Se minha gramática falasse | Digestivo Cultural

busca | avançada
72475 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> ZapMusic, primeiro streaming de músicos brasileiros, abre inscrições para violonistas
>>> Espetáculo de dança em homenagem à Villa-Lobos estreia nesta sexta
>>> Filó Machado comemora 70 anos de vida e 60 de carreira em show inédito com sexteto
>>> Série 8X HILDA tem sessões com leitura das peças As Aves da Noite e O Novo Sistema
>>> Festival Digital Curta Campos do Jordão chega a todo o território nacional com 564 filmes inscritos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> A TETRALOGIA BUARQUEANA
>>> Bom de bico
>>> Diário oxigenado
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
Blogueiros
Mais Recentes
>>> À propos de Nice (1930)
>>> Sonhos olímpicos nos Lençóis Maranhenses
>>> Lifestyle Media
>>> A voz de Svetlana em Paraty
>>> São João del-Rei
>>> Convite para as coisas que não aconteceram
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Where I End and You Begin
>>> Nós, os afogados, de Carsten Jensen
>>> Dias de Luta, de Ricardo Alexandre
Mais Recentes
>>> Jurisdição Comunitária de Marcelino Meleu pela Lumen Juris (2014)
>>> O Estado e a Revolução de Lenin pela Expressão Popular (2007)
>>> Pedagogia e estética do teatro do oprimido: Marcas da arte teatral na gestão pública de Dodi Leal pela Hucitec (2015)
>>> Constitucionalismo Latino-Americano: Tendências Contemporâneas de Antonio Carlos Wolkmer , Milena Petters Melo pela Juruá (2013)
>>> Qu'est-ce que la démocratie? de Alain Touraine pela Le Livre de Poche (1997)
>>> Sobre a questão judaica de Karl Marx pela Boitempo (2010)
>>> O direito dos oprimidos de Boaventura de Sousa Santos pela Cortez (2015)
>>> La domination masculine de Pierre Bourdieu pela Éditions du Seuil (2002)
>>> Le citoyen de Marie Gaille (Apres.) pela Flammarion (1998)
>>> Le langage silencieux de Edward T. Hall pela Éditions du Seuil (2000)
>>> O 18 Brumário de Luis Bonaparte de Karl Marx pela Escriba (1968)
>>> Citoyenneté et politiques sociales de Annick Madec; Numa Murard pela Flammarion (1995)
>>> Sociologie de la vie politique française de Michel Offerlé pela La Découverte (2004)
>>> Du contrat social de Jean-Jacques Rousseau pela Le Livre de Poche (1996)
>>> Brasil: Uma Biografia de Lília Schwarcz , Heloisa Starling pela Cia das Letras (2015)
>>> Origens do totalitarismo: anti-semitismo, imperialismo, totalitarismo de Hannah Arendt pela Cia das Letras (2012)
>>> Gramatologia de Jacques Derrida pela Perspectiva (2011)
>>> O Espaço Dividido: os Dois Circuitos da Economia Urbana dos Países Subdesenvolvidos de Milton Santos pela Edusp (2008)
>>> Repensando a Pesquisa Jurídica. de Miracy Barbosa de Sousa Gustin pela Del Rey (2014)
>>> Cavaleiros do zodíaco Saint seiya volume 8 de Masami Kurumada pela Conrad (1997)
>>> samurai x volume 3 Rurouni Kenshin de Nobuhiro Watsuki pela Jbc (1997)
>>> Inu- Yasha volume 75 de Rumiko Takahashi pela Jbc (2004)
>>> Inu- Yasha volume 101 de Rumiko Takahashi pela Jbc (2004)
>>> Destino Cativo volume 1 de Matsuri Hino pela Panini Comics /Planet Mangá (2008)
>>> Destino Cativo volume 5 de Matsuri Hino pela Panini Comics /Planet Mangá (2008)
BLOG >>> Posts

Terça-feira, 25/11/2008
Se minha gramática falasse

+ de 2400 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Penso. Penso mais um pouco. Não consigo visualizar vantagem no decreto que reforma a gramática brasileira e a uniformiza com os outros países que falam o português.

Ah, talvez agora sejamos a terceira língua mais falada no mundo. Terceira? Quarta? O que importa?!

A verdade é que a língua portuguesa não possui expressão a nível mundial. Não é tendo Uganda e Príncipe com a mesma língua escrita que seremos mais importantes. Os EUA não colocarão em sua grade curricular o português como língua obrigatória e necessária para o desenvolvimento do país.

Mas não é só isso que me incomoda com a unificação. São nas diferenças que notamos as características populares, suas culturas, raízes e mutações que exprimem como a língua se desenvolveu em cada região.

A língua é como uma pessoa. Tem personalidade e nuanças vinculadas ao meio em que vive. Seu desenvolvimento não deveria ser através de leis, e sim por meio de seu crescimento e amadurecimento.

Não quero ser pessimista e acho que estamos muito longe do que vou dizer agora: mas se a língua é uma pessoa, se ela cresce e amadurece, ela também pode morrer. O pesquisador britânico David Crystal afirma que em média 1 língua morre por semana e até o final do século metade das 6 mil línguas catalogadas já não existirão. Lembre-se que só não morre o que gostamos e nos identificamos. Se não gostarmos da nossa língua como ela é, quem gostará?

Observe que cada vez mais usamos, indiscriminadamente, as palavras importadas. Ora, isto é um reflexo direto da carência de nossa língua e da força da cultura estrangeira inserida em nossa sociedade.

E seguindo com meu inconformismo, verificamos ainda a dificuldade inerente à língua portuguesa. Em um país que há um mar de analfabetos, com um alto índice de repetência nas escolas, é uma crueldade fazer as crianças reaprenderem o que já não aprenderam.

Quase no mesmo sentido, é uma crueldade que um país como o Brasil (e Angola, e Príncipe, e também Portugal) seja representado por políticos que pensam nessa baboseira em vez de investirem seu tempo tentando resolver problemas tão mais graves, tais como: saúde, infra-estrutura e, óbvio, a educação.

Como diria Machado de Assis, não vou dar pernas longuíssimas a assuntos brevíssimos e, portanto, vou perguntar a opinião da própria gramática: "a senhora é a favor ou contra a lei que a altera?"

Gramática: "não sei. Como você se sentiria caso alguém fosse aos poucos destruindo sua alma?"


Postado por Daniel Bushatsky
Em 25/11/2008 às 09h26


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Van Halen ao vivo em 1991 de Julio Daio Borges
02. Vida de Escritor no Catarse de Ana Elisa Ribeiro
03. Antologia Ser Mulher de Ana Elisa Ribeiro
04. Regina Dalcastagné em BH de Ana Elisa Ribeiro
05. A importância da literatura de Yuri Vieira


Mais Daniel Bushatsky no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
25/11/2008
11h25min
Concordo que a língua de um povo traz toda uma cultura em sua bagagem. No entanto, não acredito que a unificação da Gramática, tão somente, possa aniquilar todo e qualquer traço de cultura e identidade de um povo. Explico: a gramática é o que faz a língua escrita ser entendida e compreendida por tempos longínquos. Isto porque permite ao leitor apreciar as palavras em qualquer tempo, como em Camões. Já pensou nas obras que perderíamos, caso não fosse possível ler 500 anos depois os textos escritos? A língua falada não deve sofrer mutação... sabe como é, ninguém fala o português correto, mas não importa. Na língua falada, o que mais importa é ter a mensagem entendida. Não que se dê carta branca para avacalhar com a nossa língua...! Por fim, considero válida a tentativa de uniformizar o português para que se preserve o texto, a fim de ser entendido em qualquer tempo. Preserva-se, desse modo, a cultura e a identidade de um povo. A alma está salva.
[Leia outros Comentários de Hellen]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Confissões verídicas de um terrorista albino
Breyten Breytenbach
Rocco
(1985)
R$ 10,00



Diários
Lúcio Cardoso
Civilização brasileira
(2012)
R$ 50,00



Madame Mao - a Mulher Que Mandou Em 800 Milhões de Homens
Roxane Witke
Nova Fronteira
(1977)
R$ 7,50



Cegueira, Um Ensaio
Fernando Meirelles
Master Books
(2010)
R$ 150,00



A Cidade e as Serras
Eça de Queirós
Martin Claret
R$ 10,00



Receitas da Bruxinha Nathy
Roberto Dalpiaz Rech
Imprensa Livre
(2003)
R$ 12,00



Lendas do Bom Rabi
Malba Tahan
Saraiva
(1951)
R$ 18,00



Literatura Comentada Oswald de Andrade
Jorge Schwartz
Nova Cultural
(1988)
R$ 5,00



Viva Com Esperança
Mark Finley e Peter Landless
Casa Publicadora
(2014)
R$ 5,00



Thy Neighbours Wife
Gay Talese
Pan Book
(1981)
R$ 44,10





busca | avançada
72475 visitas/dia
2,1 milhões/mês