Digestivo Blogs

busca | avançada
42961 visitas/dia
922 mil/mês
Mais Recentes
>>> TV Brasil pré-estreia Atos com Antonio Pitanga nesta segunda (19/11)
>>> TV Brasil apresenta programação temática na Semana da Consciência Negra
>>> Baterias Brasileiras do Sesc Belenzinho apresenta shows com Pupillo e Curumin
>>> Refúgios Musicais do Sesc Belenzinho apresenta banda de haitianos Surprise
>>> Avesso - O Musical aborda conflito de gerações em musical jovem de fortes emoções
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
>>> Do canto ao silêncio das sereias
>>> Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela
>>> A barata na cozinha
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O Voto de Meu Pai
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
>>> As pedras de Estevão Azevedo
>>> O artífice do sertão
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Um lance de escadas
>>> No tinir dos metais
>>> De(correntes)
>>> Prata matutina
>>> Brazil - An Existing Alien Country on Planet Earth
>>> Casa de couro IV
>>> 232 Celcius, ou Fahrenheit 451
>>> Mãe
>>> Auto contraste
>>> Os intelectuais e a gastronomia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Pieguice ou hipocrisia?
>>> Impressões do jovem Engels
>>> Alô, alô, responde!
>>> Hugo Cabret exuma Georges Méliès
>>> Zizitinho Foi Para o Céu
>>> Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso
>>> Sobre os três primeiros romances de Lúcio Cardoso
>>> Quem é Daniel Lopes
>>> As estrelas e os mitos
>>> Editor, corrija por favor!
Mais Recentes
>>> Triste Fim De Policarpo Quaresma de Lima Barreto pela Objetivo
>>> Memórias de Adriano de Marguerite Yourcenar pela Record
>>> Revista Claudia de Editora Abril pela Abril (2009)
>>> Manual do proprietário Escort de M P E da Ford pela Ford Brasil (1988)
>>> Manual de uso e manutenção - Palio fire, Siena fire, strada fire de Fiat automóveis pela Satiz do Brasil (2007)
>>> Revista xbox--107. de Europa pela Europa
>>> Revista xbox--106. de Europa pela Europa
>>> Revista xbox--111. de Europa pela Europa
>>> Revista xbox--82. de Europa pela Europa
>>> Revista xbox--87. de Europa pela Europa
>>> Revista xbox--96. de Europa pela Europa
>>> Revista xbox--104. de Europa pela Europa
>>> Revista xbox--109. de Europa pela Europa
>>> Revista xbox--103. de Europa pela Europa
>>> Revista xbox--76. de Europa pela Europa
>>> Revista xbox--80. de Europa pela Europa
>>> Revista xbox--113. de Europa pela Europa
>>> Zz7--392--destruidores do mundo--serie azul. de Lou carrigan pela Monterrey
>>> Zz7--353--o juramento--serie vermelha. de Lou carrigan pela Monterrey
>>> Revista nintendo world--50. de Conrad pela Conrad
>>> Revista nintendo world--18. de Conrad pela Conrad
>>> Foucault y la Teoría Queer de Tamsin Spargo pela Gedisa (2018)
>>> Revista nintendo world--42. de Conrad pela Conrad
>>> Revista nintendo world--43. de Conrad pela Conrad
>>> Revista nintendo world--52. de Conrad pela Conrad
>>> Revista nintendo world--193 de Case pela Case
>>> O Que É Revolução de Florestan Fernandes pela Expressão Popular (2018)
>>> De Que Amanhã...Diálogo de Jacques Derrida e Elisabeth Roudinesco pela Zahar (2004)
>>> Toda Poesia de Paulo Leminski pela Companhia das Letras (2013)
>>> Amor Líquido de Zygmunt Bauman pela Zahar (2004)
>>> Festa Sob as Bombas / Os Anos Ingleses de Elias Canetti pela Estação Liberdade (2009)
>>> A Cidade Perversa / Liberalismo e Pornografia de Dany-Robert Dufour pela Civilização Brasileira (2013)
>>> Réquiem para o Sonho Americano de Noam Chomsky pela Bertrand Brasil (2017)
>>> Fundamentos doutrinários de umbanda de Rubens Saraceni pela Madras (2013)
>>> O Capitalismo Como Religião de Walter Benjamin pela Boitempo (2013)
>>> Umbanda de todos nós de W.W. da Matta e Silva pela Ícone Ed. (2014)
>>> O Que É uma Revolução de Álvaro García Linera pela Expressão Popular (2018)
>>> A canção no tempo v. 1 de Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello pela Ed. 34 (2006)
>>> A Viúva Cliquot de Tilar J. Mazzeo pela Rocco (2018)
>>> Sobre o Islã de Ali Kamel pela Nova Fronteira (2007)
>>> O poder do silêncio de Eckhart Tolle pela Sextante (2010)
>>> O Vínculo do Prazer de William H. Masters, Virginia E. Johnson pela Círculo do Livro (1975)
>>> Criança Inquieta - Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade? de Esméria Rovai, Carlos Brunini pela Livro on Demand (2018)
>>> O Divã a Passeio de Fabio Herrmann pela Brasiliense (1992)
>>> Psicoterapia Psicodramática de Dalmiro Manuel Bustos pela Brasiliense (1979)
>>> Que Barulho é Esse, Ratinho? de Stephanie Stansbie, Polona Lovsin pela Zastras (2010)
>>> Aritmética - Novas Perspectivas - Implicações da Teoria de Piaget de Constance Kamii e Linda Leslie Joseph pela Papirus (1993)
>>> Teoria e Política do Desenvolvimento Econômico de Celso Furtado pela Nova Cultural (1986)
>>> A Volta ao Mundo Em 80 Dias de Júlio Verne pela Codil (1970)
>>> O Universo e Eu de Mara Muniz pela D&z (1999)
BLOGS

Quinta-feira, 19/7/2018
Digestivo Blogs
Blogueiros

 
A luz da alma - Haifa Israel

Hoje eu caminho os meus passos,
No compasso dos passos teus.
De seguir as marcas do teu rastro,
No cansaço desses pés, que o mundo esqueceu.
A poeira do deserto os encobriam,
Na íngreme subida, na ladeira que descia,
A mirar Um céu azul opaco,
Por sobre a árida terra a tua voz se ouvia.
Na pregação ao povo, das bem aventuranças,
Saciar o homem sem fé e fome de esperança,
Entre ídolos e deuses, o Deus se confundia.
Fizeste da palavra, a luz sobre o deserto,
Embora julgassem-No longe da terra,
Certo é, sempre rondavas por perto.
O homem na busca de um oásis,
E Tu clamando pelo deserto,
Não é fácil entender o teu propósito,
Buscamos no íntimo uma resposta,
Quando o eco de tua palavra, já inaudível,
Mesmo sabendo que estás vivo e perto.
No homem, a alma nas sombras se esconde,
O corpo sucumbe ao pó e não responde,
Se possível afastai a aridez que apaga,
Dai-me a fé, que alimenta e acalma,
A robustez do corpo e a luz da alma.

Haifa Israel, 08/06/2018

[Comente este Post]

Postado por Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas
19/7/2018 às 15h58

 
Tempo & Espaço

O verbo
líquido
liquida a
palavra

Aquele que
se rende
à água
e se
torna
renda viva
para teus
olhos

Poema-sonrizal

O que
se dilui
na água

Concomitente(mente)
efervescente

Substância

Sub
instâncias

(Di)stâncias

Distância
de
si
para
si

Água
&
Espuma

[Comente este Post]

Postado por Metáforas do Zé
17/7/2018 às 08h52

 
Mão única

Filosofia
não é
vacina
&
Poesia
não é
uma
sina

[Comente este Post]

Postado por Metáforas do Zé
15/7/2018 às 19h04

 
A passos de peregrinos ll

Após a narrativa da nossa viagem por terras italianas, vivenciando as belíssimas histórias dos seus santos, da cultura, costumes e passado do seu povo, convido-os a caminharem juntos conosco, pelas terras, nas quais Jesus caminhou e deixou marca indelével para as gerações futuras, a fé e a promessa de uma nova vida, e das quais foi Ele próprio, o Protagonista por toda a Terra Santa.

Ao sétimo dia de junho de 2018, despertamos cedinho, malas prontas, passaportes cuidadosamente separados, sem o café da manhã, mas tudo bem, estávamos na recepção do hotel, prontos para o novo desafio. Agora no Oriente Médio, continente Asiático, a Terra Santa em Israel.

Tomamos o ônibus em direção ao aeroporto de Roma, o Leonardo da Vinci. Uma sacola de lanches rápidos e água foi entregue a cada um de nós. A voz do padre Aldo se fez ouvir, era a oração do dia, e ao mesmo tempo a despedida de Roma, da Itália, do continente europeu.

No aeroporto os mesmos procedimentos, Mari nos acompanhou até o momento do embarque. Por volta das 10h:00, horário de Roma, levantamos voo com destino a Terra Santa. Por que terra santa? (Hebraico: Eretz Hakodesh; Árabe: Al-Ard Al-Muqaddasah). É uma região localizada entre o rio Jordão e o mar mediterrâneo, na atualidade é dividida entre Israel, Cisjordânia e Jordânia. É chamada de Terra Santa pelo seu valor histórico para as três maiores religiões monoteístas da terra. São elas: cristianismo, judaísmo e islamismo. Por isso a Terra Santa é considerada como o centro espiritual da terra.

Por volta das 14h:00, 1h:00 a mais em relação a Roma, para nós brasileiros 6h;00 a mais, aterrissamos em solo israelense. No aeroporto de Tel Aviv -Ben Gurion, os procedimentos costumeiros, a família cada vez mais coesa, capitaneada pela Marcia (nossa competente acompanhante), somada ao Jonas, guia local intermediário, porque a nossa guia israelense, por razões pessoais, só nos encontraria a noite. Fomos a busca do ônibus que nos conduziria ao hotel. Marcia fez a contagem costumeira dos membros familiares e prosseguimos para o Hotel Herods, as margem do mar mediterrâneo em Tel Aviv.

Ainda cedo da tarde, alguns dispuseram-se a tomar um banho de mar, outros foram conhecer algumas ruas das adjacências, outros foram curtir a beleza do relevo mediterrâneo da região, entre esses eu e a esposa, tomamos um café na cafeteria do hotel e fomos passear no calçadão a beira mar de Tel Aviv.

O jantar foi servido as 19h:30, todos os peregrinos estavam presente. Seguiu-se a apresentação da nossa guia, de nome tão complicado, Meirav Atmor, sua sugestão foi para que a chamássemos de Mei e assim foi feito. A culinária israelense é sem dúvida excepcional, como reza o costume de toda a costa mediterrânea. Depois do delicioso jantar, fomos descansar, no dia seguinte, após o café da manhã teríamos muita chão para percorrer em direção a Tiberias ou Tiberíades.

No oitavo dia de Junho de 2018, em seguida ao café matinal, de malas prontas e muita disposição, tomamos o ônibus e partimos as 8h:00 da manhã, rumo a cidade de Tiberias, com paradas e visitas a diversos locais históricos dessa terra e desse povo.

Nossa primeira parada foi em Cesárea Marítima, - Cesárea homenagem ao imperador romano César Augusto - capital romana na Judéia do primeiro século e uma das mais importantes cidades das cruzadas.

Já desgastada pelo tempo e pelo homem, me pareceu ter sido uma cidade progressista e de arrojado sistema de comercio marítimo, por toda a estrutura de que dispunha. Um verdadeiro museu a céu aberto. Pode-se ver ainda, ruinas do hipódromo, o que fora o palácio do Rei Herodes e o belíssimo Anfiteatro Romano.

O complexo arquitetônico compreende construções de diferentes épocas, desde o período helênico (século 3 a. C.) até o período das cruzadas século (12 d.C.), mas foi durante o imperialismo do Rei Herodes (37 a 4 a.C.), que cesárea ganhou destaque e se tornou o maior centro cultural greco-romano da região Oriental do Império Romano.

Após vislumbrar tanta beleza histórica, seguimos na direção do monte Carmelo. Nome derivado do hebraico Karmel, cujo significado é “jardim”, “campo fértil”, ou “vinha do Senhor”. Lá situa-se o Santuário de Stella Maris – Opus Dei, Mosteiro das Carmelitas Descalças.

Muhraqa, assim chamado o lugar onde ocorrera o sacrifício do profeta Elias em enfrentamento aos profetas de Baal.

A Bíblia não revela quase nada sobre a vida pessoal e familiar do profeta Elias. Sabemos apenas que ele era um tisbita (de Tisbi), lugarejo da terra de Gileade, que significa o monte de testemunho, (Gênesis 31;21), na região montanhosa a leste do rio Jordão, situado no reino da Jordânia.

O profeta Elias viveu no século lX antes de Cristo, durante os reinados de Acabe e Acazias, no reino do norte. A época o povo de Israel tinha se dividido em dois reinos. Judá era o reino do sul com capital em Jerusalém, e Israel era o reino do norte com capital em Samaria.

Ainda no monte Carmelo ou monte do Carmo, foi celebrado a santa missa pelo nosso guia espiritual, padre Aldo, e cânticos entoados pelo coral da família peregrina.

Prosseguindo a viagem chegamos a cidade de Haifa. Deslumbrante cidade banhada pelo mar mediterrâneo, um relevo costeiro de encantar qualquer ser humano, que goste de apreciar o belo. Comtemplamos também os Jardins Bahá’i, de delicados contornos e exuberância de verdes ramagens e belíssimas flores.

Haifa é uma cidade onde a religião predominante é a Bahá’i. Mas o que é essa religião? A fé Bahá’i é monoteísta, fundada por Bará’u’lláh, um nobre persa que viveu no século XlX. Seus ensinamentos afirmam que existe um único Deus e que as grandes religiões mundiais tem a mesma origem e essência divina.

Segundo eles, os fundadores das religiões majoritárias trouxeram ensinamentos e maturidades de diversos povos, em diferentes momentos de suas histórias. Entre esses mensageiros designados como “manifestantes de Deus” estão: Krihna, Buda, Abraão, Moisés, Zoroastro, Cristo, Maomé, e mais recentemente o Báb e Bahá’u’lláh.

Descobrimos também, um prédio da Universidade de Haifa, que foi projetado pelo famoso arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer. Nossa guia Mei dava banhos de conhecimentos históricos, a ela o nosso mais profundo respeito.

Após o vislumbre de tamanha beleza, seguimos em direção a Tiberíades, onde chegamos à tardinha ao Hotel Caesar, fincado as margem do mar da Galileia.

Fomos muito bem recepcionados, como em todos os outros, parece-me que as boas vindas é comum nos hotéis dessa região. O cansaço era um convite a cama, após um bom banho, deitei e dormi até a hora do jantar. Após a janta tirei algumas fotos do mar da galileia, dos seus barquinhos, réplicas do barco do pescador Pedro, do belíssimo pôr do sol, que refletia sobre as colinas do Golan - Ne’ot Golan - mais um banho e cama pra que te quero, sabia que ao amanhecer o dia seria de jornada.

No dia 9 de junho, logo após o café, empunhamos nossas mochilas e seguimos em direção a uma daquelas réplicas do barco de São Pedro. Hasteamos a Bandeira brasileira, emocionante, e enquanto deslizávamos sobre as águas do lago de Genezaré, em contrita fé celebrávamos, todos juntos a Santa Missa, belíssima celebração, e na qual o padre Aldo mais uma vez disse: Senhor eu creio, mas aumentai a minha fé.

Ao termino, do ato religioso, contemplamos aquelas águas, cada um a seu modo, local onde provavelmente Pedro e os outros pescadores, recolheram peixes para a alimentação deles e da população local. Quiçá tenha Jesus participado dessas pescarias e se alimentado também desses pescados.

Em seguida saímos para o monte das bem-aventuranças. Esse monte está situado entre Cafarnaum e Genezaré. Não se sabe ao certo onde ocorreu o “Sermão da Montanha”, mas este lugar tem sido comemorado há 1600 anos.

Outra sugestão do local para o “Sermão da Montanha”, antes conhecido como Monte Eremos, está localizado entre Cafarnaum e Tabgha, nessa montanha foi construído uma capela católica em 1939 pelas irmãs franciscanas, com o apoio do governo italiano, Mussolini. Aqui também fizemos uma leitura bíblica, com todo o grupo sentado em frente à igreja franciscana, logo após adentramos aos recinto do templo, para orações e contemplação.

A seguir fomos para a Igreja da Multiplicação dos Pães e dos Peixes. Localizada em Tabgha, ao noroeste do mar da Galileia, celebra-se ali o milagre dos pães e dos peixes, que de acordo com o Novo Testamento, foi feito por Jesus naquele lugar. Lá procedeu-se uma leitura bíblica maravilhosa por Olívio e uma explanação pela nossa guia Mei, que mais me parecia uma teóloga, nos alimentando de ensinamentos bíblicos e históricos. Mais um lugar indescritível, mesmo querendo explicar, apenas o sentimento de estar nesse lugar, pode nos proporcionar os ensinamentos requeridos pela fé.

Na sequência, tomamos o ônibus em direção a igreja da Pesca, um local convidativo a meditação, árvores nativas, pássaros entoando seus sublimes cantos, brisa suave a escorrer por sobre o corpo e um silêncio convidativo para ouvir. Lá em uma capela estava a possível mesa de pedra, Mensa Cristi, onde provavelmente se dispunha a alimentação para os pescadores a época. Local onde Jesus fez sua aparição pela terceira e última vez, após sua morte, aos seus apostulos. Fomos até a margem do mar, banhamos nossos pés, oramos na capela, votamos ao ônibus e tomamos o rumo das ruinas de Cafarnaum.

Cafarnaum está localizada ao extremo norte do mar da Galileia. Percebi ser uma das mais preservadas ruinas da terra Santa. Sobre as ruinas da sinagoga do primeiro século, a sinagoga de Jesus, vê-se os escombros bem preservados, da sinagoga construída no quarto século pelos bizantinos, com paredes ainda intactas, algumas colunas de pé, os escombros também preservado da casa da sogra de Pedro, sob a construção da igreja católica octogonal e moderna.

Essas observações nos dão a dimensão espiritual daquela, que se tem como a cidade de Jesus de Nazaré, “Yeshua Hamashach”, o messias prometido ao povo da Terra Santa.

Cafarnaum parece ter sido uma cidade, na qual moravam muitos pescadores e talvez tenha sido um dos senários mais importantes do ministério de Jesus Cristo.

Depois dessa maratona, fomos renovar a promessa do batismo no rio Jordão. Um lugarejo com toda infraestrutura, pronta para atender peregrinos do mundo inteiro. Lojas, shoppings, restaurantes entre tantos outros. Seguimos até a margem do rio de águas claras, num local especialmente preparado para renovação das promessas batismais.

Iniciou-se uma leitura sobre o batismo e Padre Aldo, proferiu algumas palavras dessa confirmação, em coro respondidas por nós peregrinos. Em seguida de bata branca, caminhou alguns passos da margem e de peregrino em peregrino foi confirmando o batismo, enquanto apanhava a água e despejava sobre a cabeça. Um ato emocionante e de renovação da fé em Jesus Cristo.

O rio Jordão, em si, não tem nada de sobrenatural, mas foi cenário de milagres pelo poder divino, tais como: a travessia do rio Jordão por Josué; a subida de Elias ao céu (a água, como represada lhe permitiu a passagem de um lado a outro); a cura de Naamã; a última e mais importante para a religião católica, o batismo de Jesus, por João Batista.

A localização do rio Jordão fica na fronteira oeste entre Israel e a Jordânia e a leste com a Síria. Ele desagua no mar da Galileia e em continuação para o sul, acaba por desaguar no mar morto.

Ao fim da tarde, Marcia e Mei procedem a contagem dos fiéis, faltava um, o Edson, lá foi a Mei a sua procura, brincadeiras à parte, retornamos para o hotel em Tiberias. Finalizando o segundo dia de peregrinação pela Terra Santa e o nono dia de uma jornada intensa, de força e fé.

No dia 10 de junho de 2018, domingo, após o café da manhã, tomamos o ônibus em direção ao monte Tabor. Localizado na Galileia, diante da cidadezinha de Nain e próximo ao lago da galileia.

Observando a paisagem árida da região, chegamos ao pé do monte. A estrada que nos leva ao topo, não comporta ônibus, por suas curvas sinuosas e altas elevações. Tomamos as vans, que nos aguardavam e iniciamos a subida. Vista deslumbrante, indescritível e temerosa, nosso irmão peregrino, Cesário, solicitou algumas vezes para o motorista ir mais devagar.

No topo do monte há duas Basílicas, que comemoram a Transfiguração, uma ortodoxa e a outra católica, cujo frade, brasileiro, nos recebeu para a visita e a Santa Missa que seria celebrada.

Um lugar de sonhos, de meditação, de conforto espiritual, um paraíso na terra. Logo depois da visita a Basílica católica, fotos e contemplação, fomos ao local onde provavelmente Jesus foi visto pelos discípulos falando com os profetas, segundo a Bíblia, Pedro quis construir tendas para Jesus, Moisés e Elias.

Foi neste local que realizamos a Santa Missa, e pela segunda vez proferi a primeira leitura e Cesário a segunda leitura desse ato religioso. Me comovi ao ver um casal, não participante do grupo, assistir à missa com tanto fervor pessoal. Que Jesus os abençoem sempre aonde quer que estejam. Aqui também eu e o meu irmão de leitura nos emocionamos, talvez por nos sentir de pé, no provável solo em que Jesus e seus discípulos estiveram.

Logo em seguida retornamos as vans e descemos pela íngreme estrada que nos levou a base do Tabor. Caminhamos até o ônibus, que partiu em direção a cidade de Nazaré.

Nazaré fica em uma região montanhosa, na parte alta do vale de Jezreel. Não é citada no Antigo Testamento, também não tinha destaque algum na tradição Judaica posterior, só vem a ter maior importância no Novo Testamento, justamente com a tradição Cristã, nas narrativas de Mateus e Lucas.

Aqui visitamos a Basílica da Anunciação, segundo a Bíblia, local onde o Anjo Gabriel enviado por Deus, visitou Maria em seu sexto mês de gravidez.

Uma suntuosa estrutura. Em seu interior a gruta aonde se deu a anunciação do anjo.

Visitamos ainda o local da carpintaria de José, que segundo Mei, não parece ser ele o grande carpinteiro, pois não havia, assim como não há árvores madeireira naquela região. Hoje há alguns carvalhos plantados e oliveiras, que por certo não produz madeira de lei. Possivelmente ele trabalhou a pedra, muito abundante na região.

Também visitamos a Fonte de Maria, a Igreja de São José e outros destaques desse lugar que nos fala de amor. É um lugar aconchegante, como colo de mãe, da nossa Mãe Maior, a Virgem Maria Mãe de Jesus de Nazaré.

Almoçamos em um ótimo restaurante, indicado pela Mei, e a seguir partimos em direção a Caná da Galileia.

Em Caná da Galileia, segundo a bíblia, Jesus fez o seu primeiro milagre. Nesse lugar transformou a água em vinho, atendendo um pedido sugerido por Maria sua mãe. Com esse ato, manifestou sua glória divina e suscitou a fé de seus discípulos.

Visitamos a igreja do primeiro milagre, contemplamos todo o seu interior, inclusive as salas e capelas inferiores. Numa delas o nosso guia espiritual, padre Aldo, procedeu a renovação das promessas matrimoniais. Uma cerimônia emocionante dos casais ali presentes. Foram estes os casais a renovar as promessas do matrimonio: Cesário e Maria Antônia, Arno José e Miriam, André e Maria Silvério, Rafael e Rafaela, Odair e Nair, Edson e Celina, Feitosa e Mayre, Paulo Fernando e Valdete Regina, e de todos os casados representados por uma das partes e os por enquanto descompromissados com o matrimônio.

Ao termino comemorou-se com vinho em pequenos cálices de madeira, providenciados por nossa guia Mei, segundo minha classificação, (prática historiadora e teóloga).

A família comemorou efusivamente o evento, com abraços de felicitações, sorrisos, fotos e muito carinho. Cansados, mas eufóricos, retornamos ao hotel Caesar para o jantar e um merecido descanso, porque amanhã tem mais.

Todas as noites, Marcia nos passava o horário da saída no dia seguinte, dessa vez veio o aviso, levantar cedinho e de malas prontas, pois era a nossa última noite em Tiberias.

Amanhã 11 de junho de 2018, será um novo dia e mais um novo caminhar de Tiberias a Jerusalém eu estarei nesse novo caminhar. Vamos juntos?

[Comente este Post]

Postado por Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas
15/7/2018 às 10h53

 
PRESSÁGIOS. E CHAVES IV

Na minha rua morava o adivinho,
contando estórias de oceanos e barcas.
Olhando o céu, ele dizia o futuro.
Leques de palmas. Carruagens de sol.
Sob os astros, era eu personagem das visões.
Sob os astros, meu corpo tornou-se alvo da guerra.
Ante a proa dos couraçados, trancava-se a casa.
Fechava-se o dia. Enclausurava-se a vida.

Dividindo a cena, a esquiva do olhar.

O mago previa a passagem dos cometas.
E as coisas que eu já sabia de mim.

(Do livro Travessias)

[Comente este Post]

Postado por Blog da Mirian
14/7/2018 às 10h02

 
Shomin-Geki, vidas comuns no cinema japonês

Tendo como grandes nomes os diretores Mikio Naruse e Yasujiro Ozu o Shomin-Geki surgiu a partir do estilo Gendai-Geki, que trazia uma visão moderna da civilização e da cultura japonesa. Já partindo para o Shomin-Geki, os diretores trouxeram enredos mais próximos da população japonesa, explorando histórias vividas pela classe baixa. Porém, tanta simplicidade impedia que filmes nesse estilo chegassem a grandes públicos, embora fossem muito populares no Japão durante os anos 30, sua simplicidade, muitas vezes, poderia ser monótona, com cenas longas ou lentas, muitas vezes focando edifícios para que o espectador possa apreciar o lugar.

Nos últimos dias o Centro Cultural São Paulo tem exibido filmes na mostra “Shomin-Geki Cinema, a família segundo Ozu, Naruse e Kore-eda”, que reúne filmes de diretores consagrados, como os mencionados, e novos diretores, como Miwa Nishikawa. Confesso que não conhecia esse movimento do cinema japonês, já tinha assistindo alguns filmes mais recentes do Kore-eda, devido ao meu interesse na cultura japonesa em geral, mas nem imaginei que havia algum segmento. Fui assistir ‘O Que Eu Mais Desejo’ (Kiseki, 2012), de Hirokazu Kore-eda, onde o diretor nos apresenta dois lados da vida, através de dois irmãos que vivem distantes depois da separação dos pais. O mais velho vive com a mãe em um lado da ilha Khyusu, enquanto o mais novo, do outro lado da ilha, mora com o pai. Enquanto o mais novo vive de uma maneira quase independente, o mais velho anseia em unir sua família novamente, embora esse desejo pareça improvável, sua esperança aumenta ao ouvir, na escola, que um desejo formulado no cruzamento de dois trens em alta velocidade se realiza. Então sua jornada começa e toma a atenção do espectador, com uma busca tão sincera no desejo de uma criança, sendo descrita com a simplicidade e sutileza que só poderia ser atingida por Kore-eda.

A mostra “Shomin-Geki Cinema, a família segundo Ozu, Naruse e Kore-eda” vai até o dia 14 de julho e terá mais uma sessão de “O Que Eu Mais Desejo”, além de “Pais e Filhos” (2013), “Era uma Vez em Tóquio” (1953) e alguns outros, e a entrada é gratuita.

[Comente este Post]

Postado por A Lanterna Mágica
11/7/2018 às 21h00

 
Con(fusões)

Luz com luz
Vento com vento
Água com água

Imperceptível(mente)
Fundem-se num
Só corpo

Assim como
A palavra e a coisa
A coisa e a palavra

Razão e espírito
O verbo e o corpo
Tal consta
Em antiquíssimo
Preceito bíblico

Água com água
Entre tapas

Vento com vento
entre assobios

Luz com luz
Ante o choque
De reflexos

Assim como
Numa peleja
De facas
Mas, sobretudo
Em silêncio

Onde se estampa
No inconfundível
Brilho logo
Abaixo de
Teus cílios

[Comente este Post]

Postado por Metáforas do Zé
6/7/2018 às 10h36

 
A passos de peregrinos l

Quando o meu filho e nora, Rafael e Rafaela, nos convidaram para fazer os caminhos de São Francisco de Assis e da Terra Santa, juro que hesitamos em confirmar nossa disponibilidade para a empreitada.

A viagem é muito longa, cansativa, ponderávamos juntos. Nosso filho vez por outra insistia. Vai ser bom para o crescimento espiritual, aprendizagem cultural, intelectual e novas amizades. Concordamos com seus argumentos e decidimos desbravar os novos caminhares, até então desconhecidos.

A primeiro de junho de 2018, acordamos muito cedo e o nosso filho Renato, nos levou até o aeroporto Santos Dumont. Lá já nos esperava a sogra dele, Mariângela, Incentivada pela Mayre, minha esposa, disponibilizou-se a se aventurar conosco pelas veredas da fé.

Partimos com destino a Guarulhos, São Paulo, onde se daria o encontro com o Rafael e a Rafaela, seus pais e todos os demais peregrinos vindos de Ourinhos, São Paulo e de Venâncio Aires, Rio Grande do Sul.

Seguiram-se as apresentações de praxe. Cleiton da Praxis, nos apresentou a Márcia (acompanhante extraordinária) e os demais participantes, ainda desconhecidos para todos nós. Me chamaram a atenção os dois padres, um por estar vestido a caráter dos pampas gaúcho, o outro pela descontração demonstrada. Padres Aldo e Antonio respectivamente.

Em torno das 13h:30 da sexta feira, levantamos voo com destino a Roma. As 07h:00 do sábado, no horário de Roma, com um fuso horário de 5 horas a mais, com relação ao Brasil, pisamos em solo Italiano. Após os costumeiros trâmites de praxe no aeroporto, nos juntamos à guia italiana, uma brasileira há 13 anos na Itália, Mari de Mariângela, sem palavras para defini-la.

Sob a sua batuta, tomamos o ônibus e seguimos em direção a Assis, nosso primeiro destino. O grupo como um todo já não nos parecia estranho, tomava contorno de uma família numerosa, que há muito não se via. Cantos, orações e conversas cada vez mais nos unia, nos aproximava e eu, ainda receoso murmurava vamos que vamos...

Entramos pela região da Úmbria, cansados e sonolentos, conhecemos a Catedral de Orvieto, “O Duomo di Orvieto”, dedicada a Virgem Maria, uma construção gótica iniciada em 1290, prolongando-se até a segunda metade do século XVl. Algumas obras dessa Catedral alongou-se até o século XVlll.

Visitamos ainda nesse primeiro dia a Basílica de Santa Maria dos Anjos, (Porciúncula), ou santa Maria degli Angeli, de estilo barroco, uma basílica papal, construída de 1569 a 1679. Considerada o local mais sagrado para os franciscanos. Nela são Francisco renunciou ao mundo para viver na pobreza. Nela destaca-se a preservação do local onde ele faleceu, tendo o chão por cama e uma pedra por travesseiro.

Nos dias que se seguiram, outras visitas foram feitas a lugares dedicados a São Francisco de Assis e a outros Santos. Nosso guia espiritual, padre Aldo, puxava as orações junto ao padre Antonio, os cantos eram ministrados pelo incansável Olívio, Rafaela, André e Maria Josete. As missas ministradas pelo guia espiritual, que ao final de cada celebração dizia: Senhor eu creio, mas aumentai a minha fé.

Fomos a Basílica de São Francisco de Assis. A igreja-mãe da ordem franciscana, e um patrimônio da humanidade. Visitamos ainda o monte Alverne ou monte della Verna, o Santuário della Verna, marca o local onde ele recebeu os estigmas de Cristo. Fomos ao monte Subásio “Eremo delle Carceri”, onde por entre os bosques são Francisco de Assis meditava, junto aos irmãos da ordem.

Visitamos também a casa onde ele nasceu, onde morou e foi aprisionado pelo pai, por sua rebeldia segundo eles a época. Visitamos a igreja dedicada a santa Clara (Chiara), conhecida como Abadessa, ou seja mãe de todos. Conhecemos ainda diversos pontos históricos e culturais da cidade de Assis.

Na despedida de Assis, conosco levamos a brisa suave que soprava as folhas das arvores, os cantos dos pássaros inseridos no alto das copas, assim como aquela pombinha branca que fez seu ninho sobre as mãos da imagem do indiscutível senhor das aves, segundo nos contam em sua história. No silêncio de minhas meditações pedia: São Francisco de Assis, zelai por nós em todos os nossos caminhares.

Aos 4 dias do mês de junho, quando deixamos o Grand Hotel e seguimos em direção a cidade de Cássia. Padre Aldo inicia a oração do dia, ao término, padre Antonio e Olívio seguidos por todos, entoam um canto maravilhoso, como se fosse um coral, que a muito tempo vinham ensaiando. Notava-se não ser apenas aquele grupo inicial, mas uma nova família, que em pouco tempo se instituiu. Após algumas horas por entres vales e montanhas, adentramos a cidade, visualizando a torre do Santuário de Santa Rita de Cássia.

Uma cidade encravada sobre uma região montanhosa, a basílica e o mosteiro são destaques aos que visitam Cássia.

Conta a história que Rita de Cássia, mulher de muita fé e fibra, era casada com um homem de histórico duvidoso no mundo do crime. Teve dois filhos que após a morte do marido, também enveredaram por caminhos errados e terminaram sendo mortos por seus comparsas. Ela ficou sozinha e procurou entrar para um convento. Nesse, a superiora não admitiu a sua presença junto à ordem da congregação. Após muitas tentativas, todas sem sucesso, sendo o mosteiro totalmente fechado, sem acesso aos externos, determinado dia, Rita de Cássia postou-se em meio ao coral, quando do ensaio.

Após esse feito, permitiu-se que ela ali permanecesse. Atribuíram-lhe todo o serviço pesados do monastério. Mas o que ela queria mesmo era usar o hábito, comum as freiras dali. A superiora lhe entregou um graveto seco de videira dizendo-lhe: no dia que este galho criar folhas lhe concederei a vestimenta que tanto você quer. Ironizando-a, como a dizer nunca lhe será dado. Rita de Cássia, fincou o galho no solo do pátio do mosteiro e todo dia molhava o galhinho seco.

Certo dia percebeu que uma folhinha muito verde tinha brotado do galho. Ela chamou a superiora para mostrar. Essa diante desse feito não tinha como lhe negar o hábito ou a vestimenta da congregação. Após mais de 400 anos, a videira encontra-se viva e robusta, para quem quiser vê. Vi ao vivo e acreditei, seu tronco parece o de uma árvore muito envelhecida, mas também muito firme. Um pouco da história dessa santa nos acompanhará vida a fora.

Após a missa celebrada por padre Aldo em uma das capelas da Basílica, fomos orar no altar, onde encontra-se o corpo incorrupto de Santa Rita de Cássia, visível para qualquer devoto e visitante.

Almoçamos num restaurante de Cássia e partimos em direção a Cidade de Roma. Durante esse trajeto, padre Aldo convocou o peregrino Arno, para fazer uma leitura bíblica, observei que este tinha em sua companhia um bíblia da qual não se separava instante algum. De pronto fez uma belíssima leitura, que a família peregrina o acompanhava nas respostas, quando solicitados e oportuno.

A nossa chegada a Roma, concretizou-se com a visita ao Coliseu Romano e as muralhas da Roma Antiga, as pilastras onde era erigido o templo a deusa Vênus, entre outros monumentos e ruas romanas. Após essa bravura dos peregrinos, capitaneados por nossa guia Mari, fomos ao merecido repouso no Hotel Universo.

No nosso quinto dia de peregrinação, visitamos a Basílica de Santa Maria Maior, obra primorosa, uma das quatros Basílicas maiores e uma das sete igrejas de peregrinação, sendo essa a maior igreja mariana de Roma. Sua fachada está de frente para Piazza Santa Maria Maggiore. A sua construção teve início em 432, consagrando-se no século V. Foi a primeira igreja do Ocidente dedicada ao culto da Virgem Maria, mãe de Jesus. A caminho para essa visita, comemoramos o aniversário da Maria Antonio, era 5 de junho de 2018. Cantamos parabéns e toda a família a cumprimentou com um abraço.

Visitamos também a Basílica papal de São Paulo Extramuros – San Paolo Fuori le Mura; uma obra majestosa, um acervo de pinturas maravilhoso, sua construção teve início e término no século lV. Ela é uma das quatros Basílicas papais de Roma, juntamente com a Basílica de São João de Latrão, a Basílica de Santa Maria Maior e a Basílica de São Pedro. Sua fachada está no estilo de uma edição neoclássica. Ela fora destruída e reconstruída, sua nave dispõe de oitenta colunas, como a original constantinopolitana.

Ainda nesse dia visitamos as Catacumbas de Roma, catacombe di Roma, segundo o nosso guia, se enfileirados os corredores, alcançariam 13 quilômetros de extensão. Uma estrutura sob o solo romano, atingindo profundidades respeitáveis, no fundo desses corredores sopra um vento gélido e suscetível de mistério. Senti certo pavor de ali está, lembrando de quantos morreram em suas construções, bem como os que ali foram enterrados, por se manterem e afirmarem sua fé em Jesus Cristo.

O ar de mistérios das catacumbas nos revelam a pureza e a veemência que tiveram os primeiros seguidores cristãos. Esses embora violentados mantiveram-se fiéis aos seus princípios religiosos. Ali foram enterrados os santos católicos tais como: São Sebastião, São Calixto, Domitila, Priscila, Santa Inez, Santa Cecilia, entre outros.

Professamos nossa fé através da missa ministrada por padre Aldo, no interior de um dos corredores das catacumbas, a uns 60 metros de profundidade, em uma capela encravada na pedra e onde está o tumulo de um Papa, cujo nome não consegui lembrar. Oramos por todas as almas dos corpos que por ali passaram e os que lá ainda se encontram. Fiquem na paz do Senhor Jesus Cristo.

Nesse mesmo dia à noite, passeamos pelas ruas de Roma, praças e monumentos, contemplando a luminosidade dos recantos pitorescos dessa histórica cidade. Visitamos o pantheon romano, a Fontana di trevi, entre tantos outros recantos aplausíveis na noite de Roma.

Ao sexto dia em terras italianas, não seria perfeito se não fossemos ao Vaticano. Seis de junho uma quarta-feira, dia de audiência papal, com sua santidade o Papa Francisco. Frente a frente com ele, creio que fomos privilegiados pelo conhecimento da nossa guia Mari, a quem agradeço por tudo, e também por interseção dos pedidos da família peregrina e por certo pelas orações do nosso guia espiritual. Naquela multidão de visitantes, fez-me lembrar da histórica torre de Babel, um único objetivo e diversas línguas e nações.

Visitamos os Jardins do vaticano e logo em seguida adentramos na Basílica de São Pedro, um patrimônio das gerações, uma beleza imensurável, a nave principal e as suas laterais formando um conjunto de salas trabalhadas por mãos de artistas inspirados no divino.

Ela é a maior igreja do cristianismo, sua construção foi ordenada pelo Imperador Constantino. Nada dessa Basílica porém, sobrou para os dias atuais, a Basílica original foi derrubado no século XVl a mando do Papo Julio ll, mas ela foi reconstruída, graças as informações obtidas em fontes arqueológicas e desenhos antigos. A basílica atual foi consagrada pelo Papa Urbano Vlll.

Ainda dentro do Vaticano, visitamos o Museu e suas obras de arte sacra, em mármore, madeiras, pinturas em tapetes, bronzes e diversos outros metais e materiais indecifráveis a primeira vista. A Capela Sistina com os seus afrescos, concebidos por Michelangelo entre 1508 a 1512. Simplesmente inspiração além do decifrável.

A tardinha dessa quarta-feira, saciados com o conhecimento cultural e alimentados pela absolvição da fé e da renovação espiritual, voltamos ao hotel Universo. Nesse ainda houve a tarde com chimarrão. Evento proporcionado pelo padre Aldo no decimo segundo pavimento do hotel, extensivo a todos os peregrinos dessa nova família.

Comemorar a semana, o dia e o futuro da nossa caminhada. Felicitar os irmãos e irmãs peregrinos na certeza de que o amanhã será um novo dia, um novo caminhar, uma nova terra, conhecida como a terra santa. A terra do Cristo Jesus.

Rio,25/06/2018
Feitosa dos Santos

[Comente este Post]

Postado por Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas
2/7/2018 às 14h57

 
Ocaso

Apesar
das

7 cores
7 notas
7 chaves

o
acaso
do
acaso
é
a
causa
dos
acasos

[Comente este Post]

Postado por Metáforas do Zé
1/7/2018 às 11h28

 
PRESSÁGIOS. E CHAVES I

Pesadelo? Ou rumor da noite obsedada
pelo vento? E aquela substantiva imagem
dos fantasmas engolindo a casa. E emperrando
as chaves. À luz do dia, as portas cerraram-se
sob a tempestade, sufocando telhado
e paredes. Ao fogão, desceram
ameaças de estranho augúrio
a extinguir o fogo.

Matando a fome de pão, a sede das águas.

Dentro da mala, autogerava-se o mar
conduzindo a trégua, possível.

(Do livro: Travessias)

[Comente este Post]

Postado por Blog da Mirian
30/6/2018 às 11h42

Mais Posts >>>

Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




WICCA JÁ NÃO SE FAZEM MAIS BRUXAS COMO ANTIGAMENTE!
EDDIE VAN FEU
LINHAS TORTAS
(2012)
R$ 38,00



O MONGE E O EXECUTIVO
JAMES C. HUNTER
SEXTANTE
(2004)
R$ 11,54



O GAROTO QUE SEGUIU RIPLEY
PATRICIA HIGHSMITH
BRASILIENSE
(1988)
R$ 15,00



REVISTA NINTENDO WORLD--76--PRINCE OF PERSIA WARRIOR WITHIN.
CONRAD
CONRAD
R$ 22,00



BOX CONECTE MATEMÁTICA VOL. 1 - ENSINO MÉDIO
GELSON IEZZI
SARAIVA
(2011)
R$ 149,90



VENTO SUDOESTE - 2ª EDIÇÃO - 1ª REIMPRESSÃO
LUIZ ALFREDO GARCIA-ROZA
COMPANHIA DAS LETRAS
(2002)
R$ 15,00



GAROTAS DA RUA BEACON - VIAGENS INESQUECÍVEIS - A AVENTURA RADICAL DE AVERY
ANNIE BRYANT
FUNDAMENTO
(2013)
R$ 41,00



CRÔNICA DE UMA ILHA VAGA
NORIAN SEGATTO
LIMIAR
(2011)
R$ 19,60



A OFENSIVA REACIONÁRIA
NELSON WERNECK SODRÉ
BERTRAND BRASIL
(1992)
R$ 25,00



A CIDADES E AS SERRAS
EÇA DE QUEIROZ
GARNIER
(2018)
R$ 15,00




>>> A Lanterna Mágica
>>> Abrindo a Lata por Helena Seger
>>> Blog belohorizontina
>>> Blog da Mirian
>>> Blog da Monipin
>>> Blog de Aden Leonardo Camargos
>>> Blog de Alex Caldas
>>> Blog de Ana Lucia Vasconcelos
>>> Blog de Anchieta Rocha
>>> Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ
>>> Blog de Angélica Amâncio
>>> Blog de Antonio Carlos de A. Bueno
>>> Blog de Arislane Straioto
>>> Blog de CaKo Machini
>>> Blog de Camila Oliveira Santos
>>> Blog de Carla Lopes
>>> Blog de Carlos Armando Benedusi Luca
>>> Blog de Cassionei Niches Petry
>>> Blog de Cind Mendes Canuto da Silva
>>> Blog de Cláudia Aparecida Franco de Oliveira
>>> Blog de Claudio Spiguel
>>> Blog de Dinah dos Santos Monteiro
>>> Blog de Eduardo Pereira
>>> Blog de Ely Lopes Fernandes
>>> Blog de Enderson Oliveira
>>> Blog de Expedito Aníbal de Castro
>>> Blog de Fabiano Leal
>>> Blog de Fernanda Barbosa
>>> Blog de Geraldo Generoso
>>> Blog de Gilberto Antunes Godoi
>>> Blog de Haelmo Coelho de Almeida
>>> Blog de Hector Angelo - Arte Virtual
>>> Blog de Humberto Alitto
>>> Blog de Isaac Rincaweski
>>> Blog de João Luiz Peçanha Couto
>>> Blog de JOÃO MONTEIRO NETO
>>> Blog de João Werner
>>> Blog de Joaquim Pontes Brito
>>> Blog de José Carlos Camargo
>>> Blog de José Carlos Moutinho
>>> Blog de Kamilla Correa Barcelos
>>> Blog de Lourival Holanda
>>> Blog de Lúcia Maria Ribeiro Alves
>>> Blog de Luís Fernando Amâncio
>>> Blog de Marcio Acselrad
>>> Blog de Marco Garcia
>>> Blog de Maria da Graça Almeida
>>> Blog de Nathalie Bernardo da Câmara
>>> Blog de onivaldo carlos de paiva
>>> Blog de Paulo de Tarso Cheida Sans
>>> Blog de Raimundo Santos de Castro
>>> Blog de Renato Alessandro dos Santos
>>> Blog de Rita de Cássia Oliveira
>>> Blog de Rodolfo Felipe Neder
>>> Blog de Sonia Regina Rocha Rodrigues
>>> Blog de Sophia Parente
>>> Blog de suzana lucia andres caram
>>> Blog de TAIS KERCHE
>>> Blog de Thereza Simoes
>>> Blog de Valdeck Almeida de Jesus
>>> Blog de Vera Carvalho Assumpção
>>> Blog de vera schettino
>>> Blog de Vinícius Ferreira de Oliveira
>>> Blog de Vininha F. Carvalho
>>> Blog de Wilson Giglio
>>> Blog do Carvalhal
>>> Blog Feitosa dos Santos - Prosas & Poemas
>>> Blog Ophicina de Arte & Prosa
>>> Cinema Independente na Estrada
>>> Consultório Poético
>>> Contubérnio Ideocrático, o Blog de Raul Almeida
>>> Cultura Transversal em Tempo de Mutação, blog de Edvaldo Pereira Lima
>>> Escrita & Escritos
>>> Eugênio Christi Celebrante de Casamentos
>>> Ezequiel Sena, BLOG
>>> Flávio Sanso
>>> Fotografia e afins por Everton Onofre
>>> Impressões Digitais
>>> Me avise quando for a hora...
>>> Metáforas do Zé
>>> O Blog do Pait
>>> O Equilibrista
>>> Relivaldo Pinho
>>> Ricardo Gessner
>>> Sobre as Artes, por Mauro Henrique
>>> Voz de Leigo

busca | avançada
42961 visitas/dia
922 mil/mês