Diálogos no Escuro | Heloisa Pait | Digestivo Cultural

busca | avançada
28938 visitas/dia
870 mil/mês
Mais Recentes
>>> Banda Silibrina, de Gabriel Nóbrega, lança o álbum O Raio com temporada de shows no Jazz nos Fundos
>>> Dom Quixote chega a USP Leste
>>> Documentário
>>> Windsor Marapendi apresenta Conexão Rio com convidado especial Celso Fonseca
>>> Rafa Castro Trio traz Jazz e MPB para a Série Tardes Musicais da Fundação Ema Klabin
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Dilapidare
>>> A imaginação do escritor
>>> Inquietações de Ana Lira
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 1. À Beira do Abismo
>>> Minha finada TV analógica
>>> Aquarius, quebrando as expectativas
>>> Amy Winehouse: uma pintura
>>> Casa Arrumada
>>> Revolusséries
>>> Mais espetáculo que arte
Colunistas
Últimos Posts
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
>>> Ebook gratuito
>>> Poesia para jovens
>>> Nirvana pra todos os gostos
>>> Diego Reeberg, do Catarse
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
Últimos Posts
>>> Hoje Ella Fitzgerald faz 100 anos
>>> Vermelho (série: Sonetos)
>>> Os vãos nunca em vão
>>> O VERBO ALQUÍMICO
>>> Procissão
>>> Questionamento
>>> As 13 Razões Pra se Escolher a Vida!
>>> Black Mirror, nós e os outros
>>> Quadro negro
>>> Ilusão de ótica
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A importância do nome das coisas
>>> O lado louco de Proust
>>> Comunicado importante: TV mata!
>>> Cachorros e Lágrimas
>>> O Orkut é coisa nossa
>>> E-book Novos Jornalistas
>>> Breve análise sobre Umberto Eco
>>> Em defesa de Harry Potter
>>> Caramelo, de Nadine Labaki
>>> Poesia para jovens
Mais Recentes
>>> Pode-se Provar a Existência de Deus?( Ordinatio)
>>> A Viagem Infinita: estudos sobre Terra Sonâmbula, de Mia Couto
>>> A Revolta de Atlas
>>> Uma Breve História do Tempo
>>> Introdução ao Cálculo-Vol. 2 - Cáculo Integral
>>> Atualidades em Ergonomia-Logística, Movimentação de Materiais, Engenharia Industrial, Escritórios
>>> Harry Potter e a Câmara Secreta
>>> A Providência de Deus
>>> Dicionário De Inglês - Michaelis (Dicionário novo, embalado e lacrado)
>>> Os Balcãs História e crise
>>> O nascimento de uma catedral (autografado)
>>> Skins As tribos do aml
>>> Geografia, natureza e Sociedade
>>> Geografia Física: Ciência Humana?
>>> A vida nas cidades
>>> A Geografia das lutas no campo.
>>> O Exercitar do Reino para a Edificação da Igreja
>>> O Estado e as políticas territoriais no Brasil
>>> A Autobiografia de uma Pessoa no Espírito- 2 Coríntios
>>> Filosofia da Religião
>>> Psicoterapia de la Familia Neurótica
>>> Os Caminhos do Silêncio
>>> O Espirito de Deus na Santa Liturgia
>>> Deus em questão -C.S.Lewis e Freud debatem Deus, Amor, Sexo e o Sentido da Vida
>>> Vidas Passadas em terapia
>>> O Golpe Das Letras
>>> Das lições que a vida ensina (novo)
>>> Religião e Futuro
>>> O Espírito e o Verbo- A questão pneumatológica em Yves Marie Joseph Congar
>>> Juizes- A Salvação de uma Sociedade em Crise
>>> Sai Baba- O Homem dos Milagres
>>> Bem-vindo a família de Deus
>>> Lolita
>>> O cavaleiro da sombra
>>> A menina feita de espinhos
>>> Almanaque 1964
>>> Tratado de quirologia médica
>>> O Futuro da América
>>> As Consequências Morais do Crescimento Econômico
>>> Microtendências - as Pequenas Forças por Trás das Grandes Mudanças de Amanhã
>>> Histórias de ouvir da África Fabulosa
>>> História do Negro Brasileiro
>>> Negritude - Usos e Sentidos
>>> Fortaleza Digital
>>> O Milagre
>>> Contabilidade Geral Esquematizado
>>> Contabilidade Geral 3D - Descomplicada, Desmistificada, Decifrada
>>> Manual de Direito Constitucional
>>> Manual de Direito Administrativo
>>> Os Afetos Ocultos em...Psoríase,asma, transtornos respiratórios,varizes, diabete,transtornos ósseos,cefaleias e acidentes cerebrovasculares
COLUNAS

Quinta-feira, 4/8/2016
Diálogos no Escuro
Heloisa Pait

+ de 1500 Acessos

Descobrindo um inesperado sentido

Ontem vi a exposição Diálogos no Escuro, na Unibes Cultural (anteriormente Casa de Cultura de Israel ou Centro de Cultura Judaica), que fica até começo de dezembro em São Paulo. Uma das organizadores, grande amiga minha, havia insistido que eu fosse, mas eu havia hesitado, tinha medo de ser meio forte. E foi. Mas valeu.

Como míope, nunca "took for granted" a visão. Lembro com extrema nitidez, desculpe o trocadilho, o momento em que saí da ótica com meus primeiros óculos, aqui na Avenida Angélica, aos 6 anos de idade. De repente, o mundo nítido novamente! Meu deus. A escada perdendo a perspectiva, chapada de tanta nitidez, eu tendo que me apoiar em minha mãe para descer. A imagem perfeita ofuscando a vista.

Sempre tratei os oculistas como deuses portanto. Um deles, no que hoje talvez fosse penalizado por isso, um dia se aproveitou dessa aura e me lascou um beijo na boca. Na época, minha sensata mãe me arrumou outro profissional e pronto, rimos muito.

Deuses da visão. Não havia um documentário de Spalding Grey sobre a possível perda de visão? Não havia? Eu achei muito bom! Com humor, a peregrinação pelo olhar. Amo Grey. Eu o vi no palco, “Slippery Slope”. Eu ria em momentos desencontrados da platéia, mas ria muito.

Ensaio sobre a Cegueira, obviamente, não li. Ganhei de um amigo, não li. Vou lá eu ler o que um stalinista pena sobre o olhar? Ora, só me faltava essa! Quero usar meus olhos que são preciosos para o mundo que vale a pena ser visto.

Então hesitei com a exposição. Vou? Não vou? Pois como disse eu sei desde pequena que a visão é algo dado. É algo que recebemos de alguém, de Alguém. Um glaucoma pigmentar que me obriga a pingar um colírio diariamente também ajuda a gente a lembrar do precioso da visão.

Para tratar dele – que, fiquem tranquilos, está controlado e nunca me afetou a visão – eu literalmente me trato com o melhor médico do mundo na área, um Dr. Ritch muito precioso lá de Nova York, que trata príncipes e eu no seu consultório no East Side. Usei o verbo tratar três vezes na frase anterior, má gramática ou ênfase?

Pois eu trato dos olhos, é isso o que quero dizer. Uma vez já saí de um consultório aqui no Brasil sem meu décimo-terceiro salário. Tudo bem que era uma época de vacas magras, mas mesmo assim, eu realmente não poupo.

Na entrada da exposição, a mulher mandou tirar os óculos. Eu tirei. Depois voltei ao armário e peguei de volta. Sem luz, pode ser. Sem meus óculos, aí já é demais. E fomos. Éramos quatro. Um homem alto e grande, uma moça negra, uma morena, e eu. Como o nosso guia disse ao final, as diferenças se esvaem no escuro. É verdade. Éramos quatro indistintos.

Tateando frutas, árvores, ouvindo barulhos, passando por pontes, subindo degraus, éramos quatro pessoas e um guia “com experiência em atividades no escuro”, como a moça apresentou nosso guia inicialmente.

Tive medo, tive desconforto, tive vontade de sair. Ao mesmo tempo, me diverti, celebrei as descobertas e, o que me surpreendeu bastante, adorei ter meus 3 colegas comigo. Logo no começo, já tasquei a mão no ombro do homem grande.

Quem me conhece, sabe, não sou de pedir ajuda, de pedir apoio. Deixa eu sair sozinha dos buracos onde me meti, é meu lema. Não encosta, não vem que não tem. Pois a primeira coisa que fiz, como disse, foi a mão no ombro do homem à frente.

Naturalmente, fomos nos auxiliando, dizendo: a árvore está aqui. Me dá tua mão, achei a estátua. Íamos nos guiando, claro que com a orientação primorosa do guia com experiência em atividades no escuro que, como fomos avisados, poderia nos tirar dali num instante sem dificuldade.

Ao final, no Boteco no Escuro, onde compramos suco e lanche – que confiança se precisa ter no outro para tomar um troço sem ver – o guia nos lembrou que precisamos mais de outros sentidos – audição, tato, cinestesia (no caso da ponte), olfato na feira – quando a visão nos falta.

Eu precisei mais de um outro sentido ainda. Do sentido que me faz perceber o outro, como é que chama?

Na saleta semi-iluminada, ao fim do trajeto, uma sensação de alívio e paz. Como meus oculistas, a exposição me devolveu a visão, e tive um pequeno êxtase.

Ao final, já devidamente iluminados, abracei meus colegas de percurso, participantes do diálogo no escuro, olhei-os mais olhados que antes, com mais sentido.

Heloisa Pait
São Paulo, 4/8/2016



Quem leu este, também leu esse(s):
01. As sobras completas, poesias de Jovino Machado de Jardel Dias Cavalcanti
02. O Jagunço degolado de Wellington Machado
03. Últimas Notas Sobre A FLIP de Ricardo de Mattos


Mais Heloisa Pait
Mais Acessadas de Heloisa Pait
01. A Garota do Livro: uma resenha - 16/6/2016
02. Simone Weil no palco: pergunta em forma de vida - 11/8/2016
03. Diálogos no Escuro - 4/8/2016
04. América Latina, ainda em construção - 3/7/2015
05. Tirem as Viseiras! - 5/11/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO
JOSUÉ DAS CHAGAS MENEZES
JHMIZUNO
(2006)
R$ 14,00



O AMERICANO TRANQÜILO
GRAHAM GREENE
ABRIL
(1981)
R$ 5,00



PELA NOITE ADENTRO
MARY HIGGINS CLARK
ROCCO
(2001)
R$ 12,00



AS ORIGENS- UM ESTUDO DE GÊNESIS 1-11
HEINRICH KRAUSS, MAX KÜCHLER
PAULINAS
(2007)
R$ 30,90



ESTUDOS SOBRE DIREITOS HUMANOS SOCIEDADE E DEMOCRACIA
ALDIRA GUIMARÃES DUARTE - ORG.
CMDH
(2008)
R$ 44,00



PARA CHORAR DE RIR
ORGANIZADO POR CIRANDA CULTURAL
CIRANDA CULTURAL
(2014)
R$ 5,40



CUBA, CHILE, NICARÁGUA: SOCIALISMO NA AMÉRICA LATINA
EMIR SADER
ATUAL
(1992)
R$ 7,00



HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE
J. K. ROWLING
ROCCO
(2005)
R$ 8,00



APOSTILA TRT - 7ª RF - TÉCNICO JUDICIÁRIO (VÁRIAS DISCIPLINAS)
AUGUSTO SÁ E WALBER SIQUEIRA E OUTROS
DIM EDIÇÕES TÉCNICAS
(2009)
R$ 35,10



O BARQUEIRO DE PARATY
ODIR CUNHA
MUNDO
(2008)
R$ 18,50
+ frete grátis





busca | avançada
28938 visitas/dia
870 mil/mês