Um nu “escandaloso” de Eduardo Sivori | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
70483 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto: Encontro ás escuras - Contos e cantos ancestrais
>>> Primeira edição do ZporZ Fest Verão acontece em janeiro
>>> Sesc Cultura ConVIDA! apresenta mostras temáticas
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um olhar sobre Múcio Teixeira
>>> A coisa tá preta
>>> Fugindo do apocalipse
>>> Sonhos Sujos
>>> Eu acho que alguém aqui pirou
>>> Ideologias em forma de spam
>>> Neste Natal etc. e tal
>>> Lula, o filme
>>> Mauro Henrique
>>> Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo!
Mais Recentes
>>> Envelhecimento Saudável, os Segredos de um Envelhecimento Bem-sucedido de Vários Autores pela Manole (2008)
>>> Ensaios gracilianos de Castelar de Cravalho pela Rio (1978)
>>> Radicais e afixos de Antônio de Camargo Franco pela Do autor (1977)
>>> Contos Tocantinenses de Maximiano da Matta Teixeira pela Secretaria de Cultura Tocantins (1994)
>>> Lenita e o Padre de Márcia Fagundes Varella pela Terra
>>> 1922 - Itinerário de uma falsa vanguarda de Antonio Arnoni Prado pela Brasiliense (1983)
>>> Memorial de Aires e Ressurreição de Machado de Assis pela Iracema (1975)
>>> Aprendiz de Homero de Nélida Piñon pela Record (2008)
>>> Além do Nascimento e da Morte de Bhaktivedanta Swami Prabhupada pela Coletivo Editorial (1986)
>>> Férias na Draculândia de Carlos Queiroz Telles pela FTD (1993)
>>> Conversa Sobre o Tempo de Luis Fernando Verissimo, Zuenir Ventura e Arthur Dapieve pela Agir (2010)
>>> Terrores da Noite de Martin Cruz Smith pela Nova Cultural (1986)
>>> O Cavaleiro Inexistente de Italo Calvino pela Companhia das Letras (2000)
>>> O Faraó Alado de Joan Grant pela Circulo do Livro
>>> A Educação da Mudança de Arnaldo Niskier pela Academia Brasileira de Letras (2003)
>>> Velhos integralistas de Carla Luciana Silva; Gilberto Grassi Calil pela EDIPUCRS (2000)
>>> Velhos integralistas de Carla Luciana Silva; Gilberto Grassi Calil pela EDIPUCRS (2000)
>>> Signo do Pecado de Shirley Larson pela Nova Cultural (1988)
>>> A memória e o ensino de história de Tatiana Lenskij; Nadir Emma Helfer pela Edunisc (2000)
>>> Dicionário de Ciências Sociais de Vários pela Fundação Getúlio Vargas (1986)
>>> Dimensões do Ser - Reflexões sobre os planetas de Maria Eugênia de Castro pela Hipocampo (1991)
>>> Blair's Britain de Hal Colebatch pela Claridge (1999)
>>> O Mundo que eu Encontrei de Alayde de Assunção e Silva pela Coronário (2000)
>>> A linguagem de Deus de Francis S. Collins pela Gente (2007)
>>> Você quer falar melhor? de Pedro Bloch pela Revinter (2004)
>>> Arquitetura & construçao--março de 2013--tecnologia e inovaçao marcam as novidades em revestimentos louças e metais. de Abril pela Abril (2013)
>>> Zumbido. Avaliação, Diagnóstico e Reabilitação de Alessandra Gianella Samelli pela Lovise (2004)
>>> O que não me contaram sobre o casamento mas que você precisa saber de Gary Chapman pela Mundo Cristão (2011)
>>> Wirtschaft in 11 Sprachen: German, English, French, Italian, Spanish, Portuguese, Dutch, Swedish, Polish, Czech, Hungarian de B. Sandoval pela Circon Verlag (1998)
>>> Fonética e fonologia do português: Roteiro de estudos e guia de exercícios de Thais Cristofaro Silva pela Contexto (2019)
>>> A Voz que Ensina: O Professor e a Comunicação Oral em Sala de Aula de Mara Behlau; Maria Lúcia Suzigan Dragone; Lúcia Nagano; pela Thieme Revinter (2003)
>>> Palavra a seu tempo de Walter Altmann pela Oikos (2010)
>>> 50 grandes filósofos: Da Grécia antiga ao século XX de Diane Collinson pela Contexto (2006)
>>> Revista Arquitetura & construçao--fevereiro de 2009--fachadas. de Abril pela Abril (2009)
>>> Geografia 8º Ano – Volume 3 – Coleção Perspectiva de Cláudia Magalhães, Lilian Sourient, Marcos Gonçalves e Roseni Rudek pela Do Brasil (2010)
>>> Coleção Sinopses Para Concursos Vol. 1 - Direito Penal - Parte Geral de Alexandre Salim e Marcelo André de Azevedo pela Juspodivm (2017)
>>> Rio de Janeiro - Histórias Concisas de uma Cidade de 450 Anos de Vários Autores pela Prefeitura do Rio de janeiro (2015)
>>> Elite da Tropa de Luiz Eduardo - Soares Andre Batista - Rodrigo Pimentel pela Objetiva (2006)
>>> Geografia Nos Dias de Hoje 7º Ano de Cláudio Giardino, Ligia Ortega & Rosaly Braga Chianca pela Leya (2012)
>>> Geografia 7º Ano – Projeto Athos de Sonia Castellar & Ana Paula Seferian pela Ftd (2014)
>>> Geografia 7º Ano – Roteiros de Aprendizagem - Projeto Athos de Sonia Castellar & Ana Paula Seferian pela Ftd (2014)
>>> História 7º Ano – Projeto Athos de Joelza Esther pela Ftd (2014)
>>> História 7º Ano – Roteiros de Aprendizagem - Projeto Athos de Joelza Esther pela Ftd (2014)
>>> Filhos talentosos lideres grandiosos de Pat Williams pela Landscape (2006)
>>> O Caso dos Dez Negrinhos de Agatha Christie pela Círculo do Livro (1975)
>>> Morte Em Veneza - Tonio Kröger de Thomas Mann pela Círculo do Livro
>>> Perversas - Pretty Little Liars de Sara Shepard pela Rocco (2009)
>>> Fricções - Traço, Olho e Letra de Vera Casa Nova pela Ufmg (2008)
>>> The Phantom of the Opera - Audio Cd Included de Gaston Leroux pela Macmillan Readers (2005)
>>> Redenção de Karen Kingsbury; pela Portico (2015)
COLUNAS

Terça-feira, 21/7/2020
Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 3500 Acessos



Uma empregada nua começa a se vestir sob a luz escassa do amanhecer. Trata-se de uma pintura que deu o que falar em Paris e na Argentina.

No ano de 1887 o pintor argentino Eduardo Sívori (Buenos Aires, 1847 - 1918) apresentou no Salão de Paris a obra O despertar da empregada doméstica (Le alavanca de la bonne), um nu realista. O quadro de Sívori foi interpretado pela crítica francesa como obra derivada da literatura de Zola, sendo um nu “excessivo” na representação de um corpo que foi visto como feio, sujo e desagradável.

Em 1887 a pintura realista já ocupava um lugar de destaque no Salão de Paris, como uma das tentativas - que surgira já na primeira metade do século XIX com os pintores românticos Delacroix e Géricault - de renovar a estética oficial do Salão, da Academia de Belas Artes e o gosto do público.

Na segunda metade do século XIX a presença de pintores como Manet, Courbet e Millet já apresentavam uma alteração iconográfica na pintura francesa (com a figuração de pessoas do povo, temas camponeses e nus, todos a partir de uma representação de caráter realista), com temas muitas vezes relacionados à literatura de Zola e Victor Hugo, nem sempre bem recebidos pelos jurados, imprensa e público.

O mesmo quadro de Sívori foi apresentado na Argentina, na Sociedad Estímulo de Bellas Artes, em 1888. A recepção não foi também positiva. O quadro tornou-se objeto de uma enorme polêmica na imprensa que qualificou a pintura de “indecente” e “pornográfica”. Em resposta, a reação de intelectuais e artistas acabou criando uma unidade em defesa da renovação da pintura moderna argentina.



O quadro O despertar da empregada doméstica tem como base uma imagem fotográfica. Há algumas diferenças entre as duas imagens. Não podemos saber se as alterações aconteceram para a exposição de Paris ou, em função das críticas após a apresentação francesa, ao ser enviado para a exposição na Argentina o artista teria retirado os elementos mais perturbadores.

Na fotografia, podemos ver sobre a mesa uma jarra e uma bandeja (elementos de higiene), usualmente usado pelas prostitutas após o coito. O que faz a imagem parecer a representação de uma “faubourgienne”, tema muito caro à vanguarda artística, tanto literária como das artes plásticas.

Na tela, esses elementos foram substituídos por um candelabro com uma vela, o que não fez com que a obra deixasse de ser classificada como a representação de uma prostituta e considerada pornográfica.

O que pode ter acontecido (uma suposição) é que a transformação do tema da “prostituta”, emergente no Salão de Paris, para o “tema social da criada”, pode ter sido considerado pelo artista para diminuir a crítica sobre a obra no momento de sua exposição na Argentina.

O tema do nu popular, de qualquer forma, já era em si mesmo um afronta à delicada pintura acadêmica dos nus mitológicos. Sabemos da recepção negativa dos nus de Manet e Courbet nos Salões de Paris.



A afronta do quadro de Sívori está relacionado à mesma questão que envolvia os escandalosos nus realistas franceses. Por exemplo, o quadro As Banhistas de Courbet, de 1853, provocou escândalo no Salão do mesmo ano, não só pela obesidade chocante do nu, mas por representar uma personagem de classe média, incompatível com as exigências da representação distanciada do real dos nus idealizados. Outra questão é que, como crítica à tradição da pintura acadêmica, Courbet elevava o tema da classe média ao nível da pintura histórica. Ainda havia o desrespeito à beleza, que agredia o regulamento da pintura dos Salões. E uma possível ironia nos gestos clássicos da moça e que se repetem na sua criada, satirizando o tema das "Dianas ao banho".

No quadro de Sívori é apresentada uma jovem da classe trabalhadora, num ambiente com mobiliários simples, com roupas amontoadas sobre a cama. Ela parece estar começando a se vestir. A expressão crua da materialidade do nu, este corpo que se apresenta ao espectador voyer em sua nudez poderosa, real, afirma o peso erótico da carne, em volumosos seios, braços e pernas. É como se violássemos a intimidade da criada, no seu despertar.

O quadro expõe o corpo sob uma luz que se deita sobre seu tronco e pernas, deixando os outros elementos numa leve penumbra. Seu rosto e penteados aparecem mais nítidos na fotografia do que na tela. O que reforça a presença corporal é, sem dúvida, o foco de luz que a ilumina provindo da esquerda em contraste ao fundo mais escuro da parede. O rosto ensimesmado está atento à meia que prepara para calçar. As pernas cruzadas uma sobre a outra reforçam a presença dos volumes do quadril. Os pés são pesados, podemos até dizer que são “toscos” ou maltratados, diferente das representações delicadas da pintura clássica. A pele tende ao escuro, o oposto da pintura marmórea de uma Vênus de Cabanel, apresentando variação do tom de cor em função do jogo de luz. O púbis encontra-se escondido entre as pernas cruzadas, o que não reduz a sensação de nudez absoluta da personagem no quadro.



Por causa dessa tela, Sívori é considerado o introdutor e um dos expoentes importantes do realismo pictórico argentino no final do século XIX. Filho de genovês, comerciantes ricos e armadores, entrou em contato com a pintura nos museus da Europa, onde o negócio da família o levara. Juntamente com seu irmão Alejandro, Eduardo Sívori é o grande promotor da criação da Sociedade Estímulo de Bellas Artes em 1876. Em 1883, ele fez várias colaborações artísticas na La Ilustracion Argentina, publicação fundada por Pedro Bourel. Entusiasta da arte moderna francesa, o destino que escolhe para viver alguns anos é Paris, onde frequenta a Academia Colarossi e estuda com Raphaël Collin, Puvis de Chavannes e Jean-Paul Laurens, este último professor de grande prestígio entre os artistas hispano-americanos que residem na capital francesa.

Em 1887, ele foi admitido pela primeira vez no Salão de Paris com o Le Lever de la bonne. Sívori está novamente presente no Salão de Paris em 1888 com La Mort d'un paysan e Sans famille; em 1889, com Dolce far niente e Femmes médécins; e em 1890 com Près du feu. Ele participou da Exposição Universal de 1889 e, dois anos depois, retornou a Buenos Aires, onde fez parte do grupo de artistas e intelectuais que, em 1892, fundou o Athenaeum, cujo primeiro salão, organizado no ano seguinte, oficiou como júri e expositor apresentando seis obras. Em 1894, Sívori expôs no segundo salão da Ateneo Coquetterie, Entre dos Luces e Las Guachitas, este um dos poucos trabalhos vendidos em toda a exposição.

No final do século, sua pintura tornou-se luminosa e radiante, afastando-se cada vez mais da natureza naturalista de seus primeiros trabalhos. Por outro lado, ele é reconhecido como um dos primeiros artistas argentinos a se aventurar na técnica de gravura.

Em 1905, sendo presidente da Sociedade de Estímulos, organizou a transferência para o Estado Nacional da Escola de Belas Artes fundada em 1876 por essa instituição. A Escola passou a se chamar Academia Nacional de Belas Artes, e Sívori é seu primeiro diretor adjunto, acompanhando Ernesto de la Cárcova, que é diretor. Posteriormente, ele atua como representante da Comissão Nacional de Belas Artes, dependente da entidade dedicada à organização das comemorações dos cem anos da Revolução de Maio. Esta comissão prepara a Exposição Internacional de Arte do Centenário, aberta ao público em 1910.

Artista prolífico, continuou pintando e enviando obras para os Salões Nacionais desde a sua fundação em 1911 até o ano de sua morte, que ocorreu em 1918.

O quadro O despertar da empregada doméstica encontra-se hoje no Museo Nacional de Bellas Artes de Buenos Aires.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 21/7/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Liberdade é pouco de Elisa Andrade Buzzo
02. A Taça do Mundo é Nossa? de Lisandro Gaertner


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2020
01. Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori - 21/7/2020
02. A pintura do caos, de Kate Manhães - 8/9/2020
03. Entrevista com Gerald Thomas - 7/1/2020
04. Entrevista com o tradutor Oleg Andréev Almeida - 7/4/2020
05. Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes - 29/9/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Manuscrito Perdido de Freud
H Haydt de S Mello
Escuta
(1987)
R$ 10,00



Pedaços do Cotidiano (pocket)
Zibia Gasparetto
Vida & Consciência
(2010)
R$ 10,00



Ensaios de Literatura e Filologia Vol. 3 - 7212
Rubens dos Santos e Outros
Ensaios de Literatura e Fil...
(1981)
R$ 10,00



O Fundo do Ar e Outros Poemas
Alexandre Brito
Ameop
(2004)
R$ 10,00



Café amargo
Vítor Sapienza
Meta
(1991)
R$ 10,00



Os Bucaneiros
Edith Wharton
Ediouro
(1995)
R$ 10,00



Deus Fora do Espelho Jonas Resende
Jonas Resende
Moterrey
R$ 10,00



Almas Gemeas Aprendendo a Identificar o Amor da Sua Vida
Mônica Buonfiglio
Oficina Cultural
(1995)
R$ 10,00



Providências Judiciais de Urgência - Pronto-socorro Jurídico
Valdemar P. da Luz
Sagra-dc Luzzatto
R$ 10,00



London Dk Eyewitness Travel Guide
Michael Leapman
Dk Publishing
(1999)
R$ 10,00





busca | avançada
70483 visitas/dia
2,4 milhões/mês