busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Quinta-feira, 16/6/2005
O único assunto do Brasil
Julio Daio Borges

Hoje, para que uma revista venda, seja ela de negócios, computador ou artesanato em macramê, é preciso ter uma celebridade na capa, senão, não vende. Para que alguém visite um site, há que se falar alguma coisa sobre um famoso em algum lugar, de preferência com fotinha. O sucesso de um evento, convenção ou prêmio, depende do ator global que vai apresentá-lo. O próprio Pânico, bola do momento, começou com um repertório de quadros de humor próprios, mas só explodiu quando Vesgo e Ceará começaram a perseguir os famosos. Seja em situação de humor, de vexame, de constrangimento ou horror, o interesse que temos, real, genuíno, intenso e mobilizador, é sempre pelas celebridades. (...) Está acontecendo em muitos lugares do mundo, mas no Brasil é flagrante.

Rosana Hermann, no Blônicas.

Julio Daio Borges
16/6/2005 às 08h06

 

busca | avançada
31843 visitas/dia
1,0 milhão/mês