A Música Pirata Online | Héber Sales | Digestivo Cultural

busca | avançada
22843 visitas/dia
829 mil/mês
Mais Recentes
>>> Rogério Skylab lança novo trabalho
>>> Tassia Tercero, Confeiteira Gourmet, lança o livro Brigadeiro - Do Brasil Para o Mundo
>>> Educadora compara manuais pedagógicos que viajaram entre Brasil e Portugal
>>> Francisco Marto de Moura ministra aula sobre o Novo Acordo Ortográfico na Universidade do Livro
>>> Trabalhador brasileiro é homenageado em exposição no Sesc D.Pedro II
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> De Middangeard à Terra Média
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
>>> Joan Brossa, inéditos em tradução
>>> Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia
>>> 40 anos sem Carpeaux
>>> Minha plantinha de estimação
>>> Corot em exposição
>>> Existem vários modos de vencer
Colunistas
Últimos Posts
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
>>> Psiu Poético em BH esta semana
>>> Existem vários modos de vencer
>>> Lauro Machado Coelho
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
Últimos Posts
>>> Pierrô
>>> Lugar comum
>>> Os galos
>>> Cenas do bar - Wilsinho, o feio.
>>> Desenhos a lápis na poesia de Oleg Almeida
>>> Eloquência
>>> Cenas do bar - Vladimir, o solteiro.
>>> Deu na primeira página...
>>> Palavra vício
>>> Premissas para reflexão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Homenagem a Yumi Faraci
>>> Transei com minha mãe, matei meu pai
>>> A Invenção de Orfeu de Jorge de Lima
>>> Abrir os portões de Auschwitz sessenta anos depois
>>> Abrir os portões de Auschwitz sessenta anos depois
>>> Apresentação
>>> Proibir ou não proibir?
>>> Os Franceses, de Ricardo Corrêa Coelho
>>> Jogando uma pedra no poço sem fundo
>>> A arte contemporânea refém da insensatez
Mais Recentes
>>> Dicionário de Linguística
>>> Civilizações Misteriosas
>>> Dragon Lords: O Reino dos Dragões (Disney)
>>> Primeira lição uma cartilha metafísica
>>> Livro A Arte Da Estratégia
>>> O Estrangeiro
>>> O ultimo reino
>>> O livro perdido das bruxas de salem
>>> As treze reliquias
>>> Iluminadas
>>> Caçadores de almas segredos e maldições
>>> A formula da Eterna Juventude e outros experimentos nazistas
>>> Eixo Especial 2 - Vingadores - X-Men
>>> Eixo Especial - Vingadores - X-Men
>>> Como pegar a joia do dragão, por Soluço Spantosicus Strondus III
>>> A história dos Novos Bahianos e outros versos
>>> O ancião que saiu pela janelas e desapareceu
>>> Elis Regina: Nada será como antes
>>> O novo paradigma para os mercadso financeiros: a crise atual e o que ela significa
>>> Give your speech, change de world: how to comunicate your audience to action
>>> Desvendadno os Segredos da Linguagem Corporal
>>> A sense of urgency
>>> O poder dos quietos: como os tímidos e introvertidos podem mudar um mundo que não para de falar
>>> O mundo imaginário de ...
>>> Missão dada é missão cumprida: as regras do exército
>>> Projetado para mudar: Inovação organizacional na Hewlett-Packard
>>> Emgreça com a Dieta dass Calorias do Bem
>>> O Corpo Fala
>>> Lendas Do Mundo Emerso 3 - Os últimos Heróis
>>> Lendas Do Mundo Emerso 2 - Filha Do Sangue
>>> Lendas Do Mundo Emerso 1 - O Destino De Adhara
>>> Crônicas Do Mundo Emerso 3 - O Talismã do Poder
>>> Crônicas Do Mundo Emerso 2 - A Missão de Senar
>>> Crônicas Do Mundo Emerso 1 - A Garota da Terra Do Vento
>>> As Guerras Do Mundo Emerso 3 - Um Novo Reino
>>> As Guerras Do Mundo Emerso 1 - A Seita Dos Assassinos
>>> As Guerras Do Mundo Emerso 2 - As Duas Guerreiras
>>> Para Viver Bem
>>> Albert Einstein - personagens que marcaram época
>>> Mitologia Nórdica
>>> O Livro dos Arteiros: Arte Grande e Suja!
>>> Leila Diniz - Personagens que marcaram época
>>> A 5ª Onda
>>> O Mar Infinito
>>> Contos Brasileiros Contemporâneos
>>> A dissertação
>>> Mensagem para você
>>> Cartas de Amor aos Mortos
>>> Arte o Guia Visual Definitivo da Arte da Pre Historia ao Seculo XXI
>>> Princípios Básicos de Análise ddo Comportamento
COLUNAS

Quinta-feira, 30/1/2003
A Música Pirata Online
Héber Sales

+ de 5900 Acessos

A "cyber-tribo" de trocas de MP3 vai muito bem no Brasil, obrigado, e não importa o quanto a ataquem ou a menosprezem. Como no resto do mundo, sua expansão acontece ao longo das redes da Rede, a internet, numa interminável brincadeira de gato e rato com a indústria fonográfica e as instituições anti-pirataria. Se encerram um programa para compartilhamento de arquivos (file-sharing, peer-to-peer ou simplesmente P2P), surge logo uma caterva de símiles melhorados; se fecham sites de download de MP3, sua audiência reúne-se nas listas ou grupos de discussão; se nada disso funciona, os piratas de áudio online voltam ao bom e velho bate-papo do IRC. E tem mais: usam instant messengers (leia-se ICQ, entre outros) e e-mail para encaminhar suas músicas favoritas para os colegas.

A inércia das grandes gravadoras brasileiras
Azucrinada pela máfia do CD pirata, que, segundo a Associação Brasileira dos Produtores de Discos (ABPD), abocanhou 53% do mercado em 2001, a indústria nacional pouco discute essa ameaça - para as grandes gravadoras é como se ela fosse virtual mesmo!

Razões para tal inércia não faltam. Primeiro, a pirataria online no Brasil é um fenômeno relativamente pequeno devido a baixa penetração da internet no país. Segundo dados do Ibope, o número de pessoas com acesso residencial à internet atinge um patamar de apenas 14,3 milhões de indivíduos, dos quais 7,4 milhões estiveram ativos em dezembro de 2002. Adicione-se a isso o fato de que o acesso de baixa velocidade predomina (quase 91% dos computadores), o que torna o download dos arquivos MP3 lentos e, conseqüentemente, caros, e chegamos a uma justificativa alentadora para não dar bolas para a música online ilegal. Além disso, os grandes selos brasileiros, praticamente todos multinacionais, andam a reboque da ação anti-pirataria de suas sedes através da RIAA (Recording Industry Asociation of America) e da IFPI (The International Federation of the Phonographic Industry). Quando fecham um fenômeno do P2P como o Napster, ou negociam o fim do download gratuito com o Audiogalaxy, ou processam o Kazaa, o líder mundial entre os programas para file-sharing, atingem duramente a pirataria online tupiniquim.

O sucesso dos programas de file-sharing no Brasil
De fato, o Kazaa é um sucesso no Brasil. Em 18/01/2003, o Superdownloads, um dos maiores sites brasileiros de download, informava que o Kazaa foi o software mais baixado na semana anterior. Detalhe: o mais baixado dentre todas as categorias! Abaixo dele naquele ranking, vieram programas bem conhecidos do público em geral - o ICQ, o Download Acellerator, o Adobe Acrobat Reader e o WinZip. Aliás, programas P2P são um sucesso no site. Consultando-se o TOP Geral do Superdownloads verifica-se que três dos dez softwares mais baixados são especializados em file-sharing - os outros dois são o Morpheus e o iMesh.

Mas o Kazaa parece estar com seus dias contados. Em 10/01/2002, um juiz norte-americano permitiu à RIAA e à MPAA (Motion Picture Association of America) processarem a empresa australiana proprietária desse programa, a Sharman Networks, de acordo com as leis dos EUA. Esse caso avulta-se em importância na medida em que pode envolver todos os programas que usam a rede FastTrack, a tecnologia por trás do Kazaa - entre eles o Grokster e o iMesh.

A persistência da pirataria de áudio online
A vitória contra o Kazaa e seus congêneres, se vier, não deve ser muito comemorada porém. A ameaça da pirataria online concorre em tantas frentes e com tanta força que o próprio presidente da RIAA, Cary Sherman, declarou recentemente à BBC que o download ilegal de música pode mesmo nunca chegar a ser erradicado.

A rendição em alguns casos adquire um tom de louvor a pirataria. O cantor britânico Robin Williams, detentor de um contrato de US$ 120 milhões com a EMI, tem dito que a pirataria de música online é uma grande coisa. Outro aliado de última hora é Craig Barrett, presidente da Intel, a maior produtora de microprocessadores do mundo. Ele simplesmente afirmou que o público deveria ter o direito de trocar arquivos na web gratuitamente.

A verdade é que os programas P2P adquirem configurações que os tornam cada vez mais inatingíveis pelo longo braço da justiça norte-americana. A RIAA e a MPAA podem matar o Kazaa, mas não conseguirão parar redes ainda mais descentralizadas como o Gnutella sem a ajuda de provedores de acesso à internet, operadores de cabo e companhias telefônicas. Ora, exigir a colaboração dessas indústrias produzirá um grande conflito institucional, uma vez que a saúde do negócio delas depende do respeito à privacidade e à liberdade de expressão de seus clientes. A propósito, matéria é assunto constitucional seriíssimo nos EUA, envolvendo princípios fundadores da própria sociedade norte-americana. A batalha será duríssima para as gravadoras e para Hollywood...

A desanimar ainda mais a indústria fonográfica nesse embate está a multiplicação de serviços de file-sharing mundo afora. Fechar uma ou duas redes, como foi feito ao Napster e ao Audiogalaxy, não extingue a energia dos programadores de aplicações P2P, que logo aparecem com uma pletora de alternativas - WinMX, eDonkey, Blubster, FileNavigator, etc.

As comunidades brasileiras de troca de MP3
No Brasil, além de todos esses recursos, há muitas outras opções para quem quer participar da mania de troca de MP3. Para os que mal lêem o inglês, há as versões em português do Kazaa Lite e do WinMX, além de produtos genuinamente nacionais como o M1A1 (conecta a rede Gnutella), o Troca de Arquivos e o GLT Poliane.

Fora do universo P2P, há um outro tanto de alternativas. Dentre elas, uma é de especial interesse para quem quer se aprofundar na cultura do MP3: as listas de discussão sobre o assunto na web. Elas podem ser encontradas facilmente em alguns dos grandes servidores nacionais - Meu Grupo, Grupos, Nosso Grupo, etc.

Para se ter uma idéia da dimensão do fenômeno, tome-se como exemplo o Yahoo!Grupos. Só neste serviço havia em 09/01/2003 nada mais nada menos do que 225 listas dedicadas ao assunto 'MP3' - a maior delas com 2.436 membros! Qual o tema principal das mensagens?! Troca de música. Um desses grupos usa um recurso particularmente curioso para disponibilizar faixas para seus usuários: o serviço de porta arquivos (ou back up) do Yahoo. A operação é simples. Seus membros gravam os arquivos MP3 no servidor do Yahoo!, comunicam aos colegas o endereço em que se encontram, e autorizam seu acesso. Tudo isso via web, o recurso mais amigável da internet - e mais usado também, depois do e-mail.

No IRC, um recurso mais difícil para o usuário médio da internet (exige o domínio de comandos específicos), há outra porção de brasileiros trocando MP3. Na manhã do dia 17/01/2003, havia, na Brasnet, a maior rede IRC do país, pelo menos duas dezenas de canais onde internautas trocavam músicas gratuitamente.

Um nicho promissor
A esta altura parece estar claro: a troca de MP3 na internet brasileira é um fenômeno. Um fenômeno relativamente pequeno, diriam alguns pesquisadores e muitos executivos da indústria fonográfica. Seu argumento seria aquele mesmo: a internet tem baixa penetração no país, e a conexão de banda larga (alta velocidade), um estímulo crucial para o download de músicas, então, nem se fala. Atendo-se a essa lógica, tais senhores parecem ignorar por completo o conceito de segmentação, tão caro ao marketing contemporâneo.

O que aqui chamamos de comunidade, uma categoria sociológica, pode muito bem ser visto como um segmento de mercado, ou, pelo menos, um nicho. E dos bons! A última versão do Kazaa disponibilizada no site Superdownloads em 08/11/2002 foi baixada 652.124 vezes desde então, e o novo modelo do Morpheus, agora um cliente Gnutella, 847.437 vezes entre 30/08/2002 e 24/01/2003. Considerando que esses dois programas usam redes diferentes, e que há dezenas de outros programas, pode se especular que o tal nicho reuniria de 847 mil a 1.5 milhão de pessoas para começar. Nada mal se lembrarmos que esses consumidores estão entre os cidadãos mais afluentes do país, aqueles privilegiados com acesso à internet, e são em sua maioria adolescentes e jovens que consumiram música por muitas dezenas de anos...

É,... pelo jeito há um mercado considerável para música online. Um mercado pirata!


Héber Sales
Salvador, 30/1/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nunca fomos tão vulgares de Julio Daio Borges
02. A literatura em transe de Marta Barcellos
03. Em Tempos de Eleição de Marilia Mota Silva
04. Antes que o amor seja apenas uma trégua de Ana Elisa Ribeiro
05. Hilda Hilst, o IPTU e a Chave da Cidade de Yuri Vieira


Mais Héber Sales
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MORAL DE ATITUDES. II: ÉTICA DA PESSOA
MARCIANO VIDAL
SANTUÁRIO
(1988)
R$ 20,00



UM NOVO EU- AUTOTERAPIA PELA ANÁLISE TRANSACIONAL
MURIAEL JAMES, LUIS SAVARY
IBRASA
(1986)
R$ 28,90



CARTA VIVA O QUE É SER JUSTO Nº 23
R. R. SOARES
IGREJA INTERNACIONAL DA GRAÇA DE DEUS
(1997)
R$ 3,00



MANGÁ HITMAN - A SEGUNDA TEMPORADA 3
HIROSHI MUTO
SAMPA ARTE / LAZER
(2007)
R$ 9,99



RUPTURAS POSSÍVEIS: REPRESENTAÇÃO E COTIDIANO NA SÉRIE OS ASSUMIDOS (QUEER AS FOLK)
SOFIA ZANFORLIN
ANNABLUME
(2005)
R$ 39,48



IOGA SECRETO - BIBLIOTECA PLANETA Nº 11
AUTOR MOLINERO
TRÊS
(1973)
R$ 7,00



ZÉLIA, UMA PAIXÃO
FERNANDO SABINO
RECORD
(1989)
R$ 7,00



MINHAS HISTORIAS DOS OUTROS
ZUENIR VENTURA
PLANETA
(2005)
R$ 7,00



LANNY BUDD CONTRA ...
UPTON SINCLAIR
HEMUS
(1967)
R$ 8,00



A LUTA PELA ÁFRICA (ESTRATÉGIA DAS POTÊNCIAS)
GERARD CHALIAND
BRASILIENSE
(1982)
R$ 8,00





busca | avançada
22843 visitas/dia
829 mil/mês