busca | avançada
61479 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Quinta-feira, 1/8/2013
Morte na Sala São Paulo...
Eugenia Zerbini

E, na sequencia do título sensacionalista, a complementação: fim da revista Bravo! e o recital do pianista polonês que não tocou Chopin.

Ontem, dia 31 de julho, em mais um dos concertos patrocinados pela Sociedade de Cultura Artística, apresentou-se na Sala São Paulo o pianista polonês Piotr Anderszewski (1969 - ), pela segunda vez nesta semana. No programa, Fantasia opus 17 de Robert Schumann(1810-1856), na companhia de duas suítes de Bach (1685-1750) e de uma peça de Leos Janácek (1854-1928)(para os menos familiriazados com o compositor checo, o lembrete da pronúnica: 'leoss iánachéque').

Desde o começo, tudo muito diferente. Um jovem casualmente vestido entrou no palco (alguém ironicamente comentou a possibiliade de ser o entregador de pizza), sentou em uma cadeira (e não em uma banqueta) e atacou uma das mais inspiradas peças do repertório pianístico. A Fantasia opus 17 é de um arrebatamento único. Foi composta durante um período de afastamento de Schumann da grande paixão da sua vida, Clara Wieck, posteriormente Madame Clara Schumann. Medidas românticas da vida: amor, enlevo, êxtase, delírio, perda, melancolia. No caso de Schumann, também loucura.

Segundo a apresentação do programa, Anderszewski fica obcecado com a música que toca: "Faço tudo o que é possível para executar o que os compositores escrevem, mas o que está na partitura é apenas um código, como você deve entender um forte?" Por um lado, detentor de grande técnica. Por outro, deu provas que forte para ele é realmente forte. As pausas são silêncios. Os crescendo, crescem como fermento. De verdade. E amplo emprego do rubato.

O álbum mais recente de Piotr Anderszewski, dedicado exatamente a obras de Robert Schumann, foi considerado a "Gravação do Ano" pela revista de música da BBC, em 2012, o que confere toda autoridade a sua interpretação. Mas, para mim, pareceu enjoativa, em razão do exagero dos contrastes. Tendeu para o artificial. Falta de humor de quem escreve? Talvez , uma vez que ontem, no belo espaço da Sala São Paulo, o assunto das conversas foi o fim da revista Bravo!. Porém, após o intervalo de costume, muitas cadeiras da plateia, antes ocupadas, ficaram vazias.

O próximo concerto da temporada 2013 da Sociedade de Cultura Artística, nos dias 31 de agosto e 1 de setembro, trará o violinista Joshua Veel e o pianista Alessio Bax. Sempre na Sala São Paulo, às 21 horas.

Para quem quiser conferir o trabalho de Piotr Anderszewski, há um documentário sobre ele disponível no site da Medici TV. Mas, playing safe, abaixo um trecho da Fantasia opus 14 de Schumann pelo pianista ucraniano Sviatoslav Richert (1915-1997), um dos grandes virtuoses do século passado.




Eugenia Zerbini
1/8/2013 às 16h25

 

busca | avançada
61479 visitas/dia
2,0 milhão/mês