Por quem os sinos dobram em Paris? | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
9175 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Teatro Sérgio Cardoso recebe D'arc - Dark de Dinah Perry e Jorge Garcia
>>> Última semana para prestigiar as exposições de Alex Flemming e Marcius Galan na Fundação Ema Klabin
>>> Casa da Memória Italiana realiza debate sobre fotografia
>>> Letícia Sekito, Cia Tentáculo e Marcos Moraes fazem o último Cartografia do Possível no CRDSP
>>> Duo CasaDois se apresenta no Zé do Hamburger
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A vida dos pardais e outros esquisitos pássaros
>>> Blockchain Revolution, o livro - ou: blockchain(s)
>>> Bates Motel, o fim do princípio
>>> Bruta manutenção urbana
>>> Por que HQ não é literatura?
>>> Precisamos falar sobre Kevin
>>> Entrevista com o poeta mineiro Carlos Ávila
>>> Bitcoin, smart contracts, blockchain, cryptoassets
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
>>> Manchester à beira-mar, um filme para se guardar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Caindo na Real - Você Aproveitou as Oportunidades
>>> Ilustrado
>>> Fascínio cotidiano
>>> O que sei do tempo III
>>> Primeiro ato
>>> Pssica e a Amazônia de Edyr Augusto
>>> UM VENTO ERRANTE
>>> Voamos Juntos
>>> Evolução, revolução e regressão
>>> Medo do futuro?
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Morreu Vinicius de Moraes
>>> 20 anos de cultura no brasil
>>> Rua da passagem
>>> Olhando pela fresta
>>> Fragmentos de um Paulo Francis amoroso
>>> Era uma vez o conto de fadas
>>> Alma Nua
>>> Proposta Decente?
>>> Proposta Decente?
>>> Proposta Decente?
Mais Recentes
>>> Capitão Swing
>>> A Experiência Burguesa - A Paixão Terna
>>> 3001- A Odisseia Final
>>> Zacarias 1 a 3
>>> O Justo viverá pela Fé
>>> Contos Novos
>>> O Noviço
>>> Fogo Morto
>>> Macunaíma
>>> Antologia de Estética Teoria e Crítica Literária
>>> Ana Karenina
>>> Suas Mãos Podem Curá-lo
>>> Mudras - As Mãos Como Símbolo do Cosmos
>>> Dos Crimes Contra o Patrimônio V. 9
>>> O Gerente Minuto e a Administração do Tempo
>>> Peça e Será Atendido - Aprendendo a Manifestar seus desejos
>>> O Encantador de Cães
>>> Paz Interior
>>> Marley & Eu
>>> Poder Sem Limites
>>> Milagres da Cura Prânica
>>> Um Dia Minha Alma se Abriu por Inteiro
>>> Auto-estima, Liberdade e Responsabilidade
>>> O Paraíso Fica Perto
>>> A Nova Dieta dos Pontos
>>> O Poder Dentro de Você
>>> Contos Antológicos
>>> Nova Gramática do Português Contemporâneo - 3ª ed. revista
>>> Prime Time (inglês para o ensino médio) - Volume Único - 2ª ed.
>>> Essential Grammar In Use - second edition
>>> As Medicinas Tradicionais Sagradas
>>> Espanha - Pequena História das Grandes Nações
>>> O Homem
>>> Teatros Do Corpo - O Psicossoma em Psicanálise
>>> Direito Tributário - Parte Geral
>>> Direito Civio - Contratos
>>> Meu Primeiro Milhão
>>> Lições Práticas de Processo Penal - O Caderninho do Criminalista
>>> Direito Financeiro na Constituição de 1988
>>> Poderosa - Diário de Uma Garota que Tinha o Mundo na Mão
>>> O Diário da Rua
>>> Os Invertebrados: uma Síntese
>>> Carta Aberta aos Gurus da Economia que nos Julgam Imbecis
>>> O Fim do Euro
>>> Gestão de Riscos nos Modelos de Negócios
>>> O Futuro dos empregos
>>> A Economia Irracional
>>> O texto na TV- Manual de Telejornalismo
>>> Conto de escola
>>> O inimigo secreto
COLUNAS

Quinta-feira, 21/7/2011
Por quem os sinos dobram em Paris?
Vicente Escudero

+ de 2100 Acessos


Na França, à meia-noite, os sinos dobram pela nostalgia de um escritor de roteiros de Hollywood perdido nas memórias afetivas de seus ídolos literários convivendo numa Paris festiva e boêmia, um redemoinho agregador de artistas dividindo suas expectativas e dúvidas entre um trago e outro, dançando no ritmo do jazz de Cole Porter e se encontrando na casa de Gertrude Stein para discutir ideias e dividir opiniões sobre seus trabalhos. T.S. Eliot esteve lá, com Fitzgerald e Zelda, Pablo Picasso, Dalí e Matisse, todos formando uma particular posteridade descrita por Hemingway, incumbido da função de delator na biografia definitiva da boemia e efervescência cultural dos anos de ouro de Paris, nas primeiras décadas do século XX, em Paris é uma Festa, publicado em 1964, logo após sua morte. Quem não gostaria de voltar no tempo e tomar alguns goles de absinto com seus ídolos, enquanto estavam no auge criativo?

Viajar de volta no tempo ainda é uma tarefa impossível. Para amenizar esta dificuldade técnica, resta apenas ao cinema ligar os dois pontos distantes da história e transportar o espectador para dentro da fantasia, neste caso um retrato fiel, pelo menos sentimental, das emoções do protagonista do novo filme dirigido e escrito por Woody Allen, Meia Noite em Paris. Gil, interpretado por Owen Wilson, é um escritor de roteiros de Hollywood prestes a se casar, em visita a Paris com sua noiva Inez (Rachel McAdams) acompanhada da família. Gil é um roteirista insatisfeito com o trabalho, distante da realidade e indiferente ao presente. Sonha em viver apenas da literatura e abandonar os roteiros açucarados que produz, mas não tem confiança para avançar e terminar o romance que está escrevendo.

Allen mais uma vez faz uma paródia de si mesmo, utilizando Owen Wilson, ator um pouco mais limitado do que as suas escolhas para protagonistas de filmes anteriores, como Hugh Jackman, Ewan McGregor e Jonathan Rhys Meyers. Apesar de suas limitações, Wilson acaba compensando pela sutileza cômica, a trágica passividade expressada nos conflitos com a noiva Inez, sempre disposta a gastar a paciência e o adiantamento recebido por Gil pelo seu último roteiro até os últimos centavos. O roteirista deseja conhecer os becos e cafés tradicionais de Paris, onde seus ídolos literários se escondiam do medo do fracasso, caminhar pela cidade durante a chuva "quando a cidade é mais bela", mas Inez é quase indiferente aos seus impulsos saudosistas e românticos, preocupa-se apenas em replicar a vida que leva na Califórnia, dentro de Paris.

Woody Allen aproveita para depreciar o estilo de vida consumista e espalhafatoso, apresentado por Inez e sua família, ao contrapor Gil Pender ao pedantíssimo escritor e professor universitário chamado Paul (Michael Sheen), amigo de Inez visitando Paris para palestrar na Sorbonne, que encontra o casal logo no início da viagem, enquanto almoçam num restaurante. Paul se esforça para impressionar Inez, tornando-se onipresente na viagem do casal e servindo de modelo de refinamento intelectual e conta bancária a ser alcançado por Gil, segundo Inez. Paul domina os cenários para conseguir demonstrar que sempre domina os assuntos. Enquanto observam uma estátua de Rodin, Paul se encarrega de destrinchar para os presentes, de forma mecânica e burocrática, todos os detalhes factuais e cronológicos que serviram de inspiração para a criação da escultura, complemetando, interrompendo e questionando a apresentação feita pela guia do museu, interpretada por Carla Bruni. Paul, atendendo aos padrões de refinamento exigidos por Inez, também é um enófilo e sabe apreciar a delicadeza do aroma e do sabor de cada safra de vinhos, enquanto Gil está mais preocupado em comer no mesmo bar onde esteve James Joyce ou dividir com a noiva uma quitinete perto da Sorbonne para reviver as agruras de Hemingway e sua primeira esposa, Hadley.

A fotografia de Paris pinta a adoração de Allen pela cidade. O movimento só existe durante a noite, o dia é reservado para o cotidiano banal da família de Inez, contrapondo a boemia noturna de ruas solitárias com o frenesi do trânsito intenso do dia. Gil Pender explora os becos estreitos durante a noite e acaba encontrando num velho calhambeque Peugeot os passageiros que o conduzem para a Paris de suas lembranças, onde encontra os ídolos que construíram suas obras favoritas, discutindo sobre a vida com Hemingway, Fitzgerald, Getrude Stein, T. S. Eliot e outros artistas, além de ter seu livro avaliado por Gertrude Stein e ganhar um conselho que muda o rumo de sua vida. Entre as viagens no tempo, um amor que se encerra no passado acaba renascendo no presente, num jogo entre épocas que imita a composição dos tempos de um romance.

Owen Wilson é uma surpresa interessante no papel de Gil Pender. Suas viagens pelo tempo na Cidade da Luz são uma representação fiel das preferências de Woody Allen e reproduzem o sonho comum dos escritores de algum dia dividir as angústias da escrita com seus ídolos. Nesse processo de reconstrução das imagens de homens e mulheres imperfeitos, mas autores de obras monumentais, a memória sacrifica os defeitos e acaba impondo aos personagens uma aura de santidade, sempre acompanhados de perto pela ingenuidade das lembranças de um admirador do futuro. Na homenagem a Paris, Woody Allen extravasa o humor de costumes e encerra uma reverência aos seus ídolos precursores. E é neste defeito, a sinceridade, que se encontra o grande valor do filme.


Vicente Escudero
Campinas, 21/7/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. 10 maneiras de tentar abolir o debate de Julio Daio Borges
02. Como você aprende? de Débora Carvalho
03. A sordidez de Alessandro Garcia de Guilherme Pontes Coelho
04. O senhor do YouTube de Vicente Escudero
05. Um olhar desafiador de Vicente Escudero


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2011
01. Kindle, iPad ou Android? - 14/4/2011
02. O incompreensível mercado dos e-books - 3/3/2011
03. O ponto final da escrita cursiva - 15/9/2011
04. Lynch, David - 8/12/2011
05. Diário da Guerra do Corpo - 9/6/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DIÁRIO DA SOLIDÃO
TIAGO PENA
LYNCE
(2016)
R$ 32,33



HABITANTES DE BABEL
JORGE LARROSA E CARLOS SKLIAR
AUTÊNTICA
(2001)
R$ 33,00



ARTE NOS SÉCULOS VOL I DA PRÉ HISTÓRIA AO CLASSICISMO
VICTOR CIVITA (EDITOR)
ABRIL CULTURAL
(1969)
R$ 25,00



PSIQUIATRIA
ANA FERNÁNDEZ ESPINOSA
MCGRAW HILL
(2002)
R$ 15,00



CONJUGAÇÃO DOS VERBOS EM PORTUGUÊS
MARIA APARECIDA RYAN
ÁTICA
(1998)
R$ 16,00



PÁSSAROS DA LIBERDADE + JOVENS, JUDEUS E REVOLUCIONÁRIOS NO BRASIL
CARLA BASSANEZI PINSKY
CONTEXTO
(2000)
R$ 10,00



PORTUGUÊS PARA O CURSO TÉCNICO PRIMEIRO ANO
JOSÉ CRETELLA JÚNIOR
COMPANHIA NACIONAL
(1954)
R$ 30,00



A BELA ADORMECIDA - PRINCESAS INESQUECIVEIS
NÃO CONSTA
BICHO ESPERTO
R$ 5,00



ISIS SEM VEU:4 VOLUMES-OBRA COMPLETA(LIVROS NOVOS)
HELENA BLAVATSKY
PENSAMENTO
(2013)
R$ 300,00



EFÉSIOS 4 A 6 - ALIMENTO DIÁRIO
DONG YU LAN - EDITOR
ÁRVORE DA VIDA
(1993)
R$ 4,90





busca | avançada
9175 visitas/dia
1,0 milhão/mês