busca | avançada
43247 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Terça-feira, 3/7/2007
Comentários
Leitores

Mais bebida aos moralistas
O pasquim era um jornal que criticava a moralidade e não se importava em se auto-acusar de jornal bêbado, não vendo isso como um termo pejorativo, mas provocativo para que pessoas que não dão valor ao conteúdo e sim à representatividades morais o julguem. Era um jornal aberto, sobretudo, às idéias, claramente contra o regime, mas aberto a argumentos. Usava do humor, do scarcamso, da sátira e da ironia, pra burlar a burrice da censura. Quem julga os outros por serem bêbados ou não, realmente não deve entender, e nem precisa, o pasquim. Em relação ao Simonal, que dava valor a carrões e a mulheres, às representatividades do poder monetário, cantava muito bem, mas vacilou. Foi delatar e o pasquim simplesmente publicou. Se deram as costas pra ele, paciência. Ele que tivesse pensado bem antes de falar, porque num regime como aquele não se pode ficar em cima do muro ou fingir que não vê.

[Sobre "Simonal e O Pasquim: nem vem que não tem"]

por Amaro Francisco
3/7/2007 às
23h58

Adorei o seu texto, Veronica
Voce sabe expressar o que vivemos em nossa imaginacao. Em relacao 'a leitura, eu acho que os melhores livros sao aqueles que acordam nosso espirito em busca ao crescimento. Isso e' sentido atraves da leitura, e assim as portas se abrem. Porem, cada um tem a sua hora, ou seja, cada um vai encontrar o blog ou livro que mais lhe agrada naquela fase da vida. Eu adoro este web site, e acho que estacionarei por aqui! Hugs, Milton

[Sobre "Publique, mas não seja estúpido"]

por Milton Laene Araujo
3/7/2007 às
19h56

A luta de um brasileiro
O Brasil é um país de verdadeiros artisas que se encontram, na maioria das vezes, anônimos em sua poesia. São eles os verdadeiros lutadores, sonhadores, que fazem acontecer a história deste jovem país. Coque é um exemplo anônimo, esquecido no interior do Brasil, e que às vezes é descoberto por pessoas que, com sensibilidade, de alguma forma ajudam o seu povo e mergulham na cultura da nossa história real. Histórias de brasileiros que vivem e sobrevivem à margem da modernidade, infiltrando-se nas sensíveis veias daqueles que percorrem o ainda não descoberto sertão brasileiro. Sertão das violas, da lua, dos pássaros, das fogueiras, cachoeiras, da sincera amizade e do puro coração. Parabéns a todos aqueles que têm em seu coração a humildade e o amor que nosso Coque possui em seu reino na Natividade. E que novos anjos visitem sua casa, sempre que possível...

[Sobre "Coque, o violeiro de uma mão só"]

por Luis Salvatore
3/7/2007 às
18h49

Irene, preta
Pensar Manuel Bandeira, além do medo que ele tinha de morrer, mas lembrar de suas palavras, dizendo pra São Pedro, da Irene preta, e sabendo que mesmo bonachão, lá no céu, São Pedro daria um sorriso, dizendo, pode entrar, Irene, a casa é sua, minha preta.

[Sobre "Alguns poemas traduzidos, de Manuel Bandeira"]

por manoel messias perei
3/7/2007 às
17h47

Será que não leio?
Hoje em dia, o adolescente está lendo menos por causa da nova "era digital", só que nao indica que os jovens no geral nao leiam. Eu, pessoalmente, reconheço que leio poucos livros, mas sempre estou indo nos sites informativos na internet, mesmo porque o vestibular está chegando e espero passar e me tornar alguém na vida!!!

[Sobre "Adolescente lê, sim, senhor!"]

por Sabrina
3/7/2007 às
16h38

ler: não é só papel da escola
O texto esta falando de como a escola é fundamental para que os alunos criem o hábito de ler, mas isso não é só o papel da escola. Os pais, a tv, o cinema, a politica, tudo tem que influenciar os jovens a ler! Eu mesma melhorei muito sobre os meus conceitos de literatura, pois antigamente lia somente por me obrigarem, mas hoje em dia eu gosto de ler para poder ampliar meus conhecimentos e porque quando eu leio eu me distraio, esqueço do mundo e dos meus problemas.

[Sobre "Adolescente lê, sim, senhor!"]

por Tassia e Adriana
3/7/2007 às
12h23

Novas abordagens de leitura
Os jovens hoje não se importam muito com a leitura clássica. A leitura de uma certa forma vem sendo abordada para o jovem como uma maneira de estudo obrigatório. Os jovens não andam lendo por gostar de ler, e sim para agradar pai e mãe. A leitura hoje tem que ser abordada como uma maneira de se divertir, para que nós jovens tomemos gosto pela leitura. E tem de ser feita como um ato de amor. O jovem não pode pensar que a leitura é uma perda de tempo!

[Sobre "Adolescente lê, sim, senhor!"]

por Guilherme Moreira
3/7/2007 às
12h21

Boa leitura, mais conhecimento
Na verdade, o mais importante é fazer uma boa leitura, porque quanto mais você faz uma leitura, mais terá um conhecimento do tema!

[Sobre "Adolescente lê, sim, senhor!"]

por Kelvin Carlos
3/7/2007 às
12h19

Leituras diferentes
Penso que os adolescentes lêem de uma forma diferente dos mais velhos, os adolescentes se interessam mais por jogos de grandes aventuras e os mais velhos se interessavam por livros por não terem a oportunidade de desfrutar dessa tecnologia.

[Sobre "Adolescente lê, sim, senhor!"]

por rodrigo franco
3/7/2007 às
12h19

Os adolescentes se manifestam!
Ótimo saber que os adolescentes se manifestaram sobre o assunto. Concordo também com o Adriano que lembra o quanto o acesso é importante. Mas não mudaria o título, o adolescente lê. Não todos, mas alguns e esses também são adolescentes. E é bom descobrir que em meio a quantidade enorme de meios de comunicação e opções de diversão esses elementos não se excluam. Um livro faz parte de um filme, que faz parte de um jogo, que inspirou uma revista em quadrinhos. Mas a leitura ainda é talvez aquele processo que mais estimula a imaginação humana. Mas infelizmente, os livros custam muito caro para os pais assalariados ("culpa do governo"). Mas não podemos colocar a culpa somento no governo pois muitas das vezes nós, adolescentes, temos preguiça de ler. Sem contar agora com a internet...

[Sobre "Adolescente lê, sim, senhor!"]

por Isabela Cristina O.
3/7/2007 às
12h17

Julio Daio Borges
Editor

busca | avançada
43247 visitas/dia
1,3 milhão/mês