busca | avançada
77520 visitas/dia
2,7 milhões/mês
Sexta-feira, 1/6/2007
Conto de amor
Fábio Scrivano

Com a proximidade do Dia dos Namorados, gostaria de compartilhar um dos momentos mais românticos da literatura mundial em todos os tempos. Exagero? Então você não conhece o conto Presente dos Magos, do escritor americano O.Henry, pseudônimo de William Sydney Porter (1862-1910).

Quem? O. Henry não é famoso faz tempo, mas descobri-lo é experiência literária das mais prazerosas. Suas histórias, curtas e de final surpreendente, não têm grandes pretensões além de entreter. No entanto, em seus saborosos retratos do cotidiano, revelam-se detalhes humanos de rara beleza, muitas vezes temperados com humor.

No caso de Presente dos Magos - a narrativa se passa durante o Natal - O. Henry estava especialmente inspirado. Uma obra-prima de menos de dez páginas, da qual só me permito contar o enredo básico, trata de um casal apaixonado, falta de dinheiro e a vontade de presentear a quem se ama, custe o que custar.

É uma pena que o DVD de O. Henry's Full House (Páginas da vida; ótimo título nacional, depois nome de novela), o memorável filme de 1952 com adaptações de cinco contos do escritor, ainda não tenha chegado ao Brasil. Foi graças a uma de suas raras exibições na televisão que eu descobri o autor. A produção da 20th Century Fox inclui segmentos como o divertido O policial e o hino e o comovente A última folha, mas termina justamente com Presente dos Magos, dirigido por Henry King, interpretado por Farley Granger e Jeanne Crain, valorizado pela sensível música de Alfred Newman.

Quem não se emocionar com essas histórias, seja na tela ou no papel, esqueça o Dia dos Namorados, pois nasceu sem coração.

Fábio Scrivano
1/6/2007 às 07h58

 

busca | avançada
77520 visitas/dia
2,7 milhões/mês