Corot em exposição | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
23155 visitas/dia
708 mil/mês
Mais Recentes
>>> Dois solos compõem a Terça Aberta no Kasulo
>>> Mídia em Foco debate as novas perspectivas do mercado da música
>>> "A PALAVRA FORA DO LUGAR: ESCRITORES REFUGIADOS E EM RISCO no CCBB RJ
>>> Escritora Regina Zappa fala sobre maio de 1968 no Sem Censura
>>> Roberta Sá e Gilberto Gil lançam single
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
>>> A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel
>>> Primavera para iniciantes
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> De Middangeard à Terra Média
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
>>> Psiu Poético em BH esta semana
Últimos Posts
>>> Entre a esperança e a fé
>>> Tom Wolfe
>>> Terra e sonhos
>>> Que comece o espetáculo!
>>> A alforja de minha mãe
>>> Filosofia no colégio
>>> ZERO ABSOLUTO
>>> Go é um jogo mais simples do que imaginávamos
>>> Wild Wild Country
>>> Um velho adolescente
Blogueiros
Mais Recentes
>>> As cartas de Dostoiévski
>>> Sobre caramujos e Omolu
>>> Três filmes sobre juventude no novo século
>>> A idolatria do século XXI
>>> Poesia e Guerra: mundo sitiado (parte II)
>>> Vida ou arte em Zuzu Angel
>>> Mainardi e o jornal do futuro
>>> O lilás da avenida sou eu
>>> O Anvil e o amor à música
>>> Sabemos pensar o diferente?
Mais Recentes
>>> Asterix na Córsega
>>> Lutando pela Vida
>>> Sociedade -O Espelho partido
>>> Tu és Isso (Tat Tvam Asi)
>>> Orfandades
>>> Muitas Vozes - Autobiografia de Uma Médium
>>> Como Fazer Uma Monografia
>>> Love, Rosie
>>> A Dieta do Yin e do Yang - Para Gordos, Magros e Instáveis
>>> Olhos Azuis, Coração Vermelho
>>> Marcas da Vida
>>> Corações de Pedra
>>> Corações de Pedra
>>> Por uma Semente de Paz
>>> Voz e Fala da Criança (No lar e na Escola)
>>> Com a Pré-Escola nas Mãos - Uma alternativa curricular para a educação
>>> Novo Mundo - Cartas de Viagens e Descobertas - A Visão do Paraíso
>>> Ouvidos Dourados - A arte de ouvir as histórias
>>> Enigma na Televisão
>>> Tokyo Summer of Dead (O verão dos mortos-vivos)
>>> Curação a arte de bem cuidar-se
>>> Abaixo a Lição de Casa!
>>> O Matrimônio e o Amor
>>> Aventura no Império do Sol
>>> Manu - A Menina que Sabia Ouvir
>>> A Fonte da Juventude
>>> Nó Cego - Inferno e Paraíso numa Fábrica de Loucos
>>> As Portas da Percepção/ Céu e Inferno
>>> Edward Schillebeeckx - Coleção Teólogos do Século XX
>>> Tratado de Psicologia Revolucionária
>>> Novo Endereço
>>> Lei das S.A.
>>> Grimble
>>> A Senda da Iniciação
>>> Por Acaso
>>> Matthew Lipman e a Filosofia Para Crianças. Três Polemicas
>>> Esperanto: O Novo Latim Da Igreja e do Ecumenismo
>>> Dicionário Judaico de Lendas e Tradições
>>> Amar de Novo
>>> Ética e Marketing Social - Editora Futura 2002
>>> Ética e Marketing Social - Editora Futura 2002
>>> Ética e Marketing Social - Editora Futura 2002
>>> Ética e Marketing Social - Editora Futura 2002
>>> Ética e Marketing Social - Editora Futura 2002
>>> Negocie, Influencie e Convença
>>> Gestão de Negócios uma Abordagem Brasileira
>>> Tudo o Que Aprendi Sobre o Mundo dos Negócios
>>> A Empresa Ágil
>>> Tudo Sobre Cheques
>>> Créditos Problemáticos e Inadimplência
COLUNAS

Terça-feira, 13/3/2018
Corot em exposição
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 2100 Acessos



Especial de Paris para o Digestivocultural

Uma bela exposição da obra de Jean-Baptiste Camille Corot é apresentada pelo Musée Marmottan, em Paris, nesse inverno. O impressionante conjunto da obra do pintor poderá ser visto até 08 de julho de 2018.

A trajetória do artista, não apenas em razão de um tema (tal como está organizada a exposição com o titulo O pintor e seus modelos), mas partindo também de uma ordem cronológica, nos permite perceber a formação de um estilo próprio, que parte dos anos de aprendizagem, passando pelas influências que foram mais caras a Corot, até chegar à individualidade máxima que o caracteriza.

Edgar Degas considerava Corot como um grande retratista, mais talentoso nesse gênero de pintura que nas suas paisagens.
Aos retratos clássicos, como os de Ingres, regidos por numerosos códigos de representação, Corot preferia a representação de figuras desindividualizadas, que lhe ofereciam a possibilidade de dar livre curso à sua criatividade e sua imaginação. E é acompanhando a retratística de Corot ao longo dos anos que podemos perceber como sua obra vai ganhando autonomia em relação às influências que lhe eram inicialmente importantes.

Corot, encorajado por seus amigos e pelo seu mestre Jean-Victor Bertin, e à despeito de não ter ganho o Prêmio de Roma (estadia oferecida aos jovens artistas na Villa Médicis), passa um tempo em Roma por conta própria (de 1825-1828), onde utiliza os modelos locais como motivos, em poses pitorescas ou idealizadas. Cenas de mulheres em fontes tornam-se constante, como retratos de músicos anônimos.



A exata representação de um rosto passa a interessá-lo menos do que seu desejo de traduzir nas pinturas suas próprias percepções. Na maioria dos casos, seus retratos são oferecidos à pessoa representada. Talvez essa relação não econômica seja um ingrediente a possibilitar a liberdade e o risco que uma pintura pessoal possa oferecer.

A maioria dos retratos por ele pintados datam dos anos de 1820 a 1840, sendo posteriormente retomados em algumas novas telas em 1852, 1855 e 1857. Nesse intervalo se desenvolverá um conjunto significativo de paisagens e nus.

Nos retratos a busca por uma figuração íntima prevalecerá. Desde retratos faciais (parentes e amigos) à representações de cenas de mulheres no campo ou espaços familiares (em atividades como leituras concentradas ou simplesmente inativas, mantendo uma espécie de melancolia na expressão facial e nos gestos), até figuras idealizadas (como A italiana e A Leitora coroada de flores ou A musa de Virgílio).



Outra representação notável são seus retratos de mulheres em seu atelier, geralmente posando frente ao seu cavalete, portando um instrumento musical ou simplesmente admirando uma tela sobre o cavalete.

Uma dessas telas, "Atelier de Corot", de 1865, é comentada pelo conservador do Departamento de Pinturas do Museu do Louvre, Paul Jamot, com grande entusiasmo: "A blusa vermelho-alaranjada que explode no meio de uma discreta harmonia em cinza e preto é quase um caso único em Corot. Com que refinamento instintivo e com que precisão o pintor orquestrou sua composição, de modo que essa chama de púrpura brilhante e rutilante que ele produziu ao centro responde ao vermelho sufocado da tapeçaria que cobre uma cadeira no primeiro plano."



A tela nos faz pensar no abandono da idealização das figuras. Com sua veste moderna e sendo um quadro que apresenta o próprio atelier do artista, a representação se aproxima do universo de um Degas, Courbet e Manet. Mas para além da representação moderna, a liberdade na composição e nas pinceladas, que em vários espaços da tela apenas sugerem os objetos representados, nos mostra a autonomia do artista enfim afirmada.

Nos vários quadros representando figuras no atelier, o pintor parece estar em meditação sobre seu ofício, ecoando "L' Atelier" de Courbet, exposto em 1855. Corot, no entanto, opta por um formato intimista, não se representando como um pintor em seu ofício. Ele não está presente senão através de sua obra, aquela colocada sobre o cavalete. O atelier é o silencioso lugar da criação, lugar de recolhimento, o mesmo recolhimento necessário à contemplação da obra de arte.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 13/3/2018


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Joan Brossa, inéditos em tradução de Jardel Dias Cavalcanti
02. Minha plantinha de estimação de Elisa Andrade Buzzo
03. 40 anos sem Carpeaux de Celso A. Uequed Pitol
04. A Mão Invisível de Marilia Mota Silva
05. O lilás da avenida sou eu de Elisa Andrade Buzzo


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2018
01. O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro - 3/4/2018
02. Joan Brossa, inéditos em tradução - 27/3/2018
03. Corot em exposição - 13/3/2018
04. Nobel, novo romance de Jacques Fux - 10/4/2018
05. Dilúvio, de Gerald Thomas - 6/2/2018


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MANGÁ VAGABOND 24
TAKEHIKO INOUE
CONRAD
(2003)
R$ 8,75



GOSSIP GIRL - DO JEITO QUE EU GOSTO - VOL. 5
CECILY VON ZIEGESAR
GALERA RECORD
(2007)
R$ 8,00



PÉTALAS CAÍDAS - POESIAS ESCOLHIDAS
AYRTON CHRISTOVAM DOS SANTOS
DO AUTOR
(2000)
R$ 10,00



PENSAR A LEITURA: COMPLEXIDADE
ELIANA YUNES (ORG.)
LOYOLA
(2002)
R$ 19,00



MEUS AMIGOS INTELIGENTES
MARCEL BENEDETI
MUNDO MAIOR
(2012)
R$ 18,90



STEPHEN HAWKING: UMA BIOGRAFIA
KRISTINE LARSEN
A GIRAFA
(2006)
R$ 20,00



O PEQUENO PRÍNCIPE COM AQUARELAS DO AUTOR - CAPA ALMOFADADA
ANTOINE DE SAINT EXUPÉRY
CIRANDA CULTURAL
(2015)
R$ 29,00



O CLONE DE CRISTO
J. R. LANKFORD
SAÍDA DE EMERGÊNCIA
(2014)
R$ 15,00



ACERTE NA ENTREVISTA E NO CURRÍCULO 1 - LIÇÕES PARA O SUCESSO
MAX GEHRINGER
GOLD
R$ 8,00



O CASO DO PACU VOADOR E OUTRAS HISTÓRIAS
ENNIO BOTTON
TODAS AS MUSAS
(2015)
R$ 30,00
+ frete grátis





busca | avançada
23155 visitas/dia
708 mil/mês