Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
23400 visitas/dia
586 mil/mês
Mais Recentes
>>> Confraria do Vinil chega ao Cachaça Social Club na Lapa
>>> Windsor Marapendi apresenta Companhia Estadual de Jazz
>>> CarnaRock KISS FOR KIDS
>>> Para compreender a filosofia de Schopenhauer
>>> Editora Unesp resgata textos do expoente do empirismo iluminista
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um Cântico para Rimbaud, de Lúcia Bettencourt
>>> Longa vida à fotografia
>>> Oswald de Andrade e o
>>> Nuvem Negra*
>>> Em defesa da arte urbana nos muros
>>> Vocês, que não os verei mais
>>> Em nome dos filhos
>>> O Que Podemos Desejar; ou: 'Hope'
>>> Píramo e Tisbe
>>> Meshugá, a loucura judaica, de Jacques Fux
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
>>> Ebook gratuito
>>> Poesia para jovens
>>> Nirvana pra todos os gostos
>>> Diego Reeberg, do Catarse
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Lançamento e workshop em BH
Últimos Posts
>>> Gente que corre
>>> Inventário de provas
>>> Escrever, escrever, escrever...
>>> Políticos e suas politicas
>>> Marceneiro
>>> Hércules e seu doutorado sanduíche com Aristóteles
>>> Caminhos
>>> Eroti(cidade)
>>> O sapo e a princesa
>>> Ato reflexo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Transei com minha mãe, matei meu pai
>>> Flip 2008 ― I
>>> Um conselho: não leia Germinal
>>> O Uso do Twitter no Brasil
>>> Também somos violentos
>>> O Céu pode esperar
>>> A internet não é nada
>>> A Pérola de Galileu
>>> O humanista Edward Said
>>> Peterson e Pass 1987
Mais Recentes
>>> Nações do Mundo
>>> Enciclopédia da Humana
>>> Enciclopédia doa Hmanidade
>>> Enciclopédia da Humamanidade
>>> A Bíblia- No Princípio ( Gênesis)
>>> A espada de Siegfried
>>> As viagens de Ulisses
>>> O que é capitalismo - Primeiros Passos
>>> Métodos de Estudos Bílbicos
>>> O crime do Padre Amaro
>>> A montanha mágica
>>> O Pequeno Principe
>>> Obra completa - Dostoiévski - Vol. 03
>>> Obra completa - Dostoiévski - Vol. 02
>>> A Igreja. O Corpo de Cristo no Mundo de Hoje
>>> Obra completa - Dostoiévski - Vol. 01
>>> Obra Poética - Cecília Meireles
>>> Obra Reunida - Olavo Bilac
>>> Diretorio dos Agostinosda assunçaõ
>>> Finanças corporativas
>>> Naõ sou feliz mas tenho marido
>>> Cigarro ea Magia
>>> A banda da lua azul
>>> Corações Feridos
>>> Jardim de inverno
>>> Onde deixei meus óculos
>>> Como se relacionar melhor com as pessoas
>>> Como transformar defeitos em virtudes
>>> Viagem ao Inconsciente
>>> Sociedaqde e conscência
>>> Pais e filhos
>>> As pedras do caminha
>>> Jesus,a Galaxia
>>> Medicina alternativa de A Z
>>> o que é 0 Esspiritismo
>>> Amor de cão
>>> Lobos do Mar
>>> Serviço total ao cliente
>>> Adolescente viva em harmonia com ele
>>> Manual Compcto de Matemática
>>> Melhores Contos
>>> Oráculos dos anjos
>>> Felicidade com Deus
>>> Vivendo Plenamente
>>> Amor e sexualidade
>>> Saber desenvolver a criatividade na vida e no trabalho
>>> Traços da Face Divina
>>> Pais e Companheiros de viagem
>>> É hora de mudar
>>> Um Grito de Luz
COLUNAS

Quarta-feira, 28/12/2016
Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso
Cassionei Niches Petry

+ de 1100 Acessos

“Não se lê Lúcio impunemente”, afirma André Seffrin no prefácio à edição conjunta das novelas Mãos vazias e O desconhecido. Lúcio Cardoso é um escritor da angústia, de personagens angustiados e de leitores que se angustiam. Saímos de seus livros nos sentindo condenados por vivermos felizes em mundo em que a miséria humana está sempre presente ou a nossa porta ou dentro mesmo dos nossos lares.

Mãos vazias foi publicada em 1938. Inicia com a espera de uma morte que acaba acontecendo logo nas primeiras páginas e é dolorida por se tratar da morte de uma criança. Luisinho, seis anos de idade, é filho de Ida e Felipe. Ela, até os últimos momentos de vida do menino está ao seu lado, numa dedicação extrema. O pai, por sua vez, apenas demonstra certa tristeza e desespero pelo que acontece. Quando a criança enfim se vai (e escrevo estas linhas num Dia de Finados) devido à tuberculose, Ida demonstra mais tranquilidade, frieza até, tanto que acaba fazendo sexo com o médico do filho logo depois de seu enterro. (Na adaptação cinematográfica da obra, o diretor Luiz Carlos Lacerda realiza a cena na mesma cama onde está, coberto por um lençol, o corpo do menino.) Já Felipe entra em mais desespero ainda, porém, parece, talvez apenas para demonstrar aos outros, principalmente aos vizinhos, seus sentimentos.

É o estopim para que Ida passe a externar seu desprezo pelo marido e deseja se libertar, saindo de casa, não sem antes revelar para o marido que dormiu com o médico. O marido não acredita em princípio, o que a deixa mais indignada com ele, sua falta de atitude, seu conformismo, sua mediocridade. “Queria-o mais ríspido, imaginava proezas que o pobre Felipe nunca chegaria a realizar. Nem sequer seria capaz de compreender o seu pensamento, quando chegasse a descobrir os estranhos desejos que a perturbavam.” É contra o conformismo que a protagonista mais se revolta, como nesse diálogo com sua melhor amiga: “- Ana, é possível que você viva conformada com a sua existência? (...) - Tenho marido. De que mais preciso?”

O desconhecido, de 1940, relata a história de um forasteiro que chega a uma fazenda procurando trabalho. “Batizado” pela proprietária de José Roberto (não ficamos sabendo do seu nome verdadeiro), mesmo nome de um falecido capataz da propriedade, é um estranho numa terra estranha, parafraseando o título de um romance de ficção científica. Pois esse “alien” desestabiliza ainda mais o lugar. A dona, a velha Aurélia, é dominadora e explora seus empregados, inclusive sexualmente. Expulsa a filha da empregada Elisa por ciúmes de sua beleza (“Essa menina é uma negação da minha própria existência.”) e ainda impede a mãe de vê-la. O cocheiro Miguel deixa os cachorros com fome para dominá-los e sente inveja do desconhecido, que pode lhe roubar os privilégios que tem com a velha. Já outro empregado, Paulo, namora às escondidas com a filha de Elisa que está morando em uma igreja próxima e deseja fugir com ela. José Roberto divide com ele a mesma cabana, o ensina a ler e parece ter uma atração homoerótica pelo discípulo, que parece sentir o mesmo, e tudo isso os deixa muito angustiados: “Nesse instante, ambos estavam tão próximos que um sentia no rosto a respiração do outro. E sem saber por que, ambos compreenderam que já não havia entre eles nenhuma hostilidade e que, ao contrário, alguma coisa poderosa como o instinto os tinha unido, como se, colhidos pela engrenagem de um fato misterioso e inesperado, devessem lutar juntos para se libertarem.” A condição sexual do protagonista, ao que parece, é a provável justificativa para ter saído de sua casa para buscar trabalho longe da cidade.

Vale ressaltar que o próprio Lúcio Cardoso vivia essas angústias enquanto escrevia a novela, conforme relatou em seu diário pessoal: “Os sentimentos que então me agitavam, a paixão desnorteada, a falta de caminho – ah, coisas da idade! – enquanto escrevia uma novela (O desconhecido) onde tentei lançar, encoberto, um pouco de tudo o que então me perturbava... e não era aquilo uma simples manifestação de vida, infrene e cega, do meu sangue, tumultuado e forte, manifestando por todos os modos sua vontade de existir e de criar?” Difícil aqui separar autor e personagem. E o leitor, de certa maneira, sofre junto com eles.


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 28/12/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nuvem Negra* de Marilia Mota Silva
02. Vocês, que não os verei mais de Elisa Andrade Buzzo
03. Oswald de Andrade e o de Celso A. Uequed Pitol
04. Em nome dos filhos de Luís Fernando Amâncio
05. Píramo e Tisbe de Ricardo de Mattos


Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry em 2016
01. Ler para ficar acordado - 18/5/2016
02. O suicídio na literatura - 13/4/2016
03. Proibir ou não proibir? - 10/2/2016
04. De louco todos temos um pouco - 13/1/2016
05. Notas confessionais de um angustiado (III) - 9/3/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PROCURA-SE UMA ROSA - VINICIUS DE MORAIS/PEDRO BLOCH/GLAUCO GIL (TEATRO BRASILEIRO)
VINICIUS DE MORAIS/PEDRO BLOCH/GLAUCO GIL
MASSAO ONO
(1961)
R$ 20,00



PAIS E FILHOS
IVAN TURGUÊNIEV
ABRIL CULTURAL
(1971)
R$ 7,20



MOMENTOS HUMANOS
EDWARD M. HALLOWELL
ROCCO
(2004)
R$ 15,17



-BOA-NOITE, DONA LUA
TERESINHA CAUHI DE OLIVEIRA
FTD S.A
(1997)
R$ 7,00



GEOGRÁFICA UNIVERSAL - JAN/1995
VÁRIOS
BLOCH
(1995)
R$ 7,20



DIREITOS HUMANOS DO BRASIL 2009
VV
FUNDAÇÃO HEINRICH BÖLL
(2009)
R$ 19,00



REFLEXÕES SOBRE O SERMÃO DO MONTE
LAÉRCIO MADSON DE AMORIM MONTEIRO
DO AUTOR
(2010)
R$ 14,00



REVISTA PET WORLD Nº 1
VÁRIOS
ANIMAL WORLD
(2007)
R$ 7,00



DISCIPLINA, LIMITE NA MEDIDA CERTA
IÇAMI TIBA
GENTE
(1996)
R$ 12,35



X-MEN ADVENTURES Nº2 E Nº1 DA SÉRIE II
MARVEL COMICS
ABRIL
(1995)
R$ 5,00





busca | avançada
23400 visitas/dia
586 mil/mês