Amy e a hipocrisia coletiva | André Barcinski

busca | avançada
108 mil/dia
1,7 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Caminhos da Reportagem investiga a história dos americanos em Natal na Segunda Guerra
>>> Palacete Carmelita exibe documentários no mês de setembro
>>> Recital em Paris com pianista brasileira Helena Elias
>>> Teatro do Incêndio encerra temporada de Pano de Boca dia 14/9
>>> Cia Fragmento de Dança coloca em cena a potência sensível de "Corpos Frágeis"
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Escola, literatura e sociedade: esquizofrenia
>>> A margem negra
>>> Mais uma crise no jornalismo brasileiro
>>> Meio Sol Amarelo
>>> A Delicadeza dos Hipopótamos, de Daniel Lopes
>>> Pantanal
>>> Por que a discussão política tem de evoluir
>>> Não olhe para trás (ou melhor, olhe sim)
>>> Fake-Fuck-Fotos do Face
>>> Silêncio
Colunistas
Últimos Posts
>>> Literatura na estrada (BH)
>>> 16 de Agosto
>>> Elvis 2015
>>> Eugênio Christi
>>> Nosso Primeiro Periscope
>>> Monica Cotrim
>>> Solange Rebuzzi
>>> Aden Leonardo Camargos
>>> Helena Seger
>>> Camila Oliveira Santos
Últimos Posts
>>> Perdão, Drummond
>>> Reflexões Abissais
>>> DESCOMPASSO
>>> A melhor corrida de minha vida
>>> Cartografia de uma terra imaginária
>>> Filosofando
>>> Um tema, duas penas
>>> Entre a luz e a sombra
>>> Pessoas, seus erros e acertos - Crônica
>>> O crack e os assaltos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Tchekhov, o cirurgião da alma
>>> Ninho vazio
>>> Otto Lara Resende sobre Vinicius de Moraes
>>> Overdose, by Arnaldo Branco
>>> Cigarro, apenas um substituto da masturbação?
>>> Softwares para roteiristas
>>> Aina: dos álbuns conceituais até a ópera-rock
>>> Dez Anos que Encolheram o Mundo, de Daniel Piza
>>> Concursos literários
>>> Mundo negro, branco na capa
Mais Recentes
>>> BILHÕES E BILHÕES - REFLEXÕES SOBRE VIDA E MORTE
>>> CARTAS ENTRE AMIGOS
>>> O SEMEADOR DE IDÉIAS
>>> O FUTURO COMEÇOU
>>> Madre Teresa- venha, seja minha luz.
>>> Mística e Espiritualidade
>>> O Despertar da Terra- O Cérebro Global
>>> AUTO-ESTIMA
>>> O BURACO NO CÉU
>>> OS DRAGÕES DO ÉDEN - ESPECULAÇÕES SOBRE A EVOLUÇÃO DA INTELIGÊNCIA HUMANA
>>> TEOLOGIA SISTEMÁTICA
>>> CHRISTINE
>>> O TALISMÃ
>>> Formação Histórica do Acre vol II
>>> Amamentação e o desdesign da mamadeira
>>> Las voces bajas
>>> França Guia Visual folha de São Paulo
>>> O programa aeróbico para o bem-estar total
>>> A Comunidade do Futuro: Idéias para uma nova comunidade
>>> Finanças para não financistas
>>> Esperança além da Esperança.
>>> Esplendores de um ideal Coleção Ampliando com Kardec vol III
>>> Yoga, inmortalidad y libertad
>>> O olhar do poder
>>> Meu Universo e a Energia HUmana
>>> Marketing Trends 2005
>>> Só o amor consegue
>>> Quando a propaganda funciona
>>> Mentes Perigosas
>>> Protocolos Assistenciais Maternidade-Escola
>>> O Brasil de todas as idéias
>>> O Brasil de todas as idéias
>>> Números Magia e Mistério
>>> Roland Barthes- uma biografia
>>> Xamã
>>> Missarum Sollemnia
>>> Como fazer marketing na internet
>>> Tudo Que Você Queria Saber Sobre Propaganda e Ninguém Teve Paciênci...
>>> O pensamento à sombra da ruptura política e filosofia em Hannah Arendt
>>> Análise Científica da Personalidade
>>> O Petróleo é nosso
>>> A Criança Divina e o herói
>>> Sócrates
>>> Veritas
>>> Helena/ O Alienista
>>> Indícios incriminadores
>>> A dama de ferro
>>> Viagem por um Mar Desconhecido
>>> Os casos mais difíceis de Lilyj White
>>> A marca da maldade
ENSAIOS

Segunda-feira, 8/8/2011
Amy e a hipocrisia coletiva
André Barcinski

+ de 6200 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Engraçado como um fato vem, de vez em quando, botar as coisas em perspectiva.

Amy Winehouse morreu. De verdade. Fato.

Acabou o reality show macabro de sua vida. Nenhum fã vai poder aplaudir de novo quando ela chegar ao palco bêbada, ou quando esfregar as costas da mão no nariz, como se tivesse acabado de dar um teco.

A mãe de Amy, Janis, disse aos jornais: "A morte dela era apenas uma questão de tempo". Pouco depois, a família Winehouse divulgou uma nota à imprensa, pedindo "privacidade".

Curioso: a mesma família que pede privacidade é a que passou os últimos anos dando entrevistas a programas de TV sensacionalistas, como fez o pai de Amy, Mitchell.

A verdade é que a vida de Amy Winehouse foi uma espécie de farsa trágica, acompanhada em tempo real pelos fãs e pela mídia.

Amy não foi uma vítima. Era maior de idade e sabia muito bem o que estava fazendo.

Era uma pessoa doente e que precisava de tratamento.

Infelizmente, muita gente dependia dela. Celebridades não têm tempo para se tratar, porque não podem simplesmente desaparecer.

Uma das coisas mais sensatas que ouvi sobre o caso de Amy veio do médico norte-americano Drew Pinsky, especialista em tratamento de viciados. "Uma pessoa que chega ao estágio em que Amy chegou precisa de muitos meses de tratamento só para recuperar a consciência de que precisa se tratar", disse. "Só que ela é uma celebridade, de quem muitas pessoas dependem para ganhar dinheiro, e parar de trabalhar é a última prioridade".

Pisnky citou, como caso de recuperação bem sucedida, o ator Robert Downey Jr.: "Ele fez o certo: sumiu de cena por dois ou três anos, completou seu tratamento, e depois retornou à vida pública".

Ironicamente, Pinsky é apresentador de Celebrity Rehab with Doctor Drew, um programa de TV dos mais apelativos, em que subcelebridades tentam se livrar do vício em drogas e álcool.

Diz muito sobre nós que a pessoa convidada para "iluminar" o caso de uma celebridade junkie seja, ela mesma, uma celebridade.

Sempre defendi aqui que a mídia é um espelho da sociedade. A mídia não cria, ela replica o sentimento coletivo.

Se existem repórteres e paparazzi que viviam perseguindo Amy, é porque há uma multidão de consumidores, babando por informações sobre a cantora, por mais inócuas que sejam.

E se outras junkies talentosas como Bille Holiday ou Janis Joplin tivessem vivido durante a era do YouTube, garanto que haveria um site como www.whenwillamywinehousedie.com.

Sinal dos tempos.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no blog de André Barcinski.


André Barcinski
São, 8/8/2011

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Freedom, de Jonathan Franzen de Sonia Nolasco
02. Palhaços e candidatos de Luís Antônio Giron
03. O dia em que Paulo Coelho chorou de Domingos Pellegrini
04. Onde botar os livros? de Ronaldo Correia de Brito
05. Música ainda é profissão? de Pena Schmidt


Mais André Barcinski
Mais Acessados de André Barcinski
01. Joey e Johnny Ramone - 24/10/2011
02. Manifesto da culinária ogra - 28/2/2011
03. Amy e a hipocrisia coletiva - 8/8/2011
04. Manual do Publicitário - 6/6/2011
05. Meu vizinho conversa com Deus - 8/11/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/8/2011
14h29min
André, a mídia reflete o que deve ser dito, e quem determina, o que deve ser história, é quem têm o poder. Já as manifestações sociais (seja o fanatismo ou o modismo), recebem ajuda da mídia, mas fazem parte do comportamento de "boiada", característico de animais, da população de fácil manipulação, seja por falta de educação, ou a busca de inclusão social. Mas nem todos seguem na direção da matilha. Por acaso você ouve Justin Beaber? Sou médica. O caso de Amy foi homicídio culposo, da parte de seus representantes legais. Vejamos: alguém colocaria no palco um cantor com um sangramento, que o levasse ao choque hemorrágico e o mesmo perdesse a lucidez? Quando um ser possui uma doença, seja psiquiátrica ou física, onde o mesmo perde a lucidez, é a hora da interdição judicial, pois se torna inimputável, ou seja , não é capaz de responder por si, não importava mais sua vontade, não se obedece a loucos. No caso de Amy, seus familiares e seus produtores foram omissos e culposos.
[Leia outros Comentários de Juliana ]
11/8/2011
14h23min
André, não é contraditório dizer "Amy não foi uma vítima. Era maior de idade e sabia muito bem o que estava fazendo. [...] Era uma pessoa doente e que precisava de tratamento."??? Ela já não sabia o que fazia mais, estava com o corpo/cérebro deteriorado... imagine o absurdo porque colocavam "no palco um cantor com um sangramento, que o levasse ao choque hemorrágico e o mesmo perdesse a lucidez", conforme comentário de Juliana (eu não sabia disso). Eu somente a via de relance na mídia e já achava um disparate vê-la cambaleando no palco. Concordo com Juliana, quando ela diz que "seus familiares e seus produtores foram omissos e culposos". Cheguei mesmo a ficar triste ao vê-la assim, e me causou muita pena...
[Leia outros Comentários de vilma]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS


HÁ MUITO O QUE CONTAR... AQUI
A. L. KENNEDY

De R$ 49,90
Por R$ 24,95
50% off
+ frete grátis



BRASIL PÓS-CRISE
FABIO GIAMBIAGI

De R$ 105,00
Por R$ 52,50
50% off
+ frete grátis



DIREITO, CONSTITUIÇÃO E TRANSIÇÃO DEMOCRÁTICA NO BRASIL
TARSO GENRO

De R$ 53,90
Por R$ 26,95
50% off
+ frete grátis



PONTO FINAL
J. H. BRAGATTI

De R$ 29,90
Por R$ 14,95
50% off
+ frete grátis



DENTRO DO TEATRO DE MARIONETES
ANDRÉ RANGEL RIOS

De R$ 32,90
Por R$ 16,45
50% off
+ frete grátis



CORRERIA - HISTÓRIAS DO UNIVERSO DA CORRIDA
SÉRGIO XAVIER FILHO

De R$ 39,00
Por R$ 19,50
50% off
+ frete grátis



FLASH BOYS
MICHAEL LEWIS

De R$ 39,90
Por R$ 19,95
50% off
+ frete grátis



MOUNIER
GUY COQ

De R$ 37,00
Por R$ 18,50
50% off
+ frete grátis



BEL CANTO
ANN PATCHETT

De R$ 29,90
Por R$ 14,95
50% off
+ frete grátis



O FILHO RENEGADO DE DEUS
URARIANO MOTA

De R$ 45,00
Por R$ 22,50
50% off
+ frete grátis



busca | avançada
108 mil/dia
1,7 milhão/mês