busca | avançada
33835 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Quinta-feira, 10/5/2001
Paraguai
Juliano Maesano

Quem nunca esteve na terra de Chilavert com certeza conhece sua fama, e essa coluna vem propor uma medida de controle. Se eu fosse membro do governo lutaria por um fechamento de fronteira e encerramento de relações com essa província guarani.

O que de bom vem do Paraguai? Resta ao mundo descobrir. O quê o país produz, em termos de mundo animal, vegetal ou mineral? Do que vive o Paraguai? Como é possível um país viver escancaradamente da ilegalidade? Que rica cultura traz? Música? Belezas naturais?

Dizem, e não é brincadeira, que até o carro oficial do presidente paraguaio é uma BMW roubada do Brasil. Não duvido. O paraguai é um assunto que me irrita há anos e uma nova discussão em torno do assunto me impeliu a escrever sobre ele. Já estive muitas vezes por lá: Assunção, Porto Stroessner e a atual Cidade do Leste. Quem já andou por lá sabe como é.

O que incomoda é que todos sabem do problema e sua fonte, mas obviamente nada é feito. Alegam que o Brasil perde bilhões com a fronteira em Foz do Iguaçu e eu pergunto: pra quê deixar milhares de soldados em quartéis sem nada fazer? Deviam fechar a "Ponte da Bandidagem" com trincheiras e muros e colocar o Exército, a Marinha e a Aeronáutica lá. Ninguém vai, ninguém vem. Lanchas no rio, neutralizando qualquer atividade ilegal, tipo um Muro de Berlim.

Vão reclamar, dizer que têm família aqui, família ali, negócios que dependem do comércio bilateral, etc. Olha, 99% dos comércios que atuam em Foz/Cidade do Leste são participantes em algum tipo de ilegalidade. Então ponto final. Seria uma decisão com aviso prévio, para as famílias resolverem de que lado querem ficar.

Óbvio que muitos lucram com o Paraguai. Os guardas de fronteira e policiais federais corruptos, os desmanches de carros e atravessadores, mas são pessoas essas que merecem lucro com atividades ilícitas?

Mais da metade de CDs piratas, cigarros e bebidas falsas, drogas, armas, relógios e carros roubados e tudo o mais: de tênis Nike e Reebok a câmeras de TV de 100 mil dólares passam pelo Paraguai a caminho do Brasil. Eu sei, você sabia e com certeza os governantes sabem. Mas parece que ninguém sabe, pois não se faz nada.

Parece até que o Brasil vai perder muito se encerrar relações com os paraguaios, não é? Iremos perder algum grande fornecedor de carne, grãos, minérios ou matéria prima? Uma grande fonte de mão-de-obra intelectual ou científica? Talvez alguns jogadores de futebol meia-boca.

Acho que a melhor solução é essa, que pode ser tomada rapidamente e sem problemas. Qualquer tipo de reclamação ou insistência dos "paraguchos" seria rechaçada como a antiga Guerra do Paraguai, onde exterminamos um terço da população deles, pra ficarem mais espertos.





Juliano Maesano
São Paulo, 10/5/2001

 

busca | avançada
33835 visitas/dia
1,3 milhão/mês