Entrevista a Thomaz Gomes, da revista ResultsON | Digestivo Cultural

busca | avançada
35732 visitas/dia
993 mil/mês
Mais Recentes
>>> Big Band Infanto-Juvenil do Guri traz o melhor do Jazz para Casa-Museu Ema Klabin
>>> Pátio Alcântara realiza a '6ª Mostra de Orquídeas'
>>> Espetáculo 'Ana Bastarda' dança o feminismo no Brasil
>>> Série Bravos! apresenta a trajetória da artista maranhense Thabata Lorena
>>> Caminhos da Reportagem discute preconceito, tabu e silêncio em torno do suicídio
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
>>> Da varanda, este mundo
>>> Estevão Azevedo e os homens em seus limites
>>> Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> No compasso de espera
>>> O que sei do tempo V
>>> É de fibra
>>> O indomável Don Giovanni
>>> Caracóis filosóficos
>>> O mito dos 42 km
>>> Setembro Paulista
>>> Apocalipse agora
>>> João, o Maestro (o filme)
>>> Metropolis e a cidade
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Meu Primeiro Livro
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> O Mistério dos Incas
>>> Black Sabbath 2013
>>> 20 anos do Dois
>>> Dentro da maré cósmica: Saint-John Perse
>>> Orquestra de Câmara F. Liszt
>>> perversão sexual
>>> Amy e a hipocrisia coletiva
Mais Recentes
>>> Revista de literatura
>>> Revista de literatura
>>> Vida acadêmica - Guia Prático do Universitário
>>> A Cidade de Mil Olhos
>>> A Saúde em Estado de Choque
>>> O Futuro do EU- um Estudo da Sociedade da Pós-Identidade
>>> Kathryn Kuhlman- uma Biografia autorizada
>>> Fundamentos de Engenharia de Petróleo
>>> Como Fazer Seu Filho Trocar O Não Pelo Sim
>>> Paratii: Entre Dois Polos
>>> Resposta Certa
>>> Lineamentos De Direito Eleitoral
>>> A Moda
>>> Comer Rezar Amar
>>> A Ponte
>>> Mais Coisas Que Toda Garota Deve Saber
>>> Agora estou sozinha... 3ª ed.
>>> A Invasão Cultural Norte Americana
>>> Manual De Ética, Redação E Estilo Zero Hora
>>> Feias, quase cabeludas
>>> Como Fazer As Pessoas Gostarem De Você À Primeira Vista
>>> Tópicos Em Bancos De Dados, Multimídia E Web
>>> O Papel Do Educador Na Era Da Interdependência
>>> Sexo Na Cabeça
>>> Comprometida - Uma história de amor
>>> O Livreiro De Cabul
>>> Disputas Antigas E Outras Citações
>>> O Levante de 44 - A Batalha Por Varsóvia
>>> BR 040 - Na Trilha Das Capitais Do Brasil
>>> Os Eleitos
>>> Cálculo Volume 2
>>> Tempo de travessia - O segredo das pedras II
>>> Contabilidade Geral Fácil
>>> Administração de Vendas - PLT
>>> Villa-Lobos e a Música Popular Brasileira: Uma Visão Sem Preconceito
>>> A Escola como Sistema Complexo- A ação, o poder e o sagrado
>>> Estudos afro-asiáticos 5 - O pensamento de Frantz Fanon...
>>> Os condenados da terra
>>> Mães Pais & Filhos
>>> Para Tarsila
>>> Corações Blues E Serpentinas
>>> Nunca Antes Na História Deste País
>>> Diário De Uma Encrenqueira - Pérolas Ou Pegas
>>> Terceirização E Multifuncionalidade
>>> Adequação Empresarial - Direção E Foco
>>> Anábase - História Da Gazeta Mercantil
>>> O Longo Inverno - A Batalha do Bulgre
>>> 30 Segundos de Televisão Valem Mais do que 2 Meses de Bienal de São Paulo - Isto é Bom ou é Ruim?
>>> Diário de Berlim Ocupada - 1945 - 1948
>>> As Leis Fundamentais Para O Crescimento Na Vida
EDITORIAIS >>> Três Novas FAQs

Sexta-feira, 10/10/2008
Entrevista a Thomaz Gomes, da revista ResultsON
Julio Daio Borges

+ de 8500 Acessos

1. 1 milhão de pageviews/mês após 8 anos de trabalho. Você acha que demorou para atingir essa meta? (Eu acho esse número impressionante para um site que aborda cultura com qualidade e não se rende a fofocas, novelas etc.)

Na verdade, eu nem achava que daria para atingir essa meta quando comecei (o Digestivo nasceu como um hobby em 2000). Escrevi, outras vezes, que as revistas culturais tradicionais, no Brasil, morriam logo nos primeiros números, ou não passavam de algumas dezenas de milhares de exemplares mensais (como a Bravo! e a Piauí agora).

O fato é que o Digestivo tem se convertido num site de interesse geral, concretizando algo que seu sempre imaginei para a cultura: que ela pudesse ser mais acessível, menos chata, mais interessante mesmo. Claro, não vamos "democratizar" a alta cultura, mas o prazer de um bom texto, nesta época de e-mails, deve estar ao alcance de todos.

Voltando ao início da sua pergunta: embora fosse obstinado desde o começo, fiz as coisas muito intuitivamente, trabalhando com a qualidade e, não, com números (inicialmente). Hoje posso falar mais em metas, porque vejo que é possível trabalhar com elas depois de adquirir uma massa crítica. Quanto a "demorar", pegamos o pós-bolha; seria mais rápido hoje (Web 2.0).

2. Nesse tempo todo, como vem sustentando o negócio?

No início, foram praticamente patrocínios: anúncios quase anuais ou semestrais, mais na linha institucional, como aconteceu com a Livraria Cultura, durante um bom tempo.

Hoje, depois de atingir esse patamar de visitação, a maior parte das receitas vêm de anúncios vendidos por agências de publicidade, especializadas em campanhas para a internet. Há, ainda, alguns anunciantes de longo prazo, como a Cultura (que continua). Há, também, outras fontes, como anúncios automatizados, tipo Google e Submarino. E, para completar, há a produção de conteúdo (para outras mídias), realização de eventos (produção cultural) e até consultorias (para outros sites que querem crescer, se adaptar mais à tal Web 2.0 etc.).

3. Acha que agora você tem bala na agulha para negociações mais ousadas de patrocínio, contratar pessoal, ampliar a ação do site? Quais as perspectivas para o Digestivo? Vão se transformar em empresa em busca constante de ampliação e expansão? Pode adiantar pra gente um print de como será o portal? :-)

Acho que sim, que estou negociando melhor de uns tempos pra cá. Acontece que certos valores, e certos tipos de trabalho (até certos clientes), começam a não "compensar" mais. Você pode perder um negócio grande e mais interessante se continuar focado nos "pequenos", atendendo a pequenas solicitações, muito preso nos detalhes...

Antes, também, os resultados, como eu disse, eram mais "institucionais", gerando, basicamente, valor para as marcas das empresas patrocinadoras. Hoje é diferente, eu tenho números — e não só de visitação, mas de receitas, por exemplo, que geramos para outros sites como Submarino e Google (de novo). Logo, existe uma base real para a negociação.

Quanto a perspectivas, a idéia é estruturar melhor a empresa. Nestes anos, passamos a maior parte do tempo focados no aspecto editorial, que era nosso principal produto, e que precisava ser desenvolvido até atingir a tal massa crítica de que falei antes. Agora temos "linhas de negócio", digamos assim, que precisam ser desenvolvidas, então precisamos mais de administradores do que de jornalistas, se é que você me entende...

Infelizmente, não tenho nenhum "print" para te passar (ainda). Vamos começar a mexer nas paginas internas, primeiramente, e depois passaremos para a homepage. (Eu falei na questão do portal muito pela visitação que atingimos, mas a aceitação foi tão grande (da idéia) que acabei me convencendo de que o caminho para a home é esse mesmo...)

4. No mundo dos negócios e da internet, oito anos parece uma eternidade. Penso muito na relação tempo/sucesso, quanto tempo uma pessoa persistente demora para marcar seu gol. A gente até escreveu uma matéria sobre o assunto na edição deste mês da Results (link). Você acha que poderia ter atingido essa meta mais cedo? O que teria faltado? O que aprendeu sobre audiência, empreendedorismo, negociação, funding nessa trajetória?

Bem, o Digestivo atingiu o sucesso editorial relativamente cedo — acontece que esse tipo de sucesso nem sempre se reflete em sucesso empresarial (da empresa mesmo).

Quando o site tinha menos de um ano, recebemos um primeiro e-mail de cumprimentos do Millôr Fernandes (eu ainda trabalhava em banco). Antes do Digestivo, eu já havia recebido um telegrama do Rubem Fonseca. São, além de grandes escritores, pessoas muito reservadas, meio inacessíveis, que não ficam enviando os parabéns para qualquer pessoa (ou empreendimento)... Com dois anos, saímos na Carta Capital (ao lado do extinto NoMínimo); com três, conseguimos a Livraria Cultura como anunciante; com quatro, saímos no Manhattan Connection e fizemos uma revista (em papel) com FGV/SP. Editorialmente, as coisas continuaram, mais ou menos, nesse ritmo...

Ocorre que a empresa só começou a se desenvolver, plenamente, em seu segundo ano de atividades (2005, quinto ano de Digestivo — o site nasceu, como domínio, bem antes da empresa). Como falei anteriormente, pegamos o pós-bolha — não intencionalmente, é claro, mas porque meu interesse, inicial, não era lançar uma empresa na bolsa, era mais realizar um sonho de trabalhar com cultura e fazer alguma coisa de relevante, para essa área, na internet. Eu falo muito em Web 2.0, porque acredito que as coisas "aconteceram" para nós, empresarialmente, a partir daí (2005) — você sabe: banda larga, conteúdo gerado pelo usuário, ascensão das mídias sociais...

O que eu teria feito de maneira diferente? A gente sempre acha que teria planejado mais, desde o começo, mas existe uma espontaneidade, no início, que é necessária para a criação de qualquer negócio. Se você começa estruturando muito, a criatividade morre e não sai nada com muita personalidade. A grande questão — como coloquei na primeira resposta a você — é que eu não me imaginava como "empresário", logo de saída, mas como editor de revista... Se fosse abrir outra empresa, faria hoje muito diferente do que fiz; mas só posso dizer isso agora porque passei por essa fase preliminar ("de pessoa física para pessoa jurídica").

5. Houve momentos em que pensou em desistir? Por que não o fez? O que enxergava no futuro? O que o mantinha trabalhando nisso?

Eu vivi na linha tênue entre a obstinação e a teimosia: tive, claro, motivos para desistir, mas nunca aceitei "depor as armas", porque, no fundo, sabia que encontraria o caminho. Foi, também, uma aposta de vida, uma necessidade de encontrar "coerência", de acreditar que havia um sentido maior no meu trabalho (difícil de achar, para mim, dentro de um banco ou de uma grande corporação...). E tive, naturalmente, o apoio da minha família, da minha namorada (hoje, esposa) e de muitos bons amigos.

Eu, intuitivamente (de novo), sabia que a internet era uma coisa para o futuro. Sempre discuti, muito com jornalistas, que a digitalização viria em todas as áreas da cultura. Eles teimavam (muitos ainda teimam), mas estamos vendo que a internet vai tomando, cada vez mais, conta... Eu não conhecia o Warren Buffett em 2000, mas estava seguindo seu conselho (sem saber): estava "comprando na baixa" (pós-bolha) para "vender na alta" (Web 2.0 e depois). Montar uma coisa na internet, em 2000, era como comprar um pedaço de terra no meio deserto; mas prevaleceu também aquela máxima do filme Campo dos Sonhos: "If you build it, they will come". Se você construir, eles virão...

Para ir além
Revista ResultsON


Julio Daio Borges
Sexta-feira, 10/10/2008


Mais Três Novas FAQs
Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O CASO THOMAS QUICK
HANNES RASTAM
RECORD
(2014)
R$ 19,99



NIETZSCHE
MICHAEL TANNER
LOYOLA
(2004)
R$ 12,90



CORPO E ANCESTRALIDADE - UMA PROPOSTA PLURICULTURAL DE DANÇA-ARTE-EDUCAÇÃO
INAICYRA FALCÃO DOS SANTOS
TERCEIRA MARGEM
(2006)
R$ 85,00



GRÉCIA ANTIGA: ÉPICA, LÍRICA E DRAMÁTICA (TEATRO/POESIA/DRAMATURGIA) - EM ESPANHOL
MIRTA AGUIRRE (ORG.)
INSTITUTO DEL LIVRO - CUBA
(1970)
R$ 20,00



SOU DOWN E SOU FELIZ
CHARLOTTE F. LESSA
CASA PUBLICADORA DO LIVRO
(2009)
R$ 9,00



ANGRA QUE O TEMPO LEVOU
MIGUEL ASSAD ISALTINO
SERMOGRAF
(2007)
R$ 149,99



AZUL: ESTRANHOS CAMINHOS
JOSÉ AFRÂNIO M. DUARTE
ARMAZÉM DAS IDEIAS
(2003)
R$ 7,00



THE FOUR HUNDRED
STEPHEN SHEPPARD
SECKER & WARBURG
(1979)
R$ 45,00
+ frete grátis



HOWARD HUGHES EM HOLLYWOOD
TONY THOMAS
FRENTE
(2004)
R$ 24,90
+ frete grátis



CÂNCER DE MAMA - UM GUIA COMPLETO PARA A VIDA APÓS O TRATAMENTO
HESTER HILL SCHNIPPER
GAIA
(2009)
R$ 19,90





busca | avançada
35732 visitas/dia
993 mil/mês