Em nome dos filhos | Luís Fernando Amâncio | Digestivo Cultural

busca | avançada
29899 visitas/dia
954 mil/mês
Mais Recentes
>>> Ian Carvalho lança EP 'Morpheo In Eros'
>>> Semivelhos lança inédita 'Vai Chover'
>>> O que há na mente de Deus?
>>> Antropólogo discute autonomia dos símbolos e seu papel na criação da cultura
>>> Opressão violenta do consumo é abordada de forma onírica no espetáculo Quarenta e Duas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Piada pronta
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. Epílogo. Ambaíba
>>> Claudio Willer e a poesia em transe
>>> Paul Ricoeur e a leitura
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 12. Rumo ao Planalto
>>> Dilúvio, de Gerald Thomas
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 11. A Quatro Braçadas
>>> Crônica de Aniversário
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 10. O Gerador de Luz
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 9. Um Cacho de Banana
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lauro Machado Coelho
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
Últimos Posts
>>> Bojador
>>> Inversões
>>> Estado alterado
>>> Templo
>>> Divagações
>>> Convicto
>>> Ação e reação
>>> Fio de Eros IV
>>> Fio da meada
>>> Interlocutores
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ensaio sobre a Cegueira, por Fernando Meirelles
>>> ConaLit
>>> A Música Erudita no Brasil
>>> Porque assim é São Paulo
>>> Marçal Aquino: o Rei do Clima
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Crowdsourcing, o livro de Jeff Howe
>>> A paixão segundo Gero Camilo
>>> Mulheres fantásticas e futuristas
>>> Redigir com Ana Elisa Ribeiro
Mais Recentes
>>> Fundamentos da economia
>>> Fundamentos da economia
>>> Guia Prático de Conjugação de Verbos
>>> Cotidiano: Conhecimento e Crítica
>>> Estágio & Supervisão
>>> Educação, Ideologia e Contra Ideologia
>>> Wittgenstein - Os Pensadores
>>> Schelling - Os Pensadores
>>> Heidegger - Os Pensadores
>>> As Dores da Alma
>>> Animais da Fazenda - Brinque
>>> Cartilha do Bem
>>> Meninos em Guerra
>>> Reino Dividido- Uma Introdução à Bíblia- Volume 4
>>> A Assustadora História da Medicina
>>> A Sabedoria do Sutra de Lótus Volume 2
>>> Reflexologia- Um Método para Melhorar a Saúde
>>> Apocalipse - A Revelação de Jesus Cristo- Crescer e Amadurecer
>>> Ensaios (Sobre Arte e Literatura) - Olívio Montenegro
>>> Madre Coraje y suas hijos - Bertolt Brecht (Teatro alemão) - Em ESPANHOL
>>> Brasil: Manual de Instruções - Ziraldo (Literatura Infanto-Juvenil)
>>> Storia del Teatro Antico (Grécia e Roma) - Giovanni Antonucci (Em Italiano)
>>> A rosa do povo & Claro enigma (Carlos Drummond de Andrade - Roteiro de Leitura)
>>> Seu Creysson - Vídia e Óbria (Casseta e Planeta) - Humorismo
>>> O melhor de Vinicius de Moraes (Poesia brasileira)
>>> O prazer das palavras 1 - Um olhar bem humorado sobre a Língua Portuguesa - Cláudio Moreno
>>> 20 Poemas de amor y una canción desesperada - Pablo Neruda (Literatura Chilena) Em ESPANHOL
>>> O melhor de HAGAR, o Horrível - Dick Browne (História em Quadrinhos)
>>> Il borghese stregato - Dino Buzzati (Em Italiano)
>>> Os Escravos - Castro Alves (Literatura Brasileira)
>>> A mulher do Silva - Luis Fernando Veríssimo (Humorismo)
>>> Marília de Dirceu - Tomás Antonio Gonzaga (Poesia Brasielira)
>>> Gonçalves Crespo (Poesia) - Poesia brasileira
>>> O bom humor como forma de incentivo à Leitura - Tom Moisés (Humorismo)
>>> Amar se aprende amando - Carlos Drummond de Andrade (Literatura brasileira)
>>> Morte e vida severina e outros poemas - João Cabral de Melo Neto (Poesia brasileira)
>>> Morte e vida severina e outros poemas - João Cabral de Melo Neto (Poesia brasileira)
>>> Os Lusíadas - Luís de Camões (Literatura portuguesa)
>>> 100 maneiras de enlouquecer um eleitor - Parsifal Pontes (Humorismo)
>>> Rupturas: Poemas em busca de um eixo - Ana Maria Amaral (Poesia brasileira)
>>> Sete faces do Humor - Marcia Kupstas (Humorismo)
>>> Guimarães Rosa: As paragens mágicas - Irene Gilberto Simões (Literatura brasileira)
>>> Estilos de Época na Literatura - Domício Proença Filho (Estudos Literários)
>>> História da Literatura Brasileira - Nelson Werneck Sodré
>>> História da Literatura Brasileira - Nelson Werneck Sodré
>>> Literatura Comentada - Bocage (Literatura Portuguesa)
>>> Literatura Comentada - Luiz Vaz de Camões (Literatura Portuguesa)
>>> Literatura Comentada - Lima Barreto (Literatura Brasileira)
>>> Literatura Comentada - Jorge Amado (Literatura Brasileira)
>>> Literatura Comentada - Pedro Nava (Literatura Brasileira)
COLUNAS

Terça-feira, 31/1/2017
Em nome dos filhos
Luís Fernando Amâncio

+ de 2100 Acessos

É difícil nomear algo. Pior ainda quando se trata de nomear uma pessoa. E complica ainda mais se for uma pessoa com quem você vai conviver a vida toda. Mais difícil do que dar nome aos bois é dar nome aos filhos. Já imaginou, seu rebento querido, no auge da rebeldia, se virar para você e soltar a clássica frase, “eu não pedi pra nascer”, acrescida de um “muito menos ter essa m**** de nome”?

Gerar um outro ser e, ainda por cima, criar uma alcunha para ele, é brincar de deus. Mas a grande maioria não aprendeu com o Homem-Aranha, que “grandes poderes trazem grandes responsabilidades”. Então, as pessoas saem por aí desferindo nomes no impulso, ao bel-prazer, sem pensar no futuro do cidadão que o ostentará por toda uma vida. Apenas nomeiam, porque acham que soa bem, porque viram o nome na tv, porque é o nome do pai misturado com o da mãe ou, simplesmente, PORQUE SIM.

Minha família sofre da “maldição do nome composto”. Talvez tenha começado na geração da minha mãe, quando filha mulher era quase sempre “Maria” e filho homem era “José”. Aí, quando vinha o segundo filho do mesmo gênero – e naquela época filho vinha de braçada –, já havendo um José ou uma Maria, era preciso diferenciar com um complemento. Além disso, os batismos ainda ricocheteavam em nomes de santos, num combo completo de benção.

Na minha geração, os pais já começaram a deixar de lado a beatice na hora de ir ao cartório. Só que um nome simples, sem complemento, continuou não servindo. Muitos dizem que tenho nome de galã de novela mexicana, por exemplo.

Hoje, a composição dupla de nomes continua. Os nomes ficaram mais enxutos, coisa da moda – Sofia, Alice, Miguel, Pedro, Arthur e por aí vai – mas raramente é um só. E para aplicar o nome composto há as mais variadas justificativas: o pai queria um nome, a mãe, outro; um nome é o da avó materna, o outro é o da avó paterna; o primeiro nome é de uma música e o outro é da cidade aonde ouvi essa música...

Mas a minha família e os nomes compostos são só uma tendência em meio ao turbilhão de escolhas questionáveis imortalizadas em certidões de nascimento. Quem não se lembra da febre do “K”? Quem se chama Kelly, Kaio, Kellen, Karolina, dentre outros, sabe do que estou falando.

Houve também o tempo das consoantes dobradas, dos ipsilons marotos roubando o lugar do “i”, e do “e” tornando o nome feminino “diferentão” – “’Mariana’” é comum, vou sapecar um “e” no fim e vai ficar bom, ‘Mariane’”.

Sem falar nos nomes gringos que ainda desembarcam por aqui. Quanta “versão brasileira: Herbert Richers” não fez a cabeça de papais e mamães? Washingtons, Kathlyns, Wellingtons, Charles e Rachels que o digam. E atores, atrizes e músicos também batizaram mais crianças do se pode imaginar. Se gritar “Michael Douglas” na rua, uns três vão virar. Sem falar nos exóticos “Waltdisney da Silva”, das “Whitney Houston dos Santos”, ou dos “Christopher Tiagos” da vida.

Enfim, quando a criatividade é grande, o céu – que no caso é o alfabeto – é o limite. Não estou aqui para julgar, tem gosto para tudo e o meu não é melhor do que o de ninguém. Mas se um dia eu quiser fazer algo de importante da vida, talvez eu crie uma ONG para estimular as pessoas a darem nomes a seus filhos com consciência. Não é dizer que tal nome é certo e o outro é errado. Mas é que às vezes, antes de tomar uma decisão, é preciso ouvir alguém dizer: “sério?”.

Afinal, adaptando a infeliz campanha publicitária do governo federal, gente boa também erra a mão na hora de dar nome aos outros.


Luís Fernando Amâncio
Belo Horizonte, 31/1/2017


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Por que HQ não é literatura? de Cassionei Niches Petry
02. Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso de Cassionei Niches Petry
03. Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá? de Renato Alessandro dos Santos
04. Dilapidare de Elisa Andrade Buzzo
05. Os Doze Trabalhos de Mónika. 1. À Beira do Abismo de Heloisa Pait


Mais Luís Fernando Amâncio
Mais Acessadas de Luís Fernando Amâncio em 2017
01. Em nome dos filhos - 31/1/2017
02. Fake news, passado e futuro - 25/8/2017
03. Brasil, o buraco é mais embaixo - 7/7/2017
04. Bates Motel, o fim do princípio - 8/12/2017
05. O dia que nada prometia - 26/5/2017


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS SOFRIMENTOS DO JOVEM WERTHER
JOHANN WOLFGANG VON GOETHE
MEDIAFASHION
(2016)
R$ 24,00



OS CAMINHOS DO MUNDO INTERIOR- COMO ATINGIR AS PROFUNDEZAS INEXPLORADAS DA NOSSA PERSONALIDADE
WILSON VAN DUSEN
RECORD
(1972)
R$ 13,90



ABRAÇADO AO MEU RANCOR
JOÃO ANTÔNIO
GUANABARA
(1986)
R$ 20,00
+ frete grátis



ARTEFATOS DA CULTURA NEGRA NO CEARÁ
HENRIQUE CUNHA JÚNIOR, JOSELINA DA SILVA, CICERA NUNES (ORGS.)
UFC
(2011)
R$ 22,90



O TESTAMENTO
JOHN GRISHAM
ROCCO
(1999)
R$ 10,00



TEATRO - PRÊMIO NOBEL DE LITERATURA DE 1923
WILLIAM BUTLER YEATS
OPERA MUNDI
(1973)
R$ 25,90



O HOMEM CHAMADO JESUS 
SILAS MALAFAIA
CENTRAL GOSPEL
(2003)
R$ 5,00



MANUAL DE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA
SERGIO IUDICIBUS, ELISEU MARTINS,ERNESTO GELBKE, ARIOVALDO SANTOS
ATLAS
(2010)
R$ 110,00



CÓDIGO DIVINO DA VIDA
KAZUO MURAKAMI, PH.D
BARANY
(2008)
R$ 135,00
+ frete grátis



O POVO DE DEUS EM MARCHA
M. K. DE ORTIZ TIRADO
PAULINAS
(1983)
R$ 6,00





busca | avançada
29899 visitas/dia
954 mil/mês