Nem cobra, nem aranha: peçonhenta é a burocracia | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
57428 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Zé Guilherme recebe o pianista Matheus Ferreira na série EntreMeios
>>> Chamada Vale recebe cadastro de cerca de 3 mil projetos
>>> Lançamento do Mini Doc Tempo dell'Anima
>>> Cinema in Concert com João Carlos Martins une o cinema à música sinfônica em espetáculo audiovisual
>>> Editora Unesp lança 20 livros para download gratuito
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Hiperbóreo nos trópicos: a poesia de Oleg Almeida
>>> Imagens do Grande Sertão de Guimarães Rosa
>>> A derrota do Marketing Político
>>> Jorge Drexler, no Bourbon Street, em 2009
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Eu me pergunto para onde vai a imprensa...
>>> Drummond: o mundo como provocação
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Filmes de saiote
>>> Aerosmith no Morumbi
Mais Recentes
>>> Orçamento Público - contém orçamento por resultados de James Giacomoni pela Atlas (2018)
>>> Almanaque para garotas calientes de Jo Hallack / Nina Lemos / Raq Affonso pela Conrad Livros (1999)
>>> Almanaque para garotas calientes de Jo Hallack / Nina Lemos / Raq Affonso pela Conrad Livros (1999)
>>> Manual para moças em fúria de Jo Hallack / Nina Lemos / Raq Affonso pela Record (2003)
>>> Henri Wallon – Uma Concepção Dialética do Desenvolvimento Infantil de Izabel Galvão pela Vozes (1999)
>>> O senhor dos anéis de J. R. R. Tolkien pela Martins Fontes (2001)
>>> No Friend But the Mountains: Writing from Manus Prison de Behrouz Boochani pela Anansi International (2019)
>>> Voz Lusíada - Revista da Academia Lusíada de ciências, letras e artes de Vários Autores pela Fundação Calouste Gulbenkian (2001)
>>> Amor é Prosa - Sexo é Poesia de Arnaldo Jabor pela Objetiva (2004)
>>> Conceitos da Psicanálise – Depressão de Jeremy Holmes pela Relume Dumará / Ediouro (2005)
>>> Freud, pensador da cultura de Renato Mezan pela Companhia das letras (2005)
>>> Psicanálise e Desenvolvimento Infantil de Alfredo Jerusalinsky e Colaboradores pela Artes e Ofícios (1999)
>>> Pais Brilhantes - Professores Fascinantes de Augusto Cury pela Sextante (2003)
>>> O Primeiro Ano de Vida de René A. Spitz pela Martins Fontes (1987)
>>> Coleção folha grandes vozes Carlos Gardel nº3 de Folha de São Paulo pela Mediafashion (2012)
>>> E. PSI. B. A. Nº 9 – La Psicopedagogía Explorando Espacios Para/Con Sus Intervenciones de Vários Autores pela Escuela Psicopedagógica de Buenos Aires
>>> Mentiras no divã de Irvin D. Yalom pela Ediouro (1996)
>>> E. PSI. B. A. Nº 10 – Familias y Escuelas: Modos de Pensar y Pensarlas Ante Los Desafios de Los Nuevos Contextos de Vários Autores pela Escuela Psicopedagógica de Buenos Aires
>>> Porno Política - Paixões e Taras na vida Brasileira de Arnaldo Jabor pela Objetiva (2006)
>>> Marsha Mellow e Eu de Maria Beaumont pela Bertrand Brasil (2005)
>>> Ação Integrada de Formação de Professores de Vários Autores pela Univates (2018)
>>> Vastas emoções e pensamentos imperfeitos de Rubem Fonseca pela Companhia das letras (1988)
>>> Processos de Ensinagem na Universidade – Pressupostos Para as Estratégias de Trabalho em Aula de Léa das Graças Camargos Anastasiou e Leonir Pessate Alves (Orgs.) pela Univille (2004)
>>> Temas e Textos em Metodologia do Ensino Superior de Sérgio Castanho e Maria Eugênia Castanho (Orgs.) pela Papirus (2012)
>>> Bestiário de Julio Cortazar pela Círculo do livro
>>> Atos de amor de Elia Kazan pela Círculo do livro
>>> O pobre de Deus de Nikos Kazantzakis pela Círculo do livro
>>> Pedagogia Universitária e Produção de Conhecimento de Cecília Luíza Broilo e Maria Isabel da Cunha (Orgs.) pela Edipucrs (2008)
>>> A fantástica volta ao mundo de Zeca Camargo pela Globo (2004)
>>> Um Chapéu para viagem de Zélia Gattai pela Círculo do livro (1982)
>>> Senhora dona do Baile de Zélia Gattai pela Record (1984)
>>> Pedagogia Universitária e Desenvolvimento Profissional Docente de Silvia Maria de Aguiar Isaia e Doris Pires de Vargas Bolzan (Orgs.) pela Edipucrs (2009)
>>> O Obelisco Negro de Erich Maria Remaque pela Bup (1967)
>>> Barry Lyndon de W M Thackeray pela Círculo do livro (1976)
>>> A mulher do próximo de Gay Talese pela Círculo do livro (1980)
>>> A ordem do dia de Márcio Souza pela Círculo do livro (1983)
>>> O destino bate a sua porta especial mistério de James M Cain pela Abril cultural (1962)
>>> Zelota a vida e a época de Jesus de Nazaré de Reza Aslan pela Zahar (2013)
>>> O contador de Histórias 40 anos de vida literaria de erico verissimo de Flávio Loureiro Chaves pela Globo (1978)
>>> Sangue na neve de Jo nesbo pela Record (2015)
>>> Caminhos e escolhas de Abilio Diniz pela Campus (2004)
>>> As Riquezas injustas Antologia poética de Ernesto Cardenal pela Círculo do livro (1977)
>>> O quarto Vazio de Charles MOrgan pela Globo (1959)
>>> Os Rumos da Educação Superior de Susane Lopes Garrido, Maria Isabel da Cunha e Jussara Gue Martini (Orgs.) pela Unisinos (2002)
>>> A brisa da manhã de Charles Morgan pela Globo (1961)
>>> As moças de Missalonghi de Collen Mc Cullough pela Círculo do livro (1987)
>>> Handbook os american Idioms and idiomatic usage de Harold C Whitford pela Regents Publishing (1953)
>>> Galvez imperador do Acre de Marcio de Souza pela Círculo do livro
>>> Inovar o Ensino e a Aprendizagem na Universidade de Francisco Imbernón pela Cortez (2012)
>>> O grande golpe de Dashiell Hammett pela Francisco Alves (1984)
COLUNAS

Segunda-feira, 15/8/2011
Nem cobra, nem aranha: peçonhenta é a burocracia
Adriana Baggio

+ de 2800 Acessos

Até o Google Maps diz que a gente pode passar por dentro do Instituto Butantan...

No início de agosto, participei de um congresso de Comunicação na Escola de Comunicação e Artes da USP. Faço doutorado na PUC em São Paulo e estou morando aqui, neste ano, para cursar as disciplinas. Até que ando bem pela cidade, mas prefiro usar o GPS para ir a alguns lugares, como a Cidade Universitária. O problema nem é chegar lá, mas se achar lá dentro.

Já que precisava usar o GPS para chegar à ECA, decidi seguir as orientações dele para o caminho todo. Peguei a Rebouças, cruzei a ponte sobre o rio Pinheiros, virei na Vital Brasil. Segui por ela até chegar à entrada do Instituto Butantan. O aparelhinho mandava entrar e seguir em frente. Supus o óbvio: havia uma passagem para a Cidade Universitária.

O portão estava aberto, não havia cancela, não havia nada impedindo minha entrada. Continuei pelo caminho que o GPS indicava, admirando a beleza do lugar, até chegar à saída. Já avistava, do outro lado, os prédios da USP. Desta vez, porém, a passagem não era livre: guarita, seguranças, cancelas.

As cancelas se levantaram para deixar passar uma moto e segui atrás dela. A barra desceu bruscamente e quase bateu no meu carro. Freei. Um segurança se aproximou: "a senhora não pode passar por aqui". Não entendi: podia entrar mas não podia sair? (Lembrei daquela história do doberman, o cachorro que não faz nada quando o ladrão entra na casa mas morde na saída.)

O segurança disse que aquela saída era apenas para quem tinha um cartão, ou seja, os funcionários. Expliquei que eu não sabia, que não havia placa nenhuma avisando isso, que eu era de fora, que o GPS tinha indicado aquele caminho. O segurança disse: "pois é, o GPS mostra esse caminho mesmo, um monte de gente se engana".

Nesse ponto, minha indignação atingiu os píncaros. Se isso acontece com frequência, por que cargas d'água não colocam uma placa na entrada do Instituto? Por que não colocam placas no acesso a essa saída? Não houve conversa. Não me deixaram passar para o lado da Cidade Universitária, apesar da veemência dos meus gritos protestos.

Poucas vezes na vida senti tanta raiva. Não tanto pelo fato de ter que dar uma volta de mais de 4 km, de ter que perder tempo em mais um engarrafamento de São Paulo. O pior mesmo foi a sensação de ser feita de palhaça.

Enviei um e-mail para a ouvidoria do Instituto. Reproduzo parte da resposta aqui (não coloquei tudo porque a primeira parte é uma explicação do ouvidor sobre o motivo - válido - de não estar presente na ouvidoria quando o procurei pessoalmente):

"Quanto ao fato de Vossa Senhoria não ter dito [tido?] a oportunidade de transladar os portões do Instituto Butantan rumo a USP a explicação oficial é muito simples:

Como aqui é um parque, ou seja uma área de visitação pública, inclusive com muitas crianças, não é intenção da Instituição ter um tráfego pesado de veículos, como a senhora mesmo disse, foram necessários mais 4 Km para chegar a USP,  portanto essa passagem é restrita a carros oficiais e de parte dos funcionários que recebem crachás autorizadores por sorteio.

Do lado da USP há uma placa indicando a proibição, aliás bem discreta.

Do nossa lado deveria haver uma, logo na entrada da rua ou a distância suficiente para que a pessoa interessada na passagem retorne.

Procurarei junto a direção que providencie essa placa, e já falei com a chefia da segurança tercerizada para que se oriente melhor seus funcionários."


Veja que, em nenhum momento, o Instituto Butantan, representado pelo seu ouvidor, se desculpa pelo que aconteceu. Há o reconhecimento da necessidade de avisos, mas pelo jeito isso não é considerado importante, já que essa necessidade existe faz tempo: os próprios seguranças assumem a recorrência dos enganos dos GPSs.

O motivo dado pelo ouvidor não me pareceu impeditivo de uma atitude de bom senso: eu claramente não estava me aproveitando do "atalho". Sotaque curitibano, placa de Curitiba, engano involuntário, raiva autêntica. Será que tudo isso não indicava o motivo para uma exceção?

Não me importa quantas vacinas façam, quantas cobras ou aranhas sejam abrigadas nesse lugar. A imagem que tenho do Instituto Butantan é a mesma que, infelizmente, tenho de outros órgãos públicos: falta de profissionalismo, falta de bom senso, falta de respeito pelos cidadãos, decisões tomadas com base em privilégios.

Acrescento à lista, ainda, a arrogância. A ausência de um pedido de desculpas parece mostrar que o Instituto não se considera equivocado em todo esse episódio. Cabe a nós, cidadãos e visitantes, correr o risco de sermos feitos de bobos quando, inadvertidamente, cruzamos os portões desta organização.

Para finalizar, uma dica construtiva: considerando a letalidade e a gravidade da burocracia, sugiro ao Instituto Butantan que aproveite seu know-how e desenvolva alguns tipos de antídoto para esse mal que assola nosso país. Matéria-prima é o que não lhe falta.


Adriana Baggio
Curitiba, 15/8/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Meu Sagarana de Renato Alessandro dos Santos
02. 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis de Ana Elisa Ribeiro
03. As histórias magras de Rubem Fonseca de Cassionei Niches Petry
04. O começo do fim da hegemonia 'de esquerda' de Julio Daio Borges
05. A nova classe média de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2011
01. E você, já disse 'não' hoje? - 19/10/2011
02. Bombril: a marca que não evoluiu com as mulheres - 10/5/2011
03. Por que as curitibanas não usam saia? - 22/2/2011
04. Moda em 20 textos - 1/8/2011
05. Os sapatos confessam - 10/1/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O MANTO DE VEGA ... O MEDO ESTÁ EM EUROPA E TAMBÉM OH, MY GOD!
LUIZ PAULO PIERI
LGE
(2011)
R$ 12,86



AMAR PODE DAR CERTO
ROBERTO SHINYASHIKI & ELIANA DUMAT
GENTE
(1988)
R$ 5,00



RELAÇÕES PERIGOSAS
CHODERLOS DE LACLOS
ABRIL
(1971)
R$ 6,90



PENSAMENTO ATLÂNTICO, ESTUDOS E ENSAIOS DE PENSAMENTO LUSO-BRASILEIRO
PAULO A. E. BORGES
IMPRENSA NACIONAL
(2002)
R$ 81,58



DÍVIDA DE SANGUE
MICHAEL CONNELLY
BEST SELLER
(1998)
R$ 21,00



LANTERNAS VERDES: RENASCIMENTO - EDIÇÃO 5 AGOSTO 2017
DC COMICS
PANINI
(2017)
R$ 14,00



TEMPO DE ESPERANÇA. 24 HORAS PARA VOCÊ RENOVAR SUAS ENERGIAS.
MARK FINLEY
CASA PUBLICADORA BRASILEIRA
(2009)
R$ 7,00



INTRODUCTION TO VASCULAR ULTRASONOGRAPHY
WILLIAM J. ZWIEBEL
SAUNDERS
(1992)
R$ 60,00



THÉRAPEUTIQUE GYNÉCOLOGIQUE
PAUL GUÉNIOT
J -B BAILLIÈRE ET FILS
(1922)
R$ 90,00



O RAIOZINHO E A FURIOSA
MAURICIO DE SOUSA
MELHORAMENTOS
(2013)
R$ 10,00





busca | avançada
57428 visitas/dia
2,1 milhões/mês