busca | avançada
51146 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Sexta-feira, 19/11/2010
Comentários
Leitores

Leitores ocupados
Quando comecei a ler este texto, pensei, ela vai deletar o blog? Tive um medo, pois foi a senhora quem me incentivou a escrever um blog mesmo sem leitores ou comentários, e assim o fiz. É tanto que dele resultou três livros de crônicas, e lá ainda estou escrevendo, sem leitores, sem comentário, é a minha terapia. E acho que estou no final do seu texto, quando pergunta por seus leitores/internautas, estou nas estatísticas, sempre lá ou para sempre lá. Não sei dizer. Acho que a corrência, não com outros blogs, mas com o Facebook, Twitter, Orkut ocupam os leitores. O povo já lê pouco, e agora prefere ler apenas posts de 140 caracteres. Mas estamos aí.

[Sobre "O blog no espelho"]

por Ronaldo Magella
19/11/2010 às
08h51

Tropa de Elite e a elite
O filme inicialmente já demonstra seu caráter documental, abordando, no ligeiro esclarecimento do representante dos Direitos Humanos, a dura realidade brasileira em face às condições do seu sistema prisional. Porém o filme revela em seu desenrolar uma outra ótica acerca da situação lamentável encontrada no Brasil nos dias atuais, obviamente usando para tal a Cidade Maravilhosa, remetendo o problema ao grande sistema que marginaliza o indivíduo, colocando-o na condição de "enfeite" da bela paisagem carioca (será o morro?). Para, assim, um grupo de elite da polícia invadir e, temporariamente, deixar tudo em ordem, com muitos vagabundos estendidos em meio ao sangue derramado. A história evidencia, através do caos da favela e da "vontade" do Estado agir, o resultado puramente vantajoso que é manter a situação como se encontra, para maior benefício da elite.

[Sobre "Tropa de Elite 2: realidade como osso duro de roer"]

por Jean Scheifer Correa
19/11/2010 às
02h23

O melhor até agora
Melhor comentário sobre o filme que vi até agora. Parabéns!

[Sobre "Ausência do mal?"]

por Melk
17/11/2010 às
14h06

O livro ainda resiste
O livro de papel é um meio de informação, um objeto de decoração, e é com certeza uma obra de arte. Tem todo o trabalho artesanal, tem o trabalho científico, gráfico, na qual insere desenhos e fotografias. Independemente de hoje se escrever muito em computador. Podemos até escrever nas estrelas. A arte existe, e o livro como obra ainda resiste.

[Sobre "Cheiro de papel podre"]

por Manoel Messias Perei
16/11/2010 às
07h24

Comer e ler
Há livros que trazem o prazer da leitura e de um aprendizado. Já um trabalho literário que envolva alimentação traz a experiência do sabor e o prazer de cozer, comer e ler ao mesmo tempo.

[Sobre "Livros que aproximam"]

por Manoel Messias Perei
15/11/2010 às
21h30

Choro de entendimento
Não vou me estender repetindo tudo o que seu lindo texto nos disse com tanta sutileza. Lindo texto, me fez chorar litros, mas não de tristeza, e sim de entendimento.

[Sobre "O suficiente para ser feliz"]

por Samantha Abreu
15/11/2010 às
13h39

Lição emocionante.
"A gente nunca sabe aproveitar as pessoas. Pior é quando a gente discute com elas por causa de bobagens e elas se vão, deixando amargores no céu da boca." Uma lição emocionante e definitiva, principalmente quando estamos aperfeiçoando a rabugice sexsagenária que tudo discute, tudo sabe ou de tudo já experimentou. Aproveitar, integralmente, as pessoas que nos amam, que nos querem bem, que nos dão atenção, carinho e paciência é desfrutar da felicidade. Independente se são parentes ou não, devemos tolerar ao máximo, indugir, entender e devolver, em igual medida, todo carinho, companherismo, atenção, amizade, alegria e conforto enquanto elas estão por aqui. Assim, teremos muito pouco ou quase nada para nos arrependermos, antes que chegue a nossa vez de deixar saudades.

[Sobre "O suficiente para ser feliz"]

por Raul Almeida
15/11/2010 às
09h03

Linda, como sempre!
Linda, como sempre!

[Sobre "O suficiente para ser feliz"]

por Fernanda
15/11/2010 às
07h36

Nada melhor pra fazer?
Nada de novo sob o Sol. Será que são necessários dois psicanalistas europeus para saber que o autor não se esconde, mas se desnuda, com seus escritos? Que nova pólvora foi descoberta? Será que esses caras não tinham nada melhor a fazer? Quanto à cronista, poderia ter pelo menos dito quem é o tal escritor potiguar, a única informação interessante na crônica, mas que faltou.

[Sobre "O escritor está nu"]

por Gil Cleber
14/11/2010 às
09h30

PSDB afogou minhas esperanças
Rafael, legal seu texto. Nunca fui petista, mas sempre fui esquerda e já votei Lula,Brizola e Cristovam. Fiquei feliz por seu desfecho com o PT, porque o meu, com o PSDB, foi triste, eu fazia faculdade quando surgiu o PSDB e todo aquele discurso da Social Democracia, como 3ª via. Rapaz, eu não me filiei por um triz, e hoje, olhando para trás, os 8 anos vergonhosos de FHC, dou graças a Deus por não ter cometido esse pecado. Gosto da Marina, acho um grande nome, mas ela ainda não tem a envergadura para assumir uma presidência. Ela deixou o PT porque foi preterida por Lula, que optou por Dilma, e não vejo nada de mais nisso, porque o meu preferido na esquerda hoje é o Ciro Gomes. Uma grande dúvida que tenho com a Marina são os empresários que aderiram de forma oportunista ao PV... E eu penso que a Marina e PV devem orientar todos esses empresários, especialmente o Guilherme Leal, que resolvam suas situações com o fisco, sem deixar pendengas, caso queiram seguir carreira pública.

[Sobre "O petista relutante"]

por Muchacho
12/11/2010 às
19h16

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
51146 visitas/dia
1,8 milhão/mês