busca | avançada
83662 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Sábado, 6/11/2010
Livros anarquistas em POA
Diângeli Soares

Começou ontem e vai até amanhã, a I Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre. A iniciativa é de um conjunto de pequenas editoras de orientação libertária, além de tradicionais coletivos anarquistas, como a FAG ― Federação Anarquista Gaúcha. O objetivo: apresentar ao público um livro diferente. Uma diferença que vai desde a forma de se fazer, até o conteúdo do que se lê.

Com paralelo em várias cidades do mundo, como Lisboa, Dublin e Estocolmo, I Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre começou a ser desenhada há cerca de dois anos. A aquisição de um espaço na Rua Marcilio Dias, por parte do coletivo Anarcopunk, tornou o projeto possível. O Espaço Libertário Moinho Negro, que abrigará os livros e a programação da Feira, aproveita também o evento para abrir suas portas e apresentar aos gaúchos o mais novo ponto de encontro da cidade.

A opção por realizar o evento em novembro também não é por acaso. A ideia é aproveitar a Feira do Livro de Porto Alegre, momento em que toda a cidade se volta para a leitura, para chamar a atenção para o livro anarquista. Mas o que torna o livro anarquista tão diferente dos demais? Uma rápida passagem pelo sitio da Editora Deriva, uma das idealizadoras do evento, já nos dá uma boa idéia destas diferenças. A mais importante delas, sem dúvida, é a opção pelo copyleft.

O copyleft é um conceito que surge dentro do Movimento pelo Software Livre. O princípio é de oposição ao copyright. Ao invés do direito autoral, para proteção do direito comercial sobre determinada obra, o copyleft prevê o direito de livre reprodução, desde que sejam observados dois princípios: a não comercialização da cópia e a preservação do nome do autor. Este tipo de produção literária tem o objetivo claro de estimular a ampla difusão do conhecimento. O conhecimento, vale a pena dizer, é algo que o livro comercial, produzido com a finalidade de lucro, ajuda a elitizar. Trata-se, portanto, de uma verdadeira inversão de valores, em um mundo completamente hegemonizado pelas relações de mercado.

O evento não conta com financiamento público ou patrocínio privado. Toda a sua estrutura é bancada pelos coletivos organizadores. Além dos livros, a programação da I Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre oferece também oficinas, rodas de conversa e exibição de filmes. Parada obrigatória para curiosos, amantes da leitura e simpatizantes dos movimentos libertários. Além, é claro, de todos que procuram boa literatura a preço acessível.

Para ir além
I Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre ― 05 a 07 de novembro ― Local: Espaço Libertário Moinho Negro (Rua Marcilio Dias, 1463).

Diângeli Soares
6/11/2010 às 14h06

 

busca | avançada
83662 visitas/dia
2,6 milhões/mês