Brasil, o buraco é mais embaixo | Luís Fernando Amâncio | Digestivo Cultural

busca | avançada
36458 visitas/dia
993 mil/mês
Mais Recentes
>>> ESCOLA PANAMERICANA REALIZA NOVA EDIÇÃO DO ARTESCAMBO
>>> Evento apresenta influência da gastronomia italiana na cultura de São Paulo
>>> Festival Cine Inclusão tem sessão de encerramento dia 23/9 na Unibes Cultural
>>> Exposição de Fábio Magalhães na CAIXA Cultural São Paulo termina dia 24 de setembro
>>> Vânia Bastos apresenta o premiado "Concerto para Pixinguinha", no Teatro Municipal Teotônio Vilela,
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
>>> Da varanda, este mundo
>>> Estevão Azevedo e os homens em seus limites
>>> Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> É de fibra
>>> O indomável Don Giovanni
>>> Caracóis filosóficos
>>> O mito dos 42 km
>>> Setembro Paulista
>>> Apocalipse agora
>>> João, o Maestro (o filme)
>>> Metropolis e a cidade
>>> PETITE FLEUR
>>> O fantasma de Nietzsche
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com o poeta Régis Bonvicino
>>> Pascal e a condição humana
>>> Alberto Caeiro, o tal Guardador de Rebanhos
>>> O gato diz adeus
>>> Ascese, uma instalação do artista Eduardo Faria
>>> Rousseau e a Retórica Moderna
>>> Sartre e a idade da razão
>>> Encontros (e desencontros) com Daniel Piza
>>> Para você estar passando adiante
>>> Para você estar passando adiante
Mais Recentes
>>> Platero E Eu
>>> O Piano
>>> Blue Like Jazz - Nonreligious Thoughts On Christian Spirituality
>>> A Prece Ucraniana na Pressa da Cidade- as renegociações das práticas religiosas ucranianas nos espaços da cidade de Curitiba, a partir de 1960
>>> Harmonia
>>> O Muro
>>> Tetralogia Monstro
>>> O Poder da Mulher que Ora
>>> Historia Geral Da Africa, Vol.2 Africa Antiga
>>> Revista de Cultura Brasileña - Número 39, junho de 1975 (ESPANHOL/PORTUGUÊS)
>>> Perspectivas da Cultura Brasileira - Miguel Reale
>>> Cenas de um casamento sueco - Ingmar Bergman (Cinema)
>>> Movimento Brasileiro: Contribuição ao estudo do Modernismo - Maria Eugênia da Gama Alves Boaventura (Arte e Ciências Humanas)
>>> André Malraux: Três aspectos e uma síntese (A aventura, a política, a arte) Frederico dos Reys Coutinho (Literatura Francesa)
>>> A música na Revolução Francesa - Enio Squeff
>>> A Invasão Cultural Norte-Americana - Júlia Falivene Alves (Cultura)
>>> Arte-Educação no Brasil - Ana Mae T. B. Barbosa
>>> Informação. Linguagem.Comunicação. - Decio Pignatari (Comunicação)
>>> Mito e Realidade - Mircea Eliade (Filosofia)
>>> A Holanda no tempo de Rembrandt - Paul Zumthor (Artes Plásticas)
>>> Portinari: Exposição de sua obra de 1920 até 1948 (Artes Plásticas)
>>> O Surrealismo - Yvon Duplessis (Arte/Estética)
>>> Museu Lasar Segall - 50 obras do acervo (Artes Plásticas)
>>> Arte & Deformação - Como entender a estética moderna - Assis Brasil
>>> El Arte: Formas de la conciencia social - V. Kelle/M. Kovalson (Em Espanhol) (Arte e Política)
>>> A Perspectiva - R. Taton & A. Flocon (Artes Plásticas)
>>> Cultura de Massa e Política de Comunicações - Waldenyr Caldas
>>> Problemas del arte en la revolución - Carlos Ragael Rodríguez (Em Espanhol)
>>> Itinerario estético da la Revolución Cubana - José Antonio Portuondo EM ESPANHOL(Estética)
>>> O Livro Perdido de Enki-Memórias e Profecias de um Deus Extraterrestre
>>> A Igreja
>>> Blecaute - 28ª ed.
>>> O Populismo na Política Brasileira
>>> Livro de Colorir Reino Animal
>>> Nas Trilhas da Crítica - Coleção: Críticas Poéticas
>>> Fé em Busca de Compreensão
>>> Carta aos Romanos
>>> Enciclopédia da Vida Selvagem - Animais da Selva III
>>> Mary Poppins
>>> Antologia Da Literatura Fantástica
>>> Saco de Ossos - 2 volumes
>>> Olhe Para Mim
>>> Guia Prático Enem - Matemática E Suas Tecnologias
>>> A Sombra Materna
>>> Histórias Da Vida Inteira
>>> Honoráveis Bandidos - Um Retrato Do Brasil Na Era Sarney
>>> Eternidade Mortal
>>> Ambientes Da Democracia Ambiental
>>> Trinta Anos Esta Noite - O que Vi e Vivi
>>> Pimenta Do Reino Em Pó
COLUNAS

Sexta-feira, 7/7/2017
Brasil, o buraco é mais embaixo
Luís Fernando Amâncio

+ de 1700 Acessos

Terminou no último domingo (02/07), a edição 2017 da Copa das Confederações. O Brasil não participou, então pouco se falou do torneio por aqui. Mesmo no cenário internacional, a competição teve importância discreta e corre o risco de ser extinguida em 2021.

Situação bem diferente ocorreu há quatro anos. Quando o Brasil sediou o evento preparatório para a Copa do Mundo de 2014, foi uma edição histórica. Muito pouco pela dimensão esportiva, é verdade. O que ganhou as manchetes de todo o mundo aconteceu fora dos estádios. Volumosos protestos cruzaram as capitais onde as partidas ocorreram e confrontaram a polícia ao tentar ultrapassar os perímetros delimitados pela Fifa como “zonas de segurança”. Era bomba pra todo lado, correria, pedrada, pneu queimado, gás de pimenta, pancadaria. Da minha janela, onde costumava ter uma vista pacata do voo de urubus e congestionamentos, eu vi, literalmente, as chamas tomarem os céus.

Eram manifestações apartidárias – inclusive hostis a bandeiras de partidos. E de pauta bem ampla. Eram contra a Copa do Mundo e as imposições de sua organização, que desrespeitavam especificidades do país-sede para estabelecer o famoso “padrão Fifa” nas arenas e seus entornos. Também protestou-se contra o aumento das tarifas de transporte coletivo, os gastos públicos, a violência policial, a recessão econômica… Em resumo, um tradicional levante “contra tudo isso que está aí”. Mas foram, sobretudo, protestos em oposição ao sistema político e à corrupção.

Dos protestos de junho de 2013 germinaram outros capítulos, de panelaços a manifestações verde-amareladas. E, se o legado da Copa, dentre outras coisas, foram estádios superfaturados e subaproveitados, o dos protestos foi, de certa forma, a queda da presidente reeleita em 2014. Afinal, os protestos legitimaram a eclosão da crise política que cuidou para que o processo de impeachment caminhasse nas devidas instâncias sem problemas. Tudo sob o pretexto das “gravíssimas” pedaladas fiscais, que fique claro.

Lá se foram quatro anos de muita turbulência. Muita coisa mudou. E a política? Houve troca de presidente, é verdade, mas voltou ao poder aquele partido que sempre esteve lá. Afinal, a história recente do Brasil ensina que não se governa o país sem fazer pactos. E um dos primeiros a exigirem que sua mão seja beijada é o PMDB. Está no poder desde 1985 e não deve sair tão cedo.

Até existe uma proposta de reforma política que deverá circular nas casas legislativas nos próximos meses. Ela mexe, basicamente, com a criação de um fundo partidário, visando um confortável financiamento de partidos para a campanha eleitoral de 2018. Duvido que alguém tenha ido às ruas em 2013 para pedir isso.

Política aqui continua sendo algo que se faz em negociatas pelos corredores de Brasília. Ou com jantares no Planalto e idas à churrascarias. É assim que Michel “tem que manter isso aí” Temer vai se manter até o fim de 2018, apesar do áudio escandaloso gravado pela JBS e de todas as denúncias e evidências envolvendo sua tropa de choque. E é assim que as reformas impopulares serão aprovadas. Pois nada pode desagradar o pato amarelo gigante da Avenida Paulista.

Ou seja, quem lutou “contra tudo isso que está aí” deve estar frustrado. Tudo continua lá. Afinal, no Brasil, o novo é um partido com as cores de um banco. É o político engomadinho, filho da elite colonial, que come pastel com cara de nojo. É uma mudança em que tudo fica igual, tirando o que piora.


Luís Fernando Amâncio
Belo Horizonte, 7/7/2017


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Fake news, passado e futuro de Luís Fernando Amâncio
02. Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo de Jardel Dias Cavalcanti
03. Da varanda, este mundo de Elisa Andrade Buzzo
04. A fotografia é um produto ou um serviço? de Fabio Gomes
05. A noite iluminada da literatura de Pedro Maciel de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Luís Fernando Amâncio
Mais Acessadas de Luís Fernando Amâncio em 2017
01. Em nome dos filhos - 31/1/2017
02. Brasil, o buraco é mais embaixo - 7/7/2017
03. O dia que nada prometia - 26/5/2017
04. Revolusséries - 21/3/2017
05. On the Road, 60 anos - 5/5/2017


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COMO LER A CARTA DE JUDAS- CORAGEM PARA LUTAR PELA FÉ
JOSÉ BORTOLINI
PAULUS
(2001)
R$ 18,00
+ frete grátis



O EXECUTIVO SEM CULPA
JOÃO ERMIDA
LUA DE PAPEL
(2010)
R$ 13,16



O ÚLTIMO E GRANDE DIA DA FESTA
DONG YU LAN
ÁRVORE DA VIDA
(2007)
R$ 5,00



A TESTEMUNHA OCULAR DO CRIME
AGATHA CHRISTIE
CÍRCULO DO LIVRO
(1986)
R$ 4,90



O HOMEM EM TEILHARD DE CHARDIN
CHAUCHARD
HERDER
(1973)
R$ 6,30



CIRCUITOS LINEARES
CHARLES M. CLOSE
LTC - LIVROS TÉCNICOS E CIENTÍFICOS
(1975)
R$ 65,00



O QUE FREUD NÃO EXPLICOU
MAURÍCIO SITA
SER MAIS
R$ 12,45
+ frete grátis



A REBELDE APAIXONADA
FRANK G. SLAUGHTER
NOVA CULTURAL
(1986)
R$ 3,00



LIBERTINOS LIBERTÁRIOS
ADAUTO NOVAIS
COMPANHIA DAS LETRAS
(1996)
R$ 89,90



O TEATRO DE ANTONIO ROCCO (TEATRO BRASILEIRO)
ANTONIO ROCCO
IMPRENSA OFICIAL
(2009)
R$ 7,00





busca | avançada
36458 visitas/dia
993 mil/mês