busca | avançada
107 mil/dia
2,4 milhões/mês
Segunda-feira, 25/6/2007
A Torcida Grita
Rafael Fernandes

Danilo Moraes e Ricardo Teté venceram o conturbado Festival da TV Cultura de 2005 e, para receber o prêmio, foram contemplados por sonoras vaias pelo público, que já tinha escolhido seu "próprio" vencedor. E é isso o que acho mais chato em festivais: a torcida, que defende suas preferidas por serem supostamente "de qualidade", mas mais se aproximam de arruaceiros torcedores de futebol do que amantes da música com bobagens como vaia, xingamentos e gritos de ordem. Prêmios valem para os que ganham, mas o que vale mesmo é a apresentação de novos artistas e músicas. Controvérsias a parte, a dupla lançou A Torcida Grita, que apresenta músicas melhores que "Contabilidade", a vencedora. Os jurados miraram na música e acertaram no disco. Nem sempre (raramente) a voz do povo é a voz de Deus.

O CD não veio para salvar a tal da MPB. E se alguém espera uma revolução musical, pode parar por aqui. Mas o disco oferece um punhado de boas canções apenas à espera de serem conhecidas. Se em "Nem que a vaca tussa" e "Sisudo" há um deja vu forte demais de Lenine, em "Arredondamento", "TinTim", "Sempitermo", "Relativismo" e a ótima "Teresa e a torcida" é mostrada a força da dupla, com boas melodias e letras inteligentes e bem humoradas. "Viva a vaia", uma das melhores, mostra boa ironia sobre o festival: "Quem pediu silêncio no Maracanã se engana (...) Quem quiser dar queixa com o ministro aproveite a deixa (...) Quem pediu silêncio ouviu a vaia e viva a vaia". Um belo tapa musical na cara dos críticos. Viva a vaia!

Ouça "Viva a vaia":


Rafael Fernandes
25/6/2007 às 15h00

 

busca | avançada
107 mil/dia
2,4 milhões/mês