De Tambaú ao Rio Sanhauá* | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
35052 visitas/dia
993 mil/mês
Mais Recentes
>>> Festival Cine Inclusão tem sessão de encerramento dia 23/9 na Unibes Cultural
>>> Exposição de Fábio Magalhães na CAIXA Cultural São Paulo termina dia 24 de setembro
>>> Vânia Bastos apresenta o premiado "Concerto para Pixinguinha", no Teatro Municipal Teotônio Vilela,
>>> Lançamento: Smoked Rib Burger é a mais nova atração da Stage Burger
>>> JOALHERIA BRASILEIRA, HISTÓRIA, MERCADO E OFÍCIO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
>>> Da varanda, este mundo
>>> Estevão Azevedo e os homens em seus limites
>>> Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá?
>>> A fotografia é um produto ou um serviço?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Caracóis filosóficos
>>> O mito dos 42 km
>>> Setembro Paulista
>>> Apocalipse agora
>>> João, o Maestro (o filme)
>>> Metropolis e a cidade
>>> PETITE FLEUR
>>> O fantasma de Nietzsche
>>> O batom
>>> Dinheiro não tem cheiro
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Melhores Blogs
>>> Torce, retorce, procuro, mas não vejo...
>>> Apontamentos de inverno
>>> Rio das Ostras (III)
>>> Leonardo da Vinci: variações sobre um tema enigmático
>>> 29ª Bienal de São Paulo: a politica da arte
>>> Blog, o último furo jornalístico
>>> Blog, o último furo jornalístico
>>> Roubalheira vai parar o Brasil
>>> Alberto da Cunha Melo e as tocaias da poesia
Mais Recentes
>>> Para entender Michael Jackson - Margo Jefferson (Biografia)
>>> Michael Jackson: Uma história sem fim. Revista Pop Star - Antero Leivas
>>> Michael Jackson: A vida, a música, o fim. Revista Bizz (Edição de Tributo)
>>> Nos idos de Março: A ditadura militar na voz de 18 Autores Brasileiros
>>> Fúria - Salman Rushdie (Literatura Indiana)
>>> A Clemência - Sêneca (Literatura Latina)
>>> Guernica: A tela de Picasso - Gijs van Hensbergen (Pintura/Biografia)
>>> Hermandad de Bordadoras y Tejedoras de Belén y Gigantería - Em ESPANHOL (Bonecos e Cultura Popular em Cuba)
>>> O Brasil, o povo e o poder - Miguel Arraes (História do Brasil)
>>> Karaíba: Uma história do Pré-Brasil - Daniel Munduruku (História do Brasil)
>>> Gregos: Vida Cotidiana - John Guy (Cultura Grega)
>>> A sociedade de todos os povos - José Arrabal (Literatura brasileira)
>>> Brizola e o Trabalhismo - Moniz Bandeira (Política/Trabalhismo)
>>> O desafio Amazônico - Samuel Murgel Branco (Ecologia/Política)
>>> As veias abertas da América Latina - Eduardo Galeano
>>> A crise do "Milagre": Interpretação crítica da economia brasileira - Paul Singer
>>> Economia Política do Trabalho - Paul Singer
>>> Igreja e Estado em Tensaõ e Crise - Thales de Azevedo (História e Religião)
>>> A Hegemonia dos Estados Unidos e o Subdesenvolvimento da América Latina - Celso Furtado
>>> O Partido Comunista na Gênese do Populismo - Arnaldo Spindel
>>> Geopolítica na América Latina - Nelson Bacic Olic
>>> Política e Rebelião nos Anos 30 - Marly Vianna (História do Brasil)
>>> O Império de Carlos Magno - Carl Grimberg (História Universal)
>>> Reforma Agrária: A luta pela terra no Brasil - Isaac Akcelrud
>>> Eternidade por um Fio - Terceiro Livro da Trilogia do Século
>>> Inverno do Mundo - Livro 2 da Trilogia o Seculo
>>> A Fé de Abraão
>>> Variantes Na Visualidade
>>> Satisfação Do Cliente - A Outra Parte Do Seu Trabalho
>>> Relatos De Sonhos E De Lutas
>>> Exílio: Testemunho De Vida
>>> Botânica Criptogâmica Volume 1 - Algas E Fungos
>>> Histórias Para O Coração
>>> A Garota no Trem
>>> Teoria Geral Dos Sistemas
>>> A Doçura Do Mundo
>>> A Expedição Kon Tiki
>>> Loucuras Do Futebol - 288 Histórias Reais E Absurdas
>>> Nuances Da Memória
>>> O Batuque Afro-brasileiro De Nélson Silva
>>> Tibério: As Memórias Do Imperador
>>> Manual Del Karma
>>> Eras Livro 1: Despertar
>>> A Condição Humana
>>> Os Retratos De Oscar Wilde
>>> Romance Negro E Outras Histórias
>>> Dás Um Banho - Roberto Alves: O Rádio, o Futebol e a Cidade
>>> Essa História Está Diferente
>>> A Região Costeira Meridional De Santa Catarina
>>> Cidade Democrática
COLUNAS >>> Especial Carnaval

Quinta-feira, 7/2/2002
De Tambaú ao Rio Sanhauá*
Adriana Baggio

+ de 4100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

O Carnaval está chegando. Estar no Nordeste e ficar fora dessa festa é quase impossível. Nunca fui muito chegada em pular carnaval, ainda mais quando as marchinhas deram lugar aos axés e pagodes da vida. Aqui em João Pessoa, como em outros lugares do Nordeste que não conseguem competir com Recife e Salvador nos quatro dias de folia, o que salva a fama da cidade é a micareta, ou seja, o carnaval fora de época. Repetindo a fórmula que deu certo na Bahia, a Micaroa (Micareta + João Pessoa), assim como outras micaretas, organiza três dias de festa no estilo trio elétrico – abadá – camarotes. Nada que lembre o bom e velho carnaval. A começar pela exclusão. Se o carnaval é uma festa tipicamente popular, democrática, a micareta é elitista. A não ser que você queira ver o trio passar da calçada, precisa pagar mais de R$ 200,00 por um abadá. No entanto,o que ainda salva o carnaval autêntico, tradicional, é o Folia de Rua, típica de João Pessoa. Para não correr o risco de competir com a vizinha Recife nos dias de carnaval propriamente ditos, o Folia de Rua acaba sendo uma prévia.

O Folia de Rua começou no fim de semana passado, mas o ponto alto acontece na quarta-feira antes do Carnaval, chamada Quarta de Fogo. Contrapondo à Quarta de Cinzas, que encerra a festa, esta é aquela em que a cidade pega fogo na animação. Do alto do bairro do Miramar, de onde se avista a orla de João Pessoa, começam a descer para a praia os foliões do bloco Muriçocas do Miramar. O Muriçocas nasceu na década de 80, quando alguns artistas e agitadores culturais formaram o bloco e saíram nas ruas para festar. Na época, o bairro do Miramar era infestado de pernilongos – ou seja, muriçocas -, o que levou o povo a se vestir como os detestáveis insetos. O bloco pegou, ficou famoso é hoje é o segundo maior bloco de arrasto do mundo, perdendo apenas para o Galo da Madrugada.

Nesta Quarta de Fogo, quem desce com o Muriçocas de Miramar não vai escutar axé nem pagode. As atrações dos trios vão de bandas locais – de frevo e “rock regional” – a Moraes Moreira e Chico César. É carnaval autêntico, democrático e popular. Na chegada à praia, uns 3 quilômetros depois, os trios se reúnem e formam uma roda, continuando a festa. O Muriçocas do Miramar acaba sendo uma reunião de vários outros blocos menores, que se juntam e formam a multidão que percorre a avenida Epitácio Pessoa até a praia de Tambaú.

Ao contrário da Micaroa, cuja freqüência predominante é de adolescentes, o Muriçocas reúne gente de todas as idades e perfis: famílias, homens, mulheres, gays, crianças, os próprios adolescentes. Cada um procura sua turma, acha seu espaço e aproveita a festa. E o melhor: não é a importação de uma cultura estranha, pasteurizada. Quem deveria perceber melhor isso é o poder público, que não dá ao Folia de Rua o mesmo apoio financeiro que oferece todos os anos à Micaroa. A Micaroa é “vendida” externamente como um produto turístico. As pessoas que vêm para a Micaroa são as mesmas que fazem a rota das micaretas pelo Nordeste. Vender o Folia de Rua para o turista de outras partes do país e do exterior seria muito mais interessante e produtivo. Para que concorrer em um segmento superlotado, se você tem algo original e autêntico para oferecer?

Não sei se ainda existem muitas muriçocas incomodando os moradores do Miramar, mas uma delas permanece firme e forte o ano todo, só esperando a folia que antecede o Carnaval. É uma muriçoca enorme, feita de metal, que fica na principal praça do bairro. Hoje ela vai ter a companhia de milhares de pessoas. Se eu encarar a festa também, enquanto você está lendo esta coluna, caro leitor matutino, espero estar me recuperando do fogo dessa quarta-feira. E o Carnaval, propriamente dito? Para quem quer descansar, João Pessoa é o lugar ideal. Só as muriçocas – os insetos mesmo – vão ficar na cidade...

*Trecho do hino do Muriçocas do Miramar: "São as muriçocas, espalhando alegria, de Tambaú ao Rio Sanhauá". Tambaú é uma das principais praias da cidade, e o Rio Sanhauá é o local onde desembarcaram os colonizadores portugueses que fundaram João Pessoa. O rio e o oceano são os limites da cidade, que ao contrário de outras capitais litorâneas, não foi colonizada pelo mar.


Adriana Baggio
Curitiba, 7/2/2002


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2002
01. Todos querem ser cool - 27/6/2002
02. Menos Guerra, Mais Sexo - 31/1/2002
03. Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo! - 20/6/2002
04. Homens, cães e livros - 15/8/2002
05. No banheiro com Danuza - 28/11/2002


Mais Especial Carnaval
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/2/2002
19h26min
Adri, daqui destas paragens nevadas e fleumáticas, fiquei devaneando ao ler sua coluna, com uma espécie de saudade do futuro, já que nunca pulei carnaval. Mas que maravilha, nas suas palavras, esta quarta de fogo (hoje!). Só não tenho certeza quanto à sua proposta de que o poder público deveria investir nas Muriçocas. Será que isso não iria torná-las "oficiais" demais, institucionalizadas, big business? Será que no fim não virariam mais um produto cultural para consumo comercial (e elitizado)? Ou será que fiquei cética demais?
[Leia outros Comentários de daniela sandler]
7/2/2002
08h34min
Dani Também nunca tinha pulado Carnaval nesse esquema, mas foi bem bacana. Enquanto estava lá, vendo o trio do Moraes Moreira passar com o governador em cima, fiquei pensando no seu comentário, e acho que você pode ter razão. O apoio do poder público pode "pasteurizar" a festa para vendê-la como produto turístico. Mas pior ainda será quando a iniciativa privada descobrir o poder do Folia de Rua, e os produtores culturais começarem a correr atrás de grandes patrocínios, como acontece com a Micaroa. Aí sim a força do dinheiro, do investimento das grandes marcas, vai pasteurizar o carnaval daqui, para que ele possa ser consumido pelo maior número de pessoas, inclusive com "adaptações" para o consumo em outras partes do país. Por outro lado, o governo poderia ter um papel diferente nessa história, se existissem políticas culturais sérias, que fossem implantadas sem a necessidade de deturpar uma manifestação popular autêntica. A cultura, no Brasil, acaba num beco sem saída: ou se rende à ditadura do patrocínio para conseguir verba, ou vai acontecendo aos trancos e barrancos, com independência mas pouco dinheiro.
[Leia outros Comentários de Adriana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A QUEDA DO IMPÉRIO ROMANO - A EXPLICAÇÃO MILITAR
ARTHER FERRILL
JORGE ZAHAR
(1989)
R$ 8,60



ENQUANTO O AMOR NÃO VEM
IVANLA VANZANT
SEXTANTE
(1999)
R$ 5,00



SLEEPING ARRANGEMENTS
MADELEINE WICKHAM
THOMAS DUNNE BOOKS
(2009)
R$ 13,50



QUINCAS BORBA
MACHADO DE ASSIS
ESTADÃO / KLICK
(1997)
R$ 5,00



COMO ESTUDAR NOS EUA
AFONSO LIMA
RECORD
(1995)
R$ 7,00



MAGISTERIO ECLESIAL. EL SERVIVIO DE LA PALABRA
FRANCO ARDUSSO
SAN PABLO
(1998)
R$ 80,00



A VORAGEM
JOSÉ EUSTASIO RIVERA
FRANCISCO ALVES
(1982)
R$ 18,00



O PUNHAL ESCOCÊS
SHARYN MCCRUMB
NOVA CULTURAL
(1986)
R$ 5,80



ERA VERDE? - ECOSSISTEMAS BRASILEIROS AMEAÇADOS
ZYSMAN NEIMAN
ATUAL
(1989)
R$ 3,00



PRIMEIRA PAGINA ESPECIAL
FOLHA DE SÃO PAULO
FOLHA DE SAO PAULO
(1985)
R$ 3,00





busca | avançada
35052 visitas/dia
993 mil/mês