busca | avançada
61479 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Terça-feira, 1/7/2008
Mulheres de A a Zezé
Adriana Baggio

Alice, a pedófila. Belinha, parricida. Carlota, sofre de crise de abstinência de café, eu sei como é, é horrível. Diana, a caçadora ninfomaníaca.

Elisa, a namorada perfeita. Fátima Aparecida, bêbada, encontrou Jesus e depois O perdeu. Francisca, assassina. Guiomar, não lava, não passa e não cozinha, mas faz amor que é uma beleza.

Helena, a mentirosa, nunca poderia estar em uma novela de Manoel Carlos. Heloisa, pecadora. Jessica, mulher do Raimundo, era feia de rosto e boa vocês sabem do quê. Joana, morreu queimada no fogo de um orgasmo.

Julie Lacroix, Salete Silva de registro, escritora, inteligente, morre de medo de morrer. Karin, a gringa generosa. Laurinha, cruelmente assassinada e igualmente vingada. Lavínia, suicida. Luíza, artista que pinta pintos. Marta, a golpista. Miriam, recusa e renúncia. Nora Rubi, cleptomaníaca, abduzida para a prisão.

Olívia, a matadora de aluguel. Raimundinha, a cega. Selma, a enfermeira com que todo homem fantasia. Dona Teresa, viúva triste. Xânia, colega de Olívia, e Zezé, que se vira com o que a vida lhe dá e assim consegue o quer.

E também tem Ela, que cita Nietzsche na cama. Ela e outras mulheres (Companhia das Lestras, 2006, 169 p.) réune 27 contos breves de Rubem Fonseca, naquele estilo dele que você já conhece. Algozes ou vítimas e rodeadas de palavrões, elas se envolvem em situações de sexo, morte e outras sacanagens da vida.

Eu adorei a Alice e a Nora Rubi. E você, qual escolheria?

Adriana Baggio
1/7/2008 às 14h26

 

busca | avançada
61479 visitas/dia
2,0 milhão/mês