busca | avançada
61479 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Quarta-feira, 13/5/2020
Entrevista com GermanoCWB
Julio Daio Borges



Em parceria com o Portal dos Livreiros, lançamos esta série de entrevistas com os Livreiros do Portal. Sempre foi o nosso desejo - desde que o Portal começou -, revelar esse profissional que faz a oxigenação do mercado, recuperando e fazendo circular obras que, de outra forma, seriam descartadas (muitas delas fora de catálogo).

Esperamos que você aproveite esta Entrevista e prestigie o Livreiro GermanoCWB, neste momento tão delicado do mercado e do livro, no Brasil e no mundo.


1. Conte um pouco da história sua loja e/ou do seu acervo. Como começou, há quanto tempo, qual era a motivação inicial etc.
Os livros que eu vendo são todos da minha biblioteca pessoal, formada ao longo da vida com livros e revistas que comprei, ganhei ou herdei. E a motivação sempre foi o gosto pela leitura.

2. Conte um pouco da sua história pessoal. Qual sua formação, seu histórico profissional. Como chegou até o mercado livreiro?
Eu não sou formado. Apesar de ter cursado Administração e Comércio Exterior, nunca me formei.

Sempre tive um espírito aventureiro e desde os 18 anos, mesmo sem recursos, viajei meio Brasil.

Trabalhei nos mais diferentes ramos e fui desde lavador de chão até proprietário de empresa com quatro empregados.

Hoje, quase sessentão, eu "sosseguei o facho". Trabalho em casa com manutenção de impressoras e, também, nos sites de vendas, onde negocio minhas coleções e minha biblioteca.

3. Qual é a sua relação com o livro? Sempre leu, ou lê pouco, lia mais, pretende ler ainda bastante? Poderia citar autores de sua predileção?
Desde criança, sempre li tudo o que caiu em minhas mãos. Enquanto as crianças corriam atrás de bola, eu lia gibis e outras coisas, sentado em um confortável galho de árvore, em uma enorme ameixeira, que existia lá no quintal de casa. Era minha poltrona de leitura (rs).

Já adulto, devorei livros, chegando a ler três ao mesmo tempo, com predileção por policiais, livros de suspense e biografias. Hoje leio menos.

4. Como é seu histórico de vendas online? Tem site? Trabalha com mídias sociais? Participou (ou participa) de marketplaces (como o Portal dos Livreiros)? Se participa de mais de um, como avalia cada um deles?
Eu não tenho site próprio, então anuncio em vários sites, como o Portal dos Livreiros. De todos, o Portal é o mais justo na questão do frete.

No entanto, como vendo revistas e livros que têm valor mais baixo, a soma de comissão mais frete, às vezes, deixa o custo um pouco alto para o comprador.

5. Como vê as transformações do mercado livreiro (desde os antigos sebos até o e-commerce)? Se passou por mudanças, quais foram e como se adaptou a elas?
Nada se compara a um bom e velho sebo físico. Não há nada que substitua o sentimento de segurar nas mãos um livro e ler capa e contracapa, folhear suas páginas, antes de comprar. O livro conquista você.

Eu não senti muito essa mudança porque tenho a benção de ter sebos físicos ainda funcionando no entorno da minha casa - e minha experiência com e-commerce é só essa bem recente de anunciar minha biblioteca particular.



6. E o leitor? Acha que ele mudou muito? Ou não mudou tanto? No seu comércio, você trabalha com um perfil de consumidor específico (ou acha isso bobagem)? Como imagina o leitor do futuro?
O leitor praticamente desapareceu. Com raras exceções, ninguém mais lê. Basta ver que aproximadamente 40% das pessoas que se formam saem das universidades como analfabetos funcionais. É muito triste, porque quem não lê, lê mal e escreve pior ainda.

7. E a leitura? Mudou muito? E o livro eletrônico? E a leitura no celular e em outros aparelhos? Acha que é uma ameaça ao livro de papel? Isso te preocupa (ou acha besteira essa preocupação)?
Não é questão de se preocupar ou não. É a realidade que existe e não tem como ser diferente. A mudança é inerente à evolução dos meios. Os meios eletrônicos estão aí e vieram para ficar. Agora é hora de dominar as novas tecnologias para não ficar para trás e se adaptar. Não há como barrar a evolução, e a atualidade não é nem pior nem melhor, é só diferente.

8. Do que você tem na sua loja e/ou no seu acervo, o que você indica para quem está nos lendo? Alguma coisa em especial? Alguma edição rara? Algum livro difícil de encontrar?
Eu tenho muitas revistas e livros antigos e muitos itens para completar coleções de revistas, por exemplo, o que pode interessar aos colecionadores como eu.

9. Como você faz a aquisição de obras para o seu acervo (ou sua loja)? São livros de família? Adquire de pessoas físicas? Compra de editoras ou distribuidores? (Ou nenhuma das anteriores?)
Tudo foi sendo adquirido ao longo do tempo para meu deleite pessoal e alguma coisa foi herdada.

10. Qual mensagem você deixaria para quem está nos lendo? Qual é a importância dos livros e da leitura num momento como este? E do comércio de livros? Enfim, qual é a importância do trabalho do livreiro hoje?
A leitura é a base primordial para a formação intelectual, moral, de caráter, espiritual e cognitiva. Sem leitura não se entende o mundo ao redor e suas implicações no dia a dia.

Infelizmente, hoje, a quantidade de informação disponível é tão absurda que é difícil filtrar o que serve e o que não serve para a vida. A velocidade que as coisas mudam e que exigem nossa atenção não nos deixa tempo para sentar e saborear uma boa leitura de um livro físico.

No entanto, o importante é ler e ler sempre, não importa por qual meio, físico ou eletrônico.

Para ir além
Acesse a Loja ou a Newsletter de GermanoCWB no Portal dos Livreiros.

Julio Daio Borges
13/5/2020 às 16h11

 

busca | avançada
61479 visitas/dia
2,0 milhão/mês