Em nome dos filhos | Luís Fernando Amâncio | Digestivo Cultural

busca | avançada
30928 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Ana Marson lança livro de crônicas em São Paulo
>>> Música, dança e boa conversa na "Semana Preta" do Centro de Referência da Dança
>>> Vila Cultural Cora Coralina recebe exposição 'Tempos Líquidos'
>>> DAMA DE COPAS - O LIVRO É LANÇADO PELA SOUL EDITORA
>>> Novo livro do Padre Lício propõe reflexão para prevenção ao suicídio
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
>>> Manchester à beira-mar, um filme para se guardar
>>> Noel Rosa
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Você pertence a um não lugar
>>> Olho d'água
>>> A música da corrida
>>> Retalhos da vida
>>> Limbo
>>> Transmutações invisíveis
>>> Quem te leu, quem te lê
>>> Bom dia e paz
>>> O que sei do tempo II
>>> Quem é quem?
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Caso Richthofen: uma história de amor
>>> Sem lero-lero
>>> A droga da felicidade
>>> Hilda Hilst, o IPTU e a Chave da Cidade
>>> Símbolos e Identidade Nacional
>>> Animismo
>>> Um monstro que ri
>>> Lições literárias
>>> Fahrenheit 451, Oralidade e Memória
>>> História dos Estados Unidos
Mais Recentes
>>> Farra no Formigueiro
>>> Picasso - Coleção Crianças Famosas
>>> Roman Games - 3
>>> Arte para Criança Arcangelo Ianelli no Mundo das Nuvens
>>> O Santinho
>>> Raul da Ferrugem Azul
>>> O Fantástico Mistério de Feiurinha
>>> Meninos, Eu Conto - Contos - Vol. 2
>>> O Porta-lápis Encantado - Col. Biblioteca Marcha Criança
>>> Os Lusíadas - Série Reencontro
>>> Guia do Escoteiro Noviço
>>> The Gospel of the Kingdom
>>> Cartas ao Papa João Paulo II
>>> An Outline Of American Geography
>>> Pinheiros - Estudo Geográfico de Um Bairro Paulistano
>>> Poesia Completa de Alberto Caeiro
>>> A Oração dos Cinco Dedos com o Papa Francisco
>>> Estudo Dirigido de Microsoft Office Excel 2010. Avançado
>>> Estudo Dirigido de Microsoft Office Excel 2010
>>> Teilhard de Chardin. Ensaio de leitura crítica
>>> World Of Warcraft - Crônica - Vol. 1
>>> Reflexões e Orações no Espaço Tempo
>>> Janelas para a Vida
>>> Alimentação Moderna
>>> O Dia em que os Deuses Chegaram - 11 de Agosto de 3114 a.C
>>> Os Doze Trabalhos de Hércules - I
>>> Os Santos Evangelhos
>>> Inculta & Bela - 1
>>> Inculta & Bela - 1
>>> Onde Canta o Sabiá
>>> Onde Canta o Sabiá
>>> Onde Canta o Sabiá
>>> Onde Canta o Sabiá
>>> Onde Canta o Sabiá
>>> Onde Canta o Sabiá
>>> Onde Canta o Sabiá
>>> Onde Canta o Sabiá
>>> Pessoa e Amor segundo Teilhard de Chardin
>>> O Meio Divino
>>> Gramática Resumida
>>> Enfermagem em Centro Cirúrgico: atualidades e perspectivas no ambiente cirúrgico
>>> Guia completo de Procedimentos e Competências de Enfermagem
>>> PRocedimentos especializados de Enfermagem
>>> Hospitalização
>>> A psicanálise, sua imagem e seu público
>>> Estudo Dirigido para Microsoft Office Word 2010
>>> Família contemporânea e saúde: significados, práticas e políticas públicas
>>> Manual de cuidados HIV/AIDS
>>> Novo Manual de Instrumentação Cirúrgica
>>> Estudo Dirigido de Microsoft Office Powerpoint 2010
COLUNAS

Terça-feira, 31/1/2017
Em nome dos filhos
Luís Fernando Amâncio

+ de 1900 Acessos

É difícil nomear algo. Pior ainda quando se trata de nomear uma pessoa. E complica ainda mais se for uma pessoa com quem você vai conviver a vida toda. Mais difícil do que dar nome aos bois é dar nome aos filhos. Já imaginou, seu rebento querido, no auge da rebeldia, se virar para você e soltar a clássica frase, “eu não pedi pra nascer”, acrescida de um “muito menos ter essa m**** de nome”?

Gerar um outro ser e, ainda por cima, criar uma alcunha para ele, é brincar de deus. Mas a grande maioria não aprendeu com o Homem-Aranha, que “grandes poderes trazem grandes responsabilidades”. Então, as pessoas saem por aí desferindo nomes no impulso, ao bel-prazer, sem pensar no futuro do cidadão que o ostentará por toda uma vida. Apenas nomeiam, porque acham que soa bem, porque viram o nome na tv, porque é o nome do pai misturado com o da mãe ou, simplesmente, PORQUE SIM.

Minha família sofre da “maldição do nome composto”. Talvez tenha começado na geração da minha mãe, quando filha mulher era quase sempre “Maria” e filho homem era “José”. Aí, quando vinha o segundo filho do mesmo gênero – e naquela época filho vinha de braçada –, já havendo um José ou uma Maria, era preciso diferenciar com um complemento. Além disso, os batismos ainda ricocheteavam em nomes de santos, num combo completo de benção.

Na minha geração, os pais já começaram a deixar de lado a beatice na hora de ir ao cartório. Só que um nome simples, sem complemento, continuou não servindo. Muitos dizem que tenho nome de galã de novela mexicana, por exemplo.

Hoje, a composição dupla de nomes continua. Os nomes ficaram mais enxutos, coisa da moda – Sofia, Alice, Miguel, Pedro, Arthur e por aí vai – mas raramente é um só. E para aplicar o nome composto há as mais variadas justificativas: o pai queria um nome, a mãe, outro; um nome é o da avó materna, o outro é o da avó paterna; o primeiro nome é de uma música e o outro é da cidade aonde ouvi essa música...

Mas a minha família e os nomes compostos são só uma tendência em meio ao turbilhão de escolhas questionáveis imortalizadas em certidões de nascimento. Quem não se lembra da febre do “K”? Quem se chama Kelly, Kaio, Kellen, Karolina, dentre outros, sabe do que estou falando.

Houve também o tempo das consoantes dobradas, dos ipsilons marotos roubando o lugar do “i”, e do “e” tornando o nome feminino “diferentão” – “’Mariana’” é comum, vou sapecar um “e” no fim e vai ficar bom, ‘Mariane’”.

Sem falar nos nomes gringos que ainda desembarcam por aqui. Quanta “versão brasileira: Herbert Richers” não fez a cabeça de papais e mamães? Washingtons, Kathlyns, Wellingtons, Charles e Rachels que o digam. E atores, atrizes e músicos também batizaram mais crianças do se pode imaginar. Se gritar “Michael Douglas” na rua, uns três vão virar. Sem falar nos exóticos “Waltdisney da Silva”, das “Whitney Houston dos Santos”, ou dos “Christopher Tiagos” da vida.

Enfim, quando a criatividade é grande, o céu – que no caso é o alfabeto – é o limite. Não estou aqui para julgar, tem gosto para tudo e o meu não é melhor do que o de ninguém. Mas se um dia eu quiser fazer algo de importante da vida, talvez eu crie uma ONG para estimular as pessoas a darem nomes a seus filhos com consciência. Não é dizer que tal nome é certo e o outro é errado. Mas é que às vezes, antes de tomar uma decisão, é preciso ouvir alguém dizer: “sério?”.

Afinal, adaptando a infeliz campanha publicitária do governo federal, gente boa também erra a mão na hora de dar nome aos outros.


Luís Fernando Amâncio
Belo Horizonte, 31/1/2017


Quem leu este, também leu esse(s):
01. As Vacas de Stalin, de Sofi Oksanen de Ricardo de Mattos
02. Gente Esquisita ou Miopia de Daniel Bushatsky
03. Palhaço de Daniel Bushatsky


Mais Luís Fernando Amâncio
Mais Acessadas de Luís Fernando Amâncio em 2017
01. Em nome dos filhos - 31/1/2017
02. Brasil, o buraco é mais embaixo - 7/7/2017
03. O dia que nada prometia - 26/5/2017
04. Revolusséries - 21/3/2017
05. Fake news, passado e futuro - 25/8/2017


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ECONOMIA E ESPIRITUALIDADE
DR. PE. ARI ANTONIO DA SILVA E PAULO VIERA DE CASTRO
DOAUTOR
(2011)
R$ 20,00



INSURGENTE
VERONICA ROTH
ROCCO
(2013)
R$ 18,00



CIVILIZAÇÃO E TRANSCENDÊNCIA
A.C. BHAKTIVEDANTA SWAMI PRABHPADA
THE BHAKTIVEDANTA BOOK TRUST
(1991)
R$ 5,00



ANGÚSTIA
GRACILIANO RAMOS
RECORD
(1979)
R$ 7,90



SCHELLING - OS PENSADORES
COLEÇÃO OS PENSADORES
ABRIL CULTURAL
(1980)
R$ 9,00



ONDE CANTA O SABIÁ
NADIR BRANDÃO
HD LIVROS
(2000)
R$ 6,00



MÁRIO UNIVERSAL PAULISTA: ALGUMAS POLARIDADES
LÚCIA NEÍZA PEREIRA DA SILVA
SECRETARIA DE CULTURA DE SÃO PAULO
(1997)
R$ 20,00



O MENINO DA ROSA
TONY MONTI
HEDRA
(2008)
R$ 9,00



A COBRA QUE USAVA CHINELO
ADEILSON SALLES
BOA HORA
(2011)
R$ 10,00



QUANDO A VIDA ESCOLHE
ZIBIA GASPARETTO
VIDA E CONSCIÊNCIA
(2015)
R$ 19,99
+ frete grátis





busca | avançada
30928 visitas/dia
1,1 milhão/mês