busca | avançada
97126 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Quinta-feira, 20/3/2008
Sóbrio, discreto e cauto
Julio Daio Borges

Um poema de verdade é uma coisa rara. Pode-se passar uma vida para escrever um único. Escrever poesia é dificílimo e não tem nada que ver com a atual enxurrada de livros de versos, com desenhos de emoções que, embora possam ser sinceras em quem os compôs, nesses pretensos poemas se revelam falsas ou imitadas. A má poesia afasta dos leitores a boa poesia. Causa confusão e fastio. Cada um de nós que fazemos versos deveria pôr em dúvida o que escrever e ser sóbrio, discreto e cauto.

Alberto da Costa e Silva, no Rascunho (porque eu sempre desconfiei dos falsos poetas de boteco, agora internéticos...)

Julio Daio Borges
20/3/2008 à 00h01

 

busca | avançada
97126 visitas/dia
2,6 milhões/mês