4 livros de 4 mulheres para conhecer | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
40417 visitas/dia
862 mil/mês
Mais Recentes
>>> Em agosto, o Largo do Machado receberá a segunda edição do Hoje é dia de comer na rua
>>> ÀTMA - De que tamanho é o teu deserto?
>>> Vivo EnCena traz Paulo Betti a São Paulo com Autobiografia Autorizada
>>> EAS, novo filme de ação brasileiro tem toque de Hollywood
>>> Memória da Eletricidade realiza a terceira edição do Preserva.ME
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Apontamentos de inverno
>>> Literatura, quatro de julho e pertencimento
>>> O Abismo e a Riqueza da Coadjuvância
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 4. Museu Paleológico
>>> Um caso de manipulação
>>> Brasil, o buraco é mais embaixo
>>> Nós que aqui estamos pela ópera esperamos
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 3. Um Jogo de Poker
>>> Retratos da ruína
>>> Notas confessionais de um angustiado (VI)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
Últimos Posts
>>> Ponto cruz
>>> Elevador divino
>>> Na hora do rush
>>> Cubica(mente)
>>> Adentrando o mundo humano - Pensamento
>>> Modelar(mente)
>>> Trans(corrente)
>>> Quanto às perdas III
>>> O pão nosso de cada dia
>>> Os opostos se atraem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Leitura, curadoria e imbecilização
>>> Legião Urbana 1994
>>> Um menino à solta na Odisseia
>>> Gratitude
>>> Ajudando um amigo
>>> O Conselheiro também cozinha (e come)
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 3. Um Jogo de Poker
>>> Asno que me leve, quero, e não cavalo folião
>>> O rei nu do vestibular
>>> Telemarketing, o anti-marketing dos idiotas
Mais Recentes
>>> O Desafio de nosso Tempo ( Change and Habit)
>>> Hobbes e a Moral Política
>>> Hobbes Leviathan. Uma Visão Teológica
>>> Brevilóquio Sobre o Principado Tirânico
>>> De Cive. Elementos Filosóficos a respeito do cidadão
>>> O Problema do Ser e outros ensaios
>>> Antropologia Filosófica
>>> Merleau-Ponty na Sorbonne. Resumo de Cursos Filosofia e Linguagem
>>> Merleau-Ponty na Sorbonne. Resumo de Cursos Psicossociologia e Filosofia
>>> O Muro
>>> A Anarquia dos Valores. Será o Relativismo Fatal?
>>> Ética & Direito, Moral e Religião no Mundo Moderno
>>> Um Lugar para os Excluídos
>>> Chico Buarque
>>> Literatura comentada Oswald de Andrade
>>> Pensamentos de Freud
>>> Compreder a história da vida. Do átomo ao pesamento humano
>>> O Homem à procura de si mesmo
>>> Matrizes do Pensamento Psicológico
>>> A Natureza da inteligência
>>> O que é Vida? 50 anos depois. Especulações sobre o futuro da Biologia
>>> O que é Vida? O aspecto físico da célula viva. Seguido de Mente e Matéria e Fragmentos Autobiográficos
>>> Os Métodos De Administração De Jesus
>>> Manhã, Tarde E Noite
>>> Conte-me Seus Sonhos
>>> Cultura Pós-Moderna - Introdução às teorias do contemporâneo
>>> A Anatomia da Destrutividade humana
>>> Ter ou Ser
>>> O Espírito de Liberdade
>>> O Dogma de Cristo
>>> O mistério do homem na obra de Drummond
>>> Revista Super Interessante edição 201 - junho 2004
>>> A propriedade intelectual e as novas leis autorais - 2ª ed. revista e ampliada
>>> Vivenciando Erickson
>>> Teoria da Cultura de Massa
>>> O morro dos ventos uivantes
>>> Pecado Original
>>> História das teorias da comunicação
>>> Sobre a televisão
>>> Chatô, o rei do Brasil
>>> Estrela Solitária - um brasileiro chamado Garrincha
>>> Feira de Versos - para Gostar de Ler (vol. 36)
>>> Sementes de sol
>>> O homem que matou Getúlio Vargas
>>> Dona Benta - Comer Bem
>>> A questão judaica
>>> AION - Estudos sobre o simbolismo do Si-Mesmo
>>> Psicologia e Religião Oriental
>>> Psicologia e Religião
>>> Resposta a Jó
COLUNAS

Sexta-feira, 19/2/2016
4 livros de 4 mulheres para conhecer
Ana Elisa Ribeiro

+ de 1800 Acessos

A pilha de livros de poesia vai mais alta do que a mesa. Infelizmente, só consigo lê-los nas férias. A roda-viva geral me dá a entender que não cabe poesia no resto do ano. Mas eu insisto em desafiar essa sina. Com o Fábio Assunção declamando poesia na novela das seis, talvez haja mais um impulso para me ajudar. E tomara que as cenas estimulem mais gente. Ô dó de quem depende disso para conhecer meia dúzia de trovadores. Todos mortos, quase sempre. E não é que morrer seja demérito! Por favor. Tem muito morto bom por aí. Mas poeta bom também é poeta vivo. Ou viva.

Nestas férias, além de passear na praia e dormir até tarde, recompensas esperadas sem ansiedade, tratei de tirar o atraso de parte da pilha de livros de poesia. A maioria deles é de pessoas que conheço, amigos, parceiros, colegas. Ou de desconhecidos de quem ouvi falar, sobre os quais ouvi elogios. E como ler poesia não para por aí, entusiasmei-me em exprimir minhas impressões. Então é assim: poesia boa deixa a gente inquieta. Ou quieta para pensar. Não é como ler qualquer coisa, sair andando, comer o bife ou fritar ovo. Literatura - para além da poesia - desafia, desafina ("o coro dos contentes...") e perturba um pouco. Fiquei pronta para dizer umas coisas, mas principalmente para passar adiante. Quem sabe alimente a pilha de livros de alguém?

Adriane Garcia

Mineira de Belo Horizonte, publicou três livros de poesia e ganhou prêmio no Paraná com o primeiro deles, Fábulas para adulto perder o sono. Recebi um exemplar das mãos da própria autora, em um evento literário. Mas minha língua coça é para falar do terceiro livro: Só, com peixes, pela editora Confraria do Vento. Do meu jeito curto, meio raso, e que me perdoe a poeta (e os críticos profissionais que me ignorem), passei uns dias imersa em um aquário. Só, com peixes é um projeto, no sentido de que há intencionalidade clara ali. Adriane resolve mergulhar em um tema - aparentemente o do písceo -, mas nunca é só isso. A humanidade está lá, a desumanidade também, o deslocamento, a falta e a exuberância. Na linguagem, a poeta é econômica, embora não seja rasa. É contundente, sinuosa, inclusive. A título de exemplo, vai um "Fronteiras":

Se eu entro no mar
Não me querem que
Tenho pernas

Se eu venho pra terra
Não me querem porque
Tenho cauda

Antigamente eu mudava
De cor
Qual cavalo marinho

Mas oceânica bebi
A água doce da torneira

Entrei no táxi filha pródiga
E disse:
Siga para a Atlântida

O homem me olhou
Como se olha uma refugiada.

Ana Martins Marques

Esta poeta está em oito entre dez listas de mulheres escritoras que despontam. E não à toa. O primeiro concurso de poemas que ela venceu foi em Minas (de onde ela é), quando eu compunha o júri. Abrimos o envelope que revelaria os dados daquele poeta sob pseudônimo. Desconfiávamos ser uma mulher. Um quê... Não se sabe. E era ela, que eu já conhecia vagamente. Depois ela arrematou mais vários prêmios. Ana Martins Marques é autora de três livros. O primeiro a lançou, e saiu pela editora Scriptum, de Belo Horizonte. Em seguida, veio o contrato com a Companhia das Letras. Minhas férias foram de saborear o mais recente: O livro das semelhanças, que me mergulhou em uma linguagem delicada, de uma simplicidade exatíssima. Ana é dona de uma poesia que não diz com sobra e nem com excesso, mas é cheia de lacunas - boas. Dividido em partes, há também intenções ligadas a temas - como o do objeto livro ou o das "visitas ao lugar-comum", que muito me agradou, e a reiteração de personagens e assuntos encontráveis em outros livros dela. São mais de cem páginas de se ler saltando levemente. A despeito das grandes diferenças de dicção, vou exemplificar na mesma trilha de Adriane Garcia. Aqui vai a "Sereia" de Ana MM:

Sereia
centauro
com sal

melhor é tua metade
animal

a parte humana sendo humana
sempre mente

só mesmo um peixe pode ser
contente

de nada te serviriam
joelhos ou pés

o que és é também
o que não és

nada
é o que fazes bem

metade do que eu sou
não sou também

Prisca Agustoni

Prisca, para mim, era a tradutora. Até que recebi pelos correios seus livros de poesia autorais. Autora de cinco livros ou mais, em quatro línguas diferentes, a suíça radicada em Minas preencheu minhas férias com A morsa (Mazza Edições). É ainda um outro universo, diferente do de Adriane e do de Ana MM. Mais denso, mais opaco. Curtos, firmes, angulosos, os poemas trazem, principalmente, a questão do deslocamento, da adaptação (ou seu contrário), a saudade indizível em outras línguas, a migração. Incômodo. Profundamente poético e prenhe de imagens. Principalmente elas. Espiem o "Curta-metragem urbano", apenas para uma amostra:

1.
A indiana
envolta no tule
passou por mim
e me sorriu.

Porque eu também
sou de algures,
e estou relativamente bem
nesta cidade
sem ninguém.

2.
A casa da felicidade
alagou-se
dias após sua partida.

Regina Azevedo

Potiguar de Natal, Regina começou cedo, como costumam apontar aqueles que escrevem sobre sua poesia. Mas esqueçamos disso e vejamos este segundo livro da autora: Por isso eu amo em azul intenso, publicado pela editora Jovens Escribas - que tem pouco de jovem e já publicou nomes como Chacal, Sérgio Fantini, Braulio Tavares e vários mais. De um livro ao outro, Regina deu um salto. Neste segundo, sua voz aparece ainda mais solta, quente e feminina. Mérito. Muito encorpada, muito dela mesma, própria, voraz. Regina mete medo. Não é um livro temático, intencional como outros, mas é claro que há aqueles assuntos preferenciais, como o amor, neste caso. Ou quase. Regina faz a gente corar.

deitado ao meu lado
diz que se lembra
dos tempos em que a gente
sonhava
com o dia
de deitar
um ao lado do outro

Quatro cantos

São quatro poetas completamente diferentes. Nem sempre nos temas, mas nos olhares, nas vozes, na linguagem que escolhem para se tornarem escritoras. Preferência? Não. Estão em ordem alfabética.

Fábrica de Chocolates




Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 19/2/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Vocês, que não os verei mais de Elisa Andrade Buzzo
02. Neste Natal etc. e tal de Elisa Andrade Buzzo
03. Poesia e Guerra: mundo sitiado (parte I) de Jardel Dias Cavalcanti
04. A selfie e a obsolescência do humano de Marta Barcellos
05. Aqui sempre alguém morou de Elisa Andrade Buzzo


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2016
01. 12 tipos de cliente do revisor de textos - 26/2/2016
02. Que tal fingir-se de céu? - 4/11/2016
03. O que vai ser das minhas fotos? - 29/7/2016
04. Com quantos eventos literários se faz uma canoa? - 15/1/2016
05. Noturno para os notívagos - 10/6/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CINQUENTA TONS DE CINZA
E. L. JAMES
INTRÍNSECA
(2012)
R$ 9,99



CONTOS FANTÁSTICOS DO SÉCULO XIX ESCOLHIDOS POR ITALO CALVINO
ITALO CALVINO
COMPANHIA DAS LETRAS
(2011)
R$ 10,00



UM SONHO DENTRO DE MIM
JULIO EMILIO BRAZ
MODERNA
(2005)
R$ 3,00



MURDER IN THE CIA
MARGARET TRUMAN
FAWCETT
(1988)
R$ 10,00



A MÁGICA
MARTYN BEDFORD
RECORD
(2002)
R$ 25,00



THE GREEKS
JEAN-PIERRE VERNANT
THE UNIVERSITY OF CHICAGO PRESS
(1995)
R$ 49,00



NA ESPERANÇA DE UMA NOVA VIDA
IRENE PACHECO MACHADO PELO ESPIRTO LUIZ SÉRGIO
NÃO CONSTA
R$ 3,00



A CONFRARIA
JOHN GRISHAM
ROCCO
(2000)
R$ 10,00



CORDÉIS DE NATAL (CAIXINHA COM 5 CORDÉIS) - LITERATURA DE CORDEL
LUIZ DE ASSIS MONTEIRO
CONFRARIA DA PAIXÃO
(2015)
R$ 18,00



QORPO SANTO - AS RELAÇÕES NATURAIS E OUTRAS COMÉDIAS
QORPO SANTO
MOVIMENTO
(1976)
R$ 15,00





busca | avançada
40417 visitas/dia
862 mil/mês