Quando morre uma paixão | Adriane Pasa | Digestivo Cultural

busca | avançada
36458 visitas/dia
993 mil/mês
Mais Recentes
>>> ESCOLA PANAMERICANA REALIZA NOVA EDIÇÃO DO ARTESCAMBO
>>> Evento apresenta influência da gastronomia italiana na cultura de São Paulo
>>> Festival Cine Inclusão tem sessão de encerramento dia 23/9 na Unibes Cultural
>>> Exposição de Fábio Magalhães na CAIXA Cultural São Paulo termina dia 24 de setembro
>>> Vânia Bastos apresenta o premiado "Concerto para Pixinguinha", no Teatro Municipal Teotônio Vilela,
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
>>> Da varanda, este mundo
>>> Estevão Azevedo e os homens em seus limites
>>> Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> É de fibra
>>> O indomável Don Giovanni
>>> Caracóis filosóficos
>>> O mito dos 42 km
>>> Setembro Paulista
>>> Apocalipse agora
>>> João, o Maestro (o filme)
>>> Metropolis e a cidade
>>> PETITE FLEUR
>>> O fantasma de Nietzsche
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com o poeta Régis Bonvicino
>>> Pascal e a condição humana
>>> Alberto Caeiro, o tal Guardador de Rebanhos
>>> O gato diz adeus
>>> Ascese, uma instalação do artista Eduardo Faria
>>> Rousseau e a Retórica Moderna
>>> Sartre e a idade da razão
>>> Encontros (e desencontros) com Daniel Piza
>>> Para você estar passando adiante
>>> Para você estar passando adiante
Mais Recentes
>>> Platero E Eu
>>> O Piano
>>> Blue Like Jazz - Nonreligious Thoughts On Christian Spirituality
>>> A Prece Ucraniana na Pressa da Cidade- as renegociações das práticas religiosas ucranianas nos espaços da cidade de Curitiba, a partir de 1960
>>> Harmonia
>>> O Muro
>>> Tetralogia Monstro
>>> O Poder da Mulher que Ora
>>> Historia Geral Da Africa, Vol.2 Africa Antiga
>>> Revista de Cultura Brasileña - Número 39, junho de 1975 (ESPANHOL/PORTUGUÊS)
>>> Perspectivas da Cultura Brasileira - Miguel Reale
>>> Cenas de um casamento sueco - Ingmar Bergman (Cinema)
>>> Movimento Brasileiro: Contribuição ao estudo do Modernismo - Maria Eugênia da Gama Alves Boaventura (Arte e Ciências Humanas)
>>> André Malraux: Três aspectos e uma síntese (A aventura, a política, a arte) Frederico dos Reys Coutinho (Literatura Francesa)
>>> A música na Revolução Francesa - Enio Squeff
>>> A Invasão Cultural Norte-Americana - Júlia Falivene Alves (Cultura)
>>> Arte-Educação no Brasil - Ana Mae T. B. Barbosa
>>> Informação. Linguagem.Comunicação. - Decio Pignatari (Comunicação)
>>> Mito e Realidade - Mircea Eliade (Filosofia)
>>> A Holanda no tempo de Rembrandt - Paul Zumthor (Artes Plásticas)
>>> Portinari: Exposição de sua obra de 1920 até 1948 (Artes Plásticas)
>>> O Surrealismo - Yvon Duplessis (Arte/Estética)
>>> Museu Lasar Segall - 50 obras do acervo (Artes Plásticas)
>>> Arte & Deformação - Como entender a estética moderna - Assis Brasil
>>> El Arte: Formas de la conciencia social - V. Kelle/M. Kovalson (Em Espanhol) (Arte e Política)
>>> A Perspectiva - R. Taton & A. Flocon (Artes Plásticas)
>>> Cultura de Massa e Política de Comunicações - Waldenyr Caldas
>>> Problemas del arte en la revolución - Carlos Ragael Rodríguez (Em Espanhol)
>>> Itinerario estético da la Revolución Cubana - José Antonio Portuondo EM ESPANHOL(Estética)
>>> O Livro Perdido de Enki-Memórias e Profecias de um Deus Extraterrestre
>>> A Igreja
>>> Blecaute - 28ª ed.
>>> O Populismo na Política Brasileira
>>> Livro de Colorir Reino Animal
>>> Nas Trilhas da Crítica - Coleção: Críticas Poéticas
>>> Fé em Busca de Compreensão
>>> Carta aos Romanos
>>> Enciclopédia da Vida Selvagem - Animais da Selva III
>>> Mary Poppins
>>> Antologia Da Literatura Fantástica
>>> Saco de Ossos - 2 volumes
>>> Olhe Para Mim
>>> Guia Prático Enem - Matemática E Suas Tecnologias
>>> A Sombra Materna
>>> Histórias Da Vida Inteira
>>> Honoráveis Bandidos - Um Retrato Do Brasil Na Era Sarney
>>> Eternidade Mortal
>>> Ambientes Da Democracia Ambiental
>>> Trinta Anos Esta Noite - O que Vi e Vivi
>>> Pimenta Do Reino Em Pó
COLUNAS

Segunda-feira, 22/9/2014
Quando morre uma paixão
Adriane Pasa

+ de 6600 Acessos

Quando morre uma paixão morre a taquicardia. Morrem os batimentos cardíacos acima de cem por minuto. Morre a sensação de ser assaltado de repente por uma série de pensamentos idiotas.


Morre uma coisa que fazia a ligação entre o real e o imaginário. Morre a saudade. E depois morre a saudade da saudade. Morre o mito da perfeição. E vem a feiura.

Morre o teto da Capela Sistina. Morre a Vênus de Milo. Morre o ideal. Morre aquilo que faz a gente brigar com todos os nossos piores defeitos para se adaptar a algo que amamos. Morre a pompa. Morre a sabedoria.

Vem uma sensação de estar indo para o nada. A gente fica meio falso, duvidoso, frágil, mas crente que sabe tudo e mais um pouco. Crente que saiu de uma experiência de vida sem precedentes e que não podia ser melhor. A gente se sente forte e novo. Batimento cardíaco normal. Os pés no asfalto. Pescoço ereto como uma gárgula olhando a cidade de cima da catedral, dona de si, achando que assusta alguém.

Mas quando morre uma paixão, a gente não passa de um personagem perdido. Não como um Humbert de Nabokov, que mesmo diante de sua Lolita decadente, busca na memória a risada viva de uma garota que ainda ama. Mas como um andarilho sem destino. Sem obsessão. No lugar da taquicardia vem a calma e o equilíbrio de um corpo sadio. E uma mente limpa. Mas não asséptica. Sempre haverá uma sujeirinha, um vírus, uma bactéria escondida.

A gente acaba ficando atento às coisas mais delicadas, que ninguém repara, pra ver se encontra alguma coisa dentro delas. Algo que traga de volta aquela pessoa tolerante e louca, aérea e fantasiosa que a gente era quando a paixão ainda estava viva. O interesse pelos problemas do outro, que um dia amamos, fica pequeno e faz a gente pensar que não somos assim pessoas tão boas, mas pelo menos somos sãs, porque a loucura, apesar de atraente, também machuca. Somos todos inseguros e cheios de confusões no campo amoroso e sexual, ao mesmo tempo em que queremos levar nossas vidas e projetos adiante. Como no filme A Dangerous Method (O Método Perigoso, 2011), de David Cronenberg, que mostra um episódio importante na vida do jovem psicólogo Carl Jung (Michael Fassbender) quando do início de um tratamento inovador da histérica Sabina Spielrein (Keira Knigthley), sob influência de seu mestre e colega, Sigmund Freud (Viggo Mortensen). Esse episódio viria a definir os rumos da psicanálise e também mexer nas bases da vida "certinha" do genial Jung, que tinha uma vida abastada com sua rica esposa.

O nome do filme refere-se a um artigo de Freud intitulado "Observações Sobre o Amor Transferencial", publicado em 1915. No texto, o psicanalista fala sobre a delicada questão do envolvimento amoroso entre analistas e pacientes, fazendo uma provocação direta a Jung, devido a sua relação com Sabina. Este seria o "método perigoso", segundo Freud.

Jung e Freud começam um debate de teorias ao mesmo tempo em que Jung vive um romance intenso com Sabina. Uma paixão daquelas que fazem a gente sentir interesse por tudo o que existe na pessoa, que faz a gente entender o lado mais louco e sombrio que possa existir nela, porque queremos mergulhar nisso, nesse jogo de dominação e submissão que certos amores proporcionam, causando um tipo de cumplicidade profunda e aparentemente indestrutível. O que me fez lembrar também de um filme chamado Secretária (2002), de Steven Shainberg, com os excelentes James Spader e Maggie Gyllenhaal como protagonistas de uma relação nada convencional, com comportamentos sadomasoquistas. No fundo, paixão é e sempre foi cumplicidade.

Em A Dangerous Method, Keira Knigthley está fantástica no papel, pois além de conseguir demonstrar fisicamente os sintomas de seu transtorno mental, mistura-os com sensualidade à grande paixão por Jung, que precisa de um jeito ou outro, acabar.

Não precisa ser um psicanalista famoso para querer entrar na mente do objeto da nossa paixão porque é uma condição dominante. Isso, misturado aos nossos conflitos interiores, pode ser uma bomba. Acho que Jung tinha um problema ainda maior, porque eram duas obsessões em uma: a mulher amada dentro do objeto de seu importante estudo.

Mas como na vida de gente comum, um dia, tudo morre. E quando morre a paixão morre também o espaço entre a razão e a loucura. Morre o gênio. Morre a paixão pela insanidade do outro. Morre a linha torta, morre o branco da folha e o caderno pautado aparece de novo, junto com a escuta atenta e o olhar para os detalhes do cotidiano que havia sido abandonado.

E depois de um tempinho tentando se adaptar a isso tudo, como um jogador de futebol que acaba de entrar em campo, ou um escritor que acaba de sair de uma sessão de autógrafos, a gente volta pra nossa vidinha ordinária. Que passa a ser um museu que não tarda a nos mostrar novas obras de arte.

Em uma das mais belas cenas do filme A Dangerous Method, Jung diz para Sabina: "(...) o meu amor por você me fez entender quem eu sou". Acho que é isso que uma paixão faz de melhor, não importa o quanto ela dure.



Adriane Pasa
Curitiba, 22/9/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O túmulo do pássaro de Elisa Andrade Buzzo
02. Sinédoque São Paulo de Duanne Ribeiro
03. Sejamos multiplicadores de Fabio Gomes
04. A aproximação entre Grécia e Rússia de Celso A. Uequed Pitol
05. Do amanhecer ao adormecer: leitura, ato de amor de Marcela Ortolan


Mais Adriane Pasa
Mais Acessadas de Adriane Pasa em 2014
01. Quando morre uma paixão - 22/9/2014
02. Casamento atrás da porta - 3/2/2014
03. Eu podia estar matando, podia estar roubando - 7/4/2014
04. A firma como ela é - 7/7/2014
05. Mamilos - 10/3/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COMO LER A CARTA DE JUDAS- CORAGEM PARA LUTAR PELA FÉ
JOSÉ BORTOLINI
PAULUS
(2001)
R$ 18,00
+ frete grátis



O EXECUTIVO SEM CULPA
JOÃO ERMIDA
LUA DE PAPEL
(2010)
R$ 13,16



O ÚLTIMO E GRANDE DIA DA FESTA
DONG YU LAN
ÁRVORE DA VIDA
(2007)
R$ 5,00



A TESTEMUNHA OCULAR DO CRIME
AGATHA CHRISTIE
CÍRCULO DO LIVRO
(1986)
R$ 4,90



O HOMEM EM TEILHARD DE CHARDIN
CHAUCHARD
HERDER
(1973)
R$ 6,30



CIRCUITOS LINEARES
CHARLES M. CLOSE
LTC - LIVROS TÉCNICOS E CIENTÍFICOS
(1975)
R$ 65,00



O QUE FREUD NÃO EXPLICOU
MAURÍCIO SITA
SER MAIS
R$ 12,45
+ frete grátis



A REBELDE APAIXONADA
FRANK G. SLAUGHTER
NOVA CULTURAL
(1986)
R$ 3,00



LIBERTINOS LIBERTÁRIOS
ADAUTO NOVAIS
COMPANHIA DAS LETRAS
(1996)
R$ 89,90



O TEATRO DE ANTONIO ROCCO (TEATRO BRASILEIRO)
ANTONIO ROCCO
IMPRENSA OFICIAL
(2009)
R$ 7,00





busca | avançada
36458 visitas/dia
993 mil/mês