busca | avançada
58188 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Segunda-feira, 14/9/2009
No III Seminário da Cásper
Julio Daio Borges

Foi muito gratificante participar do "III Seminário Tendências Conectadas nas Mídias Sociais", da Cásper Líbero, neste último sábado. Primeiro pelo convite do Tiago Dória, que é um dos blogueiros que mais leio e admiro, e que considero "dos mais atualizados" em matéria de "discussão sobre internet" no Brasil.

Em segundo lugar, por fazer parte de um evento junto com o Pedro Doria, hoje no Estadão, com a Fabiana Zanni, da Abril, o Phelipe Cruz, da Capricho, o Marcelo Soares, do Los Angeles Times, e o Pedro Valente, do Yahoo Brasil. Aliás, o professor Walter Teixeira Lima Junior - a quem eu igualmente devo o meu agradecimento - falou que, neste ano, decidiram chamar "grandes empresas de mídia" e eu fiquei, particularmente, surpreso...

Confesso que não estou acostumado a ver o Digestivo como parte da "grande mídia", mas ele talvez o seja, na internet brasileira... Aqui no site, assumo uma postura de criticar o mainstream, porque sempre o achei "míope", para as tendências da internet, e porque sempre o achei "lento", para reconhecer as mudanças trazidas pela era digital. Contudo, talvez seja tempo de reconsiderar, até pelo que vi neste Seminário...

Fiquei feliz, por exemplo, de poder reencontrar o Pedro Doria e cumprimentá-lo, pessoalmente, por ter assumido a diretoria de toda a área de internet do Estadão. Acho que não poderiam ter feito escolha melhor; então aproveito e cumprimento, aqui, também o Estadão. Depois, senti uma satisfação inusitada, por servir de "vidraça", para o pessoal no Twitter, que estava assistindo à transmissão da minha palestra e, às vezes, "descendo a lenha" no que eu falava... (Ser "grande mídia" é passar, de vez em quando, para o lado de quem leva as pedradas?)

Quanto à minha apresentação, finalmente aposentei um "modelo" que tinha alguns anos, e passei uma tarde montando um novo PowerPoint, "do zero". Depois de assistir a tantas apresentações "gringas", deixei a minha mais "gráfica" e menos conceitual, trocando quase a totalidade dos "bullet points" por imagens e pequenos "roteiros", no rodapé (para não me perder nos slides). Fiz um "ensaio geral", no dia anterior, e estava razoavelmente seguro na hora "H".

Mesmo assim, teve gente que reclamou, como o @metheoro, para quem a história do Digestivo soava "linda", mas que preferia que eu tivesse entrado, sem delongas, no assunto principal: "Microblogs e novos formatos de mídia na área de entretenimento e cultura". Vale repetir que essa ênfase - que eu dei - foi um pedido do próprio Tiago Dória (por e-mail): "A idéia é que você faça um relato pessoal sobre a sua experiência com a criação do Digestivo Cultural, como pano de fundo você poderia falar também sobre o fato de artistas e escritores falarem cada vez mais diretamente para o seu público, o conceito de 'desintermediação'."

Ainda na parte "estrutural", o @gustavojreige reclamou que eu falei de "tendências", porque - segundo ele - elas ficam "velhas" logo. Em minha defesa, lembro que o título do evento, justamente, era: "III Seminário Tendências Conectadas nas Mídias Sociais" (grifo meu). O Gustavo ainda tirou sarro da parte em que o meu colega de apresentação, Phelipe Cruz, mandou um texto para o Digestivo, anos atrás, e não foi publicado. Vale lembrar que ser recusado, para publicação, é a coisa mais normal do mundo. Eu, mesmo, já fui recusado algumas vezes, e não me ressinto nem um pouco, porque acabei publicando em todos os lugares que desejava. (Gustavo: será que você também nos enviou um texto... e não foi publicado?)

Outro motivo de controvérsia, na minha apresentação, foi um comentário que fiz, en passant, sobre não querer implementar uma "rede social" dentro do Digestivo. Alguns entenderam que temos "medo" de Orkut, Facebook, Ning ou coisas assim. Como eu expliquei numa resposta a perguntas da plateia, não é nada disso - tanto que o Twitter é, hoje, a nossa segunda maior fonte de audiência, depois do Google (e seus sites). O problema maior é estrutural: uma rede social, dentro do Digestivo Cultural, sobrecarregaria o resto do site e não garantiria, necessariamente, mais audiência ou mais receita. (Vale insistir que o Orkut é deficitário e que o Twitter, por enquanto, não tem modelo de negócio...)

Felizmente, passadas as escaramuças pessoais, e os mal-entendidos sobre o Digestivo, da minha palestra, e no Twitter, parece que ficou registrado o que interessava: as profecias de "Where is Everyone?"; a ascensão do Posterous; a decisão de Murdoch de fechar seus jornais na internet; a chegada do e-book; o futuro da TV, dentro da Web; e o eternamente controverso Free, de Chris "Long Tail" Anderson... (Prometo, da próxima vez, prestar mais atenção na plateia e, sobretudo, no Twitter de quem estiver assistindo em tempo real!)

Para ir além
Áudio da Palestra (Áudio das Perguntas da Plateia) | Twitter do Evento

Julio Daio Borges
14/9/2009 às 15h47

 

busca | avançada
58188 visitas/dia
2,0 milhões/mês