A aproximação entre Grécia e Rússia | Celso A. Uequed Pitol | Digestivo Cultural

busca | avançada
19881 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Alexandre Grooves comemora Troféu Cata-vento, pré-indicação ao Grammy e lançamento no Japão
>>> Estreia de Pelas Ordens do Rei Que Pede Socorro comemora 20 anos do grupo O Buraco d'Oráculo
>>> Espetáculo 'As Filhas da Mãe' completa 35 anos.
>>> Bloco Fogo e Paixão faz a festa na Zona Portuária
>>> Papo Astral: guia astrológico para o leitor se conhecer melhor
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 9. Um Cacho de Banana
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 8.Heroes of the World
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 7. Um Senador
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair
>>> Como se me fumasse: Mirisola e a literatura do mal
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 5. Um Certo Batitsky
>>> A vida dos pardais e outros esquisitos pássaros
>>> Blockchain Revolution, o livro - ou: blockchain(s)
>>> Bates Motel, o fim do princípio
>>> Bruta manutenção urbana
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Feliz 2018
>>> Boa Vista
>>> O preço
>>> Você já atualizou sua história hoje?
>>> Sorvedouro
>>> Reter ou não reter
>>> O Peregrino
>>> Sismógrafos
>>> La ansiedad
>>> Barrados no baile
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O que aprendi
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 6. Nas Asas da Panair
>>> A poesia concreto-multimídia de Paulo Aquarone
>>> Elogio Discreto: Lorena Calábria e Roland Barthes
>>> O que vai ser das minhas fotos?
>>> A reforma agrária das idéias: os blogs
>>> E eu mais ainda!
>>> Os sem-celular
>>> Freud segundo Zweig
>>> Olímpica
Mais Recentes
>>> A Verdadeira Vida em Deus Encontros com Jesus volume IX
>>> O Evangelho de João - A Vida estava Nele
>>> Deus Caritas Est
>>> Aspirai aos Dons espirituais
>>> Um dia na Dieta Budwig- O Livro
>>> Bohr e a Interpretação Quântica da Natureza
>>> Quatro Estágios importantes na Jornada da Vida
>>> Manual Semeando Igrejas Multiplicadoras
>>> A Bíblia Para Colorir - Livro 3
>>> A Bíblia Para Colorir - Livro 4
>>> Estamos Vivendo nos Últimos Dias?
>>> A Última Porta a Caminho do Arrebatamento
>>> Cristianismo ao Gosto do Freguês
>>> Os Fatos Sobre a Vida Após a Morte
>>> A Verdade sobre o Ano 2000
>>> Feras Futebol Clube - Ioiô o Que Dança Com a Bola Autor (a): Joachim Masannek
>>> T. l. osborn ( curai enfermos e expulsai demonios )
>>> A Dança
>>> Jessie Penn-Lewis ( Guerra contra os santos tomo 2 )
>>> Jessie Penn-Lewis ( Guerra contra os santos tomo 1 )
>>> A Educação pela Dança
>>> 101 Idéias Criativas Para Professores
>>> 21 Dias de Oração e Jejum Pelo Sertão
>>> Os Insondáveis Propósitos de Deus
>>> Natália Lessa
>>> Parceiros na Missão
>>> Um General Perto de Deus
>>> A Oração de Moisés
>>> Dulce Beltrão
>>> Adolescentes, pesquisa sobre uma idade de risco
>>> Turismo e Planejamento Sustentavel
>>> Turismo e Legado Cultural
>>> Vidas cruzadas
>>> Disney´s Pocahontas
>>> The world is made of Glass
>>> Medo da Vida
>>> Biologia Celular e Molecular
>>> Viagem a Inglaterra e Escocia
>>> Aventuras de Tom Sawyer
>>> Proyecto Lazaro
>>> O primo basilio
>>> Noticia de un secuestro
>>> GONE - Desaparecer - Livro 3
>>> A fraude do Efeito - Estufa
>>> Saga O Vampiro Rei - Bento - Livro 1
>>> Sapphique
>>> Freud
>>> Fallen Angels - Desejo
>>> O Cavalo Amarelo
>>> Conecte Filosofar Terceira Parte
COLUNAS

Terça-feira, 7/7/2015
A aproximação entre Grécia e Rússia
Celso A. Uequed Pitol

+ de 1300 Acessos

As notícias sobre a crise econômica na Grécia vêm dando espaço para todo tipo de especulações sobre o futuro daquele país. Para muitos, a saída da União Europeia é questão de tempo: a Grécia, dizem eles, não tem mais condições de seguir no bloco e qualquer ajuda momentânea é apenas adiamento do inevitável. Dentre estes, há os que receiam um aprofundamento dos problemas já existentes e os que vêm nisso a única possibilidade de salvação para a economia grega. Por outro lado, muitos não acreditam que medidas mais fortes serão tomadas: no fim das contas, dizem eles, os gregos seguirão como bons cidadãos europeus.

Há, portanto, espaço para tudo. E um espaço garantido pelo terreno das especulações, que desconhece fronteiras. Já outro terreno, o dos fatos, tem seus limites bem circunscritos; e nele há um fato bastante visível, observável a qualquer distância e reconhecível por qualquer um que se detenha sobre o tema: o de que a relação entre a Grécia e o resto da Europa está irreversivelmente abalada.

Quando aderiram à UE, em 1986, os gregos viram uma oportunidade única para sair de seu atraso histórico em relação aos vizinhos. Foram entusiastas da integração desde o começo, e ainda mais entusiasmados ficaram quanto, durante os felizes anos 90, o PIB do país crescia a taxas quase chinesas. O grego, antes emigrante miserável, passou a receber imigrantes da África e da Ásia e turistas endinheirados das nações mais ricas das Europa em busca das praias do Mediterrâneo.

Mas as coisas mudaram: os gregos já não acreditam na UE. Além disso, sentem-se desrespeitados pelas nações mais ricas e poderosas do bloco neste momento de fragilidade. Entre os demais europeus cresce a tendência a considerar a velha nação helênica como um bando de corruptos, incapazes e preguiçosos sustentados pelo labor alheio. Assim, caso permaneça na UE, o mais provável é que a Grécia passe a ser vista - e isso na melhor das hipóteses - como um familiar indesejável numa casa rica, cujos donos escondem as joias e o dinheiro com medo de serem roubados num momento de descuido.

Os gregos estão cansados disso. São um povo orgulhoso, por razões fáceis de se imaginar. Se nesta casa rica não são benquistos, procurarão outra onde sua cultura, sua maneira de viver e seu país como um todo serão mais apreciados. Surge a questão: para onde irão? Uma resposta possível, levantada por muitos analistas e sustentada por vários acontecimentos recentes, pode surpreender e atemorizar: para o círculo de influência da Rússia.

Desde que a coalizão de esquerda Syriza assumiu o poder no país, em janeiro deste ano, o primeiro ministro eleito, Alexis Tsipras, realizou várias viagens à Rússia com o discurso de estreitamento de laços na ponta da língua. "Somente ao lado da Rússia" - disse ele após uma dessas viagens- "será possível construirmos uma nova Europa". Na última delas, Tsipras esteve presente no Fórum Econômico de São Petersburgo, onde teve uma longa conversa com Vladimir Putin e selou vários acordos bilaterais. Indagado sobre o rumo que a Grécia tomará diante da crise, deu a seguinte resposta: "Estamos em meio a uma tempestade. Mas, como vocês sabem, nós vivemos perto do mar. Não temos medo de tempestades e nem de nos lançarmos em mar aberto. Estamos prontos para tomar o caminho do mar e ir em busca de um porto seguro".

Essa declaração de Tsipras tem um conteúdo simbólico poderoso. Os gregos são, de fato, um povo do mar, que fez do grande mar do Mundo Antigo - o Mediterrâneo - seu chão maior para conquistas, expansão, colonização e difusão de língua, de cultura e de tradição. Pelo mar, acompanhando as rotas comerciais, foram os missionários da Grécia, de Bizâncio e do resto do mundo helênico os responsáveis pela conversão ao cristianismo de quase todos os povos do Leste Europeu e da Ásia Menor - incluindo os russos. E uma dessas ironias da história, muito bem apontada pelo geógrafo inglês Halford Mackinder em seu ensaio fundador "The geographical pivot of history", fez do grego, filho de uma civilização marítima, o responsável por civilizar o russo; e seria o russo helenizado quem, anos depois, viria a conquistar as estepes da Ásia central e formar o mais extenso Império terrestre que o mundo conheceu. Helenizado em quase tudo: na fé, ortodoxa; na administração pública, de inspiração bizantina; e até no idioma, pois o alfabeto usado pelos russos foi criação do santo grego Cirilo, nascido em Tessalônica, responsável pela conversão dos povos eslavos orientais ao cristianismo. O "porto seguro" a que Tsipras parecia fazer referência era bem conhecido de seu povo.

Esta aproximação já fora antevista por Samuel Huntington no seu influentíssimo (e criticadíssimo) "Choque de Civilizações", de 1996. Na tipologia civilizacional ali proposta, a Grécia não está inserida na civilização ocidental, da qual é normalmente - e justamente - tida como fundadora, mas sim na chamada "Civilização Ortodoxa", ao lado da Rússia e das demais nações que, como os gregos, professam a Ortodoxia. Na época, Huntington foi ridicularizado por muitos analistas. Como assim?, perguntaram. Não é a Grécia fundadora da Europa e do Ocidente? Não é uma de nós? As respostas para estas perguntas, que um sujeito como Huntington seguramente bem conhecia, pode desapontar a quem as faz pensando que elogia os gregos: a Grécia, meus senhores - dirá um grego - não é fundadora da Europa; é, em verdade, muito mais do que isso. E são testemunha disto todos os povos que, muito antes dos europeus, conheceram os gregos e foram pelos gregos conhecidos, estudados e influenciados: os árabes, cristãos e islâmicos; os persas; os africanos do norte e mesmo os não tão a norte; e os russos.

O passado aproxima gregos e russos. Mas é preciso atualizar e concretizar essa aproximação. Por isso, no mesmo dia em que declarou-se pronto para lançar-se ao mar em busca de porto seguro, Tsiprias fechou um acordo com Vladimir Putin para a instalação de um gasoduto que ligará os fartos suprimentos de gás da Rússia central à Grécia e à Europa Ocidental. Trata-se do maior empreendimento do gênero já realizado no país e terá papel fundamental numa futura reconstrução econômica; ao mesmo tempo, lança combustível extra na fogueira das especulações sobre a saída da União Europeia. O terreno das especulações, foi dito, pode abarcar questionamentos deste tipo. Já o dos fatos - os do passado e, sobretudo, os do presente - nos mostra que, permanecendo na UE ou não, a Grécia está cada vez mais próxima da Rússia.


Celso A. Uequed Pitol
Canoas, 7/7/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A poesia afiada de Thais Guimarães de Jardel Dias Cavalcanti
02. Da varanda, este mundo de Elisa Andrade Buzzo
03. On the Road, 60 anos de Luís Fernando Amâncio
04. Essas moças de mil bocas de Elisa Andrade Buzzo
05. Longa vida à fotografia de Fabio Gomes


Mais Celso A. Uequed Pitol
Mais Acessadas de Celso A. Uequed Pitol em 2015
01. Caminhos para a esquerda - 3/2/2015
02. Um estranho chamado Joe Strummer - 8/9/2015
03. Canadá, de Richard Ford - 17/11/2015
04. O testemunho de Bernanos - 4/8/2015
05. Um DJ no mundo comunista - 9/6/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




HORA DO ESPANTO - O ESPANTALHO
EDGAR J. HYDE
CIRANDA CULTURAL
(2009)
R$ 10,00



AION - ESTUDOS SOBRE O SIMBOLISMO DO SI-MESMO
C. G. JUNG
VOZES
(1982)
R$ 39,90



100 RECEITAS COM LATA
ANONYMUS GOURMET
L&PM
(2008)
R$ 10,00



A ESTRELA MAIS BRILHANTE DO CÉU
MARIAN KEYS
BERTRAND BRASIL
(2011)
R$ 15,00



CONTOS
MACHADO DE ASSIS
ÁTICA
(1983)
R$ 4,90



AS NOTICIAS MAIS MALUCAS DO PLANETA
ALESSANDRO BENDER
PARIS EDITORIAL
(2004)
R$ 7,90



O ZEN E A EXPERIÊNCIA MÍSTICA
ALAN W. WATTS
CULTRIX
(1995)
R$ 40,00



CORAÇÃO DAS TREVAS
JOSEPH CONRAD
COMPANHIA DE BOLSO
(2008)
R$ 20,00



COMO VIVIAM OS PRIMEIROS CRISTÃOS
PHILIPPE H. MENOUD
PERPÉTUO SOCORRO
(1981)
R$ 29,90



OS MESTRES DE GURDJIEFF
RAFAEL LEFORT
DERVISH
(1979)
R$ 37,80





busca | avançada
19881 visitas/dia
1,0 milhão/mês