busca | avançada
99122 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Quinta-feira, 22/6/2006
Em Cena: Em Fuga
Marcelo Miranda

O segundo filme da trilogia criada pelo belga Lucas Belvaux sai da comédia romântica de erros que foi Um Casal Admirável para o thriller. O protagonista é Bruno, ex-militante que foge da prisão e decide se vingar dos antigos comparsas que o delataram. O enredo foca nas idas e vindas de Bruno, vivido pelo próprio Belvaux, e na sua relação com duas mulheres: Jeanne, que foi sua parceira (e aparentemente um antigo amor); e Agnès, viciada em heroína e que lhe dá abrigo.

Em Fuga
Em Fuga: segunda parte da trilogia de Belvaux

É este, aliás, o ponto de diálogo de Em Fuga com os outros filmes da trilogia: o chalé onde Bruno se refugia pertence a Cécile, personagem principal do longa anterior; e o fugitivo cruza algumas vezes com o policial Pascal, marido de Agnés e foco central do terceiro filme, o drama Acordo Quebrado. Bruno transitará nesse meio, buscando formas de desaparecer, mas não sem antes deixar uma marca sangrenta em quem ele assume como inimigo. O final irônico e patético de sua trajetória apenas reforça a frieza (literal, no caso) de seu discurso, sua utopia e seus atos.

Porém, vendo em perspectiva Um Casal Admirável e Em Fuga, sente-se que é o policial Pascal o centro nervoso da trilogia de Belvaux. Ele e a esposa aparecem com razoável destaque nas três obras, sendo os principais do último filme. E não por menos: Pascal e Agnès realmente protagonizam a mais complexa das tramas. Este homem da lei está envolvido em tudo: investiga um foragido, ajuda a amiga a achar uma possível amante do marido e convive com as dificuldades da esposa viciada.

Gilbert Melki
Gilbert Melki: centro da trilogia

O olhar quase sempre apático do ator Gilbert Melki, que faz Pascal, ora representa um interesse intrínseco de seu personagem pela cliente (a bela Ornella Muti), ora a necessidade de cumprir seu dever ao saber informações importantes a respeito de Bruno. Falta assistir ao fecho da história para saber o que mais o olhar de Melki vai refletir. Provavelmente, piedade e sofrimento pela dor da mulher.

Para ir além
Leia também "Um Casal Admirável".

Marcelo Miranda
22/6/2006 às 08h06

 

busca | avançada
99122 visitas/dia
2,5 milhões/mês