de Paulinas Editora convida crianças a conhecerem a vida de São Francisco
>>> Ana Salvagni e Eduardo Lobo apresentam 'Canção do Amor Distante' em Campinas
>>> Diálogos com um gênio da literatura mundial que marcaram toda a cultura ocidental
>>> 'Chet Baker, Apenas Um Sopro' com Paulo Miklos estreia dia 06/10 no CCBB/RJ
>>> Bolo de chocolate recheado de frutas com cobertura de chocolate
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Breve resenha sobre um livro hediondo
>>> Alice in Chains, por David De Sola
>>> Simpatia pelo Demônio, de Bernardo Carvalho
>>> Afinidade, maestria e demanda
>>> O Quixote de Will Eisner
>>> Era uma vez um inverno
>>> Caindo as fichas do machismo
>>> Uma livrada na cara
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Srta Peregrine e suas crianças peculiares
Colunistas
Últimos Posts
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Lançamento e workshop em BH
>>> Reid Hoffman por Tim Ferriss
>>> Software Programs the World
>>> Daphne Koller do Coursera
>>> The Sharing Economy
>>> Kevin Kelly por Tim Ferriss
>>> Deepak Chopra Speaker Series
>>> Nick Denton sobre Peter Thiel
>>> Bill & Melinda Gates #Code2016
Últimos Posts
>>> Armaduras
>>> Etapas de uma pintura III (movie)
>>> Origâmis
>>> Eleições Municipais e o Efeito DunDum!
>>> Dente-de-leão
>>> MARINHA
>>> O que dizer depois da reunião de orientação
>>> Natureza do som
>>> Insone
>>> Sobre a Filosofia (obrigatória) no ensino médio
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um aborrecimento e uma surpresa
>>> Meu querido mendigo
>>> Borges sensacionalista
>>> Gustavo Rezende: uno... duplo...
>>> O Próximo Minuto, por Robson Pinheiro
>>> Memorial de Berlim
>>> Em Busca da Terra do Nunca... e Johnny Depp
>>> A mitologia original de Prometheus
>>> O retorno à cidade natal
>>> Confissões de um jornalista que virou suco
Mais Recentes
>>> Lula É Minha Anta
>>> Moderna orientação de leitura e abordagem literária - Poesia e Prosa
>>> Direção de arte em propaganda
>>> Como Reconhecer a arte rococó
>>> E Por Falar Em Amor
>>> Chichapolitik - la prensa com Fujimori em las elecciones generales 2000 em el Perú
>>> Camilo Desconhecido (1918)
>>> Fazendo Meu Filme - Vol.1 - A Estreia de Fani
>>> O desencantamento da arte - a filosofia de Walter Benjamin
>>> A menina que roubava livros
>>> O Novo rádio
>>> Contos Fantásticos
>>> O diabo e a terra de Santa Cruz
>>> Operação Cavalo De Tróia 5
>>> A cabeça do Brasileiro
>>> A Lata - Solução de Futuro
>>> Economia para Leigos
>>> Acervo Nacional de Belas Artes
>>> Arte Sacra Colonial: Barroco Memória Viva
>>> Escultura Gótica 1140-1300
>>> Violeiros do Norte - poesia e linguagem do sertão nordestino - 5ª ed.
>>> Guilherme Marechal ou o melhor cavaleiro do mundo
>>> Angústia
>>> Rua dos artistas e arredores
>>> Treblinka - 2ª edição
>>> Lolita
>>> Messalina
>>> Casei Com um Comunista
>>> The Secret - o Segredo
>>> O Senhor de Todas as Armas
>>> Entre Ossos e a Escrita
>>> Índios no Brasil
>>> Maçonaria nas Américas
>>> 27 Romance
>>> Amo você
>>> Histórias de Nuestra América A lua e a caminhada perigosa Torquemada
>>> A democracia necessária
>>> Trezentos e sessenta e cinco dias 365 histórias
>>> Moderna Enciclopédia de Relações Humanas e Psicologia gerak
>>> O repouso
>>> Assuntos da Vida e da Morte
>>> O pai Goriot
>>> E o mundo silenciou
>>> A enigmática Cultura Egípcia
>>> Obras Escolhidas V
>>> As Valkirias
>>> Mundo Angelical
>>> Colonização e (des)povoamento
>>> As aventuras de Huckleberry Finn
>>> Cabul no Inverno
COLUNAS

Terça-feira, 4/5/2010
Por que comemorar o dia das mães?
Débora Carvalho

+ de 11300 Acessos
+ 1 Comentário(s)


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

A amizade, às vezes, serve para alguma coisa além de boas risadas e momentos felizes fazendo nada juntos. Os resultados dos esforços de amigos para consolar quem está triste podem surpreender. Um bom exemplo está na data comemorativa do Dia das Mães. Tudo começou quando a mãe de Anna Jarvis morreu. O luto virou depressão e as colegas de Annie resolveram alegrá-la promovendo uma festa em memória da mãe da grande amiga, que havia sido um exemplo de mulher ao prestar serviços comunitários durante a Guerra Civil Americana. A garota gostou tanto que divulgou a ideia, fazendo estender a homenagem para todas as mães, não só as que já haviam morrido. Isso aconteceu em 1904.

A ideia pegou, virou mania nos Estados Unidos. Apenas dez anos depois, em 9 de maio de 1914, o então presidente Woodrow Wilson oficializou o Dia das Mães.

Interessante que a ação solidária de algumas amigas tenha ajudado a fomentar o que a escritora Júlia Ward Howe já havia sugerido em 1872. Alguém precisava começar para mostrar como celebrar o dia das mães seria legal.

Como sempre acontece, outros países incluíram a data no calendário.

Na Inglaterra, a comemoração começou de um jeito diferente. No início do século XVII, os operários ingleses recebiam folga para passar o quarto domingo da Quaresma com suas mães. Nesse "domingo das mães", elas faziam um bolo para "agradar" os filhos que trabalhavam longe de casa, e eles levavam presentes para mostrar que o trabalho valia a pena, mesmo tão longe.

No Brasil, a data foi promovida em Porto Alegre, pela ACM (Associação Cristã de Moços), em 12 de maio de 1918. Catorze anos depois, em 1932, a data passou a fazer parte do calendário nacional por intermédio do então presidente Getúlio Vargas.

Pesquisando um pouco mais, há indícios de que algum tipo de comemoração em torno da maternidade existiu na Grécia Antiga e em Roma. Os gregos apresentavam oferendas, presentes e homenagens à deusa Reia ― mãe de todos os seres; os romanos faziam o mesmo que os gregos, mas a festa durava três dias, dedicada à deusa Cibele ― mãe dos deuses.

E, assim como o mundo imita os Estados Unidos, a Igreja, "monoteísta", adaptou a data em homenagem à "Virgem Maria", mãe de Jesus.

Mas isso ainda não era o "Dia das Mães", já que a homenagem era a um deus ou personagem único.

A ideia de presentear a homenageada abriu brechas para o caráter comercial do "Dia das Mães". Mas isso foi inevitável. Começou ainda nos tempos de Anna Jarvis ― embora eu acredite que já acontecia no tempo das homenagens às deusas que também recebiam presentes fabricados e vendidos por alguém, certo?

Não há nada de errado com a comercialização de presentes ― é algo necessário. O problema está nas pessoas, e não nas coisas. O roteiro mudou. Muitos filhos e mães esquecem a essência da data, que é a aproximação, passar um tempo juntos ou manter viva a memória de quem nos trouxe ao mundo.

Algumas mães, mesquinhas, esperam um super presente. E só. Não são capazes de passar um tempo agradável sem criticar, sem reclamar, só sendo mãe. Esperam apenas que o filho devolva o investimento financeiro que fora feito para sua educação. Não um abraço quente, de amor verdadeiro. São mães frias, calculistas, que veem nos filhos simples negócios. E ficam chateadas, reclamam "é só isso que eu mereço?" quando não recebem um presente com o valor financeiro esperado. E ainda saem reclamando para as amigas que o filho é "muquirana".

Por outro lado, alguns filhos acham que, por dar um presente caro, se isentam da tarefa de serem filhos de verdade. Não dedicam tempo, carinho e atenção. No Dia das Mães, agem como se fossem funcionários dos Correios. Dão uma "passadinha" super corrida só para entregar o pacote e dar um beijinho "gelado". Às vezes, o segundo do ano ― depois do Ano Novo. A mãe, sem graça, diz que não precisava se preocupar, que o verdadeiro presente é ver que o filho está bem e ganhar um abraço. Em seu coração, tudo o que ela queria era passar mais tempo com sua cria, saber realmente como estão as coisas, sentir que é amada por quem mais ama, jogar conversa fora... e até poder ter o direito de dar algum conselho. Mas o filho não quer nem saber da solidão da senhora sua mãe.

Vendo isso, por volta de 1923, Anna Jarvis até tentou fazer uma campanha para devolver o calor humano à data. A repercussão foi grande, mas em termos de resultados, nada conseguiu mudar. Aliás, o Dia das Mães aqueceu o comércio, pois os filhos sempre compram presentes para agradá-las. Seja uma lembrancinha dada com amor, conforme as condições financeiras, seja um presentão que é mais um pedido de desculpas pela indiferença ou ausência de filho durante o ano.

O fato é que as notícias sobre o Dia das Mães são: "Dia das mães: recorde de otimismo entre os empresários." É estimado crescimento de 5,3% em relação ao Dia das Mães de 2009. E os presentes mais procurados são roupas, sapatos e acessórios (31%), seguidos de flores (18%). Em terceiro lugar, celular (15%) ― será que é para falar com a mamãe? Em quarto, eletrodomésticos (14%), seguido de perfumaria e cosméticos (8%) ― pra mamãe ficar cheirosa e com a pele macia. Em sexto estão os eletrônicos (6%) e depois vêm as joias e relógios (2%) ― pra quem tem grana. E por fim, com 1% cada, chocolates e doces, utilidades domésticas, decoração e móveis, CDs, DVDs e livros, viagens e outros mais criativos.

E você? Já escolheu o seu presente?


Deus me deu a vida através de você, não sou um presentão?

Feliz Dia das Mães às mães vivas e mortas. Às biológicas e às mães do coração. Feliz Dia das Mães a quem trouxe ao mundo pessoas de valor, que fazem o mundo valer a pena. E àquelas que são tão mães, tão mães, que conseguem ser amadas até a velhice. Feliz Dia das Mães àquelas que se orgulham de suas crias, mas também às mães de "Caim" ― que não se culpem se a culpa não são delas. Enfim, que no Dia das Mães 2010, todas sejam amadas e amem bastante. Que todas se orgulhem de seus filhos. E que os filhos também se sintam amados e amem suas maravilhosas mães. E que, de fato, todas sejam maravilhosas!


Débora Carvalho
São Paulo, 4/5/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Dheepan, uma busca por uma nova vida de Guilherme Carvalhal
02. Notas confessionais de um angustiado (IV) de Cassionei Niches Petry
03. São Paulo e o medo no cinema de Elisa Andrade Buzzo
04. A Imagem do Som de Fabio Gomes
05. A melhor Flip de Marta Barcellos


Mais Débora Carvalho
Mais Acessadas de Débora Carvalho em 2010
01. Por que comemorar o dia das mães? - 4/5/2010
02. Choque de realidade no cinema - 23/2/2010
03. Metade da laranja ou tampa da panela? - 13/7/2010
04. Orgasmo ao avesso - 22/6/2010
05. Desperte seu lado Henry Ford - 17/8/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/5/2010
06h59min
Oi, Débora. O que seria mais valioso se lembrar é que o dia não é apenas um dia em que as mães vivas ou mortas recebem presentes dos filhos, queiram elas presentes grandes ou pequenos. Mesmo porque Anna Jarvis, que comercializou esse dia, percebeu tarde demais que o que fez - transformar o dia das mães em um dia de férias e de comércio - não foi a melhor coisa que fez na vida. O significado mais bonito desse dia é o de ser um dia sobre a responsabilidade e importância da contribuição das mulheres para a paz mundial. Quem souber ingles, de uma olhada neste filme, é lindo!
[Leia outros Comentários de Claudia]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ESAÚ E JACÓ
MACHADO DE ASSIS
MARTIN CLARET
(2001)



O NOME
FRANKLIN GRAHAM COM BRUCE NYGREN
CPAD
(2003)



LIÇÕES DE LENINGRADO -UMA INTRODUÇÃO À ONTOPSICOLOGIA
ANTÔNIO MENEGHETTI
ABO
(1993)



EL HOMBRE QUE RIE
VICTOR HUGO
RAMON SOPENA
(1947)



HQ TURMA DA MÔNICA JOVEM Nº 1 ESPECIAL
MAURÍCIO DE SOUZA
PANINI COMICS/MAURÍCIO DE SOUZA
(2009)



ORANDO ANTES DE LEVANTAR
CRISTINA KLEIN
BICHO ESPERTO
(2006)



YEAR BOOK DE ORTOPEDIA Y TRAUMATOLOGÍA EN ESPAÑOL
MARK B CONVENTRY
PANAMERICANA
(1976)
+ frete grátis



LUIZ GONZAGA - A MÚSICA COMO EXPRESSÃO DO NORDESTE
JOSÉ FARIAS DOS SANTOS
IBRASA
(2016)
+ frete grátis



A QUEDA
ALBERT CAMUS
RECORD
(1983)
+ frete grátis



BIBLIOGRAFIA DA DRAMATURGIA BRASILEIRA - VOLUME 1 A-M
AMÉLIA MARIA MOREIRA E MARIA CHRISTINA DA SILVA (ORG.)
ECA/USP
(1981)
+ frete grátis





busca | avançada
29956 visitas/dia
846 mil/mês