Muitas saudades!!!!! | Eduardo

busca | avançada
38611 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COMENTÁRIOS

Domingo, 30/6/2002
Comentários
Leitores


Muitas saudades!!!!!
Nossa gente!!! Estava eu aqui mexendo nuns papeis, aí encontro uma folha que eu tinha imprimido na net (Anos Incríveis), falando sobre o seriado, eu ia comete um crime: jogar fora esses papeis, mais aí eu vejo, Anos Incríveis, aí pensei: "nossa faz tanto tempo que não assisto essa série tão boa, simples, objetiva, grandiosa...". Então resolvi fazer uma pesquisa sobre a atriz Danica McKellar, no Google, aí eu encontrei esse site, aí li o conteúdo, falando sobre a série, voltei no tempo quando eu assistia, eu estudava na quinta série GENTE!!! Ia pra casa correndo pra assistir, bons tempos, principalmente da tv, que hj tá louco não passa nada que nos de vontade de se grudar na tela da tv, como o Anos Incríveis. Pessoal eu queria saber como eu consigo a série em VHS e DVD, e tb eu gostaria de saber dos atores da série, como eles estão, o q estão fazendo atualmente, enfim... Abraços

[Sobre "Anos Incríveis"]

por Eduardo
30/6/2002 às
17h51 200.211.122.177
(+) Eduardo no Digestivo...
 
Excelente comentário
Olhá Daniela, eu não tenho nem palavras para dizer o tanto que me agrada ler o seu comentário...parabéns

[Sobre "Nas garras do Iluminismo fácil "]

por Júnior
30/6/2002 às
15h13 200.255.100.35
(+) Júnior no Digestivo...
 
Maravilha!!
Que maravilha ler um texto desses! Que delícia ver que nem todos pensam como, por exemplo, aqueles video-artistas ranzinzas do Itaú Cultural, com suas mórbidas odes à podridão e ao lixo urbano, ao caos da mente e aos estados de alucinação e loucura. Meu Deus, que graça pode haver em se resignar a uma vida caótica? Como pode alguém perseguir tal coisa como objetivo e gastar a vida inteira fazendo a apologia da sujeira e da marginalidade? Muita arte bonita já surgiu a partir dos estados mórbidos da mente humana, mas o custo é alto e, portanto, tem que valer a pena. No caso de Dostoyevski, valeu! Mas hoje em dia não temos Raskolnikov. Temos Lucélia Santos e os seus negões. E, sinceramente, acho que isso não faz valer nem o esforço de ligar a TV no Canal Brasil. Portanto, sinto uma felicidade (diria Manuel Bandeira) "inefável" ao ler esse artigo, ainda mais depois de voltar da banca, onde vi um especial da Caros Amigos sobre "literatura marginal". Ninguém quer ser marginal, nem mesmo os marginais. Mas esse povinho intelectual já está começando a convencer a todos de que é bom ser marginal, é "cult", é "unibancool", é lindo, enfim. E assim rasteja a humanidade, como disse o Sérgio Augusto. Em tempo, gostaria de sujerir um filme de Robert Altman. Chama-se "A fortuna de Cookie". Todos os personagens são deliciosamente ingênuos. Tão ingênuos que não conseguem não ser felizes! E, para melhorar, ainda tem a Liv Tyler no elenco. Que maravilha!

[Sobre "Comédias leves"]

por Evandro Ferreira
29/6/2002 às
21h46 200.167.234.66
(+) Evandro Ferreira no Digestivo...
 
Que delícia ler o seu texto!
Ah... Alexandre!Eu gostaria muito de poder viver nesse estado de "Comédia Leve", em que houvesse malícia, sim, mas com elegância; maldades, claro, mas com refinamento e inteligência... e no qual eu pudesse me enternecer com a visão de uma Audrey Hepburn comendo um prosaico sanduíche, mas vestindo Givenchy e, possivelmente, cheirando tão bem como uma rosa que acabou de desabrochar. Que beleza de mulher! Ah... nunquinha uma Lucélia Santos se transformaria em Audrey Hapburn, nem se a gente tomasse um porre de absinto (a proibida fada verde), meu amigo. Pois nem raspar as axilas essa "Isaura" raspa... O nosso Vaudeville brasileiro é apenas um entra e sai de palhaços rotos, com penicos na cabeça, você sabe, nada tem da espirituosidade de um Eugène Labiche ou de um Georges Feydeau. Alexandre, se você encontrar o caminho desse mundo perdido... ou melhor, a entrada desse mundo da "Comédia Leve", onde ainda circulem criaturas assemelhadas a uma Grace Kelly ou a uma Audrey Hapburn... avise-me, certo? Que delícia ler o seu texto, Alexandre! Eu me senti longe, muito longe das coisas feias, das coisas grosseiras, burras, do humorismo de arrotos e outras grosserias. Foi muito bom! O final do seu texto, então, ficou soberbo! Forte abraço!

[Sobre "Comédias leves"]

por Dennis
29/6/2002 às
16h29 200.158.234.146
(+) Dennis no Digestivo...
 
Sem vara de condão
A discussão sobre cinema no Brasil é tão antiga, mas tão antiga, que já morreram Mário Peixoto, Alberto Cavalcante, morreram a Vera Cruz, a Atlântida, as revistas de cinema, os velhos cinemas de praça do país e ainda não sabemos onde chegar. Será que somos tão incompetentes, imaturos, ou ignorantes mesmo, a ponto de não conseguirmos elucidar uma questão tão necessária? Sim, somos. Tudo isso e muito mais. Venho acompanhando a discussão sobre a ANCINE, desde as propostas de sua criação - coisa de uns dois ou três anos atrás. Venho acompanhando algumas poucas discussões nos bastidores, travadas entre cineastas de longa data e aspirantes. O que se percebe é um misto de angústia adolescente e de disparates egocêntricos. De um lado, advoga-se a causa do cinemão, da criação de uma indústria, mas voltada para o grande público, quando as bases que aí temos, os tais "fundamentos", estão explícitos neste artigo. Como se a arrecadação de um tributo fosse satisfazer a necessidade histórica de profissionalização de uma imensa cadeia produtiva. De outro, os chatos de sempre - não chatos porque reclamam, mas porque são chatos mesmo - quebram com qualquer iniciativa que pretenda dar viabilidade à indústria - em qualquer acepção que a palavra possa tomar -, uma vez que inseridos em um mercado audiovisual, terão que caminhar com as próprias pernas, sem o ancoradouro seguro das benesses concedidas pelo Estado. Mas antes de qualquer mal-entendido, é preciso dizer uma coisa: não são só estes que querem evitar a todo custo a retirada do seio estatal. Também muitos dos velhos cineastas aguardam a varinha de condão salvar as suas idéias e transformá-las em grandes obras de longo alcance, como mísseis culturais. O que resta são os parcos cinemas pelo território brasileiro, inundados de porcarias made in qualquer lugar, seja Brasil, EUA ou mesmo França, a meca da pseudo-intelectualidade. Uma certeza podemos ter. E é uma certeza que pode nos auxiliar a pensar em saídas. Há espaços para todos os gostos, para todas as produções. O que precisamos ocupa uma boa lista: boas escolas de cinema, técnicas e críticas; que o Estado deixe de atrapalhar a produção (já seria uma grande ajuda); que se criem verdadeiros produtores no país, com conhecimento sobre o mercado, sobre a indústria; e demais mecanismos que permitam a auto-suficiência. Sem ela, não há como se pensar sequer em médio prazo.

[Sobre "Que tipo de cinema se quer fazer no Brasil?"]

por Homer
29/6/2002 às
14h51 200.152.98.9
(+) Homer no Digestivo...
 
A cultura alimenta o cool.
Concordo que muita gente ligada à cultura também alimenta o cool. Mas infelizmente, as próprias manifestações culturais acabam sendo adotadas pelo pessoal do cool como elementos de identificação. E isso acontece porque a cultura ainda é muito elitista. E o que é autêntico, popular, acaba sendo rechaçado.

[Sobre "Todos querem ser cool"]

por Adriana
28/6/2002 às
16h15 200.191.110.46
(+) Adriana no Digestivo...
 
Torcer pelo jacaré
Em outros tempos, lá pelos meus 17, 18 anos, época em que era esquerda rôxo, acharia que este texto foi escrito por um correligionário do Jean-Marie Le Pen, mas hoje lendo-o do alto de meus 35 anos de idade, ele faz sentido. Já que vc citou minha cidade, Sorocaba, só posso concordar contigo pois mesmo a cidade sendo muito bem administrada ao longo de dois bem sucedidos mandatos pelo Sr. Renato Amary (PSDB), um dos melhores já ví em toda a minha vida, que transformou completamente a cidade, fazendo uma verdadeira cirúrgia plástica, rasgando belíssimas avenidas, reformando parques e praças, canalizando córregos, despoluindo o rio (fato raro no país), implantando iluminação pública de última geração, elevando o número de escolas municipais em 5 vezes, enfim tornando-a uma das melhores do interior paulista, sem favelas e mendigos em cruzamentos, com um transporte coletivo de dar inveja a muitas capitais, elogiada em toda a mídia, memso assim há os do contra que criticam assintosamente o coitado do prefeito. Qualquer obra que a Prefeitura vá executar, prontamente caem de porrete no homem, dizendo que vai prejudicar o trânsito, atrapalhar o sossêgo, etc. Uma das maiores virtudes do nosso prefeito é justamente o seu pulso firme, a là Felipão, para comandar o município rumo ao desenvolvimento pleno, só que muitos (principalmente os da esquerda ressentida e invejosa) julgam ver nisso um sinal de despotismo, tirania. Já lí artigos de críticos do prefeito, alguns muito influentes na sociedade sorocabana, dizendo que favelas fazem parte do cotidiano brasileiro, que o prefeito não pode proibí-las ou transferir famílias de áreas de risco para assentamentos. É um completo absurdo, que só pode partir daqueles que em filmes do Tarzan torcem para jacaré.

[Sobre "O cavalo e as moscas"]

por Antonio Fernandes
28/6/2002 às
11h35 200.221.181.141
(+) Antonio Fernandes no Digestivo...
 
É verdade
Concordo plenamente. O reflexo da cultura "cool", infelizmente traz um comportamento que mistifica aqueles que não são cool mas também não se comportam que a indústria deseja. Vou fazer um apelo, para o pessoal do cool way of life. Um bom exemplo hoje é, trabalhar com cultura, você precisa ser cool. Vestuário, gostos musicais.....tudo pela status cool. Para essa classe, peço mais personalidade e respeito a palavra CULTURA. As pessoas que realmente estão fazendo alguma coisa pela cultura e trabalhando com sua essência, sabem que a cultura cool é extamente a negação da cultura. Um abraço Adriana... Felipe

[Sobre "Todos querem ser cool"]

por Felipe
28/6/2002 às
10h50 200.255.247.155
(+) Felipe no Digestivo...
 
Nós somos os próximos
Eu acho, Felipe, que a busca por ser cool é uma necessidade muito grande de auto-afirmação. E é por isso que não acontece muito com as pessoas mais maduras. Como você mesmo indica, é um porcesso desgastante. Mas as marcas perceberam que é uma tendência que deve ser levada em conta se quiserem atingir um grande público consumidor, que são os adolescentes e jovens adultos. E é justamente aí que entra o ponto em que falo que as pessoas consomem o que querem. Não importa se esse querer é autêntico ou imposto. O que importa é que, quando surge o desejo, o produto já está lá para ser consumido. E é isso que Nike, Adidas, Satrbucks, Tommy Hilfiger e outras marcas estão fazendo. Aqui no Brasil isso ainda é incipiente, perto do que acontece nos EUA. O que não deixa de ser uma vantagem para nós. Mas é justamente por sermos relativamente "virgens" nesse aspecto que nosso país é considerado o grande mercado do presente e do futuro.

[Sobre "Todos querem ser cool"]

por Adriana
28/6/2002 às
10h34 200.191.223.254
(+) Adriana no Digestivo...
 
Ser cool é ignorância
A palavra cool significa a própria farsa. A tentativa de ser diferente, mas sendo igual aos outros de maneira diferente. É o que tem de pior, a falsa moralidade. São tão escravos da indústria cultural quanto aqueles que a não a percebem. Pois, os seguidores da moda cool, percebem a indústria mas se movem como tal....fazendo moda. Criando muito mais estilo e forma que conteúdo. O texto de Adriana, diz que hoje as pessoas consomem o que querem. Infelizmente tenho que descordar dessa afirmativa. As pessoas acham que querem, mas já estão com o vírus da indústrial cultural instalados em seu poder de consumo, não tem como fugir, tudo hoje virou POP . E o inverso de POP é POP.

[Sobre "Todos querem ser cool"]

por Felipe
28/6/2002 às
09h33 200.255.247.155
(+) Felipe no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O SANGUE DE ÂMBAR VOL 559 COL. ARGONAUTA
ROGER ZELAZNY
LIVROS DO BRASIL
(2005)
R$ 35,78



INSIDE WINDOWS COMMUNICATION FOUNDATION (DEVELOPER REFERENCE)
JUSTIN SMITH
MICROSOFT PRESS
(2007)
R$ 37,00



AS VIAGENS DE GULLIVER
JONATHAN SWIFT
NOVA CULTURAL
(2003)
R$ 10,00



JACUBA É GAMBIARRA
SABRINA SEDLMAYER
AUTÊNTICA
(2017)
R$ 38,00



LIÇÕES DE MEDICINA LEGAL
A. ALMEIDA JÚNIOR E J. B. DE O. E. COSTA JÚNIOR
CIA. NACIONAL
(1971)
R$ 14,00



VISÕES DA TRADIÇÃO SOCIOLÓGICA
DONALD N. LEVINE
JORGE ZAHAR
(1997)
R$ 60,00



FABULAS DE LA FONTAINE TOMO
LA FONTAINE/IRACEMA COSTA
VERBO INFANTIL
R$ 10,00



OS TECELÕES DO DESTINO
EURÍPEDES KÜHL / DOMITILA
PETIT
(2001)
R$ 11,00



DIRETRIZES GERAIS PARA INTERCAMBIALIDADE DE PROJETOS EM CAD
HENRIQUE CAMBIAGHI
PINI
(2002)
R$ 15,00



ANTONIO CANDIDO: A PALAVRA EMPENHADA
CELIA PEDROSA
EDUSP / EDUFF
(1999)
R$ 22,00





busca | avançada
38611 visitas/dia
1,4 milhão/mês