busca | avançada
77507 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Segunda-feira, 9/3/2015
Onivaldo Paiva
Julio Daio Borges



Atendendo a pedidos, publicamos pequenas entrevistas com os Blogueiros do Digestivo. Todo dia, no Blog do Digestivo, pelo menos uma nova entrevista. (Até que a plataforma esteja 100% pronta e você conheça os blogs propriamente ditos...!) - JDB

1. Qual é a sua história com o Digestivo? (Como conheceu; há quanto tempo lê; por que acredita na iniciativa do Digestivo Blogs.)

Acompanho o Digestivo desde 2009. Na internet há um acúmulo de informações quase intoxicante e acontece de a quantidade abafar a qualidade, mas com o Digestivo tal nunca aconteceu: tudo nele é interessante, relevante, cativante.

A iniciativa do Digestivo de convidar cem pessoas é louvável, pois poderá revelar e divulgar bons colunistas e escritores. Há o risco de, com tanta gente, aparecer muita coisa descartável, porém, a peneira do tempo haverá de fazer sobressair e permanecer os novos talentos.

2. Qual é o seu "background" (sua formação)? De onde vem; o que estudou; quais trabalhos seus citaria etc.

Sou mineiro e moro em Uberlândia. Fui empresário e também me dediquei às atividades rurais. Depois dos 50, decidi me dedicar somente à literatura. Escrevo contos, crônicas, etc. Andei espalhando alguns contos e poesias por aí: pela internet, em jornais e em duas antologias. Lancei em agosto de 2014, na Bienal Internacional do Livro de São Paulo, um romance A Morte Visita o Quilombo. Em 2015, lançarei outro romance, Rodeio de Paixões; um livro de contos, Mulheres Maduras ainda Amam; e um de poesias, EU nem Augusto nem Anjo.

3. Sobre quais temas vai falar/tratar no seu blog?

Sobre literatura, cinema e sobre experiências de vida.

4. Você já teve blog? Se sim, qual (ou quais), e com que repercussão?

Há algum tempo pretendo criar um blog para divulgar meus escritos, agora, com o Digestivo, pode ter chegado a oportunidade.

5. Qual é sua relação com a escrita? Já escreveu em outros veículos/sites? Já publicou? Como foi a sua experiência nesse sentido (de colaborar e/ou publicar)?

Minha relação com a escrita, igualmente com a leitura, é umbilical e (usando um clichê) visceral. Escrevo ou leio até no banheiro ou na cama. Acredito que PARA ESCREVER, HÁ QUE LER: Machado e o Eça, o Rosa, Balzac e o Wilde (e eu, hehehe). Sem tirar o mérito de certo tipo de ficção como os Crepúsculos, os Harrys, os 50 tons, e toda esta "literatura" fabricada em série (tipo pão de hambúrguer), para seduzir adolescentes incautos (apesar de que, devo admitir, vem animando os jovens a ler e a escrever...).

Quanto a ter publicado já informei cima. Porém, aqui vai um link onde poderão ser lidos alguns contos e poemas meus.

6. Como é se interessar por cultura, ou ter uma atividade intelectual, ou simplesmente ler o Digestivo, num país como o Brasil, ou sendo brasileiro(a)? É uma profissão de fé? Ou é um desafio que te motiva (no dia a dia)?

O Brasil tem cultura muito rica e diversificada, que vai muito além do "politicamente correto" em voga. Há pessoas ditando o que é cultura e o que não é. E ai de quem as contrarie... Em meu modo de entender é algo do tipo "adote ou se cale", que me faz lembrar aquele nefando "Brasil, ame-o ou deixe-o".

Faz-nos falta um derrubador/desmitificador de falsos ídolos ao estilo do combativo, e combatido, Paulo Francis, ou de um Daniel Piza. Há muito joio sendo vendido como trigo, até por intelectuais e acadêmicos que se enclausuram, intocáveis em sua torres de fantasia, de costas para este Brasilzão tão rico e interessante.

7. Você acha que, através da internet, podemos mudar esse cenário (de pouca cultura, pouco interesse pela vida intelectual, parca discussão de ideias etc.)?

Não comungo com este pensamento de "pouco interesse pela vida intelectual". O que há é falta de tempo: esses "tempos modernos" (que Chaplin tão bem criticou) exigem que vivamos correndo: correr, correr, sem saber muito bem para onde.

8. Quais foram suas maiores influências? (Não precisa, necessariamente, ser alguém conhecido ou "famoso". Pode citar obras e/ou experiências também.) Quais "modelos" pretende seguir (ou te servem de referência)?

Influências literárias: Tolstói, Machado e Balzac. Influências de vida, dois sábios (dos poucos que conheci): meu pai, Francisco, e meu sogro, Ramiro. Ambos tinham por norma a paciência, a tolerância, a mediação e a parcimônia.

9. Mais alguma coisa que os Leitores precisam saber de você (mais alguma coisa que você gostaria de falar e eu não te perguntei)?

Pra saber mais de mim? Aguardemos quando o Digestivo me transformar num blogueiro, hahaha.

10. Onde mais a gente pode te encontrar? (Links ou referências, na internet, que você quiser/puder passar...)

Quem tiver alguma curiosidade sobre meu livro A Morte Visita o Quilombo, ele pode ser encontrado aqui ou comigo, e os vinte primeiros que se interessarem o receberão de brinde (não gastando nem com o frete). É só pedir por e-mail. E quem tiver, ainda, curiosidade sobre mim: basta dar um Google em "Onivaldo Paiva" e aparece o que publiquei e onde...

Nota do Editor
Onivaldo Paiva compõe o novo grupo de blogueiros do Digestivo Cultural ;-)

Julio Daio Borges
9/3/2015 às 12h06

 

busca | avançada
77507 visitas/dia
2,1 milhões/mês