453 � São Paulo para gregos e troianos | Verônica Mambrini | Digestivo Cultural

busca | avançada
57469 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Fé, Engenho e Arte | OS TRÊS FRANCISCOS - Museu de Arte Sacra de São Paulo
>>> 89% dos brasileiros concordam que a IA pode aumentar a criatividade
>>> Palestra gratuita orienta pais e estudantes sobre a escolha da carreira profissional
>>> Autoempoderamento: a chave para implementar mudanças
>>> Fabrício Carpinejar e Importadora Decanter unem vinho e poesia em collab para o Dia dos Namorados
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Charges e bastidores do Roda Viva
>>> Diogo Salles no Roda Viva
>>> Pulp Fiction e seus traços em Cocaine Bear
>>> Rabhia: 1 romance policial moçambicano
>>> Nélio Silzantov e a pátria que (n)os pariu
>>> Palavras/Imagens: A Arte de Walter Sebastião
>>> Rita Lee Jones (1947-2023)
>>> Kafka: esse estranho
>>> Seis vezes Caetano Veloso, por Tom Cardoso
>>> O batom na cueca do Jair
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma história da DoubleClick (2014)
>>> Eduardo Andrade de Carvalho sobre MOS
>>> Interney sobre inteligência artificial (2023)
>>> Uma história do Yahoo! (2014)
>>> O Lado B da MTVê
>>> A história de Roberto Vinháes (2023)
>>> Something About You (Cary Brothers & Laura Jansen)
>>> Uma história do Airbnb (2023)
>>> Vias da dialética em Platão
>>> Uma aula sobre MercadoLivre (2023)
Últimos Posts
>>> Não esqueci de nada
>>> Júlia
>>> Belém, entre a cidade política, a loja e a calçada
>>> Minha Mãe
>>> Pelé, eterno e sublime
>>> Atire a poeira
>>> A Ti
>>> Nem o ontem, nem o amanhã, viva o hoje
>>> Igualdade
>>> A baleia, entre o fim e a redenção
Blogueiros
Mais Recentes
>>> As pessoas estão revoltadas
>>> Uma fábula anticatólica
>>> Copacabana-Paulista-Largo das Forras
>>> As lições de Jack Bauer
>>> Tokyo String Quartet, na Sala São Paulo
>>> ¡Qué mala es la gente!
>>> 1992 e hoje
>>> Amantes, tranquila inconsciência
>>> Mens sana... um ano depois
>>> A Queda
Mais Recentes
>>> tex n 57 O Totem do Deserto de Sérgio Bonelli pela Globo
>>> No Mundo da Lua - Perguntas e Respostas sobre Transtorno do Déficit de Atenção com Hipertividade em Crianças, Adolescentes e Adultos de Paulo Mattos pela Lemos (2005)
>>> Psicopedagogia e Realidade Escolar o Problema Escolar e de Aprendizagem de Beatriz Scoz pela Vozes (2005)
>>> Tex n 111 Vingança de Sérgio Bonelli pela Globo
>>> A Bola Falante de Thomas Brezina pela Melhoramentos (2005)
>>> Estilo de Aprendizagem e a Queixa Escolar - Entre o Saber e o Conhecer de Edith Regina Rubinstein pela Casa do Psicólogo (2003)
>>> Introdução À Psicologia Profunda para Educadores de Walter J. Schraml pela Epu (1976)
>>> A Grande Jogada de Celso Antunes pela Vozes (2002)
>>> Tex n 112 Renegado de Tex n 112 Renegado pela Globo
>>> Professores e Alunos Problema - um Círculo Vicioso de Maria Cristina Mantovanini pela Casa do Psicólogo (2001)
>>> Trabalhando Valores e Conteúdos no Ensino Médio de Celso Antunes pela Vozes (2015)
>>> Tex n 205 Os Saqueadores da Serra de Sérgio Bonelli pela Mythos (2004)
>>> O Senhor dos Quebra-Nozes de Iain Lawrence pela Rocco (2003)
>>> Vygotsky - uma Perspectiva Histórico-cultural da Educação de Teresa Cristina Rego pela Vozes (2003)
>>> A estranha Rua 7 de Eduardo Zu.gaib pela Melhoramentos (2011)
>>> Os detetives do prédio azul - Primeiros passos de Flávia Lins e Silva pela Pequena Zahar (2013)
>>> O monstro da lagoa de Abaeté de Carlos Heitor Cony pela Galera Record (2009)
>>> Quem fez isso? de Carmen Lucia Campos pela Paulus (2011)
>>> Isolda e o mistério do baú de histórias de Andréa Avelar e Marco Antonio Godoy pela Suinara (2016)
>>> A ilha do tesouro - Coleção reencontro infantil de Robert Louis Stenvenson pela Scipione (2020)
>>> Bibi compartilha suas coisas de Alejandro Rosas pela Scipione (2016)
>>> Viagens de Gulliver de Jonathan Swift pela Ática (2016)
>>> João e o pé de feijão de Reconto de Sâmia Rios pela Scipione (2015)
>>> Quebrando O Espelho de Costardi pela Martin Claret (1997)
>>> Almanaque Disney Nº 280 de Walt Disney pela Abril (1994)
COLUNAS

Segunda-feira, 29/1/2007
453 São Paulo para gregos e troianos
Verônica Mambrini
+ de 11100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Ou minha pequena contribuição para amar uma cidade tão detestável

Todo mundo sabe que São Paulo era só uma vilinha à toa, jogada no meio do nada, servindo de missão jesuítica, primeiro, e depois, de entreposto comercial. Mesmo os ciclos do ouro e do café não mudaram tanto o jeitão pacato e interiorano de São Paulo de Piratininga. Mas de repente, um lugarejo perdido na mata atlântica virou um monstro de conurbações e ferocidade asfaltada. Começou com a vinda dos imigrantes italianos, em fins do século XIX, seguiu com café e indústria; daí, o trem descarrilou. Deixo os detalhes para vocês lerem aqui. O que importa é que eu nasci na cidade mais urbanizada e difícil do País, e que na última semana fez aniversário - 453 anos.

São Paulo é praticamente um "poço de lixo", já que a barreira natural da Serra do Mar não deixa a poluição massiva gerada aqui se dispersar. A rotatividade da mão-de-obra é uma das maiores do Brasil. Se isso é um problema grave para quem já está enraizado na cidade há gerações, para quem vem de fora concretiza a imagem perfeita da "terra das oportunidades". Isso traz uma infinidade de conseqüências, como crescimento desenfreado, violência urbana, insuficiência na infra-estrutura, e por aí vai. A lista de motivos para fugir de São Paulo é enorme. Mas Sampa continua crescendo, absorvendo pessoas, tendências, mudanças. Essa receptividade toda, junto com os contrastes econômicos, culturais e sociais esculpiram a relação de amor e ódio pela cidade tão típica de quem vive aqui.

Nesse aniversário, a cidade está bem caidinha. Um dos marcos que está abrilhantando a efeméride, de mãos dadas com o atual governo, é a inauguração da nova Avanhandava, rua do centro de São Paulo que acaba de passar por uma reforma completa. O restauranteur Walter Mancini (que já tinha três casas na rua e aproveitou a oportunidade para inaugurar mais três) fez um belo trabalho urbanístico, investindo pesado em conjunto com a operadora de cartão de crédito Visa e com a prefeitura. Mas - inevitável nesse tipo de consórcio - as benfeitorias giram em torno do consumo. Caso semelhante aconteceu com a rua Oscar Freire. Se é bom que a iniciativa privada se responsabilize pela conservação e urbanismo do seu entorno, é perigoso que o poder público concentre seus investimentos onde há interesse de capital privado. Caetano Veloso já matou a charada faz tempo: é "a força da grana que ergue e destrói coisas belas". A depender desse tipo de parceria, não havendo interesses comerciais, as regiões mais pobres da cidade continuam sem os investimentos necessários.

Essa questão - a do espaço público - é um dos problemas estruturais de São Paulo que mais me incomodam. Aqui, a coisa pública não está intrinsecamente ligada ao interesse coletivo. A classe média se satisfaz com shoppings centers e a classe alta cria seus bunkers, com lazer e segurança inclusos na taxa de manutenção do condomínio. Não há praças, parques e centros culturais pulverizados pelos bairros, de forma a atender a demanda de todos os estratos sociais da população. Para a maioria esmagadora dos paulistanos, não há onde praticar esportes, namorar, passear, conviver, sem precisar consumir. Minha avó, nascida e criada no Cambuci (bairro meio esquecido pela especulação imobiliária, ainda com suas vilinhas operárias italianadas por estreitos sobradinhos), é descendente de italianos e de espanhóis. Ela conta que conheceu meu avô no footing, costume antigo de passear com os amigos em alguma praça, geralmente perto de casa mesmo. Assim se construía a malha social, num espaço de todos e mais democrático.

Talvez por essa falta de espaços públicos de qualidade os cariocas que vêm parar por essas plagas fiquem tão perdidos. Solte um carioca em São Paulo e ele perde o chão. Além se desorientar com a falta de mar, a própria configuração da cidade conspira pela solidão. Não tem o contraste da natureza estonteantemente bela e sobretudo da praia, que democratiza a felicidade. No Rio de Janeiro, o sofá da sala de estar fica virado para a janela, para a paisagem. É o contrário de São Paulo, cidade de interiores, onde tudo se volta para dentro. Desse defeito nasce também uma qualidade inequívoca (ajudada pela imigração de gente do mundo todo para cá): a variedade da gastronomia que se encontra na cidade. Mais um clichê para engrossar a lista: programa de paulistano é sair para jantar. A bem da verdade, no Brasil, São Paulo é o paraíso para quem gosta de comer bem. Dá para achar restaurantes de todos os níveis e tipos, para todos gostos e bolsos. Além de a padaria e mais ainda, a pizzaria, serem verdadeiras instituições paulistanas. Basta dar uma olhada em qualquer guia turístico: a maioria das atrações de Sampa City vêm acompanhadas de garfo e faca.

São Paulo bate sim, em quem vem para cá. Mas é uma relação rodrigueana, um tapa seguido de carícias. E mesmo que essa receptividade seja meio torta, todo mundo acaba se encaixando aqui de um jeito ou de outro (com exceção, talvez, dos cariocas), porque a cidade é tão esquizofrênica, comporta tantas cidadelas se sobrepondo celeremente, que em alguma delas a pessoa se há de ajustar. Daí, São Paulo é tantas cidades que não é nenhuma. Sempre fica um buraco, um pedaço faltando - possivelmente seja isso que dê um mínimo sentido de integração. Parafraseando Tom Jobim, viver em São Paulo é uma merda mas é bom. Fora daqui, é bom, mas é uma merda. Nada resta aos paulistanos senão sermos doentes por essa cidade.

Nota do Editor
Leia também "Para amar São Paulo"


Verônica Mambrini
São Paulo, 29/1/2007

Quem leu este, tambm leu esse(s):
01. Um conto-resenha anacrônico de Cassionei Niches Petry
02. Sexo, drogas e rocknroll de Marcelo Spalding


Mais Verônica Mambrini
Mais Acessadas de Vernica Mambrini em 2007
01. Por onde andam os homens bonitos? - 17/12/2007
02. 453 São Paulo para gregos e troianos - 29/1/2007
03. Insuportavelmente feliz - 17/9/2007
04. A Letras, como ela é? - 19/3/2007
05. A Arte da Entrevista - 8/10/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
29/1/2007
19h13min
Verônica, muito pertinente seu texto. O aniversário dessa cidade não poderia passar batido neste DC. Acho que aqui, quando se chega, ou se coloca o rabo entre as pernas e volta rapidinho pra casa ou se apaixona de vez... Um abraço, Maroldi
[Leia outros Comentários de Marcelo Maroldi]
26/6/2007
21h53min
Verô, parabéns pelo texto! Você soube escrever parte do que sinto pela cidade. É aquele sentimento de quando se está longe e não vê a hora de chegar aqui para matar a saudade! Beijos!!!
[Leia outros Comentários de Nilson]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Do Tempo em que Voyeur Precisava de Binóculos
Luize Valente
Record
(2019)



Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse
Blasco Ibanez
Ciruclo do Livros



A Nova Astrologia
Suzanne White
Pensamento
(1986)



The Entrepreneurial Venture (practice of Management Series)
Vários Autores
Harvard Business Review Press
(1999)



Guia Completo de Corrida
James F Fixx
Circulo do Livro
(1977)



Abolição
Tomás Antônio Gonzaga Marilusa Moreira Vasconcellos
Espírita Radhu



/As Aventuras de Chico N 2
Bonelli
Mythos
(2005)



Em Nome de Deus
Wanda A. Canutti
Eme
(2002)



Nosso Homem Em Havana
Graham Greene
Biblioteca o Globo
(2003)



A Utilizacao Pratica e Facil do Pendulo
Tom Graves
Objetiva
(1989)





busca | avançada
57469 visitas/dia
1,3 milhão/mês