Imprimam - e repensem - suas fotografias | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
29120 visitas/dia
870 mil/mês
Mais Recentes
>>> ABCDança 2017 segue com programação gratuita até o dia 28 de maio
>>> Crianças travessas também podem gostar de ler
>>> Banda Silibrina, de Gabriel Nóbrega, lança o álbum O Raio com temporada de shows no Jazz nos Fundos
>>> Dom Quixote chega a USP Leste
>>> Documentário
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Dilapidare
>>> A imaginação do escritor
>>> Inquietações de Ana Lira
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 1. À Beira do Abismo
>>> Minha finada TV analógica
>>> Aquarius, quebrando as expectativas
>>> Amy Winehouse: uma pintura
>>> Casa Arrumada
>>> Revolusséries
>>> Mais espetáculo que arte
Colunistas
Últimos Posts
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
>>> Ebook gratuito
>>> Poesia para jovens
>>> Nirvana pra todos os gostos
>>> Diego Reeberg, do Catarse
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
Últimos Posts
>>> Greve geral
>>> Hoje Ella Fitzgerald faz 100 anos
>>> Vermelho (série: Sonetos)
>>> Os vãos nunca em vão
>>> O VERBO ALQUÍMICO
>>> Procissão
>>> Questionamento
>>> As 13 Razões Pra se Escolher a Vida!
>>> Black Mirror, nós e os outros
>>> Quadro negro
Blogueiros
Mais Recentes
>>> As redes sociais e a política
>>> 2007 e os meus CDs ― Versão Internacional 1
>>> Bill Gates e o Internet Explorer
>>> A fotografia cínica de Maurícius Farina
>>> A era e o poder do Twitter
>>> Os bons companheiros
>>> Diego Reeberg, do Catarse
>>> Da vitrola ao microchip
>>> Confissões de um crítico em tempos de internet
>>> Rumos, rumores e rumeiros
Mais Recentes
>>> Fim de Milênio: Os Perigos e Desafios da pós- Modernidade na Igreja
>>> Anatomia Dos Animais Domésticos - Textos e Atlas Colorido
>>> Rousseff
>>> A Arte da Guerra
>>> Ansiedade
>>> Qual é a tua obra?
>>> Revolucione sua qualidade de Vida
>>> A Cabana
>>> O que realmente importa?
>>> Os Segredos da Mente Milionária
>>> Corações descontrolados
>>> Volta ao Lar- Como resgatar e defender sua Criança interior
>>> Iniciação no laboratório de Química
>>> Arte na Educação Escolar
>>> Gestão do Conhecimento
>>> Curso de Física Básica 2-Fluidos, Oscilações e Ondas Calor
>>> Estudo de História - Ensino Médio - Vol. Único
>>> Bio volume único- Teste de Vestibulares e Enem
>>> Atualidades em Ergonomia-Logística, Movimentação de Materiais, Engenharia Industrial, Escritórios
>>> Bio volume único
>>> Marketing de A a Z-80: Conceitos que todo profissional precisa saber
>>> Diálogos sobre educação (Audio-livro)-E se Platão voltasse?
>>> Manual de Matemática-Conceitos básicos para nivelamento
>>> Aplicações de Vygotsky à educação matemática
>>> Educação Especial -Práticas de aprendizagem, convivência e inclusão
>>> PORTUGUÊS: CONTEXTO, INTERLOCUÇÃO E SENTIDO - Vol. 3
>>> Antropologia e Educação: Um saber de fronteira
>>> O prazer da leitura-Como a adaptação de clássicos ajuda a formar leitores
>>> Música(s) e seu Ensino
>>> A Condicão Humana
>>> Bioquímica Básica-Introdução à Bioquímica dos hormônios, sangue, sistema urinário, processos digestivos e absorptivo e micronutrientes
>>> História Concisa da Literatura Brasileira
>>> Gestão do Conhecimento no Brasil-Casos, experiências e práticas de empresas privadas/organizadora
>>> Contabilidade básica-Fundamentos essenciais
>>> Administração da Produção
>>> Moléculas em exposição-O fantástico mundo das substâncias e dos materiais que fazem parte do nosso dia-a-dia
>>> Exemplos de Álgebra Linear sobre Corpos-Volume 1 - Corpos Finitos
>>> Competência Social-Mais que etiqueta, uma questão de atitude
>>> Álgebra Linear
>>> Cultura, Linguagem e Subjetividade no Ensinar e Aprender
>>> Gravitação e Cosmologia-Uma introdução
>>> Desenvolvimento Moral na idade evolutiva-Um guia a Piaget e Kohlberg.
>>> História e raízes do princípio de conservação de energia
>>> O Mito da Doença Mental- Fundamentos de uma teoria da Conduta Pessoal
>>> Uma História de Natal - 5ª ed.
>>> Apresento-lhe a Baronesa
>>> O Desenvolvimento adulto de C.G.Jung
>>> Não mais eu, mas Cristo- Livro de Jó
>>> O Ápice da Visão e a Realidade do Corpo de Cristo
>>> Ensaios sobre a Psicologia de C. G. Jung
COLUNAS

Sexta-feira, 24/2/2017
Imprimam - e repensem - suas fotografias
Ana Elisa Ribeiro

+ de 1400 Acessos

Outro dia, mandaram um link para que eu lesse com carinho. Era um texto dizendo que o "pai da internet", Vint Cerf, recomendava que imprimíssemos nossas fotografias. O problema seria a tal da "obsolescência programada", essa invenção malévola e espertinha que nos transforma em consumidores compulsórios de equipamentos novos em substituição a outros sempre, e rapidamente, desatualizados.

Aconteceu outro dia, e outro e outro: usei um celular por muitos anos, insistentemente, até que não consegui baixar mais nenhum aplicativo nele. Pronto, passava da hora de trocar de aparelho. Vai durar. Doce ilusão.

Comprei outro e outro, e cada um, num belo dia diferente, mas não a espaços muito largos, deixava de funcionar por algum motivo. Mas a coisa era predeterminada. Em alguns casos, a máquina não funcionava nem com aplicativos fabricados pela própria empresa. Mas vá lá, tenhamos paciência ou bobiça suficientes.

Analógicas

Num mundo assim, imaginem o que seja manter certo hábito de tirar fotografias analógicas. Exótico, não? E sempre perguntam: mas existem ainda filmes? Alguém vende isso? Onde? É caro? E depois? Onde são revelados?

Fato é que, dia desses, revelei um filme. Escaneei as fotos e enviei algumas a pessoas a quem não darei uma foto de papel. Não foi exatamente caro revelá-las, mas fazer as cópias me daria bem mais trabalho. Geralmente, exceto pela minha mãe, as pessoas ficam satisfeitas ao receberem digitalizações. Mas que precariedade.

Eis que enviei uma foto digitalizada de uma matriz impressa de foto ao grupo de irmãos. Logo, minha irmã perguntou sobre o assunto: Quando foi isso? E me dei conta de que os lapsos das fotos analógicas pertencem mesmo ao fotógrafo. Logo informei, imprecisamente: acho que dia dos pais. Era uma lembrança difusa, de um dia comemorativo, um lugar, uns ladrilhos, a presença de certas pessoas, um almoço. Dia dos pais, talvez. Ela não disse mais nada. Aceitou.

O lapso de tempo que aquela câmera e aquele filme provocavam. Já pensou? Um filme de 36 poses ou menos, porque ele durou até as 30. E ficou dentro da máquina por meses e meses. Quando revelado, mostrou mais de três ou quatro eventos diferentes, lugares muito diversos, pessoas muito seletas. Estavam lá, justapostos, mas sem se comunicar, o dia dos pais, um passeio no Instituto Inhotim, umas fotos à beira do muro da fábrica de tecidos que será extinta (e dará lugar a um microshopping com nome em inglês). Também havia fotos de um evento no campus universitário, uma delas desfocada, quase perdida. O que se há de fazer? Jogar fora? Não é deletável.E ainda fotografias de um dia, no ensaio para um espetáculo poético-musical.

Sim, era um filme, muitos meses, cinco ocasiões muito diferentes, tempos diversos, sempre à luz do dia, porque, como sabem todos, fotografar é desenhar com luz.

O grão da foto é lindíssimo. As pessoas estão paradas diante de um clique que virá. Não pudemos testar, jogar poses ou chapas fora. Gostamos das fotos? Não? Já era.

O grão do tempo

Pensei por horas sobre a característica do filme analógico de guardar-se para ocasiões muito especiais e ser econômico na seleção das fotografias. Muitos eventos quase esquecidos ressurgiram para as pessoas, diante daquelas fotos. Até nem lembrávamos mais daquelas ocasiões. Por isso é importante escrever atrás das fotografias. Escrever, por datas, relembrar: 14 de agosto de 2016, dia dos pais. Caso contrário, não saberemos mais nos distinguir naquele passado em registro.

Um filme aguarda, pacientemente, para ser gasto. Disso decorre que o timing das fotos analógicas é paciente, é moroso, é seletivo, é cuidadoso. É preciso pensar sobre a foto, sobre a revelação e sobre como mostrar as fotos às pessoas.

Certa vez, fotografei o bebê de uma amiga, em dada ocasião, em uma livraria. Muitos meses depois, enviei-lhe a digitalização da foto. O grão do momento. Ela reconheceu o chão, o deck de madeira, a ocasião. Mas o bebê não era mais o mesmo. Uma lembrança de quando ele tinha alguns meses. Já não era mais o mesmo.

Dupla exposição

Vint Cerf alerta sobre as fotografias que se perderão entre bits, arquivos incompatíveis, máquinas inoperantes, obsolescências programadas, pessoas pouco cuidadosas com a memória. Mas não é só isso. Além de imprimirmos as fotos, como que a resguardá-las de um perigo evidente - mais que iminente -, é importante que alguns de nós resistam ao operar máquinas que deixam matrizes, negativos, filmes.

Não à toa nossa emoção, quando um pequeno grupo de amigos resolvemos conversar sobre o que fazer com duas caixas grandes de câmeras analógicas simples que seriam jogadas fora. Uma centena delas. E enquanto triávamos os equipamentos, observando se alguma já não funcionava, encontramos três com filmes dentro.

Filmes usados? Fotografados? Presos ali? Esquecidos? O que fazer? Vamos revelá-los? Festas de família ou nudes? Vamos removê-los e jogar no lixo, preservando a privacidade de alguém? Vamos mostrar ao mundo as fotografias que estão ali? Vamos procurar seus donos? Não.

Decidimos reusá-los: Cada um de nós escolheu um, por qualquer motivo. Retirados das câmeras originais, vão para dentro de nossos equipamentos e faremos dupla exposição. Dessa forma, quando revelados, talvez saibamos, apenas parcialmente, o que ali estava, quase revelado, mas não por inteiro.



Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 24/2/2017


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um Cântico para Rimbaud, de Lúcia Bettencourt de Jardel Dias Cavalcanti
02. Píramo e Tisbe de Ricardo de Mattos
03. Lear e Potter de Ricardo de Mattos
04. Nuno Ramos, poesia... pois é de Jardel Dias Cavalcanti
05. A convergência das mídias de Gian Danton


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro
01. O menino mais bonito do mundo - 29/1/2010
02. Digite seu nome no Google - 8/3/2006
03. Ler muito e as posições do Kama Sutra - 2/6/2004
04. Dar títulos aos textos, dar nome aos bois - 27/7/2007
05. Autor não é narrador, poeta não é eu lírico - 24/3/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS CAROLINOS - CRÔNICAS DE CARLOS XII - PRÊMIO NOBEL DE LITERATURA DE 1916
VERNER VON HEIDENSTAM
OPERA MUNDI
(1973)
R$ 25,90



O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR: COMPRANDO, POSSUINDO E SENDO
MICHEL R SOLOMON
BOOKMAN
(2008)
R$ 59,00



AUTO DA BARCA DO INFERNO
GIL VICENTE
LPM POCKET
(2005)
R$ 6,90



CHUMASH COM COMENTÁRIOS DE RASHI( VOL 1 'BERESHIT'- 'NO PRINCÍPIO'.
MOISÉS, AUTOR DO PENTATEUCO, OU TORAH, A BÍBLIA HEBRAICA COM COMENTÁRIOS DO RABBI SHLOMO BEN ITZHAK
TREIJGER
(1993)
R$ 90,00
+ frete grátis



HELLENICA, VOLUME I-V
XENOFONTE
WILLIAN HEINEMANN LTD LONDON
(1930)
R$ 89,00



MAR MORTO OBRAS ILUSTRADAS DE JORGE AMADO
JORGE AMADO
LIVRARIA MARTINS
(1970)
R$ 3,00



O TEATRO MODERNO EM PERNAMBUCO
JOEL PONTES
BURITI
(1966)
R$ 20,00



O PLANO PERFEITO
SIDNEY SHELDON
RECORD
(1997)
R$ 17,00



JUNG E ASTRLOGIA
ARTHUR DIONE
NOVA FRONTEIRA
(1990)
R$ 30,00



IRMÃOS E ASSASSINOS
GEORGES SIMENON
LIVROS DO BRASIL
(1970)
R$ 5,90





busca | avançada
29120 visitas/dia
870 mil/mês