Ana Luiza e Luis Felipe Gama: bela parceria | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Livro beneficente ensina concurseiros a superar desafios e conquistar sonhos
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Queen na pandemia
>>> A história do Olist
>>> Kubrick, o iluminado
>>> Mr. Sandman
>>> Unchained by Sophie Burrell
>>> Reflexões na fila
>>> Papo com Alessandro Martins
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
Mais Recentes
>>> A Ciência Médica de House de Andrew Holtz pela Best Seller (2008)
>>> Três Mistérios de Lelis; Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual Didáticos (2009)
>>> Cure Seu Corpo as Causas Mentais dos Males Físicos... de Louise L. Hay pela Best Seller (1988)
>>> Vinho Tinto para Leigos de Ed Maccarthy pela Mandarim (1998)
>>> Os Direitos Humanos na Sala de Aula - a Ética Como Tema Transversal de Ulisses F. Araújo e Júlio Groppa Aquino pela Moderna (2001)
>>> Radiologia Odontologica de Aguinaldo de Freitas e Outros pela Arte Medicas (1984)
>>> Infinity da Scorlatti de John Mcnally pela Irado (2014)
>>> Quero Viver de Fernando Carraro; Lima pela Ftd (2007)
>>> Vale a Pena Esperar de Tim Stafford pela Vida (1992)
>>> Além dos Marimbus de Herberto Sales pela Aché
>>> Conecte Matematica - 1 - Primeira Parte de Osvaldo Dolce; David Degenszajn; Nilze de Almeida pela Atual Didáticos (2014)
>>> Jack Sparrow - a Espada de Cortés Vol 4 de Rob Kidd pela Melhoramentos (2007)
>>> Mwninas e Meninos de Domingos Pellegrini pela Ática (2011)
>>> Out of This Century: Confessions of An Art Addict de Peggy Guggenheim pela Anchor Books (1980)
>>> Padre Germano- Memórias de Amalia Domingo Soler; Germano; Eudaldo Pages pela Instituto Lachatre (2011)
>>> Reflexoes politica-poeticas de Jose Olinto pela marx (2000)
>>> As Mil e uma Noites - as Paixões Viajantes de Rene Khawam pela Brasiliense (1991)
>>> Infância de Graciliano Ramos pela Folha de São Paulo (2008)
>>> Shanghai Girls de Lisa See pela Random House (2010)
>>> Larousse Ortografia de Reglas y 4ejercicios pela Larousse (1996)
>>> O Colecionador de Crespúsculos de Anna Maria cascudo Barreto pela Do Autor (2003)
>>> Law of Attraction de Allison Leotta pela Touchstone Books (2010)
>>> Truques, Trotes, Brincadeiras de Robert Nyberg; Lasse Rade pela Callis (1996)
>>> Sociedade dos Pais Mortos de Matt Haig pela Record (2011)
>>> Biologia para um Planeta Sustentável (em Portuguese do Brasil) de Armênio Uzunian pela Harbra (2016)
COLUNAS

Quarta-feira, 13/9/2006
Ana Luiza e Luis Felipe Gama: bela parceria
Rafael Fernandes

+ de 9100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Ana Luiza (voz) e Luis Felipe Gama (piano) são (mais) dois dos novos bons talentos a serem descobertos da nova música nacional. Têm como característica trabalharem com freqüência juntos; mais do que um participar de projetos do outro, parecem buscar uma real parceria musical. E não olham apenas para o próprio umbigo: em seus trabalhos também apresentam diversos outros bons talentos, sejam instrumentistas ou novos compositores. No começo de setembro fizeram show de lançamento de seu novo trabalho juntos, Linha D'Água, num Tom Jazz bastante cheio. Acompanhando-os estavam dois ótimos instrumentistas: Alberto Luccas (contrabaixo) e Sérgio Reze (bateria).

Linha D'Água teve sua maior parte gravada em 2001, com um registro adicional em 2002 e outro neste 2006. Mas só conseguiu ser lançado neste ano, mesmo, via Guanabara. São as dificuldades enfrentadas por quem procura fazer uma música um pouco, digamos, mais elaborada e sofisticada (o que não significa nem um pouco música chata ou "enjoada", diga-se), mas não só isso. O mercado da música está cada vez mais confuso, com novos formatos, novas formas de acesso, um quase infinito leque de opções de escolha. E, em geral, seja num mercado de massa ou até mesmo em muitos segmentos indies, o que se escolhe é o mais fácil e o do momento, muitas vezes até por uma questão de sobrevivência financeira, infelizmente. Outro "empecilho" (mas só para o mercado) é que o disco é propositalmente longo e praticamente não há pausa entre as músicas - elas quase que se entrelaçam. Isso pode ser um desafio para o "momento mp3" pelo qual passamos: o disco exige atenção do ouvinte e várias audições - quem tem paciência pra isso? Mas não significa que é um disco "difícil"; talvez até seja pelo tamanho, mas não pelas músicas, que são bastante palatáveis - e pensadas e executadas com muito apuro. O disco apresenta canções de Luis Felipe Gama - só ou em parcerias - e diversos outros compositores, alguns mais conhecidos como Renato Teixeira ("Amora"), Milton Nascimento e Márcio Borges ("Viola Violar"), Tom Jobim, Vinícius de Moraes e Chico Buarque ("Modinha/Retrato em Branco e Preto") e outros nem tanto, como Rodrigo Zaidan e Luciano Garcez ("Linha D'Água") e Juliana Amaral ("Primeiro Dia").

Inevitável fazer comparações entre o show e o disco. As músicas soaram melhor ao vivo e não há demérito algum nisso: é até normal, pois elas estão mais "redondas", já que - como dito anteriormente - a base do disco foi gravada em 2001; além disso, há a evolução musical dos dois, com destaque para Ana Luiza, com significativo amadurecimento. Novamente, isso não significa interpretação ruim no disco, muito, muitíssimo longe disso. Mas ver Ana Luiza ao vivo é fantástico, sua voz apresenta contornos e profundidade não tão evidentes em disco. E a apresentação começou num fôlego excelente, abrindo com a bela "Linha D'Água" (ainda mais intensa ao vivo), continuou com a deliciosa "Viola, Violar" e seguiu com "Juliana" (Luis Felipe Gama). Entre as músicas não presentes no disco, mas apresentadas no show, destaque para uma versão entre o lúdico e o apuro técnico de "Sonho Meu" (Yvonne Lara e Délcio Carvalho); a excelente "Dias de Amores" de Juliana Amaral, que, diga-se, é uma promissora compositora, apresentada também em Linha D'Água com outra ótima música, "Primeiro Dia"; e uma nova canção, ainda sem nome, com uma melodia bastante encrencada, que Ana Luiza (que dividiu com Marcelo Pretto o prêmio de Melhor Intérprete do Festival Cultura de 2005) tirou de letra, numa impressionante demonstração de apuro técnico.

Tanto no show como no disco um dos grandes destaques é a canção "Depois do Sonho", parceria de Guinga com Luis Felipe Gama. Essa música já aparece no disco de Guinga Noturno Copacabana, mas sem letra; em Linha D'Água é sua estréia como "canção" (letra e música). Em Noturno Copacabana já havia outra parceria de Guinga e Luis Felipe Gama, a genial "Silêncio de Iara", cantada (brilhantemente) por...Ana Luiza! Não custa repetir que esta foi a canção que fez Chico Buarque voltar à música - chamou-a de "a música do século". O que mais, afinal, dizer sobre Guinga? Nada! Basta ouvi-lo. "Depois do Sonho" é um Guinga "clássico": surpresas harmônicas e melódicas permeadas de emoção e delicadeza. À primeira vista pode parecer meio "torta", como muitas de suas canções; porém, basta uma segunda, no máximo uma terceira audição e a música já se torna absolutamente confortável a qualquer ouvido, proporcionando altas doses de prazer. Ela ficou linda ao vivo, com o piano de Luis Felipe Gama, mas no disco tem o colorido do inigualável violão de Guinga - quem sabe numa versão definitiva (intérpretes, façam-me estar errado)?

Linha D'Água prima pela delicadeza e introspecção; há sempre a busca das sutilezas, dos coloridos, da diversidade de contornos - leves ou mais robustos; mesmo em músicas mais vigorosas como "Tô Fora" (Natan Marques) ou "Ninho de Vespa" (Dori Caymmi e Paulo César Pinheiro) não há agressividade em excesso ou gratuita. Ana Luiza e Luis Felipe Gama também não parecem preocupados em ser "complexos" ou forçadamente diferentes; ao contrário, parecem sempre à procura da interpretação mais adequada, dentro de suas concepções e escolhas estéticas, para cada canção. Enfim, mais do que tudo, buscam "simplesmente" (nunca é tão simples) a canção, seja no formato que for: numa abordagem mais direta, como em "Bacia das Almas" (Luis Felipe Gama e Mauro Aguiar), concisa em seus 1:55 minutos ou na mescla da canção com passagens instrumentais como em "Linha D'Água". Outros destaques do disco estão nas participações nas gravações de Natan Marques (violão, guitarra, viola caipira e vocais, em geral conhecido por ter acompanhado Elis Regina), Renato Teixeira (voz em "Amora") e o já citado Guinga. Além das músicas já comentadas, há outros diversos destaques no disco. Entre elas as compostas por Natan Marques, como as fabulosas "Valsa" e "Suportar Esse Amor" (ambas em parceria com Luis Felipe Gama), "Cajaíba" (Haroldo Oliveira) e "A Cidade e a Serra" (Luis Felipe Gama e Luciano Garcez).

Em recente matéria na Folha (só para assinantes) Ana e Luis contam das dificuldades em lançar o disco. Diz ela: "O mais triste é que até gente que gostou muito desse CD disse que precisávamos fazer uma coisa mais acessível. Até parece que os artistas que fazem concessões estão vendendo 50 mil discos". Carlos Calado, autor da matéria, ainda sublinha, um pouco depois: "Ouviram elogios, viram pessoas se emocionarem ao ouvi-la, mas não conseguiram um acordo. Nem os elogios que Chico Buarque e Guinga fizeram a trabalhos da dupla ajudaram.". Ana Luiza completa: "Alguns desses selos usam raciocínio de major para atender um público que gosta de música brasileira alternativa. É um pensamento meio careta que persegue um formato radiofônico". É necessário repetir que o mercado da música passa por um momento turbulento, com muitas perguntas e poucas respostas; um mercado que apresentas novas e antigas dificuldades tanto para as majors quanto para as indies. Mas uma pergunta fica martelando: quem está errado nesse mercado independente? Onde estão os erros e quais são eles? Por que um lindo disco como Linha D'Água pode levar cinco anos para ser lançado? Por que um disco como esse que faz jus à melhor tradição das canções brasileiras e que, acima tudo, apresenta canções e não exibicionismo e pedantismo de músicos fica à margem do mercado? Será que a culpa é dos músicos? Será que o público é tão burro assim? Será que as gravadoras são tão burras assim? Será que os críticos é que são os burros? Ou qualquer outra coisa? Caro leitor, cara leitora: tirem vocês suas próprias conclusões.


Rafael Fernandes
Sorocaba, 13/9/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A vida exemplar de Eric Voegelin de Celso A. Uequed Pitol
02. A feira ao longe de Elisa Andrade Buzzo
03. Road-book em alta velocidade de Marília Almeida
04. Vontade de abraçar o mundo de Eduardo Carvalho
05. Contrastes do Mundo Moderno de Juliano Maesano


Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes em 2006
01. 10 vídeos musicais no YouTube - 23/8/2006
02. Quem ainda compra música? - 2/8/2006
03. Ana Luiza e Luis Felipe Gama: bela parceria - 13/9/2006
04. Ney Matogrosso: ótimo intérprete e grande showman - 5/7/2006
05. Uma homenagem a Maysa - 25/4/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
9/9/2006
01h57min
O problema também é muito do consumidor de música, que lê críticas boas como essa, e não procura saber mais sobre o disco, ouvi-lo e, quem sabe, comprá-lo. Óbvio que a indústria tem uma parcela maior de culpa, mas nós também temos nossa parte.
[Leia outros Comentários de Rafael Rodrigues]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Diário da Corte - Crônicas do Maior Polemista da Imprensa ...
Paulo Francis
Três Estrelas
(2012)



Pato Donald N 2143
Editora Abril
Abril



Como Se Preparar para o Exame de Ordem - 11 Ambiental
Fernanda Luiza e Marcelo Hugo
Método
(2015)



Au Arquitetura & Urbanismo Nº 214
Pini
Pini



Devaneios Sobre a Atualidade do Capital
Clóvis de Barros Filho, Gustavo F. Dainezi
Sanskrito
(2014)



O que é psicologia
Maria Luiza S. Teles
Brasiliense
(1994)



A Profecia Celestina
James Redfield
Fontanar
(2009)



Dicionário do Antiquariato
Codex
Codex
(1968)



O Sócio
John Grisham
Rocco
(1997)



O Que São Direitos Humanos
João Ricardo W. Dornelles
Brasiliense
(2013)





busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês