O Último Sábado, de Orlando Bastos | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
82631 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Songbook Chão da Gente tem lançamento grátis nas plataformas de digitais dia 24 de abril
>>> Heinz e Z Deli abrem conversa no Clubhouse sobre tradição e inovação
>>> Curitiba On-line: atividades culturais disponíveis para fazer em casa
>>> Luis Stuhlberger, um dos maiores gestores de fundos do país, participa do próximo Dilemas Éticos
>>> Cia. Palhadiaço faz temporada online de Depósito acompanhada por oficinas grátis
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Deficiente capilar
>>> A imaginação do escritor
>>> Caindo de paraquedas na escrita
>>> Inteligência artificial
>>> Rimbaud, biografia do poeta maldito
>>> 7 de Setembro
>>> Deixa se manifestar
>>> Auctoritas
>>> A arte do cinema imita o caos. Ou vice-versa
>>> Toca Raul!
Mais Recentes
>>> Alimentaçao Saudavel - Dicas e Receitas de Helena Tonetto; Angela Tonetto pela L&Pm Editores (2003)
>>> Os Sertões de Euclides da Cunha pela Paulo de Azevedo Ltda (1968)
>>> Edições de Planeta - Jung de Varios Autores pela Tres
>>> Viagens e Outros Poemas de Zirlano Teixeira pela Bagaço (2003)
>>> A Revolução Industrial de Leticia Bicalho Canedo pela Atual (1987)
>>> Inteligencia Competitiva de Gomes Elisabeth^Braga Fabiane pela Campus (2002)
>>> Revista do Instituto Historico e Geografico da Vitoria de Sto Antão de Varios Autores pela Instituto Historico de Vitoria (2000)
>>> Temas Tomistas Em Debate de Elcias Ferreira da Costa Org pela Circulo Catolico (2003)
>>> A Separação Passo a Passo- Antes Durante e Depois de Paulo Dantas Saldanha pela Raiz (1999)
>>> Liderando Mudanças de Kotte pela Campus (1999)
>>> Liderando Mudanças de Kotte pela Campus (1999)
>>> O Amante de Lady Chatterley de D H Laurence pela 1972 (1972)
>>> O Gitanja Li e Rubaiyat de Rabindranath Tagore e Omar Khayyam pela Jose Olimpio E (1938)
>>> Instituto de Pesquisas Filosoficas Santo Antonio de Aquino de Elcias Ferreira Costa pela Instituto de Pesquisas (2001)
>>> Gramática - Teoria e exercícios de Paschoalin e Spadato pela FTD (1996)
>>> 365 Belas Historias para Sonhar de D ánne Murat pela Blu (2014)
>>> Terra Pauxi de Francisco Manoel Brandão pela Do Autor (1955)
>>> Terra Pauxi de Francisco Manoel Brandão pela Do Autor (1955)
>>> Dragões de Eter Vol.1 - Caçadores de Bruxas de Raphael Draccon pela Leya (2010)
>>> Agatha Christie - o Incidente da Bola de Cachorro de John Curran pela Leya (2010)
>>> Esposa de Mentira de Ruby M Ayres pela José Olympio (1946)
>>> O Circo e o Sonho de O Circo e o Sonho pela Lidador (1965)
>>> Lucro A Partir Do Core Business de Chris Zook pela Elsevier (2010)
>>> A Casuarina de W Somerset Maugham pela Globo (1951)
>>> Liderando Mudança de John P. Kotter pela Campus (1997)
COLUNAS

Quinta-feira, 20/2/2003
O Último Sábado, de Orlando Bastos
Ricardo de Mattos

+ de 6300 Acessos

O Último Sábado, do escritor mineiro Orlando Bastos, é uma bandeja de pastéis de Santa Clara com a qual somos inesperadamente presenteados. A comparação é proposital: tanto o livro quanto o doce são pouco conhecidos e ambos agradam logo à primeira prova.

O volume é composto por doze contos e intitulado pelo primeiro deles. A capa trazendo Sol em um Quarto Vazio, do pintor americano Edward Hopper (1.882/ 1.967) serve como aviso da observação de interior que se seguirá. Apesar de algo ainda tentar permanecer obscuro, inútil fugir da devassa da luz. Pouca é a preocupação do autor com o meio no qual vivem seus personagens e disso resultam retratos em fundo neutro.

A linguagem adapta-se às personagens evidentes. Se é um fazendeiro rústico, será seu linguajar característico a predominar, quer na narração, quer obviamente nos diálogos. Enquanto Ela Agoniza - título a remeter-nos, intencionalmente ou não, ao Enquanto Agonizo de Faulkner - por exemplo: a cena na qual o fazendeiro manda sua empregada pegar a "caixa de forfe" (fósforos) vale o conto inteiro. Os neologismos são discretamente utilizados, devendo o leitor cuidar para não assim classificar todo o termo incomum encontrado. No conto O Passageiro de Caronte - cujo tema, se não inédito, recebe tratamento sui generis - deparamo-nos com o termo "defunturo". Não se apele a uma classificação fácil, nem se tente ler nele - através de uma poética rasteira - a somatória de "defunto" e "futuro". Se "nascituro" é aquele que nascerá, "defunturo" é aquele que morrerá, tornar-se-á defunto. Velho termo já constante do Offertorium da missa requiem. Nota-se uma escrita com minuciosa atenção na escolha das palavras. Em suma, os contos aceitam estes e outros discretos ornamentos - como o primeiro verso da cançoneta Quem Sabe? de Carlos Gomes adaptado em meio ao texto -, mas devem ser cuidadosamente apreciados, sem afobação. Esta leitura atenta resultará n'um melhor desfrute das narrativas e permitirá avaliar-lhes com maior segurança. Nem é aconselhável que se dê cabo do livro n'uma tarde.

N'este livrete de contos o indivíduo é mostrado em sua estupidez, ridículo e vileza. A mostra não é desacompanhada de certo humanismo. Todos tiveram seus motivos para o cometimento de seus erros, motivos que suas estreitas mentes aceitaram como suficientes. Não os julguemos precipitadamente. N'O Último Sábado acompanhamos três fases do raciocínio do personagem. Na primeira predomina a descoberta do adultério; unindo factos ele conclui pela traição. A segunda fase mostra a revolta pelo logro e maquinações vingativas. Logo inicia-se a terceira, na qual prefere manter as coisas como estão a provocar escândalos - sob a nova óptica - inúteis. Ser o rufião da própria mulher pode trazer vantagens a médio e longo prazo. Essas fases mencionadas tornam o título ambíguo no decorrer da leitura. Será o último sábado de uma série da qual se colocará fim, ou é apenas uma referência no tempo?

Sob o Signo de Jó nada esclarece de factos anteriores, mas referências esparsas adicionadas ao trágico desfecho fazem-nos imaginar algo de terrível. Aqui a suspeita de um crime; n'O Palmeirim das Gerais é um estupro a base do discurso santarrão do personagem. Não demora muito a trelência (de treler, tagarelar) revela um tipo ordinário a usar seu crime e o tempo passado na cadeia como argumentos para a venda de patuás. Se ao meio do conto duvidamos de sua regeneração, ao final propendemos pela conclusão negativa. Assemelha-se muitíssimo ao discurso barato dos seguidores de certas "religiões", a fazer hoje exactamente o que faziam antes, agora porém por "inspiração do Senhor Jesus".

A crueza cede lugar para o humor em A Marquesa, Missão Cumprida (mostrando a astúcia como filha da cobardia) e o quase inocente O Mágico de Óz. Contos mais leves, porém fiéis ao conjunto.

Para ir além





Ricardo de Mattos
Taubaté, 20/2/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Freud explica de Renato Alessandro dos Santos
02. Alma indígena minha de Elisa Andrade Buzzo
03. As luzes se apagam de Cassionei Niches Petry
04. O bosque inveterado dos oitis de Elisa Andrade Buzzo
05. A pandemia de Albert Camus de Wellington Machado


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2003
01. Da Poesia Na Música de Vivaldi - 6/2/2003
02. Poesia, Crônica, Conto e Charge - 13/11/2003
03. Da Biografia de Lima Barreto - 26/6/2003
04. Estado de Sítio, de Albert Camus - 4/9/2003
05. A Euforia Perpétua, de Pascal Bruckner - 5/6/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Insurreição da Anl Em 1935: o Relatório Bellens Porto
Marly a G Vianna (apresentação e Organização)
Revan
(2015)



Os Grandes Líderes - Kadafi
Nova Cultural
Nova Cultural
(1988)



The Partners Book 17
Scopen
Scopen
(2017)



Legalidade e Regulação
Clarissa Sampaio Silva
Fórum
(2005)



A História de Rasselas, Príncipe da Abissínia
Samuel Johnson
é Realizações
(2019)



Saúde da Mente, Saúde do Espírito
Gerald G. May
Paulinas
(1985)



El Hatha Yoga y La Ciencia Moderna
José Alvarez López
Editorial Kier (buenos Aires)
(1959)



Guia do Pão-duro - Feche o Bolso e Abra Sorrisos
Gustavo Nagih
Matrix
(2004)



Cidadão Cannes - o Homem por Trás do Festival
Giles Jacob
Companhia das Letras
(2010)



A Conquista do México
Mustafa Yazbek
Ática
(1988)





busca | avançada
82631 visitas/dia
2,6 milhões/mês