Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> OBMJazz: OBMJ lança primeiro clipe de novo projeto
>>> Serginho Rezende é entrevistado por Zé Guilherme na série EntreMeios
>>> TOGETHER WE RISE TRAZ UMA HOMENAGEM ÀS PESSOAS QUE FIZERAM PARTE DA HISTÓRIA DO GREEN VALLEY
>>> Instituto Vox realiza debate aberto sobre o livro O Discurso da Estupidez'
>>> A Arte de Amar: curso online desvenda o amor a partir de sua representação na arte e filosofia
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Meu reino por uma webcam
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Pílulas Poéticas para uma quarentena
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Freud explica
>>> Alma indígena minha
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula com Thiago Salomão do Stock Pickers
>>> MercadoLivre, a maior empresa da América Latina
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> Philip Glass tocando Mad Rush
>>> Elena Landau e o liberalismo à brasileira
>>> O autoritarismo de Bolsonaro avança
>>> Prelúdio e Fuga em Mi Menor, BWV 855
>>> Blooks Resiste
>>> Ambulante teve 3 mil livros queimados
>>> Paul Lewis e a Sonata ao Luar
Últimos Posts
>>> Coincidência?
>>> Gabbeh
>>> Dos segredos do pão
>>> Diário de um desenhista
>>> Uma pedra no caminho...
>>> Sustentar-se
>>> Spiritus sanus
>>> Num piscar de olhos
>>> Sexy Shop
>>> Assinatura
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nelson Freire em DVD e Celso Furtado na Amazônia
>>> Um caos de informações inúteis
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Parei de fumar
>>> Ford e Eastwood: cineastas da (re)conciliação
>>> Amor à segunda vista
>>> O Gmail (e o E-mail)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> A Forma da Água de 1andrea Camilleri pela Record (2000)
>>> Mantenha o Sistema de George Orwell pela Itatiaia (2000)
>>> Guiness World Records 2017 de Diversos pela Harper Collins (2016)
>>> O Segredo Judaico de Resolução de Problemas. de Nilton Bonder pela Imago (1995)
>>> Atlas Geografico FAE de Equipe Diata pela Fae (1984)
>>> Atlas Geografico FAE de Equipe Diata pela Fae (1984)
>>> Calvin & Haroldo - Yukon-Ho! de Bill Watterson pela Conrad (2008)
>>> Atlas da Historia do Mundo de Geoffrey Barraclough Editor pela Folha de Sao Paulo (1995)
>>> Astrorhythms de Mary Orser, Rick e Glory Brightfield pela Harper (1980)
>>> Art Recipes de Doris E. Foley pela F. A. Owen (1960)
>>> Arthur C. Clarke's Mysterious World de Simon Welfare e John Fairley pela AeW (1980)
>>> O Ópio dos Intelectuais (Nova Ortografia) de Raymond Aron pela Três Estrelas (2016)
>>> Monocle May 2017 - Design & Property Special de Diversos pela Monocle (2017)
>>> História do Calendário de Hernâni Donato pela Melhoramentos (1978)
>>> O Arquipelago de Erico Verissimo pela Globo (1961)
>>> Fronteira Gelada de Dra. Jerri Nielsen com Maryanne Vollers pela Rocco (2002)
>>> Monocle 2017 Fashion + Retail Special de Diversos pela Monocle (2017)
>>> Microsoft Frontpage Aprenda em 24 Horas de Andy Shafran pela Campus (1998)
>>> A Guerra das Estrelas de Carlos Chagas pela L & pm (1985)
>>> Monocle November 2017 Design Special - Swiss Survey de Diversos pela Monocle (2017)
>>> Apelo à Razão de Claudio Alves pela Nucleo3 (1986)
>>> A espiã de vermelho de Aline, condessa de Romanones pela Casa Maria (1988)
>>> Antologia Casseta Popular de Arthur Dapieve Organizador pela Desiderata (2008)
>>> Revista da Anpoll 24 de Andre Luis Gomes pela Anpoll (2008)
>>> Monocle September 2018 - Your Steps to Success de Diversos pela Monocle (2018)
>>> Drogas - Constituição - Democracia e Liberdade de Felipe Hasson pela Instituto Memória (2015)
>>> Revista da Anpoll 25 de Andre Luis Gomes pela Anpoll (2008)
>>> Monocle September 2019 This is the Way to Work de Diversos pela Monocle (2019)
>>> Curso de Direito Processual Civil = Vol. III de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (2020)
>>> Monocle December 2019/January 2020 Japan Special de Diversos pela Monocle (2020)
>>> Curso de Direito Processual Civil = Vol. I de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (1997)
>>> Comentários à CLT de Sérgio Pinto Martins pela Atlas (1998)
>>> Monocle Food & Entertainment Annual 2018 de Diversos pela Monocle (2018)
>>> Manual do Executivo = Organização Comercial de Dr. Aluízio Telles de Meirelles pela Novo Brasil (1987)
>>> Animal Jokes de Glen Singleton pela Himkler (2009)
>>> Amor e Humor de Camillo Filho pela Do Autor (1978)
>>> Monocle March 2019 - France Special de Diversos pela Monocle (2019)
>>> American Folk Tales and Songs de Richard Chase pela Dover (1971)
>>> Monocle The Escapist 2019 Go Further de Diversos pela Monocle (2019)
>>> Sonho e razão, Lucas Lopes, o planejador de JK de Rodrigo Lopes pela Arx (2006)
>>> Alô, Rapaziada de Bussunda pela Record (1995)
>>> Educação do Homem Integral de Huberto Rohden pela Martin Claret
>>> Verbo Cívico Visão Histórico-Sociológico da assembléia legislativa do estado do Ceará de Arnaldo Santos / Juarez Leitão pela Expert (2002)
>>> A Crise da Crise do Marxismo - Introdução a um Debate Contemporâneo de Perry Anderson pela Brasiliense (1987)
>>> Ame e dê Vexame. de Roberto Freire pela Guanabara (1990)
>>> Todos Contra Todos de Leandro Karnal pela Leya (2017)
>>> Em busca de Gabrielle de Vavy Pacheco Borges pela Alameda (2009)
>>> Origem E Evolução Das Cidades Rio Grandenses de Günter Weimer pela Arquiteto (2004)
>>> Almanaque Renascim 1991 de Osvaldo Silva Filho pela Laboratorio Catarinense (1991)
>>> Almanaque Monstruoso dos Zumbis de Yuri Vasconcelos pela Abril (2013)
COLUNAS

Terça-feira, 21/7/2020
Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 1000 Acessos



Uma empregada nua começa a se vestir sob a luz escassa do amanhecer. Trata-se de uma pintura que deu o que falar em Paris e na Argentina.

No ano de 1887 o pintor argentino Eduardo Sívori (Buenos Aires, 1847 - 1918) apresentou no Salão de Paris a obra O despertar da empregada doméstica (Le alavanca de la bonne), um nu realista. O quadro de Sívori foi interpretado pela crítica francesa como obra derivada da literatura de Zola, sendo um nu “excessivo” na representação de um corpo que foi visto como feio, sujo e desagradável.

Em 1887 a pintura realista já ocupava um lugar de destaque no Salão de Paris, como uma das tentativas - que surgira já na primeira metade do século XIX com os pintores românticos Delacroix e Géricault - de renovar a estética oficial do Salão, da Academia de Belas Artes e o gosto do público.

Na segunda metade do século XIX a presença de pintores como Manet, Courbet e Millet já apresentavam uma alteração iconográfica na pintura francesa (com a figuração de pessoas do povo, temas camponeses e nus, todos a partir de uma representação de caráter realista), com temas muitas vezes relacionados à literatura de Zola e Victor Hugo, nem sempre bem recebidos pelos jurados, imprensa e público.

O mesmo quadro de Sívori foi apresentado na Argentina, na Sociedad Estímulo de Bellas Artes, em 1888. A recepção não foi também positiva. O quadro tornou-se objeto de uma enorme polêmica na imprensa que qualificou a pintura de “indecente” e “pornográfica”. Em resposta, a reação de intelectuais e artistas acabou criando uma unidade em defesa da renovação da pintura moderna argentina.



O quadro O despertar da empregada doméstica tem como base uma imagem fotográfica. Há algumas diferenças entre as duas imagens. Não podemos saber se as alterações aconteceram para a exposição de Paris ou, em função das críticas após a apresentação francesa, ao ser enviado para a exposição na Argentina o artista teria retirado os elementos mais perturbadores.

Na fotografia, podemos ver sobre a mesa uma jarra e uma bandeja (elementos de higiene), usualmente usado pelas prostitutas após o coito. O que faz a imagem parecer a representação de uma “faubourgienne”, tema muito caro à vanguarda artística, tanto literária como das artes plásticas.

Na tela, esses elementos foram substituídos por um candelabro com uma vela, o que não fez com que a obra deixasse de ser classificada como a representação de uma prostituta e considerada pornográfica.

O que pode ter acontecido (uma suposição) é que a transformação do tema da “prostituta”, emergente no Salão de Paris, para o “tema social da criada”, pode ter sido considerado pelo artista para diminuir a crítica sobre a obra no momento de sua exposição na Argentina.

O tema do nu popular, de qualquer forma, já era em si mesmo um afronta à delicada pintura acadêmica dos nus mitológicos. Sabemos da recepção negativa dos nus de Manet e Courbet nos Salões de Paris.



A afronta do quadro de Sívori está relacionado à mesma questão que envolvia os escandalosos nus realistas franceses. Por exemplo, o quadro As Banhistas de Courbet, de 1853, provocou escândalo no Salão do mesmo ano, não só pela obesidade chocante do nu, mas por representar uma personagem de classe média, incompatível com as exigências da representação distanciada do real dos nus idealizados. Outra questão é que, como crítica à tradição da pintura acadêmica, Courbet elevava o tema da classe média ao nível da pintura histórica. Ainda havia o desrespeito à beleza, que agredia o regulamento da pintura dos Salões. E uma possível ironia nos gestos clássicos da moça e que se repetem na sua criada, satirizando o tema das "Dianas ao banho".

No quadro de Sívori é apresentada uma jovem da classe trabalhadora, num ambiente com mobiliários simples, com roupas amontoadas sobre a cama. Ela parece estar começando a se vestir. A expressão crua da materialidade do nu, este corpo que se apresenta ao espectador voyer em sua nudez poderosa, real, afirma o peso erótico da carne, em volumosos seios, braços e pernas. É como se violássemos a intimidade da criada, no seu despertar.

O quadro expõe o corpo sob uma luz que se deita sobre seu tronco e pernas, deixando os outros elementos numa leve penumbra. Seu rosto e penteados aparecem mais nítidos na fotografia do que na tela. O que reforça a presença corporal é, sem dúvida, o foco de luz que a ilumina provindo da esquerda em contraste ao fundo mais escuro da parede. O rosto ensimesmado está atento à meia que prepara para calçar. As pernas cruzadas uma sobre a outra reforçam a presença dos volumes do quadril. Os pés são pesados, podemos até dizer que são “toscos” ou maltratados, diferente das representações delicadas da pintura clássica. A pele tende ao escuro, o oposto da pintura marmórea de uma Vênus de Cabanel, apresentando variação do tom de cor em função do jogo de luz. O púbis encontra-se escondido entre as pernas cruzadas, o que não reduz a sensação de nudez absoluta da personagem no quadro.



Por causa dessa tela, Sívori é considerado o introdutor e um dos expoentes importantes do realismo pictórico argentino no final do século XIX. Filho de genovês, comerciantes ricos e armadores, entrou em contato com a pintura nos museus da Europa, onde o negócio da família o levara. Juntamente com seu irmão Alejandro, Eduardo Sívori é o grande promotor da criação da Sociedade Estímulo de Bellas Artes em 1876. Em 1883, ele fez várias colaborações artísticas na La Ilustracion Argentina, publicação fundada por Pedro Bourel. Entusiasta da arte moderna francesa, o destino que escolhe para viver alguns anos é Paris, onde frequenta a Academia Colarossi e estuda com Raphaël Collin, Puvis de Chavannes e Jean-Paul Laurens, este último professor de grande prestígio entre os artistas hispano-americanos que residem na capital francesa.

Em 1887, ele foi admitido pela primeira vez no Salão de Paris com o Le Lever de la bonne. Sívori está novamente presente no Salão de Paris em 1888 com La Mort d'un paysan e Sans famille; em 1889, com Dolce far niente e Femmes médécins; e em 1890 com Près du feu. Ele participou da Exposição Universal de 1889 e, dois anos depois, retornou a Buenos Aires, onde fez parte do grupo de artistas e intelectuais que, em 1892, fundou o Athenaeum, cujo primeiro salão, organizado no ano seguinte, oficiou como júri e expositor apresentando seis obras. Em 1894, Sívori expôs no segundo salão da Ateneo Coquetterie, Entre dos Luces e Las Guachitas, este um dos poucos trabalhos vendidos em toda a exposição.

No final do século, sua pintura tornou-se luminosa e radiante, afastando-se cada vez mais da natureza naturalista de seus primeiros trabalhos. Por outro lado, ele é reconhecido como um dos primeiros artistas argentinos a se aventurar na técnica de gravura.

Em 1905, sendo presidente da Sociedade de Estímulos, organizou a transferência para o Estado Nacional da Escola de Belas Artes fundada em 1876 por essa instituição. A Escola passou a se chamar Academia Nacional de Belas Artes, e Sívori é seu primeiro diretor adjunto, acompanhando Ernesto de la Cárcova, que é diretor. Posteriormente, ele atua como representante da Comissão Nacional de Belas Artes, dependente da entidade dedicada à organização das comemorações dos cem anos da Revolução de Maio. Esta comissão prepara a Exposição Internacional de Arte do Centenário, aberta ao público em 1910.

Artista prolífico, continuou pintando e enviando obras para os Salões Nacionais desde a sua fundação em 1911 até o ano de sua morte, que ocorreu em 1918.

O quadro O despertar da empregada doméstica encontra-se hoje no Museo Nacional de Bellas Artes de Buenos Aires.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 21/7/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A medida do sucesso de Fabio Gomes
02. Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição de Ana Elisa Ribeiro
03. Um Furto de Ricardo de Mattos
04. Os Livros que me Fizeram Mal na Infância de Lisandro Gaertner
05. Garanto que você não vai gostar de Carina Destempero


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2020
01. Entrevista com Gerald Thomas - 7/1/2020
02. A poesia de Carol Sanches - 12/5/2020
03. Entrevista com o tradutor Oleg Andréev Almeida - 7/4/2020
04. Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori - 21/7/2020
05. Layon pinta o silêncio da cidade em quarentena - 28/4/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PETRÓLEO: DESENVOLVIVMENTO OU VASSALAGEM?
MEDEIROS LIMA
ANTUNES
(1960)
R$ 22,18



ALHO SABOR E SAÚDE
MARCIO BONTEMPO
ALAÚDE
(2007)
R$ 8,00



JOÃO E MARIA DA AMAZÔNIA
BOECHAT,MARIA DIVA; GUSMÃO,MARTA - FRANCO
FRANCO
(2015)
R$ 17,00



DO CONFLITO ENTRE O DIREITO À PRODUÇÃO DE PROVAS E O....
ÉDER PEREIRA DE ASSIS
LUMEN JURIS
(2016)
R$ 59,00



MUITOS CAMINHOS, UMA ESTRELA
MARIETA DE MORAES FERREIRA; ALEXANDRE FORTES
PERSEU ABRAMO
(2008)
R$ 33,90



ANTES, O VERÃO
CARLOS HEITOR CONY
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1964)
R$ 10,00



UMA ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA PARA A CRISE BRASILEIRA
NOVOS RUMOS
NOVOS RUMOS
R$ 10,00



OS SOFRIMENTOS DO JOVEM WERTHER
JOHANN WOLFGANG VON GOETHE
MEDIAFASHION
(2016)
R$ 24,00



JARDIM DE INVERNO
ZÉLIA GATTAI
RECORD
(1988)
R$ 5,00



OS GUARDIÕES DA PAZ VOL 3 O CAMINHO DAS ESTRELAS STAR TREK A GERAÇÃ...
GENE DEWEESE
PUBLICAÇÕES EUROPA - AMÉRICA
(1993)
R$ 23,33





busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês