As Duas Amantes | Contubérnio Ideocrático, o Blog de Raul Almeida

busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Lobato e os amigos do Brasil
>>> A Promessa da Política, de Hannah Arendt
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Luciano do Valle (1947-2014)
>>> Por que as velhas redações se tornaram insustentáveis on-line
>>> Ação Social
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
>>> Pensando sozinho
Mais Recentes
>>> A Herdeira da Morte de Melinda Salisbury pela Fantastica Rocco (2016)
>>> Uma Gentileza por Dia de Orly Wahba pela Benvira (2017)
>>> Eu sou as Escolhas que Faço de Elle Luna pela Sextante (2016)
>>> Coroa Cruel - Série a Rainha Vermelha de Victoria Aveyard pela Seguinte (2016)
>>> Sade em Sodoma de Flávio Braga pela BestSeller (2008)
>>> Curso de Filosofia em Seis Horas e Quinze Minutos de Witold Gombrowicz pela José Olympio (2011)
>>> O pequeno Principe de Antoine de Saint Exupery pela Agir (2009)
>>> Zoloé e Suas Duas Amantes de Marquês de Sade pela Record (1968)
>>> Expressões Diante do Trono de Ministério de Louvor Diante do Trono pela Diante do Trono (2003)
>>> A separação dos amantes - uma fenomenologia da morte de Igor Caruso pela Cortez (1989)
>>> Os Titãs / A Saga da Família Kent (Volume V) de John Jakes pela Record/ RJ.
>>> A Universidade em Ritmo de Barbárie de José Arthur Giannotti pela Brasiliense (1986)
>>> A Mulher Só de Harold Robbins/ (Tradução) Nelson Rodrigues pela Record/ RJ.
>>> Dependência e desenvolvimento na América Latina - ensaio de interpretação sociológica de Fernando Henrique Cardoso e Enzo Faletto pela Zahar (1970)
>>> Tubarão de Peter Benchley pela Nova Cultural (1987)
>>> O Titã de Fred Mustard Stewart pela Record
>>> O Beijo da Mulher Aranha de Manuel Puig pela Codecri/ RJ. (1981)
>>> A Traição de Rita Hayworth/ Capa Dura de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1993)
>>> Boquitas Pintadas/ Capa Dura de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1988)
>>> Kit De Estudo Para Concursos: Só concursos (3 CDs + Folheto) + Guia do Concurseiro + Redação para Concursos de Equipe Mundial Editorial pela DCL - difusão cultural do livro (2016)
>>> Numa Terra Estranha de James Baldwin pela Rio Gráfica (1986)
>>> 1934 de Alberto Moravia pela Rio Gráfica (1986)
>>> Mil Platôs Vol. 1 de Gilles Deleuze e Félix Guattari pela 34 (2011)
>>> A Menina que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrínseca/RJ. (2007)
>>> Mil Platôs Vol. 2 de Gilles Deleuze e Félix Guattari pela 34 (2011)
>>> Mil Platôs Vol. 3 de Gilles Deleuze e Félix Guattari pela 34 (2012)
>>> Ajin - Demi-Human #01 de Gamon Sakurai pela Panini (2016)
>>> Ajin - Demi-Human #02 de Gamon Sakurai pela Panini (2016)
>>> Ajin - Demi-Human #03 de Gamon Sakurai pela Panini (2016)
>>> Incendio de Troia (capa dura couro) de Marion ZimmerBradley pela Circulo do Livro/ SP. (1994)
>>> Ajin - Demi-Human #04 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #05 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #06 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #07 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #08 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #09 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Nova Cultural (1987)
>>> Ajin - Demi-Human #10 de Gamon Sakurai pela Panini (2018)
>>> Ajin - Demi-Human #11 de Gamon Sakurai pela Panini (2018)
>>> Estratégia da Decepção de Paul Virilio pela Estação Liberdade (2000)
>>> Ajin - Demi-Human #12 de Gamon Sakurai pela Panini (2019)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1989)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Codecri (1981)
>>> Fort of Apocalypse #10 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Codecri (1981)
>>> Fort of Apocalypse #09 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> Fort of Apocalypse #08 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> Festa Sob as Bombas - Os Anos Ingleses de Elias Canetti pela Estação Liberdade (2009)
>>> Fort of Apocalypse #07 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> Fort of Apocalypse #06 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
BLOGS >>> Posts

Quarta-feira, 6/5/2015
As Duas Amantes
Raul Almeida

+ de 700 Acessos

Afinal, temos um destino traçado de forma gentil ou implacável? Suave ou dolorosa? As coisas vão acontecendo ou o livre arbítrio estabelece as derivas da nossa vida? Pensava no assunto quando encontrei um velho conhecido, quase amigo, freqüentador dos mesmos lugares dos tempos em que tinha vasta cabeleira, perfil esguio, sorriso de trinta e seis dentes e a confiança dos últimos anos "inta". Logo após as efusivas saudações de praxe, o forte abraço, a troca das frases e as indagações comuns a estes momentos, comentei ironicamente, a cor dos seus cabelos, recebendo uma resposta inusitada e rápida:

-Não pinto os cabelos não! Imagine! Eles sempre foram desta cor. Você deve lembrar-se. Só diminuíram de volume, mas a cor, sempre foi a mesma. Bem, eu corrijo o tom de três em três semanas. Mas pintar é outra coisa, pintar é trocar de cor. É coisa de boiola ou artista. Eu só faço uma correção periódica.

Fiquei surpreso com o artifício semântico que o eximia da eventual culpa por vaidade excessiva, ou a revelação de alguma tendência a polivalência erótica. A verdade é que o encontro nos agradou reciprocamente e a primeira providência foi esquecer as responsabilidades imediatas, procurando um bar aonde pudéssemos por as conversas em dia. Falamos das alegrias passadas, dos excessos, das farras e bebedeiras, atualizamos o obituário dos amigos, comentamos as mulheres, as amigas e procuramos recontar cada um daqueles momentos que mais marcaram as nossas lembranças.

-Foram dias e noites memoráveis!

Repetíamos ao fim de cada uma das historias relembradas e recontadas com o máximo de nomes e detalhes

Depois ensaiamos alguma seriedade, procurando recompor os registros das nossas próprias vidas. O que é que estávamos fazendo ou o que fizemos de sério até este encontro tão inesperado.

Comentei a minha vida em poucas pinceladas. Seguia firme com o mesmo e indestrutível casamento, agora com os filhos independentes e os netos crescidos. Falei da carreira profissional terminada e sepultada por camadas de outros interesses, pelo meu gosto pela literatura, pelas artes plásticas, pela pintura e pela música. Comentei, igualmente, a minha peregrinação pelas idéias mais complexas, lendo muito sobre filosofia, religião, ocultismo, lógica aristotélica etc.

Ele ficou ouvindo tudo com atenção e vez por outra, alguma surpresa. Não sabia, por exemplo, que eu estudara musica quando jovem e nem imaginava que alguém daquela turma se interessasse por filosofia ou mesmo literatura. Achava que éramos todos mais alegres e menos complicados do que estes assuntos.

Argumentei que não havia nenhuma sisudez ou tristeza no conhecimento. Completei a minha atualização cadastral confidenciando a vontade de escrever um romance. Uma historia que pudesse sensibilizar e transferir as minhas observações e experiência de vida, para um público maior do que a minha própria memória. Ele, sorrindo, apoiou minha pretensão e ainda reforçou com elogios à minha diversidade de interesses, mencionando uma inteligência que não ousei reconhecer.

Depois foi a sua vez. Logo de cara, fez uma confissão que, se não fosse pelo nosso passado de boemia, até poderia surpreender. Tive a impressão que quis impressionar-me, provocar espanto, inveja, admiração. Coisa que rapazes fazem quando contam suas bravatas e aventuras, invariavelmente, aumentadas nos grupos de esquina ou nas rodas de bar.

-Tenho duas amantes! Começou sua fala, pigarreando e pedindo um "café com leite", coisa daqueles tempos. Estávamos no quinto chope e agora era a hora de rebater com a batida de amendoim.

-Pois é, casei e descasei um monte de vezes. Nada oficial, mas acabei arranjando uma filha com uma daquelas namoradas da antiga... As coisas são assim. Depois, morei cinco anos com aquela advogada, lembra? Uma que tinha mania de ir à praia toda maquiada, com um chapelão de palha, fazendo tipo Jane Mansfield.

-Lembro sim. Lembro até quando vocês se atracaram num carnaval lá no baile do Sírio.

-É, é essa mesmo.

Depois me juntei com uma outra que morava em São Bernardo. Era professora de latim, dava aula de religião, tinha mania de freqüentar grupos de oração e não durou muito. Depois que a paixão passou, a vida virou um inferno. A mulher dizia que queria me recuperar, me transformar pela leitura das escrituras, uma coisa maluquíssima. Você pode imaginar. Eu que nunca tive cachorro, horta e naquele tempo nem filho, tendo que aturar uma doida dessas.

Um dia arrumei a mala, sai porta fora. Fiquei dois anos morando em Portugal e depois mais um na Itália. Quando voltei, ela tinha se casado, tinha filho e não queria nem imaginar que eu existi em sua vida. Deu certo. E assim foi.

Tive amigações com umas bem demônias, e com outras menos, aquelas coisas. Ah, falei que tenho uma filha. Pois bem, foi muito complicado, pois eu não acreditei que era minha e aí, já sabe, foi uma batalha. Depois que ficou provado, eu entendi que a menina não tinha culpa da imbecilidade da mãe e do pai.

Tratei de reconhecer e agora somos amigos. Ela está com vinte e um anos, tem uma cabeça ótima, está fazendo faculdade e, bem, menos mal, vai ser uma pessoa feliz. Apesar dos pais.

-Bem, depois desses casos todos você ainda arruma duas ao mesmo tempo? Que coragem. É gostar de confusão mesmo.
-Pois é, e você nem imagina o que eu vou te dizer agora: São irmãs gêmeas!

-O que? Este é o sonho de consumo de qualquer espada. Imagine só, gêmeas gostando do mesmo canalha! Você se superou. Mas é assim mesmo? As duas sabem uma da outra? Como é que é esse papo?

-Sabem, gostam e combinam para me atormentar de vez em quando. É uma relação à la cinema italiano dos anos 50.
-Então é barra pesada mesmo.

-É sim. A gente curte muito. Têm vezes que ficamos dias sem sair de casa, agarrados os três, firmes, num abraço de polvo com tamanduá. Outras vezes eu me mando, saio fora, agradeço aos santos, vou pescar na Bertioga, vou para o Rio andar de barca até Niterói, tomo umas, encontro um pessoal, queimamos as saudades, aquelas coisas.

Passa um tempo e elas chegam de novo. Muitas vezes estou desenhando, e aí não saem do meu lado. Fico dias desenhando e elas ali. Quando o surto é literário, vez por outra aparecem. Ficam rondando, sugerindo assuntos, querendo trocar frases inteiras, declamam, rabiscam papeis. São duas crianças infernais. Duas criaturas estranhas. Adoram estimular minha memória, buscando momentos específicos do meu passado.

Fico atordoado com certas atitudes, coisas que poderiam ser evitadas e não foram. Muitas vezes parecem saber de tudo. Pegam um objeto, uma data, um livro com uma dedicatória, uma foto e eu desabo. Despenco no vazio do inferno. Depois vão embora, sem olhar para trás. Ah, recentemente estiveram em casa. Foi jogo rápido. Agosto é um mês cheio de datas que remetem a muita coisa. Uma delas tem mania de horóscopo, astrologia, signos, e sempre que aparece, diz que é influencia de saturno em quadratura com urano, ou que plutão está retrogrado ou mesmo que marte invadiu a minha casa astral... Vê se pode, em pleno século vinte e um, ainda tem gente com essa conversa.

Fiquei calado, escutando e imaginando como seriam as duas mulheres. Em seguida perguntei:

-Que idade tem? Como é que são? Pelo menos devem ser bem bonitas. Neste quesito você sempre foi muito exigente... Ele sorriu, chamou o garçom, pediu mais dois chopes, um "café com leite" e respondeu:

- O Vinicius de Moraes já falou sobre a necessidade de serem sempre bonitas, com o perdão das feias... Elas são muito firmes, fortes, tem personalidade, tem argumentação e agilidade mental, uma capacidade de persuasão absurda. Não são tão jovens como deveriam, mas tem a carne dura, firme, a musculatura sarada, um olhar fatal, impiedoso, atraente e mórbido. São ao mesmo tempo, estridentes e suaves.
-Como se chamam? Insisti.

-Como se chamam?Ah... Dê e Prê ... São.
Demorei a entender. Ficamos um tempo em silêncio e, depois de um sinistro coro de gargalhadas, fomos comentar os resultados do futebol e o valor da mega-sena.



Postado por Raul Almeida
Em 6/5/2015 às 11h30


Mais Contubérnio Ideocrático, o Blog de Raul Almeida
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




GEOGRAFIA O HOMEM NO ESPAÇO GLOBAL
ELIAN ALABI LUCCI
SARAIVA
(2001)
R$ 9,00



UMA NOTA ERRADA - LIVRO 2 - ( NOVA ORTOGRAFIA )
GORDON KORMAN
ÁTICA
(2011)
R$ 18,90



PALAVRA É ARTE
GILBERTO MARTINS
CULTURA
(2010)
R$ 20,00



AMADEU AMARAL
PAULO DUARTE
HUCITEC SCET CECE
(1976)
R$ 15,00



EL DORADO COLEÇÃO AMÉRICAS
FRANCISCO VAZQUEZ
TEOREMA
(1991)
R$ 31,70



CELEIRO DE BÊNÇÃOS - 1ª ED.
DIVALDO P. FRANCO / JOANNA DE ANGELIS
LIVARIA ESPÍRITA ALVORADA
(1974)
R$ 12,00



PEDRO PEDRA
GUSTAVO BERNARDO
ROCCO
(2010)
R$ 10,00



O HOMEM QUE SE TORNOU DEUS
GERALD MESSADIE
BEST SELLER - CIRCULO DO LIVRO
R$ 13,40



A CAUSA PENTENDI E O CONTRADITÓRIO
JUNIOR ALEXANDRE MOREIRA PINTO
REVISTA DOS TRIBUNAIS/ SP.
(2007)
R$ 61,90



DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO
SERGIO PINTO MARTINS
ATLAS
(2011)
R$ 45,00





busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês